História A procura do amor Fraterno - Borunaru - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha
Tags Borunaru, Borusasu, Borusasunaru, Fofinho, Lemon, Naruboru, Naruborusasu, Narusasuboru, Naruto, Nunca Nem Vi, One-shot, Romance, Sasuboru, Sasuborunaru, Sasunaru, Yaoi
Visualizações 890
Palavras 3.681
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus amores, turu bom? Eu amei o feedback de vocês nos últimos capítulos, foi maravilhoso todos os comentários! Chegamos aos 100(cem) favoritos, ain gente tô tão feliz, nunca imaginei que chegaria ate tudo isso! Na hora que vi juro pra vocês que me emocionei tanto que cheguei a gritar aqui em casa.

Como uma boa pessoa que sou, pelo apoio todo eu decidi fazer esse mega super extra aqui. Então espero que gostem, pq fiz com todo o meu carinho.

Uma limonada com todo o carinho pra vocês ♡
Tenham uma boa leitura

POR FAVOR, LEIAM AS NOTAS FINAIS.
É importante.

Capítulo 3 - Aniversário e Clichê


Fanfic / Fanfiction A procura do amor Fraterno - Borunaru - Capítulo 3 - Aniversário e Clichê

             Aniversário e Clichê 

                     Mega Bônus 

"O pecado a três, a salvação de três"

Já se passava das 10(dez) horas da noite, a família Uzumaki estavam todos postos a mesa para jantarem, apenas faltava uma pessoa, como sempre o Uzumaki mais velho não estava presente e quem mais sentia falta era a pequena Hyuuga que comia suas ervilhas sem humor algum. Hinata ao percebe o quanto sua filha estava sentida com falta de presença do pai, depositou sua mão sobre a mão da filha, lhe dando um sorriso acolhedor. Boruto olhou para sua mãe e sua irmã, havia preocupação em seus olhinhos azuis mas o que mais havia era raiva, seu pai havia lhe prometido que iria se esforçar ao máximo para se manter presente e já fazia duas semanas que não o via em casa.

Fui tirado dos meus pensamentos ao escutar a voz acolhedora de Okaasan direcionado a Hima, seu sorriso era largo demostrando o quando ela estava preocupada e entendi o que a outra sentia. Claro que provavelmente era Mamãe que mais sentia falta do velho em casa, afinal ele era o seu marido e companheiro, mas Hima se preocupava demais com ele, e ele não merecia a preocupação dela.

- Garanto que ele virá amanhã. Lembra? Amanhã é o aniversário de seu irmão! —disse Okaasan dirigindo seu olhar a mim, eu tinha até esquecido, estava pensando tanto naquele velho que....droga!— Aposto que ele não perderia por nada. —sorriu a mesma, um sorriso de fechar os olhos e alargar os lábios, Hima fez o mesmo. Haha! São tão fofas quando não estão com raiva!

- Sim! Você tem razão! —comemorou Hima, retirando a expressão triste que antes tinha em seu rosto— Amanhã faremos um bolão bem grandão pro  Niisan neh? —sussurrou para a mais velha, porém por estar empolgada (além de eu estar ao seu lado) acabei escutando.

Okaasan confirmou com a cabeça fazendo uma pequena carícia no rostinho gordinho de Himawari, a qual alargou mais o sorriso. Como aquela coisa poderia ser tão perigosa e fofa ao mesmo tempo?

Era verdade, amanhã seria o meu Aniversário, como eu pude esquecer o meu próprio aniversário? Eu sempre ficava empolgado para o tal dia e agora quando chega eu simplesmente esqueço. Onde eu estava com a cabeça? O que será que mamãe irá me dar de presente? E o mais importante, ou nem tão importante assim, será que ele realmente irá aparecer?

- Boruto, pode me ajudar tirar a mesa? —chamou minha atenção, só então notei que ainda estava sentado sozinho na mesa de jantar, provavelmente Hima havia subido para escovar os dentes. Confirmei com a cabeça me levantando para ajuda - lá.

