História A prometida (Delena) - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Ian Somerhalder, Nina Dobrev, The Vampire Diaries
Personagens Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Klaus Mikaelson
Tags Damon, Delena, Elena, Máfia, Romance
Visualizações 132
Palavras 2.068
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Muito obrigada aos comentários!

Capítulo 20 - Voltando para casa


Elena e Damon chegaram em casa e alguns empregados estavam na porta os esperando. 

Haviam balões de boas vindas e flores. 

Damon mandou preparar tudo aquilo, o que foi uma surpresa para ela. 

Os empregados desejaram boas vindas e logo retornaram em seus afazeres. Damon ajudou-a subir as escadas, eles chegaram no quarto e ele disse —Seja bem vinda de volta para seu quarto amore mio. Ele a abraçou por trás e Elena desvinculou-se do abraço e afastou-se sentando na cama. Ele fechou os punhos tentando manter o controle, então foi em direção a cama e sentou-se do lado dela

—Gostaria de ficar sozinha—ela pediu

—Esse quarto também é meu e vou ficar aqui com você

—Você não tem coisa para fazer? Não tem pessoas para matar hoje?—disse com sarcasmo 

Ele ficou olhando para ela com semblante sério

—Não, eu não tenho, adoraria ter, quem sabe uma família intrometida que só me trás problemas

—Para de ameaçar a minha família

—E você para de usar seu estado para me desafiar. Não ficará assim para sempre

—Você realmente é uma pessoa cruel. Sai daqui! Eu não aguento nem ficar perto de você

—Pois vai ter que aguentar, sou seu marido e não arredarei o pé daqui. Elena se levantou para sair, porém, Damon a segurou e a empurrou sobre a cama, ele subiu em cima dela começou a beija-lá na boca, ela tenta sair, mas como sempre não conseguiu, então começou a ceder. Damon abrandou o beijo, percorrendo seu rosto com lábios 

—Como senti sua falta bambina

—O médico proibiu relação sexual—Eu sei o que aquele idiota do médico disse, porém, não vou fazer nada, só quero beija-lá e ficar aqui com você 

Ele voltou a tomar sua boca, ela podia sentir a ereção dele sobre as roupas. 

Elena começou a pensar—Eu não queria engravidar dele de novo, mas como impedir isso? Como posso evitar? Tenho certeza que assim que o médico liberar o sexo ele não vai me deixar em paz. 

Damon continuou beijando-a e explorando seu corpo com as mãos. Ele introduz a mão por dentro de sua roupa e a levou até os seios massageando-os.

—Para Damon!

—O médico disse que não podemos ter relação sexual, mas não disse nada sobre a gente não poder brincar. Tira o vestido!

—Damon...

—Cala a boca e faz o que eu estou mandando 

Elena resignada tirou o vestido e ficou só de sutiã e calcinha. Ele a abraçou e abriu o sutiã liberando os seios. 

Damon a fez deitar e começou a sugar seus seios, ele fazia movimentos circulares com a língua em seus mamilos e aquilo fazia a pele dela ficar arrepiada, mesmo sem querer seu corpo começou a reagir aquilo e logo sua vagina começou a ficar molhada. Ela não queria sentir desejo, mas o corpo parecia ter vida própria. Damon desceu a mão até a sua vagina e automaticamente Elena fechou as pernas

—Não!

—Tudo bem! Se você não quer que eu faça em você não farei, mas você vai fazer em mim. 

Então Damon saiu de cima dela e tirou as calças e a cueca e seu membro ereto se mostrou na frente dela. 

Elena não queria fazer nada, ela só queria que ele a deixasse em paz.

—Eu não quero

Damon fechou os olhos e respirou fundo, apenas disse —Ok. 

Ele deitou na cama, Elena olhava para seu membro enorme pronto para ela, sua boca ficou seca. 

Elena sem intender seus próprios sentimentos e desejos resolveu fazer esse carinho em Damon, quem sabe assim ele a deixaria em paz. Ela se aproximou dele e de início, fez timidamente, porém, Damon agarrou seu cabelos fazendo-a intencificar—Rápido bambina, Vai fundo! 

Ela intensificou os movimentos e ele gemia e cada vez mais puxava os cabelos dela. Elena queria que ele chegasse ao prazer.

