História A princesa e o vagabundo - Capítulo 49


Escrita por:

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Erwin Smith, Levi Ackerman "Rivaille"
Tags Eruri
Visualizações 23
Palavras 1.228
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 49 - Brigas Fofas


Fanfic / Fanfiction A princesa e o vagabundo - Capítulo 49 - Brigas Fofas

-Fofo, agora vamos dormir!.

Ele apagou o a lampião e virou para dormir, eu então virei ficando olhando para o teto escuro e parei para refletir sobre as mudanças, além do quarto estar muito mais bonito, a nova cama era muito mais confortável, não tanto quanto o corpo do Erwin, entretanto ainda era muito confortável e muito grande, eu me sentia um bebê em um quarto de castelo. Não passou muito tempo e logo após essa reflexão eu apaguei.

-Le...vi...Levi...LEVI!.

Acordei totalmente sonolento com o Erwin me balançando e com o lampião acesso.

-O que foi endemoniado?.

-O que foi? Olha a cama e note o Erro.

Eu fiz o que ele pediu e não vi nenhuma diferença.

-To vendo nada, agora apaga essa merda e vai dormir!.

-Ta vendo nada, você não para de me chutar e olha aonde eu estou, na beirada da cama quase caindo.

Eu não aguentei e comecei a sorrir dos meus feitos norturnos, era gratificante saber que eu atormentava ele até dormindo...

-Você acha engraçado né baixinho?.

Eu sorri ainda mais, era muito bom atormentar o Erwin...

-Não da risada não baixinho, você é pequeno mas ocupa um espaço enorme e eu to ficando puto, o tempo todo to sentindo seu pé nas minhas costas.

Eu estava me sentindo incrível, tinha quatro coisas que eu amava e elas eram: Erwin, Chá preto, Manchinha e provocar o Erwin. Saber que eu conseguia provocar o Erwin dormindo foi uma das melhores coisas que eu já ouvi.

-Desculpa princesa, eu não tice intenção...

Eu disse isso sendo o mais irônico possível e rindo enquanto falava, deixando o Erwin ainda mais puto.

-Ta, eu vou "acreditar" só dessa vez, espero não acordar com você me chutando novamente.

- Certo princesa, agora desliga essa merda.

Ele desligou o lampião e virou para o meu lado, ele passou a mão na minha bochecha e logo após isso, eu apaguei novamente.

-MERDA LEVI, VOCÊ TEM PROBLEMA CARA?!.

Ele acordou puto e eu não estava entendendo nada, ele então ligou aquela merda de lampião e iluminou o quarto, meus olhos arderam com aquilo.

-Desliga isso Erwin...

Eu estava morrendo de sono e bocejando bastante.

-Levi eu to perdendo a paciência não você, ontem você roncou a noite e me chutou, hoje você está me empurrando com os pés...

Novamente eu acabo sorrindo diante essa situação, afinal não tinha nada melhor que provocar o homem que eu amava enquanto dormia.

-Desculpa Erwin, agora desliga esse lampião e dorme.

-Levi se eu acordar mais uma vez com você me chutando, você ta fodido...

-Ta ta ta, agora dorme.

Ele novamente desligou o lampião e dormiu, eu fiquei acordado um pouco rindo bem baixo da situação, eu estava amando aquilo e não nego que estava torcendo para o meu corpo chutar ele enquanto eu dormia e então eu apaguei novamente.

-MAIS QUE CARALHO LEVI, PARAAA INFERNO.

Eu não aguentei e comecei a dar altas gargalhadas da situação e o Erwin ficou muito puto com aquilo.

-De verdade Levi, eu to de saco cheio!.

Ele acendeu a merda do lampião e ele estava quase caindo da cama e eu estava deitado bem no meio dela.

-Desculpa Erwin, eu não consigo não rir.

-De verdade Levi, VAI SE FODER EU TE ODEIO.

Ele se levantou com o travesseiro e lampião.

-Aonde vai princesa?.

-Para um lugar bem longe de você, olha o seu tamanho e olha o tamanho do espaço que está utilizando...