▪▪▪

Duas da madrugada, era o que o despertador ao lado da minha cama em cima da cômoda marcava, durante esse tempo todo eu não soubesse se consegui ou não pregar os olhos alguma vez naquela noite, mas aparentemente não. Me mantendo acordado percebi que não houve passos lá em baixo e muito menos o barulho da porta se abrindo, insinuando que o mesmo não havia chego, optando por novamente preferir passar a noite naquele escritório estúpido do que com a própria família. Eu pensei que havíamos nos acertados e que ele estaria mais presente na nossa vida, como sempre, mais uma vez eu estava errado em confiar no velho.

Decidi que estava na hora de fazer uma visita para o velho idiota, jogaria todas as cartas na mesa dessa vez. Me levantei da cama, calçando minhas pantufas de panda, pulei a janela de casa pouco me importando se estava de pijama ou escuro demais para andar pela rua a essa hora, eu estava possesso. Talvez estivesse me precipitando, mas isso não vem ao caso agora, eu quero satisfações e é isso que terei agora.

Pulando de telhado em telhado, me apressei para que chegasse ao escritório do velho o mais rápido possível. Quando finalmente me aproximei da mansão, escutei sons estranhos, mais como gemidos de dor, me aproximei da janela para averiguar a situação mas estava tudo escuro e a mesma estava embaçada, então a levantei abrindo a mesma e entrando com um pouco de dificuldade. Quando me normalizei percebi a furada que havia me metido. Meu Otousan se encontrava praticamente deitado em cima da mesa com a cara enterrada nos papéis, sua bunda estava bem empinada e tio Sasuke se enterrava no mesmo com violência, meu corpo gelou. Quando fui notado, papai gemeu meu nome de um jeito arrastado arrepiando todo o meu corpo, eu não sei o por quê mas meu corpo não conseguia se mexer.

- Bolt... —pronunciou meu nome, sua voz estava tão sexy, que me fez tremer. Seu rosto estava levemente corado e seu corpo estava meio mole, logo quando o mesmo se virou em minha direção o mesmo cambaleou e tio Sasuke o firmou com a única mão que tinha, o segurando pela cintura. Quando meu pai se virou novamente para me olhar, seus olhos se arregalaram e sua expressão agora era de tristeza, quando senti as lágrimas escorrendo pelo meu rosto percebi que estava chorando, mas já era tarde demais.

Finalmente conseguindo me mexer, corri para a janela para que pudesse ir embora e mergulhar no edredom macio e com cheiro de flores da minha cama, porém fui impedido pela mão firme em meu pulso do Tio Sasuke, virei o rosto para xinga-ló mas novamente fui impedido pela voz carinhosa de meu Otousan. De algum jeito sua voz me prendia.

- Bolt, venha aqui. —me chamou enquanto se sentava em sua cadeira, seu membro estava bem ereto e clamava por atenção, aquilo devia ser bem dolorido. Sem consciência de meus atos me aproximei do velho ficando entre suas pernas com a cabeça abaixada, logo senti meu rosto sendo erguido por sua mão que cobria toda a minha bochecha— Bolt….—sussurrou limpando as poucas lágrimas que restavam— O que faz aqui?

- E-eu…estava com saudades. —sussurrei bem baixinho, arrancando um sorriso de seus lábios. Por que diabos eu disse isso? É mentira! Eu vim brigar com ele! Por que meu corpo não me obedece e não explode logo de uma vez com ele?!!

- Eu também. —admitiu, seu sorriso era tão bonito que me fez sorrir também— Sabe…o que nós dois estávamos...—Otousan  foi interrompido pelo gemido levemente arrastado de Sasuke.

Sua mão cobria toda a extensão de seu pau, pulsante e sendo masturbado pela mesma, em movimentos lentos e precisos, as vezes seu dedo escorregava pela glande coberta pelo pré-gozo. Seu pau era tão grande e grosso. Seus olhos estavam fechados e sua boca levemente aberta deixando tudo mais sexy. Eu me perdi completamente naquela cena.

- Porra! Vocês me deixam tão excitado. —gemeu com dificuldade Sasuke, apertando seu pau com força, arrepiei.

- Não consegue aguentar teme? —provocou Otousan com um sorriso de lado.

- Cala a boca dobe maldito! —eu não entendia o motivo mas a voz grossa e arrastada de Sasuke deixava o meu corpo todo mole.

