História A Prisioneira - Capítulo 11


Escrita por:

Visualizações 285
Palavras 491
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fantasia, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Olaaaaaaaaa, não tenho nada pra dizer então...
Boa Leitura!

Capítulo 11 - XI


Fanfic / Fanfiction A Prisioneira - Capítulo 11 - XI

A caminho da cidade, passo em uma das únicas farmácias e a primeira que encontro eu entro. O local está vazio a não ser por um moleque ruivo desajeitado que está no balcão.
Aperto meu capuz firmemente em meu rosto.
Nas diversas prateleiras brancas, todo tipo de medicamentos e comprimidos estão a minha frente.
As pego com pressa, derrubando outras no processo, fazendo um barulho significativo comparado ao silêncio que reina nessa espelunca.

Estou de frente ao garoto agora. Dezenas de remédios para dor, infecção, inflamação, controlados... além de duas seringas.

---- Uau, são muitos remédios hein? - ele murmura.

Continuo em silêncio, minha postura intimidadora, e meu capuz em meu rosto. O único sinal de minha impaciência são meus dedos batendo no balcão.

---- Ok... comprimidos para dor, anti- inflamatórios... Ho-ho. Isso são remédios controlados senhor, vendemos apenas com prescrição médica - ele diz com a voz receosa.

Olho para cima a procura de câmeras. Nenhuma. Ok, medidas desesperadas...
Tiro meu capuz e o encaro. Seus olhos rapidamente se arregalam e ele engole em seco.

---- Para o s-senhor tudo bem... claro - ele responde. - São 94 dólares.

Pago com um dos meus vários cartões de crédito, cortesia de minhas vítimas.

Saio rapidamente, não tenho tempo a perder com Sarah sozinha em casa.

Já no quarto, a encontro do mesmo modo que a deixei. Deitada, inconsciente. Toco sua jugular, o batimento está irregular, meio devagar mas pelo menos está lá.

---- Sarah, cheguei - aviso e a sacudo.

---- Jeff! eu preciso... de um hospital.

---- Shiii você está delirando... Eu trouxe remédios para dor, você vai melhorar agora... - pego a seringa e coloco uma dose da medicação mais forte para dor.

Aplico em sua veia do braço. Ela se meche e protesta.

---- Fica quieta porra - reclamo e a estabilizo com força. Nunca fiz essa merda, ajudar os outros não é do meu feitio, não tenho muita paciência...

Logo após aplicar em seu braço, ela descansa. A observo em silêncio, esperando qual quer sinal que o remédio está fazendo efeito.

---- Você tem que tomar esse comprimido também... 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Algumas horas depois, e Sarah está dormindo. O pior já passou, mas eu continuo de guarda em seu (meu ) leito. Estou sentado na cama, olhando sua face adormecida.

Mas que porra aconteceu hoje?! Se eu tivesse voltado mais tarde ... Lembro-me da voz me dizendo para vê-la. É como se eu pressentisse que algo estava errado. Com ela...

Suspiro. Essa garota não é bom pra mim... Pro meu psicológico. Tenho que ter cuidado com ela. Dito isso sorrio com ironia. Eu, um assassino, com medo de uma garota minúscula! Como se sentisse que estou pensando nela, a escuto suspirar em seu sono.

---- Jeff.. - ela sussurra de olhos fechados.

Me aproximo de seu rosto, nossos corpos quase se tocando e sussurro em seu ouvido.

---- Shiii garota... Volte a dormir. ( Go to sleep)

------------------------------------------------------------

 


Notas Finais


Primeiramente eu sei q a tradução de go to sleep não é exatamente essa.. mas combinou mais com o contexto e afinal em português tudo fica meio nada ver. Espero q gostem,
Beijos trevosos 👄


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...