História A Princesa e o Dragão - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Cana Alberona, Elfman Strauss, Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gildartz, Grandine, Gray Fullbuster, Igneel, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Loki, Lucy Heartfilia, Metalicana, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Pantherlily, Personagens Originais, Romeo Conbolt, Virgo, Wendy Marvell
Tags Gale, Gruvia, Miraxus, Nalu, Romance, Romendy
Visualizações 82
Palavras 1.390
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Andei meio sumida, né? Me desculpe, minna! Eu estive cheia de trabalho da escola, e ainda tinha meu trabalho.
Me desculpe, mas pra recompensar eu trouxe um capítulo quentinho pra vocês.
Boa leitura <3

Capítulo 22 - Sequestrada - Parte 1


Natsu caminhava calmamente pelas ruas de Fiore. Olhava as crianças correndo e brincando com seus pais, felizes. Pensava se seria assim com ele e Lucy...

Sem perceber, uma menininha veio até perto de sua perna e deu pequenos puxões em sua calça. Se agaixou até a altura da menina e lhe enviou um sorriso.

- Olá, qual é seu nome? 

- Mirian. - Ela sorriu doce e inocente. - E o seu?

- Natsu. - Sem lhe dizer mais nada, a menina lhe entregou um balão rosa em formato de coração.

Ele arqueou a sombracelha, sem entender o presente.

- É para você. Combina com seu cabelo. - Sorriu mais uma vez.

Natsu sorriu para a menina e apontou para o próprio cabelo, como se perguntasse se ela quaria tocá-lo; ela sorriu e pôs a mão pequena nos fios rosados, acariciando-os.

- É macio! - Soltou uma risada. 

Ela acabou indo embora ao chamado de seus pais. Ele voltou a seguir seu caminho, indo para a guilda.

Qualquer garota que o visse sorrindo, achava que ele estava as cantando. Contudo se decepcionavam ao descobrirem que essa era sua expressão pela noite anterior. Não se sentia bem em deflorar Lucy antes da hora, mas a amava muito; até se sentia feliz por ter sido seu primeiro...

Parou de andar ao chegar na porta da guilda. Não fez como sempre agia, apenas entrou na Fairy Tail sem fazer um mínimo barulho, algo que surprendeu à todos.

- O que será que aconteceu com o Natsu? - Comentava Jet.

- Acho que ele deve ter batido a cabeça em uma pedra. - Concluiu Droy.

- Pois eu acho que isso tem outro nome... 

- Que seria, Levy-chan? 

- Amor! - O time Shadow Gear finalizou.

Natsu apenas escutava o time falar, e sorriu. Afinal, não era tão mentira assim... 

- Natsu-kun! Bom dia! - A voz animada de Lissana se fez presente na taberna.

- Ah, oi Lissana-san.

- Onde está a Lucy-chan? Ela ficou doente? 

Natsu ficou preocupado. Se dissesse que Lucy estava em casa lavando os lençóis sujos, ela iria o xingar ou ficar triste achando que ele haviam tido a "noite íntima de casal"; por isso decidiu mentir.

- Sim. Ela está um pouco doentinha. - Sorriu amarelo.

- Oh, tudo bem. Talvez eu possa visitá-la... - Se virou para ir, mas parou ao sentir seu braço ser puxado.

- Acho melhor não ir... Lucy está naqueles dias... Ela está um dragão! - Mentiu, sorrindo amarelo.

- Ah, claro. Entendo. - Sem dizer mais nada, seguiu para o balcão ajudar Mirajane.

Natsu suspirou fundo, e voltou a se sentar. Tomou um gole da cerveja e sorriu, olhando para o balão em formato de coração, lembrando de Lucy.

"Dragão". Riu do apelido que dera para a loira.

 

(...)

 

Lucy, após terminar de lavar os lençóis, saiu para ir comprar comida. Caminhava calmamente pelo mercado com três sacolas na mão, até ficar de frente para a guilda do irmão. Não iria fazer mal fazer uma visita, certo?

Entrou sem fazer cerimônia, e seguiu até o balcão.

- Olá, Amy-chan! - Sorriu para a morena.

- Olá, Lucy-san. Veio ver seu irmão?

- Até queria. Mas ouvi dizer que ele viajou...

- Mas ele já voltou. - A loira sorriu animada. - E ainda trouxe uma garota com ele. Ela era muito bonita... A Minerva, quando a viu, saiu daqui às pressas. Parecia o Diabo fugindo da cruz. - As duas riram.

- Sério? Como ela era?

- Loira de olhos azuis; alta, vestia roupas elegantes...

- Deve ser uma princesa.

- Lucy? - A loira se virou ao ouvir a voz do irmão.

