História A princesa e o vagabundo - Capítulo 66


Escrita por:


Capítulo 66 - "Amor"


Fanfic / Fanfiction A princesa e o vagabundo - Capítulo 66 - "Amor"

- Levi e se alguém ouvir? É arriscado...

- Não é que adora um perigo? - Comecei a acariciar o membro duro dele por cima do tecido da calça.

- Levi...

- Sim ou não? - Olhei diretamente para os olhos dele e ele sorriu.

- Sim - Finalmente, imediatamente abri os botões e abaixei a calça dele, deixando ele com o pau ereto de fora.

Não pensei duas vezes e fiquei com a mão direita fazendo os movimentos clássicos de "vai e vem", o Erwin parecia estar adorando isso e ele colocou a mão atrás da minha cabeça. Decidi que era a hora de por a boca e começar a brincadeira, fui bem devagar colocando aquele pau enorme na minha boca, ele estava liberando um líquido transparente bem amargo como de costume, de início achei ruim, porém depois acostumei.

Conforme eu ia chupando, ele gemia bem de leve enquanto segurava meu cabelo para não atrapalhar, eu variava entre chupada e movimentos com a mão. Chegou num ponto que eu queria ver o Erwin gemer de verdade e fiz algo que sempre deixava ele excitado, lamber a com a ponta da língua a cabeça do pau dele.

- Isso é maldade - Ele murmurou.

- Solta esses gemidos - Dei uma pausa na brincadeira.

- Se você fizer isso eu vou gozar mais rápidos e não vou poder te penetrar.

- Quer saber? Eu não ligo, quero só te ouvir gemer - Voltei com a língua e senti o corpo dele se contraindo.

Ele estava mordendo os lábios contendo gemidos altos, era muito bom ouvir os gemidos dele e aquilo me dava tanto tesão, ao mesmo tempo que eu brincava com o pau do Erwin, eu queria fazer o mesmo no meu. Lutando contra a vontade de pegar no meu pau, continuei com a minha língua na cabeça lubrificada dele e voltei a chupar tudo.

Conforme eu ia chupando fundo, meu cabelos ficavam batendo no meu olho e isso era muito chato, felizmente o Erwin percebeu e voltou a segurar. Conforme eu ia variando de chupadas, lambidas e toque, os gemidos dele aumentavam e suas pernas tremiam um pouco, isso significava que ele estava na reta final.

- Não goza na minha boca por favor Erwin - Dei uma breve pausa para dar esse aviso, não queria sentir aquele gosto horrível de porra na minha boca.

- Cer...to ahh - Que gemidinho gostoso ele soltou agora, fiquei com mais vontade de por o pau dele todo na boca e fiz isso.

Respirei fundo e coloquei tudo o que dava, por dentro da boca eu usava a língua no que dava e quando eu perdi o fôlego tirei a boca para continuar o serviço com a mão, acelerei meu braço e as pernas dele tremiam bastante agora e ele tirou uma mão do meu cabelo e segurou a beirada da mesa, isso significava que o fim estava próximo, como o fim estava chegando eu fiquei chupando e lambendo a cabeça do pau dele até ele não conseguir segurar mais os gemidos.

- Ahh...Ah.Ahhh - Esses gemidinhos dele eram as melhores melodias que eu ja ouvi na vida.

- Geme mais - Sussurei tão baixo que ele nem deve ter ouvido, no fim fiquei olhando para ele esperando ele gozar finalmente.

Meu braço direito ja estava doendo e nada dele gozar, Erwin era bem resistente nesse aspecto, eu no lugar dele já teria gozado uns quatro minutos atrás e como ele não gozou ainda e meu braço estava doendo, voltei com a boca e segurando com a mão esquerda. Eu ficava nesse vai e vem com a boca com ele ainda gemendo e tremendo bastante, nisso enquanto eu enfiava a boca novamente ele me empurrou para trás e eu senti um fluído quente no meu rosto.

Com os olhos fechados senti esse fluído no meu rosto, no meu cabelo e no meu pescoço, limpei com os dedos o que estava na frente do olhos e vi ele rindo. De início fiquei meio puto, porém eu estava feliz e cai na risada junto com ele.

- Está se divertindo muito com a situação né? - Peguei meu lenço do pescoço e joguei no rosto dele.

- Minha intenção era mirar no chão - Ele jogou o lenço de volta.

- Tá ruim de mira então, porra...

- Literalmente - Caímos na risada praticamente ao mesmo tempo.

- Desgraçado tem até na sua bota - Apontei para a bota dele e realmente tinha gozo nela.

- Eu definitivamente estou com a mira péssima e se limpa logo, eu estou me sentindo muito culpado - Peguei meu lenço e comecei a limpar tudo, infelizmente eu teria que continuar com ele sujo até o amanhecer.

- Gostou?

- Muito, eu realmente estava com saudades disso e na próxima vez, nós iremos - Ele simbolizou "transar" com os dedos e isso foi engraçado.

- Repete comigo "tre"

- "Tre"

- agora "par"

- "Par"

- "Trepar" - E novamente ele simbolizou com os dedos - Maldita princesa - Ele se sentou e eu continuei insinuando.

- Levi nem adianta, eu tô com sono.

- Por isso mesmo, manter acordado . - Tirei as mãos da frente e sentei no colo dele.

- É sério, eu to com sono e exausto, sai de cima - Respeitei ele e sai de cima.

- Vai dormir agora? - Eu queria continuar conversando com ele, porém assim que perguntei ele bocejou exausto.

- Sim e você vai ficar aqui?

- Eu queria, mas infelizmente não posso e você sabe.

- Tem razão e bom, até amanhã baixinho - Ele me puxou para um beijo na testa e bagunçou meu cabelo - Ah, baixinho.

- Fala!.

- Seu cabelo ainda tá sujo - Ele limpou a mão em uma das capas do chão.

- Valeu e vou indo - Dei um impulso para frente e me levantei pegando minhas coisas, enquanto isso ele arrumava a calça e os cintos - Até amanhã Erwin.

- Até... - Sai da tenda dele e fui para um galho caído que tinha no acampamento.

Normalmente eu ficava do lado de fora enquanto todos dormiam, eu nunca conseguia dormir de verdade e era desperdício de tempo montar uma tenda, então eu sempre ficava sentado em uma cadeira ou tronco cochilando e esperando o dia nascer. Foi isso o que eu fiz, deitei no tronco e fiquei olhando para o céu esperando ver aquela luz cortando o céu novamente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...