Me perdendo nos movimentos que Sasuke fazia em si mesmo nem reparei quando o velho começou a me fitar, seus olhos passeavam por todo o meu corpo até parar em um lugar específico, o volume que a parte de baixo do meu pijama formava, isso só alargou o seu sorriso.

Fui retirado de prestar atenção em Sasuke pelo velho que virava meu rosto para si, me perdi no mar de seus olhos, mas logo quando iria abrir a boca para me pronunciar algo, o mesmo se aproveitou do momento para adentrar minha boca com a sua língua, pedindo passagem que prontamente foi bem recebida. Me sentei em seu colo, segurando nos poucos fios de seus cabelos com toda a minha força, o mesmo se inclinou um pouco para frente em buscar de mais contato preenchendo suas mãos com toda a minha bunda a apertando com firmeza. Estávamos tão envolvidos um com outro que nem notei quando o Tio Sasuke se aproximou retirando a parte de cima de meu pijama com agilidade, começando a roçar seu pau em minhas costas e a gemer bem próximo ao meu ouvido, o que só me deixou mais duro. Cara, o que diabos estava acontecendo ali? [Autora: hihihi  Boruto: vc é louca]

Parei o beijo com o papai, pois já havia perdido todo o fôlego. Pelos meus lábios escorria toda a saliva, a qual papai tratou de lamber, logo senti suas mãos adentrando minha calça apertando a carne com certa força e agressividade, as vezes até mesmo arranhando com suas unhas. Choraminguei por atenção já que meu pau não parava de doer. Otousan sorriu para mim.

- Quer ajuda, Bolt? —apenas assenti com a cabeça mordendo levemente os lábios, minhas bochechas estando levemente vermelhas pela vergonha. Os gemidos de Sasuke estava me deixando louco.

Otousan me ergueu um pouco para poder abaixar minha calça, abaixando até onde dava, logo em seguida agarrando em meu pau com força começando uma masturbação lenta e torturante me fazendo gemer alto pelo susto. Joguei a cabeça levemente para trás, encostando a mesma na barriga do Oji-san. Sasuke agarrou firme em meu cabelo o puxando para trás, me fazendo gemer pela dor, ergueu minha cabeça para trás e envadiu minha boca com a sua língua com agressividade, enquanto Otousan tratava de marcar todo o meu corpo com chupoes e mordidas, muitas vezes com beijinhos carinhosos também. Ao termineo do beijo, a saliva novamente escorria por toda a minha boca, enquanto o papai apertava levemente o meu pau aumentando o ritmo da punheta.

- Não estou aguentando mais, eu preciso foder vocês! —rosnou Sasuke. Que sexy.

[Boruto: Perai…não vai ter…penetração dupla não neh Autora?   Autora: Hihihi   Boruto: AUTORAAAA   Autora: Calma borutinho, você nem aguenta, vamos deixar pra próxima.]

Meu Otousan trocou nada mais que um olhar com Sasuke, que na hora eu gostaria de entender o que significa. Meu corpo estava todo mole indicando que eu já estava próximo do orgasmo, mas para o meu azar, o velho resolveu parar me botando sentando em cima de sua mesa e retirando o resto de minhas roupas, logo quando iria pedir por atenção o mesmo abocanhou o meu pênis. Sua boca o cobria completamente, ele fazia movimentos tão gostosos que eu pensava que iria gozar a qualquer momento. Fazia de tudo para aguentar o máximo possivel, mas quando senti os largos dedos do oji-san me invadindo, eu simplesmente gritei me derramando na boca do papai. Ofegante, deitei minha cabeça no ombro do mesmo que compartilhava o meu próprio gosto com Sasuke, gemi arrastado sendo invadido por mais um dedo, era uma dor tão estranha, não consegui segurar as lágrimas. Assim que senti o terceiro dedo me invadindo, não aguentei, gritei alto arranhando as costas do Hokage, o qual aparentou estar preocupado fazendo uma pequena carícia em minha cintura, acho que papai sabia o quanto aquela porra era dolorida. Comecei mais um beijo com o velho, na esperança de esquecer a dor que sentia no meu buraco.