—Porra! Eu vou gozar amor 

Damon sem demora liberou seu líquido quente na boca de Elena. O Sêmen escorreu pela lateral de sua boca. Ela passou o dorso da mão para limpar. Damon soltou seus cabelos. Ele relaxou o corpo e ficou deitado na cama com os olhos fechado. Enquanto isso Elena foi até o banheiro lavar a boca. Logo voltou para o quarto

—Deita aqui—ele apontava para os braços dele 

Ela fez o que ela mandou, ele aninhou-a em seus braços fortes e inalou o perfume dos seus cabelos.—Tem certeza que não quer que eu te dê prazer?

—Não Damon, eu não quero. Será que você pode parar de pensar em sexo o tempo todo

—Não dá! Quando olho para você só penso nisso

—Eu não sou uma boneca inflável

—Não, não é mesmo, mas é minha esposa desejável que logo estará grávida de novo

—Você só me vê como uma reprodutora do seu filho né? 

Ela tentou sair dos braços dele mas ele a segurou forte

—Para de drama amore mio, vamos descansar um pouco, hã? 

Elena decidiu não lutar, ela sempre ia perder mesmo, então continuou nos braços dele e em pouco tempo pegou no sono. Ela acordou algum tempo depois e reparou que estava deitada no peitoral do marido e suas mãos estavam também repousada ali. Ela levantou lentamente para não acorda-ló e saiu. Foi ao banheiro e tomou um banho de chuveiro bem quente. Entrou no closet para colocar a roupa e assim que abriu a gaveta de calcinha, reparou que todos os anticoncepcionais estavam ali. Seu coração deu um salto

—Por que ele havia deixado os comprimidos ali? Só pode ser para me testar—pensou 

Ela resolveu pegar todos e jogar fora—Eu vou pensar em outra maneira de não engravidar dele. Elena vestiu-se de maneira informal e saiu do quarto, Damon ainda estava dormindo. 

Ela pegou o celular na bolsa e resolveu ligar para a mãe

—Alô Elena?

—Eu deixei o hospital hoje mãe

—Que maravilha filha, como você está?

—Estou bem, mas preocupada com vocês

—Filha, não se preocupe conosco, estamos bem

—Klaus está aí?

—Sim, quer falar com ele?

—Por favor 

A mãe passou o celular para o Klaus

—Elena, eu sinto muito por tudo que aconteceu

—Não foi sua culpa Klaus

—Eu tenho uma parcela de culpa sim

—Esquece isso, eu só quero te pedir uma coisa, não venha mais aqui, não arrume confusão. Ele não te matou dessa vez mas o fará da próxima

—Mas Elena, ele está te maltratando eu não posso... ela o cortou

—Por favor Klaus, me escuta, eu estou bem, eu vou saber lidar com ele.

—Tudo bem, eu vou tentar

—Agora passa para mamãe

—Mãe, papai está bem? como ele reagiu a tudo isso?

—Seu pai está bem, não se preocupe

—Eu sei que não está, você esconde alguma coisa.Eu posso falar com ele?

—Ele não está aqui no momento, saiu para procurar emprego 

O coração de Elena ficou pequeno em saber a situação de sua família—Tá bom mãe, eu ligo outro dia

—Se cuida filha 

Assim ela encerrou a ligação e ficou pensando como conseguir viver com um homem que está destruindo a sua família. Ela resolveu descer e ir até a varanda, havia uma varanda linda que dava para os fundos da casa, foi até lá e sentou em uma das mesas, logo uma empregada apareceu e ela se assustou

—Desculpe-me Senhora por te-lá assustado, só vim perguntar se quer alguma coisa para beber. Elena  reparou que a empregada era uma das que ia no porão levar comida e cuidar dela

—Se não for incômodo, gostaria de um suco de laranja

—Não é incômodo senhora 

A empregada saiu imediatamente e logo trouxe o suco. Elena agradeceu e quando a empregada já ia retirar-se ela decidiu perguntar—Qual o seu nome?

—Camila Senhora

—Muito obrigada por ter me ajudado

—Só fiz a minha obrigação Senhora, com licença.

