História Profecia entre Mundos I - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Fofo, Romance, Yaoi
Visualizações 116
Palavras 1.248
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 9 - Capítulo 9


Fanfic / Fanfiction Profecia entre Mundos I - Capítulo 9 - Capítulo 9

 

Capítulo 9

 Já era tarde, e faziam três dias que Bastian não aparecia, Anthony começou a duvidar das palavras ditas por ele. Anthony se sentia sozinho, sentia falta da companhia de Bastian, mesmo com o curto período de tempo que passara com ele, tentou chamar por Órion, mas nem ele o respondera.

- Por que ele me disse aquelas coisas?- perguntou-se. Anthony estava deitado na cama, olhando as estalactites brilhantes que pendiam do teto.- Se nem ao menos está comigo agora.

 Anthony gostava de comer sozinho, de ler sozinho, de caminhar sozinho e fazer suas coisas sozinho. Isso o dava tempo para pensar e deixar sua mente livre. Mas, quando ele imagina seus pais brincando com ele, alguém com seu amor ou alguém rindo com o seu melhor amigo... Ele percebe que mesmo gostando de ficar sozinho, ele não gosta de ser solitário.

 Durante esses dois dias, Anthony vem se alimentando dos mesmos biscoitos que Bastian provara em sua casa, e que Bastian havia deixado para ele dentro de uma caixa em cima da mesa, no entanto, a cada vez que Anthony comia os biscoitos ele se sentia mais enjoado.

 Podia-se ouvir as gotas de chuva caírem no solo da gruta por meio de infiltrações, deixando o ambiente mais úmido e frio.

 Cansado de ficar deitado, Anthony se levantou esfregando os braços por conta do frio e seguiu até a entrada da gruta. Suspirou ao ver as gotas de chuva baterem nas folhas dos pinheiros e logo em seguida caírem no chão, tornando o solo lamacento.

- Por que as pessoas que eu tento me aproximar sempre desaparecem de uma hora para a outra? Será que o problema é comigo?- perguntou-se.

 Por esse motivo Anthony evitava se relacionar ou se apegar as pessoas, ele sabia que sempre que ele se apegava e se importava com alguém, cedo ou tarde iriam embora, e isso era muito doloroso.

 Anthony caminhou para fora da gruta, sentiu a chuva cair sobre si. Seu cabelo e roupas em poco tempo já estavam encharcadas, porém Anthony não se importou, continuou olhando para a floresta e as gotas de chuva fazendo seu percurso.

 " O mundo é tão injusto. Quanto mais eu me importo com algo, mas eu tenho a perder."- pensou Anthony, fechando os olhos com força.

- Lua.- Anthony ouviu, achou que estivesse ouvindo coisas. Até que a chuva parou de cair sobre si, formando uma barreira invisível ao redor de Anthony, enquanto a chuva ainda caia ao seu redor.

- Mas como?...- Anthony se virou para a entrada da gruta e viu Bastian do lado de dentro, olhando para ele.

- Se você ficar nessas condições de chuva e com estas roupas molhadas, você á ficar muito doente devido ao seu sistema imunológico que é um pouco precário.- disse Bastian cruzando os braços, devagar.

- Bastian, é você?- perguntou Anthony, atordoado e indo até ele, ainda sendo protegido da chuva.

 Quando Anthony entrou na gruta a barreira foi desfeita e ficou próximo a Bastian. Bastian olhou para os olhos castanhos de Anthony, eles estavam sem brilho, estavam tristes, estavam sem esperanças.

- É você?- perguntou Anthony, tocando no braço de Bastian, para conferir de que não seja uma ilusão.

- Claro que sou eu, criança.

 Anthony segurou as lágrimas e ficou em silêncio por uns instantes, pois sabia que se dissesse algo não ia ter como segurá-las.

- Por que você sumiu por esses dias?- disse deixando as lágrimas saírem e tentando em vão secá-las- Eu me senti muito sozinho, você disse que não iria embora!

