História A prometida (Delena) - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Ian Somerhalder, Nina Dobrev, The Vampire Diaries
Personagens Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Klaus Mikaelson
Tags Damon, Delena, Elena, Máfia, Romance
Visualizações 117
Palavras 2.338
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu to muito boazinha mesmo, postando bem rapidinho pra vocês

Capítulo 22 - Liberdade


Elena correu para dentro da casa, ela sentia muitas coisas ao mesmo tempo, nojo, revolta, raiva, indignação —Como ele fez isso comigo?—Pensou. 

Seguiu para o quarto e sentou na cama, seus pensamentos estavam a mil, ela não sabia o que fazer. Varias perguntas giravam em sua cabeça

—Será que confrontava ele? Ignorava? 

Ela não podia ignorar aquilo, não porque estava com ciúmes ou qualquer sentimento assim, mas pelo fato dele ter casado com ela, mantendo-a presa, a violentando e maltratando para que? 

Por que ele queria ficar com ela? Somente para ter um filho? E depois que a criança nascesse, o que será que ele vai fazer?

—será que vai me mandar embora e ficar só com a criança?

o coração dela deu um pulo

—Era isso, ele pretende me matar depois que o filho dele nascesse—pensou.

Elena levantou-se e muito nervosa caminhando de um lado para outro no quarto, ela passava a mão pelo corpo sentindo-se suja, como iria suportar que ele a tocasse de novo?

—Eu tenho que encontrar uma maneira de ir embora, não vou ficar nessa casa. Mas como?

De repente lembrou de algo importante, o cartão que a mulher lhe deu no hospital, ela disse que eles a protegeria. 

Pegou a bolsa e começou a procurar e logo achou, havia um número e um nome. Precisa pensar em uma maneira de ir embora e ainda proteger a família. Não podia ir e deixa-los à mercê dele

 —Eu terei que fazer o que meu pai fez anos atrás, rouba-lo. Ela entrou no closet, vestiu uma roupa chic, abriu o cofre com as joias, escolheu um colar de diamantes que provavelmente valia uma fortuna. Colocou o colar na bolsa e desceu as escadas. Os empregados estavam fazendo seus afazeres e ela resolveu simplesmente sair e andar em direção a saída da propriedade. 

Quando chegou no portão, vários homens de terno preto enormes apareceram e um deles aproximou-se dela e perguntou

—Vai aonde Senhora?

—Vou no shopping

—Não recebi nenhuma autorização para deixá-la ir ao shopping Senhora

—Não precisa de autorização, eu sou livre e vou sair, com licença Elena tentou passar pelo homem, mas esse a impediu bloquendo-lhe a passagem, os outros se posicionaram formando uma barreira, Ela olhou para eles e com lágrimas nos olhos voltou correndo para a casa

—Droga! Eu sou realmente uma prisioneira aqui, jamais conseguirei sair sem a autorização do Damon. Então, ela decidiu pedir para ele. Pegou o celular e ligou

—Não acredito que a minha Bambina ligou para mim

—Damon, eu preciso sair, quero fazer compras com minha mãe. Seus soldados não deixaram.

—Mas é claro que eles não irão deixar você sair dessa casa sem a minha autorização

—Eu só quero ir fazer compras, por favor

—Elena, se você estiver planejando qualquer coisa para ajudar a sua família eu vou descobrir, você sabe disso não é?

—Eu sei, não vou fazer nada, somente sair um pouco, estou com saudades da minha mãe.

—Não quero que você vá a casa deles

—Eu nem sei onde eles estão morando

—Tudo bem, eu vou deixa-la ir. Vou autorizar para você sair, mas lembre-se Elena, se tiver aprontando alguma coisa, vai se arrepender, entendido?

—Sim, obrigada

—Vou cobrar amore mio. 

Ele desligou e Elena ficou com um nó no estômago, se o plano não der certo estará ferrada. Mas, não podia desistir, ela precisava tentar. Então com coragem ligou para a mãe

—Mãe, como está?

—Filha, que bom que ligou, estou bem e você?

