1. Spirit Fanfics >
  2. A Profecia Perdida >
  3. Capítulo 50

História A Profecia Perdida - Capítulo 50


Escrita por:


Notas do Autor


N/A: Oi gente! Tudo bem com vocês? Como está indo a quarentena? Não deixem de se proteger e de ficar o máximo possível em casa. Eu não estou podendo ficar em casa porque, mesmo sendo veterinária, meus pacientes são todos da área de reabilitação e não tenho como parar de atender, mas se você pode ficar em casa, fique!

Eu gostaria de poder ter capítulos adiantados o suficiente pra postar durante esse período pra vocês, mas, infelizmente eu não tenho... Mas prometo que, caso eu consiga adiantar algo, eu posto aqui, beleza?
:****

Capítulo 50 - Capítulo 50


Fanfic / Fanfiction A Profecia Perdida - Capítulo 50 - Capítulo 50

Sarah estava completamente inquieta quando a aula terminou. Queria dividir com Hermione o que havia acabado de descobrir sobre Rony. Pensou em fazê-lo no pequeno espaço de tempo que teria entre a aula de poções e sua aula de medibruxaria, mas assim que saíram da sala, Harry a abordou.

— Posso falar com você um instante?

— Claro! - Ela exclamou animada. Estava tão contente em descobrir sobre os sentimentos de Rony que a única coisa que queria era dividir com alguém.

Harry enlaçou suas mãos nas dela no instante em que Draco passou ao lado dos dois. O moreno lançou um olhar ferino para o rapaz, que nem ao menos deu atenção.

O casal parou e se sentou em um pequeno degrau atrás de algumas pilastras. Sem demora, Sarah quebrou o silêncio.

— Você não sabe o que eu descobri! - Exclamou animada — Se antes eu tinha dúvida de que o Rony é um tapado, eu não tenho mais...

— Sarah… - Harry tentou interrompê-la por um instante.

— Você acredita que ele sentiu o cheiro do shampoo da Mione na amortentia e nem percebeu? - Ela indagou ignorando as palavras do rapaz — Mas acho que agora ele se tocou…

— Sarah, me escuta um minuto… - Pediu o moreno.

— Quem sabe agora ele larga a Lilá de vez e as coisas entre ele e Mione comecem a andar! - Estava tão animada que nem ao menos respirava para falar — Eu nem acredito que os dois vão se resolver finalmente!

Percebendo que a morena estava empolgada demais para escutar o que ele dizia, Harry se aproximou e beijou-lhe os lábios brevemente. Quando se afastaram, viu que atraíra a atenção da garota para si.

— Falamos do Rony depois. - Harry pediu com a voz mais baixa — Agora podemos focar em outra coisa por um instante?

— Oh, sim, claro! - Respondeu simplesmente — Eu acho que me empolguei mais do que devia. - Explicou — Minha atenção é toda sua. O que quer falar comigo?

Harry pensou em como faria para abordar o assunto que queria. Respirou fundo antes de começar a falar, ainda sem encontrar as palavras que queria.

— Eu… Eu estava pensando… Você precisa mesmo ir para sua aula de medibruxaria hoje?

— Bom… Sim. - Ela respondeu sem entender onde o rapaz queria chegar — Por quê?

— Ah… Eu pensei em passarmos um tempo juntos. - Disse simplesmente.

Sarah arqueou as sobrancelhas e cruzou os braços. Percebeu que Harry mantinha uma expressão levemente carrancuda no rosto. Se indagou se algo havia acontecido na aula de poções para deixá-lo daquela maneira.

— Podemos nos encontrar depois da aula. - Ela disse com doçura enquanto se aproximava dele — As salas ficam mais vazias… - Sussurrou no ouvido de Harry antes de beijá-lo no rosto.

Ouvir a voz da morena tão perto de seu ouvido fez com que cada um dos pêlos do corpo de Harry se arrepiasse. Ele respirou fundo e tentou focar novamente.