- Eu senti algo estranho vir da fenda pela qual eu vim, eu tive que investigar, e eu não te deixaria sozinho.- disse Bastian descruzando seus braços e colocando-os ao redor de Anthony, o abraçando, sem se importar que ele estava molhado.- Nós temos um acordo, estamos ligados por ele, nunca seremos separados de verdade, eu me apeguei a você, Anthony, e saber que você está assim por responsabilidade minha... Eu sinto muito, Lua.

 Anthony devolveu o abraço, apertando Bastian e disse:

- Por favor, nunca vá. Prometa... Me prometa que ficará comigo...

 Bastian abaixou um pouco sua cabeça e pensou por um minuto, até que enfim disse:

- Eu estarei com você em todas as dimensões de sua vida.

- Obrigado, Bastian. Eu confio em você.

- Agora, vá se lavar e trocar estas roupas molhadas. E durante o tempo que estive fora, aproveitei e peguei todos os livro de sua estante, sem falar suas roupas e... mais uma outra coisa que você verá.

- Está bem...- disse Anthony, indo em direção ao lago da gruta, enquanto Bastian foi dar uma olhada nos livros que trouxera da casa de Anthony.

 Os livros estavam em cima da mesa de madeira, todos eram grossos e um pouco antigos com exceção de um, estava escrito "Memórias" em letras douradas que se destacavam na capa branca do livro grosso.

 Pegou-o e sentou-se em uma das cadeiras em volta da mesa, abrindo logo na primeira página e se deparou com uma foto de Anthony bebê ainda na maternidade, ele estava vestido com uma roupinha azul clara e seus olhinhos estavam fechados.

 Passou para a segunda página, era o primeiro aniversário de Anthony , estava com uma fantasia de palhaço e seus pais estavam ao lado dele, perto do bolo com o nome de Anthony na cobertura e com uma vela em forma do número um acesa.

 Virou a terceira página e Bastian começou a rir estridentemente.

- Do que está rindo?- perguntou Anthony surgindo atrás de Bastian com roupas secas e secando o cabelo com uma toalha.

 Bastian, ainda rindo, mostrou a foto para Anthony que ficou vermelho instantaneamente. Era uma foto em que ele estava tomando banho e que estava com uma careta terrível, pois havia tentado comer o sabonete.

- Quem mandou pegar o álbum de fotos? Me dê isso!- gritou Anthony.

- Agora não, eu só vi três fotos.

- Me dá, Bastian!

- Vai ter que tentar tirar de mim primeiro!- Bastian se levantou da cadeira e começou a correr pela gruta, se desviando das estalagmites.

 Anthony correu atrás, até que conseguiu cercar Bastian, mas o mesmo se teletransportou e se jogou na cama, com o álbum de fotos surgindo logo após em cima da mesa.

- Tá legal. Você venceu.- disse Bastian.- Tem mais uma coisa que eu trouxe de sua casa.

- O que?

- Essa cama que estou deitado não é uma cópia, é a original.

- Eu não acredito que você a trouxe.

- Sim e você vai deixar eu dormir nela, você irá dormir na cópia.

- Ah, mas por que? A cama é minha.- resmungou Anthony.

- Pelo menos hoje. Eu adorei sua cama.- disse Bastian.

- Já que não tem jeito, né.

 Anthony foi até a cama ao lado da que Bastian estava, e subiu, ela era exatamente igual.

- Não entendo qual é a diferença, é igual.- disse Anthony cruzando os braços.

- Mas continua não sendo a mesma coisa.

 Os dois se acomodaram e olharam para as estalactites do teto.

- O que você fez hoje a tarde que a chuva não me atingia?- perguntou Anthony.

- Foi só um escudo de proteção.- respondeu Bastian.

- Onde é que o Órion fica quando não está com você?

- Ela fica por aí, ainda é um animal selvagem.- disse Bastian.- Agora durma, quero levar-te em um lugar ao amanhecer.

- Certo. Boa noite, Bastian.

- Boa noite, Lua.


Notas Finais


Ficaram felizes?
kkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...