Os largos dedos de meu Sensei invadia o meu buraco com força e rapidez fazendo o possível para alarga - ló para o pau de um dos dois. Era a minha primeira vez íntimo assim de alguém, papai e eu nunca passamos dos beijos e carícias, acho que ele queria ir devagar. Estava tão ofegante nos braços do  Otousan —o mesmo que tratava de chupar o meu pescoço—  que nem percebi que rebolava contra os dedos do Sensei, virei minha cabeça para olhar seu rosto e o mesmo estava com uma expressão tão sexy, mordia os lábios com força enquanto estocava seus dedos dentro de mim, quando seus olhos capturaram os meus, o mesmo deixou um tapa em uma das bandas de minhas nadegas me fazendo gemer arrastado por conta da leve ardência. Assim que senti um de seus dedos tocarem um ponto mágico, tremi e soltei um leve grito de prazer, o qual o fez sorrir.

- Achei! —exclamou o mesmo com um sorriso de lado presente em seus lábios, como o Tio Sasuke conseguia ser tão sexy?

- Ahn….awn sen-sei…—não conseguia aguentar os gemidos cada vez que ele estocava naquele ponto maravilhoso— M-mais…

Contudo, assim que pedi por mais, os seus dedos foram retirados de mim me deixando com uma sensação de vazio, virei meu corpo para olha - ló e o mesmo ainda estava com aquele sorriso sedutor nos lábios, eu apenas não entendi o motivo. Quando iria lhe perguntar o motivo daquele sorriso para o Sensei, papai me puxou pelo braço de uma forma bruta me fazendo sentar em seu colo, sentindo o seu pau contra a minha bunda, que estava duro e molhado, tremi levemente com o tamanho.

- Também gosto de ser observado. —cravou suas unhas contra a minha bunda me fazendo choramingar pela dor, olhei para o seu rosto e o mesmo estava sem expressão alguma. Na verdade, ele me olhava com raiva.

- Tsc. Que possessivo dobe! Depois reclama de mim. —deu risada o meu Sensei, chegando por trás de mim e começando a lamber o meu pescoço, arregalei levemente os olhos ainda fitando o meu pai, seus olhos agora de azul passaram para um levemente vermelho, engoli em seco.

Dentro de Naruto:

- Hahaha, não acredito que está com raiva logo disso! —zombou a raposa com seus olhos fechados, sua cabeça estava deitada contra os seus braços, aparentemente dormia antes de tudo isso.

- …

- Acho que você vai se foder quando a autora postar a fanfic Sasuboru! —gargalhou a raposa achando graça do egoísmo do Jinchuuriki ao não aceitar totalmente compartilhar seu filho com Sasuke.

- É O QUE?

Mordi levemente meus lábios, me ousando a se aventurar, aproximei nossos rostos deixando um pequeno selinho em seus lábios, o qual ainda não se mexeu, logo em seguida o lambi, nada ainda, quando enfim prossegui com um beijo atrapalhado sua língua envadiu minha boca. Sentia Sasuke morde meu pescoço enquanto isso, ele fazia questão de deixar marcas por todo o meu corpo.

- Vem. —chamou meu pai, segurando em meu braço para que me ajudasse a sentar em si. Mordi meus lábios fechando meus olhos com toda a minha força assim que senti seu pau me invadindo, era grande demais e ainda não estava nem na metade, quando ia parar para respirar o ar que eu nem sabia que tinha prendido, ele segurou em minha cintura e forçou para baixo me fazendo berrar não contendo as lágrimas— Desculpe.… seria pior se tivesse ido devagar. —suspirou o mesmo limpando minhas lágrimas com o seu polegar.

Esperou para que eu me acostuma - se com aquela invasão, enquanto o Tio Sasuke deixava beijos em minhas costas e pescoço me fazendo esquecer um pouco da dor. Quando senti que a dor havia diminuído, dei uma leve rebolada dando sinal para o mesmo prosseguir,

▪▪▪

Boruto sentava com força cada vez mais rápido no pau do Hokage que estava se segurando para não gozar com toda as novas sensações que sentia, infelizmente a boca do loiro mais velho estava ocupado com o pau do homem de olhos ônix não o deixando escutar seus gemidos, porém em troca disso o loirinho escutava seu tio atrás de si, gemendo sem pudor algum, apertando seu pescoço com certa força quase o esforcando. Finalmente gozando na barriga de seu Otousan se viu cansado para continuar, porém ao sentir o pau ainda duro próximo ao orgasmo, continuou com tudo, indo com toda a força que conseguia.