— Ou você pode esquecer sua aula de hoje… E podemos encontrar uma sala agora.

Ela se afastou dele não estava entendendo o motivo da insistência do rapaz, ainda mais sabendo o quanto aquelas aulas eram importantes para ela.

— Você sabe que não posso faltar, Harry. - Ela disse com firmeza.

— Mas por quê? - Indagou aflito.

— Primeiro de tudo, e mais importante... Porque eu não quero faltar. - Enumerou — E segundo porque eu não trabalho sozinha.

— Malfoy já te deixou trabalhando sozinha antes… - Ele tentou justificar.

— Harry, não é porque ele já fez isso que eu vou fazer também. - Sarah explicou — Você vai me dizer o real motivo disso tudo?

O moreno se ajeitou desconfortavelmente no degrau. Sabia que não podia esconder nada de Sarah, ela o conhecia bem demais para ver que algo o incomodava. Respirou fundo e resolveu falar sem rodeios.

— Malfoy está apaixonado por você.

Sarah encarou o rapaz por alguns segundos absorvendo aquela informação. Sem conseguir se conter, fez a única coisa que conseguia naquele momento: Rir.

— Harry, isso é completamente absurdo. - Ela disse sem segurar o riso.

— Eu sei do que estou falando. - Ele rebateu com a cara fechada.

— Você virou especialista em Draco Malfoy agora? - Ela perguntou ironicamente quando respirou fundo para segurar a risada — De onde você tirou essa ideia?

— Você não prestou atenção em nada do que aconteceu na aula de hoje? - Indagou incrédulo. Um leve desespero tomando conta de seu corpo.

— Não… Eu fiquei conversando com o Rony até você e Mione voltarem pra bancada. - Respondeu dando de ombros — O que isso tem a ver?

— Ele sentiu o seu perfume, Sarah. - O moreno respondeu com nervosismo enquanto passava a mão nos cabelos.

— O meu perfume? - Sarah perguntou sem entender.

— Sim. - Disse cheio de certeza.

— Harry, isso é completamente sem sentido. - Sarah comentou rindo pelo nariz — Como você pode ter tanta certeza de que foi o meu perfume que ele sentiu?

— Eu sei disso porque… - Ele pausou brevemente antes de prosseguir — Porque eu também senti…

Sarah encarou o rapaz sem saber o que dizer. Por mais que tentasse formular alguma frase, nada lhe vinha à cabeça.

Percebendo que a morena estava completamente sem reação, Harry se aproximou. Repousou as duas mãos no rosto da menina que permanecia completamente catatônica com o que ele havia acabado de falar. Ele sabia que não tinha mais como voltar atrás, então falaria sem medo do que poderia acontecer.

— Eu sei que ele está apaixonado por você, porque eu também estou. - Disse sem desviar o olhar — E ele pode até não saber disso, mas eu sei o que estou sentindo.

Falar aquilo em voz alta era completamente insano para ele. Quando sentiu o perfume dela minutos antes na sala, ele demorou alguns segundos para entender, mas agora, enquanto admitia para ela, Harry podia enxergar claramente.

Estava apaixonado por Sarah, nem sabia dizer desde quando. Talvez já gostasse dela muito antes de se beijarem na festa de natal. Rapidamente se lembrou do Halloween quando foram até a cozinha para pegarem doces e então seu corpo se encheu de certeza: Havia se apaixonado pelo amiga muito antes daquele instante.

As palavras de Harry tiveram ação imediata em Sarah. Era como se seu coração estivesse batendo em sua garganta, que parecia estar mais seca do que o mais quente dos desertos. Tentando controlar seu batimentos e colocar seus pensamentos no lugar, a morena segurou em uma das mãos de Harry, que ainda estavam em seu rosto, antes de quebrar o silêncio.

— Harry, você não precisa se preocupar com isso. - Ela afirmou mais uma vez.