A mulher se retirou e ela ficou pensando que não tinha amigos naquela casa. Todos só seguiam as ordens do Damon. Ela suspirou com tristeza e tomou o suco. Damon passou três dias com ela na casa, ele não saiu para lugar nenhum, no terceiro dia ele voltou para suas atividades. Eles estavam tomando o café da manhã, Damon lia as notícias do dia. Então, ela resolveu interrompe-lo e perguntou

—Posso voltar a ter aulas de ballet? Ele parou de ler o jornal e a olhou sério

—Por favor Damon 

Ela pediu juntando as duas mãos e com olhar suplicante

—Você me pedindo assim não tem como negar, mas não vai disser para a professora que não pretendemos ter filhos e você não vai fazer apresentação nenhuma

—Ela falou com você?

—Falou porém esquece isso

—Tá bom, eu só gostaria de continuar com as aulas

—Tudo bem, marca para quando você quiser, te passarei o contato dela

—Obrigada 

Os dias foram passando e o dia de retornar ao médico chegou, Elena estava nervosa, ela tinha certeza que o médico iria liberar eles voltarem a ter relação sexual e ela não havia ainda encontrado um jeito de evitar engravidar novamente. Eles chegaram no hospital e o Dr.Cooper logo os atendeu

—Oi Elena, como está?

—Bem Doutor, obrigada

O médico virou-se para o Damon e disse

—Senhor Salvatore a Elena vai fazer um exame agora que não requer a sua presença então aguarda aqui, logo o chamaremos Damon olhou para o médico sério

—Acho melhor você começar a tratar a minha esposa de maneira formal 

O médico ficou sem graça e olhando para a Elena disse

—Claro, como esqueci esse detalhe. Vamos Senhora Salvatore—Sim 

Elena foi com o médico e Damon os seguiu com os olhos frios. Ela entrou na sala e a enfermeira já estava lá

—Senhora Salvatore, Vamos fazer uma ultrassonografia transvaginal, é um pouco incômodo, mas logo passa

—Okay!

—Pode tirar toda a roupa e colocar esse roupão, quando estiver pronta podemos começar 

A enfermeira saiu e Elena fez o que o ela mandou. Logo depois o médico e a enfermeira retornaram e fizeram o exame, o médico disse que o útero dela estava limpo e pronto para uma nova gestação, Elena resolveu perguntar

—Doutor, eu não quero engravidar logo, mas meu marido quer, não teria uma maneira de evitar?

—As únicas maneiras de evitar são usando contraceptivos ou abstinência sexual Elena desanimou, nenhuma das alternativas era viável para ela, qualquer contraceptivo que ela usasse cedo ou tarde Damon iria descobrir e com certeza as coisas não iriam ficar boas para ela, e abstinência sexual era impossível com Damon.

—Eu posso fazer você ganhar mais uma semana, eu digo para seu marido que só pode voltar ter relação sexual daqui a uma semana, porém, não posso estender mais, até lá você pensa em uma maneira de convence-ló à esperar para vocês terem filhos

—Obrigada doutor 

Elena foi para a sala do médico e logo Damon entra na sala junto com o médico, ele senta do lado dela. O médico senta em sua mesa e olhando para o Damon diz:—Senhor Salvatore, nós fizemos uma ultrassonografia na sua esposa e não encontramos nada significativo porém eu recomendo esperar mais uma semana para voltar a ter relações sexual. Damon olhou para o médico com olhar mortal, ele tinha certeza que o médico estava fazendo aquilo somente para atrapalhar a relação dele com a Elena. Ele observou que o médico era um homem na casa dos 40 anos, bem apessoado, então deduziu que ele estava interessado nela.

—Muito bem Dr. Cooper, recomendações médica são recomendações médica 

Ele olhou para a Elena e disse

—Vamos amore mio, vamos ter que esperar mais um pouquinho para fazer o nosso filhinho. 

Elena sem graça pegou na mão do marido e agradecendo ao médico e foram embora. Damon deixou Elena em casa e saiu para a sede, ao chegar lá mandou chamar o Alaric na sua sala

—Então Damon, como está a Elena?

—Bem, mas não te chamei aqui para falar dela, tenho um trabalho para você

—Estou aqui a disposição

—Quero que alguém sofra um acidente

—Quem?

—Doutor Cooper

—O médico da Elena?!

—Exatamente, quero que seja um acidente de carro, faça alguma coisa no carro dele

—Tudo bem! Mas posso te perguntar por quê?

—Não quero homem nenhum no caminho meu e da minha esposa, esse médico já foi longe demais Alaric ficou olhando para o Damon, se ele soubesse os sentimentos que teimavam em crescer dentro dele com relação a Elena, alguém iria morrer e ele não gostaria que fosse ele mesmo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...