-Desculpa princesinha, não fique brava...

-Já é a quarta vez que você faz isso e a terceira vez essa noite, isso porque eu comprei uma cama maior...

Ele abriu a porta e fechou com muita força, eu voltei a rir e aproveitei a cama gigantesca que eu tinha, eu estava me sentindo um bebê da realeza e eu amava isso. Por outro lado eu estava triste, queria o Erwin do meu lado para me fazer carinho e me da atenção...

Eu virei enrolando um pouco na cama e pensando no quanto eu estava me divertindo e sendo...feliz com o Erwin e logo após eu apago novamente.

Dessa vez eu acordei de manhã e levantei para abri a janela e o vento então bate em meu rosto bagunçando meu cabelo, eu me senti muito confortável naquela cama e dormi muito bem. Meu tornozelo estava muito melhor e eu já conseguia andar e então fui para a cozinha.

Desci as escadas bem devagar para não forçar o ferimento e chegando na cozinha, o Erwin estava sentado na cadeira principal com olheiras enormes e cabelos bagunçados.

-Dormi tão bem essa noite, e você Erwin?.

Fui o mais irônico e debochado possível, Erwin fez uma cara ainda mais puta.

-Vai se foder, só isso.

-Fica bravo não, te amo.

-Eu não, fica longe.

Ele estava muito puto e muito mau humorado, Erwin quando dormia mal se tornava um homem muito agressivo e bruto com palavras, até mesmo antes de se relacionar comigo ele já era bruto com palavras.

-Eu comprei chá preto.

-SÉRIO? Aonde está?.

Eu sorri imediatamente olhando para ele e noto que ele começou a sorrir, foi bem estranho.

-Lá!.

Ele apontou com o dedo indicador para o topo do armário sorrindo ainda mais, o filho da puta colocou o chá preto no lugar mais alto da cozinha...

-Erwin...

-Não adianta fazer essa carinha fofa Levi, eu ainda estou puta pela noite...

Eu fiquei puto também, porém eu peguei a cadeira e subi para pegar o chá, entretanto foi falha a tentativa pois o armário dele era muito alto e eu mesmo com a cadeira na ponta dos pés, eu não alcançava, então eu decidi dar pequenos pulos para tentar alcançar e mesmo assim não alcançava.

Enquanto eu estava sofrendo para tentar conseguir pegar o chá preto, Erwin estava tendo crises de risos e aquilo me deixou muito puto, porém compreensível por causa da noite.

Quando eu finalmente consegui puxar o chá, ele caiu no chão e eu desci da cadeira cansado de tanto pular, esticar o braço e ficar na ponta do pé. Contudo quando eu peguei a embalagem, não era chá preto e sim trigo...

-Erwin?.

-Desculpa, não podia deixar barato e o chá preto verdadeiro está na parte debaixo do armário.

Eu fiquei muito puto, joguei a embalagem nele e sai andando. Ele se levantou correndo e me deu um abraço, eu amava demais o Erwin e não conseguia odiar ele de verdade.

-Desculpa baixinho, não faço mais isso...

Ele me deu um beijo na bochecha e uma mordidinha leve no pescoço, admito que perdoei ele na hora.

-Ta desculpado seu merdinha e me desculpa pela noite...

-Ta desculpado baixinho, você é um bostinha, porém eu não vivo sem você.

Aquilo fez meu corpo arrepiar e eu virei imediatamente para beijar a boca dele.

-Eu te amo Erwin e prometo tentar não te chutar a noite.

-Tudo bem baixinho.

Ele me pegou no colo e me encheu de beijos, nem eu acreditava que eu estava assim totalmente fofo e amoroso. Erwin mudou minha vida completamente, eu sou eternamente grato por ele ter aparecido na minha vida.

-Vamos comer algo?.

-Vamos baixinho!

-Erwin eu te amo muito.

Eu envolvi meus braços envolta do pescoço dele e dei um abraço, o calor que ele emitia era relaxante e o toque dele curava todas as minhas mágoas e tristezas do passado.


Notas Finais


Desculpa se ficou muito idiota e chato :c


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...