— Mas, Sarah…

— Não… Me escuta, por favor. - Ela pediu com a voz mais baixa. Os olhos cor de mel fixos no verde dos olhos dele — Mesmo que ele tenha sentido o meu perfume, o que você não tem como ter certeza… Isso não importa.

Ela respirou fundo antes de prosseguir e chegar no ponto que queria. Percebendo que Harry a observava com atenção, continuou.

— Nós dois estamos juntos, não é?

— Sim. - Ele respondeu.

— E, além disso, tem mais uma coisa muito importante…

— O que seria?

— Que eu estou tão apaixonada por você quanto você está por mim. - Ela disse calmamente antes de sorrir sem graça.

Harry arregalou os olhos assim que as palavras saíram da boca de Sarah. Imediatamente sentiu seu coração se aquecer e um sorriso ganhar seus lábios. Sem esperar muito, uniu seus lábios nos dela em um beijo doce e calmo.

— Acho que isso encerra a questão, não é? - Sarah perguntou quando se separaram.

— Eu acho que não tenho mais argumentos. - Harry respondeu sorrindo antes de beijá-la mais uma vez.

No fundo ele sabia que não estava enganado em suas suspeitas. Malfoy estava tão apaixonado por Sarah quanto ele, mas preferia esquecer aquele assunto naquele momento. Enquanto Sarah estivesse com ele, era só o que precisava importar.

— Acho melhor você ir logo pra sua aula. - O moreno disse em meio a um dos beijos que trocava com Sarah — Antes que eu realmente te arraste pra uma dessas salas vazias. - Concluiu fazendo a morena rir.

— Nos vemos depois então. - Ela disse ao se levantar e pegar sua mochila. Antes que se afastasse mais do rapaz, o beijou novamente.

Se afastaram e ela tomou o caminho do corredor percebendo que já estava atrasada para sua aula. Enquanto andava apressada, sentiu Harry se aproximar novamente.

— Eu esqueci de dizer… Feliz dia dos namorados. - O moreno disse sorrindo e, então, a beijou mais uma vez.

— Feliz dia dos namorados. - Ela retribuiu rindo abertamente.

Se separaram quando o corredor se bifurcou. Ambos se sentindo felizes com as declarações feitas e, ao mesmo, tempo inquietos.

(...)

Sarah entrou esbaforida na sala de aula. Se desculpou brevemente com Madame Pomfrey pelo atraso e não demorou a se sentar ao lado de Draco.

— Onde você estava? - Draco perguntou com a cara amarrada.

— Eu perdi a hora, desculpe. - A morena respondeu sinceramente enquanto tentava recuperar o fôlego.

— Santo Potter estava de mau humor é? - Indagou maldoso — Ele não parou de me encarar a aula inteira com aquela cara feia dele.

A morena revirou os olhos e suspirou. Era impressionante como parecia lidar com duas crianças de onze anos quando o assunto era a rivalidade entre Draco e Harry.

— Vai me dizer o assunto da aula de hoje ou vou precisar pegar o seu caderno? - Ela perguntou com uma das sobrancelhas arqueadas.

— Você tem sorte de estar fazendo dupla com alguém que anota as coisas. - Ele disse simplesmente no instante em que mostrou as anotações para ela.

Ela deu um sorriso debochado quando começou a copiar o que ele havia escrito. Não havia perdido muita coisa, o que a deixava mais tranquila.

Madame Pomfrey terminou de passar todo o conteúdo da aula e pediu para que as duplas começassem a resolver alguns exercícios.

— Não esqueçam de colocar as respostas completas e de prepararem uma pequena amostra de alguma poção usada nos tratamentos. - Pediu antes de se sentar.

Sarah e Draco começaram a resolver a lista de casos. Escolheram fazer a poção esquelesce para repor os ossos de um paciente que, segundo o apresentado, havia caído de uma vassoura.

Enquanto separavam os ingredientes, Sarah conseguiu reconhecer o mesmo cheiro que sentira na aula de poções. Respirou fundo para tentar interpretá-lo novamente, mas a única coisa que conseguia sentir era a mistura do ácido com o doce.