- Awwn.…Otousan! —gemeu o chunnin manhoso, abrindo seus pequenos olhinhos embaçados pelo orgasmo recente para observar o pai chupando seu Sensei com vontade.

Sasuke respirou fundo, soltando o pescoço do loiro mais novo para segurar nos poucos fios de cabelo do Hokage, socando em sua boca com força não dando tempo nem do mesmo pensar.

- Sen-sei…aw-awn. —tremeu levemente ao presenciar a cena lhe causando sensações deliciosas.

- D-r-oga. —gemeu com dificuldade o sétimo gozando com força dentro do menor, que gemeu baixinho ao sentir todo aquele líquido lhe invadir.

- PORRA teme!! —gritou o moreno, jorrando com força na boca do loiro mais velho segurando firme em seu cabelo para que engolisse tudo, o qual o fez sem reclamação.

Os corpos de ambos os três estavam suados e grudentos, mas isso não impediu o garoto de ficar abraçado com seu Otousan.

▪▪▪

- Feliz Aniversário! —gritaram todos assim que viram o sétimo entrando com o bolo em mãos na sala, depositando o mesmo sobre a mesa. Todos os seus amigos estavam ali consigo, inclusive seu Sensei que estava sentado ao seu lado.

Mitsuki sorriu pra si, juntos com todos os presentes, até tia Sakura estava ali agora cortando o bolo e nos servindo. Mesmo com todos aqueles sorrisos e presentes, o melhor presente ele já havia recebido.

Olhando para o seu Sensei e seu Otousan, Boruto percebeu naquela noite que nunca esteve tão feliz. Mesmo sendo errado, mesmo fazendo algumas pessoas infelizes com tudo aquilo, ele se sentia mais vivo do que nunca…sentia -se ligado de alma e corpo.

Boruto sorriu, olhando para seu anelar o qual continha um anel de prata que apenas ele sabia o verdadeiro significa que unia ambos os três, significando que nunca iriam se separar.

- Por que tenho que usar um anel? —suspirou Sasuke não fazendo questão de tudo aquilo— Não uso nem em meu próprio casamento.

- Porque significa algo maior do que o seu casamento com a tia Sakura! —protestou o loiro menor emburrado agora com o seu tio.

Sasuke sorriu achando graça do pequeno que fazia questão do casal usar o anel junto a si.

- Boruto tem razão, o que custa teme? —brincou o loiro, reparando em como o anel ficava em seu dedo.

- Tsc. Isso é tão...clichê. —revirou os olhos finalmente aceitando aquele anel em seu dedo.

Sentindo a mão de seu Sensei sobre a sua em baixo da mesa de jantar de sua casa, não conteve um sorriso, afinal Sasuke não era de demostrar essas coisas. Seu byakugan piscou, dando para analisar a cena, havia um fio vermelho que lhe enlaçava junto a Sasuke e Naruto ligado aos seus anéis, na hora Boruto não entendeu claramente, mas soube que era uma coisa boa.

Contudo Sasuke realmente estava certo, aquilo tudo era muito clichê, mas os melhores contos sempre terminam assim.

Extra Bônus - Semanas depois.

- Eu quero o divórcio. —disse o homem simples sentado no sofá da sala, encarando a ex esposa.

- O QUE?

- Eu quero o divórcio. —repetiu mais uma vez, suspirando pesadamente, já sentia todo o drama pairando naquela situação.

- COMO ASSIM O DIVÓRCIO? —berrou a rosada, incrédula. Ouviu certo?

- Foi o que disse. —Sasuke nunca fora muito paciência com pessoas que demoravam para entender a situação— Não estou feliz com esse casamento, aceite meu perdão. —repetiu as mesmas palavras que Naruto lhe dissera.

A rosada ainda estava sem entender a situação. Como haviam chego nisso? Fez algo errado? Não a amava mais?

- Eu fiz…algo errado? —ousou perguntar, mantendo - se em segurar as lágrimas.

- Não. —negou, mantendo os mesmo olhos frios direcionados a esposa— Eu nunca a amei Sakura. —foi direto ao ponto, mesmo que aquilo a machuque.