- Onii-chan! Você já voltou de viagem? Que bom! - Sting não se movia. Até que a puxou pela mão até o andar de cima, onde ficava sua sala. - Ei, pra quê essa pressa? É a garota que trouxe? - Ele parou no corredor. - É ela? Não fique preocupado. Contanto que ela não seja igual a Minerva, irei aceitá-la de braços abertos...

- Você já a trouxe? - Lucy fôra interrompida pela voz feminina no final do corredor.

Era a tal mulher loira que Amy citara. Ela usava um vestido longo na cor vinho com uma fita preta na cintura. Tinha cabelos curtos e loiros, que era enfeitados por uma presilha com uma rosa de enfeite, e era alta. A mulher se encontrava de frente para a janela, e o sol cobria metade de seu corpo. Ela parecia olhar para trás, mas Lucy não conseguia ver seu rosto com clareza; o sol tampava-lhe o rosto.

- Quem é você? - Ela se virou por completo, fazendo os raios solares brilharem atrás de si.

- Eu sou...

 

(...)

 

Lucy andava até o jardim da Sabertooth, sem um rumo. Olhou para frente, e viu Minerva debaixo de uma cerejeira, aparentava chorar.

Se aproximou com receio, afinal não conseguia confiar na morena nem em sua morte. 

- O que quer? Veio rir de mim? - Ela falava sem olhá-la.

- Por que pensa assim?

- Não sei. Neste momento, a fofoqueira da Amy já deve ter contado pra toda guilda que saí correndo, assim que vi a garota que acompanhava o Sting.

- Na verdade, eu nem sabia que estava aqui... Mas por que saiu daquele jeito? - Se sentou ao lado da Orlando.

- Ela já foi minha amiga um dia... Eu não acreditei em vê-la ali, depois de anos achando que ela estava morta.

- Você a conhecia?

- Sim... E pelo visto você também a conhece; você falou com ela...

- Ela é minha irmã mais velha. Akira Heartfilia. - A morena balançou a cabeça. - Mas por que não vai falar com ela?

- Ela me traiu uma vez... Não consigo perdoá-la pelo passado... - Ela cobriu o rosto com ambas as mãos, começando a soluçar.

Seria possível, a "grande" Minerva Orlando estava chorando? Na sua frente?

Em outra ocasião, ela teria começado a caçoar da morena. Mas naquele momento, não era hora para brincadeiras. Puxou a cabeça da morena para seu colo e começou a acariciar os fios negros dela.

- Sei que não é da minha conta, mas o que minha irmã fez?

- Ela me roubou o homem que eu amava... Ela ia se casar com ele... - Falava aos soluços.

Com uma mão livre, Lucy usou-a para por sobre a boca, perplexa. Primeiro por Minerva ter se apaixonado uma vez na vida; segundo que ela desabafava com ela.

Aquilo era muita coisa para sua cabeça. Realmente, Akira tinha muito o que explicar...

"- Eu sou Akira Heartfilia. Sua irmã mais velha. - Lucy cobriu a boca com a mão. - Lucy, eu voltei... - Lucy correu ao encontro da irmã, a abraçando com todas suas forças.

- Irmã... - Lucy soluçava, enquanto Akira acariciava seu cabelo. - Bem vinda de volta...

Se separaram, e foram para a sala de Sting conversar melhor.

- Como você está? Como chegou aqui? Oh, como tenho tantas perguntas para lhe fazer, onee-san! - Akira segurou as mãos de Lucy com carinho.

- Faça as perguntas que quiser, irmãnzinha. Oh, tenho tanto para lhe explicar..."

Se sentia mal pela Orlando. Ela havia amado alguém que a trocou por sua irmã mais velha. Definitivamente, iria perguntar para Akira sobre este homem.

 

(...)

 

Minerva respirava fundo enquanto se levantava, havia baixado a guarda para sua inimiga. Mas não era mal-agradecida, a princesinha havia consolado-a, sem pedir nada em troca.

- Esqueça o que aconteceu aqui. - Limpou a grama do vestido. 

- Digo o mesmo. - A voz desconhecida, as assustou. Lucy se levantou, ficando do lado da morena.

A loira rapidamente reconheceu o dono da voz. Era Samuel. 

- O que faz aqui?! 

- O mesmo que você. Procurando a peça final. - Ah, aquele gato despresível! O que ele estava dizendo afinal?

- Do que está falando, seu gato ordinário? 

- Você conhece ele? Quem é ele, princesinha?

- Minha cara dama, eu sou alguém que você não precisa saber da identidade.

- Ah é? E por que não? 

Samuel não falou nada. Apenas apontou uma espécie de arma para Minerva. Lucy, temendo o que iria acontecer, se jogou na frente de Minerva, a empurrando, após ouvir o barulho do gatilho.

O corpo da loira caiu, inerte...


Notas Finais


Eu não matei a Lucy!! Não me xinguem, pfv!!
Espero que tenham gostado <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...