Talvez seja algo relacionado as aulas de medibruxaria… Eu acho que já senti esse cheiro várias vezes nas aulas antes.”, ela pensou enquanto sentia o aroma penetrando em suas narinas. Mais uma vez sentiu o coração disparar, mas a sensação de ter aquele cheiro tão perto de si era gostosa demais para que quisesse parar.

Acho que posso sentir esse cheiro o dia todo.”, ela pensou sorrindo por um segundo “Escolhi a profissão certa.”, concluiu por fim.

Draco acendeu o caldeirão para que pudesse preparar a poção. Viu quando Sarah começou a separar os ingredientes que precisavam. Então resolveu ler as instruções de preparo da poção no livro.

Respirou fundo para se concentrar quando seus sentidos foram invadidos. Lá estava ele, o perfume que havia sentido mais cedo. A pouca concentração que tinha, foi se esvaindo aos poucos. Como conseguiria preparar alguma coisa se nem ao menos conseguia pensar direito?

De onde está vindo, afinal?”, ele se perguntou enquanto olhava rapidamente ao redor. Percebeu que Sarah já não estava mais com seus cabelos soltos. Os fios longos e escuros estavam presos em um rabo de cavalo displicente e sua cicatriz estava a mostra.

Inspirou novamente e prendeu a respiração. Avaliou rapidamente a lista de ingredientes da poção para ver se não estava entendendo errado. Quando a fragrância o invadiu mais uma vez, ele finalmente compreendeu.

Sarah mexia em uma pequena mecha solta de seu cabelo. Draco perdeu o fio de seu pensamento enquanto a observava repetir a ação por um período de tempo que ele não soube mensurar.

Sentia-se completamente atordoado. Sua mente funcionava com uma rapidez imensa e ele podia sentir que, se precisasse se levantar dali, não conseguiria,suas pernas estavam completamente bambas.

— Draco, você quer que eu corte o visgo do diabo de uma vez? - A morena perguntou enquanto encarava o rapaz.

Ele estava totalmente perdido em seus pensamentos e sensações. Respirava em uma frequência maior que a necessária. A sensação que aquele perfume causava era extremamente nova para ele, mas ele não queria parar de senti-la nem por um instante.

— Draco, você está me ouvindo? - Sarah chamou quando estalou os dedos na frente dos olhos do rapaz que parecia estar saindo de um transe — O que te deu?

Draco saiu de seus devaneios e tentou recompor sua postura o mais rápido que podia. Precisava focar na aula, não tinha tempo para se distrair com sensações estranhas.

— O que foi? - Ele perguntou levemente irritado.

— Os visgos… Você quer que eu corte? - Ela perguntou novamente.

— Não. - O loiro respondeu prontamente — Pode deixar que eu corto os visgos, Sarah. - Concluiu enquanto pegava o pequeno pote com os ingredientes das mãos da morena. O perfume dela penetrando em suas narinas mais uma vez.

(...)

Foi extremamente difícil para Draco continuar prestando atenção no que fazia durante o preparo da poção. Por duas vezes ouviu a voz de Sarah chamando sua atenção e perguntando se ele estava passando mal, pois pelo que ela dizia, ele estava muito pálido.

Assim que a aula terminou, ele arrumou suas coisas com rapidez, se despediu da grifinória e vagou pelos corredores junto com os mais diversos pensamentos. Chegou até a sala precisa e se sentou em frente ao armário sumidouro.

Respirou fundo, passou a mão pelos cabelos alinhados e afrouxou um pouco sua gravata, mesmo sabendo que o nó em sua garganta em nada tinha a ver com uma gravata apertada.

— Por que estou me sentindo dessa maneira? - Se perguntou encarando o armário por alguns segundos antes de apoiar sua testa nos joelhos.

A lembrança do perfume de Sarah ainda estava presente em seus sentidos. Sem que percebesse, sua mente começou a vagar por momentos que haviam acontecido no ano anterior, embora para ele, parecesse uma vida atrás.