Sakura sentiu seu mundo cair, acreditava estar feliz com Sasuke esses todos esses anod, finalmente o tinha em suas mãos e agora descobre que sua vida toda foi uma mentira. Em um ato sem consciência, a rosada explodiu.

-  Por que? Naruto é melhor do que? Eu sempre soube que vocês tinham algo escondido! —exclamou a rosada com toda a fúria que guardava em relação ao marido e o amigo.

-  Não importa. Não meta Naruto nisso. —suspirou o moreno, Sakura as vezes conseguia ser tão infantil.

- Naruto não te dará um filho! Ele não pode reconstruir seu clã! —berrou a rosada, jogando na cara do marido as palavras duras.

Em um piscar de olhos, estava contra a parede e corpo de seu marido, que apertava seu pescoço com força quase a sufocando.

- Escuta, não me importo com isso. Eu tenho uma filha que amo e que é tudo para mim. Nem você e nem ninguém irá me tirar dela, nunca mais repita isso! —apertou levemente o pescoço da rosada, seus olhos fixos nos olhos verdes agora arregalados.

- Ela é minha filha…—tentou justificar a mesma esforçando-se para falar.

- Infelizmente, é sim. Mas isso não justifica nada, não irá me tirar dela. —forçou mais um pouco o pescoço da mesma, seus olhos agora ativos com o sharingan e rinnegan. Mas acima de tudo ainda havia o lado racional que não machucaria Sakura por conta da sua filha.

A rosada nada disse, apenas fitou os olhos do marido, pensou que nunca mais o veria tão próximo como agora, então em um momento de descuido se viu chorando na frente de Sasuke. O moreno suspirou, quase abaixou aguarda por um momento, mas enfim soltou a mesma e se afastou.

- Irei voltar para pegar minhas coisas, depois decidimos o resto. —pronunciou-se o Uchiha por último antes de sair da casa, virando o rosto apenas para presenciar a cena de sua mulher de joelhos na sala se derretendo em lágrimas. Sasuke podia ser frio, mas ele tinha sim um coração, sentia ódio de Sakura mas também sentia pena, e quando enfim saiu pela porta, soube que finalmente estava livre.

Assim que Sasuke saiu, a garota correu em direção a sua mãe se enterrando nos braços da rosada que agora não segurava as lágrimas que escorriam sobre suas bochecha. Havia escutado tudo com seus ouvidos curiosos e não se aguentou ao ver sua mãe no chão de coração partido.

- Kaasan, papai está nos deixando? —perguntou a garota, as lágrimas pressas no canto de seus olhos. Doía ver sua mãe daquela forma, mas era pior ainda ver seu pai lhe deixando.

- Não meu amor, seu pai nunca irá te deixar. —sorriu a rosada para a mesma, levando sua mão até o rosto da garota, onde limpou suas lágrimas. Oh, como era parecida com Sasuke.— Você é a coisa mais importante para ele, ele nunca te deixaria. —a rosada soube ser madura naquela situação e mesmo estando ferida, manteu o controle e lidou com tudo o mais calmo possível. Sakura acima de tudo era uma boa mãe e amiga, não envolveria sua filha na situação. Sarada deu um pequeno sorriso, deixando um beijo castro na testa de sua mãe. A de olhos verdes sorriu, continuando com o carinho que fazia no rosto de sua filha. Ela ficaria bem, dês de que tenha a garota junto a si.


Notas Finais


De verdade, estou pensando em fazer uma fanfic Sasuboru, o que acham? Será uma fanfic de 10 ou 20 capítulos, ainda não sei. Mas não será agora que irei fazer, irei terminar algumas minhas primeiro para começar uma nova. O que acham? Vocês iriam gosta de ler?

Gente, adoro esses três juntos, eu tinha que fazer algo sobre eles ^^ discupa

Esses dias eu vi que chegou muitas fics novas sobre Naruboru, isso é muito pq na época que criei essa daqui tinha tao poucas. Mas por favor, SEJAM ESPERTOS, não digam a idade dos personagens para não ter caso de exclusão da fic.

Acima de tudo, obrigado pelo carinho e por ter lido até aqui. Espero lhe ver mais por aqui ♡
Sinta-se a vontade para dar uma olhada no meu perfil.
Xoxo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...