Flashback

Ela estava atrasada, mas ele sabia que valeria a pena esperar. Se sentou em uma mesa mais escondida da biblioteca e deu uma mordida na maçã verde que levava nas mãos. Quando estava quase terminando de comê-la, ouviu a voz baixa o chamando.

— Draco?

— Estou aqui, Standish. - Ele respondeu chamando a atenção dela — Por que demorou tanto? - Indagou sem emoção.

— A conversa com minha tia estava interessante - Ela respondeu simplesmente — Você podia simplesmente ter ido embora, por que ficou?

Ele se levantou da cadeira e jogou o resto da maçã em uma lixeira próxima e se aproximou da morena devagar.

— Eu não tinha nada mais interessante pra fazer.

— Você é monitor… - Ela disse com uma sobrancelha arqueada — Tenho certeza que deveria estar em algum corredor por aí.

— Grande merda. - O loiro respondeu em voz baixa se aproximando mais.

Sem grandes rodeios, Draco puxou a morena pela cintura e a beijou. Uma das coisas que gostava em Sarah era o fato dela corresponder seus beijos com a mesma intensidade que ele impunha.

Sem muita demora, o loiro intensificou o beijo que trocavam enquanto apertava a cintura dela com vontade. Ele sentiu quando ela começou a passar a mão por seus cabelos e entendeu que era um incentivo para continuar o que fazia.

Ele sentiu um breve arrepio na espinha quando Sarah apertou seus cabelos. Levou uma das mãos que estavam na cintura da morena para sua nuca e a puxou mais para perto. Ouviu quando ela respirou em resposta e sorriu internamente.

Separou sua boca da dela e desceu sua boca por um breve momento para seu pescoço.

— O que vo… - Ela parou a frase no meio e soltou mais um suspiro quando ele beijou o local pela primeira vez.

Respirou o perfume que ela emanava e controlou seus sentidos o máximo que pôde. Sarah o instigava, não podia mentir. Ela era uma mistura perfeita de inocência e provocação, o que ele julgava ser extremamente perigoso.

Continuou beijando os dois lados do pescoço da menina que parecia estar tão entregue quanto ele naquele momento. Detestava admitir para si mesmo que Sarah estava sendo a melhor parte de seu ano até aquele momento.

“Maldita grifinória”, ele pensou quando tomou a boca dela mais uma vez.

Estava completamente viciado nos beijos de Sarah Standish, mas jamais admitiria isso para ninguém, ainda mais sabendo do ódio que seu pai mantinha pela família da mestiça que beijava incansavelmente naquele instante.

Fim do Flashback

Draco abriu os olhos em um rompante. Havia perdido a noção de quantos momentos entre ele e Sarah ele havia relembrado desde que chegara na sala precisa.

Passou as mãos pelos rosto quando se deu conta do motivo de sentir o perfume de Sarah na amortentia. Se irritou consigo mesmo quando percebeu que era óbvio e que, por mais que ele negasse para si mesmo, aquela já era sua realidade a mais tempo do que ele poderia enxergar.

— Merda! - Ele exclamou desesperado. Levantou a manga de seu uniforme e encarou a marca negra que levava no antebraço.

Era um péssimo momento para descobrir que estava apaixonado por Sarah Standish, mas ele não tinha como negar que era exatamente aquilo que sentia.

— Merda… - Ele repetiu com a voz mais baixa enquanto passava a mão nos cabelos completamente desorientado. Estava totalmente perdido.


Notas Finais


N/A:E ai, o que vocês acharam? Harry abriu o jogo com a Sarah, Draco fez uma grande descoberta... O que será que vai rolar agora? O que acharam do fato doas dois estarem realmente apaixonados por ela? E o cheiro que a Sarah está sentindo, o que vocês acham que é e o que ele significa? Façam suas apostas!! Nos vemos semana que vem! Não esqueçam de comentar! Vamos interagir bastante! :****


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...