—Estou bem mãe. Liguei para te convidar para fazer compras comigo, vamos na quinta avenida.—O Damon permitiu?

—Sim

—Tudo bem então, vou de metrô, nós estamos sem carro.

—Tá bom mãe, eu te espero na estação

—Combinado 

Elena desligou e ficou pensando

—Agora tenho que tentar convencer a mamãe a aceitar o dinheiro com a venda da joia e eles irem embora, sumirem e eu vou para o abrigo. Com determinação, ela desceu as escadas e quando saiu da casa haviam vários carros preto parado na entrada. O primeiro da fila estava com a porta aberta e quem estava do lado esperando-a era o Alaric. Ela ficou olhando para ele com curiosidade e pensou —Por que o Damon o mandou ir junto? Agora será mais difícil despistar eles. 

Elena chegou perto do carro e  estendeu a mão a Alaric

—Senhor Alaric, como vai?

—Bem Senhora—ele não estendeu a mão para ela

—Não é necessário tantos seguranças Senhor Alaric, só irei fazer compras

—Não são ordens minha Senhora

—Eu sei que você é amigo do Damon e chefe dos soldados, por isso, não acho necessário levar mais seguranças.

—É necessário—ele disse sério

—Tá bom, não adianta discutir, vamos! Ela entrou no carro e reparou que além do carro dela haviam mais quatro carros, todos com seguranças. Elena suspirou—Vai ser difícil despistar todos esses. Alaric entrou na frente do carro dela e partiram para a Quinta Avenida. 

Elena estava nervosa e com medo do plano não dar certo. O celular dela tocou e na tela ela viu o nome do Damon, seu coração disparou

—Alô—Falou meio vacilante

—Você disse que ia no shopping, agora vai na Quinta Avenida, por que mudou de ideia?

—Hã! Achei melhor ir lá, pois, quero comprar algumas coisas para a casa e lá podemos encontrar as melhores lojas.

—Elena, até agora você nunca se interessou pela casa, por que esse interesse súbito?

—Não é um interesse súbito, eu já estava pensando sobre isso, então hoje resolvi sair, só isso.Também aproveito para ver minha mãe.

Ele ficou em silêncio por alguns segundos

—Tudo bem, o Alaric vai vigia-lá de perto 

Assim ele encerrou a ligação. Agora ela tinha certeza que o Alaric irá ficar no pé dela o tempo todo

—Saco!—pensou 

A viagem foi longa, quase 3 horas até a Quinta Avenida. Eles seguiram para a estação do metrô. Elena mandou uma mensagem para a mãe

—Cheguei

—Estou indo aí

—Tá bom! 

Elena então disse para o Alaric

—Eu vou sair, minha mãe está vindo e nós vamos andar a pé.

Imediatamente, Alaric saiu do carro e abriu a porta para ela. 

Elena desceu e todos os seguranças também desceram, porém, eles se espalharam pela rua, não dava para perceber que eles eram seguranças. O Alaric ficou atrás dela. 

Miranda a encontrou

—Filha que Saudades!

—Também estava mãe 

Elas se abraçaram calorosamente—Alaric, como vai?

—Bem Senhora Gilbert

—O Alaric vai nos acompanhar mãe

—Claro! 

Elas começaram a andar e o Alaric andava atrás delas. 

Elena sugeriu

—Vamos comer alguma coisa mãe?—Sim 

Elas entraram em um restaurante popular e logo foram conduzidas a uma mesa, Alaric entrou também com mais dois seguranças e sentou em outra mesa. Elena suspirou aliviada, pelo menos ele não iria sentar na mesma mesa que elas. Agora é a oportunidade de falar com a mãe 

Elas fizeram o pedido e ficaram esperando a comida chegar enquanto conversavam

—Como está papai e Klaus?

—Estão bem na medida do possível, seu irmão está namorando, ou ao menos tentando, afinal não é fácil a vida na máfia.

—Sério, ele não me disse nada, também mal conseguimos conversar direito, onde vocês estão morando?

—Estamos de favor na casa da minha prima, mas não sabemos se vamos continuar lá.

—Eu sinto muito por tudo isso. 

O pedido delas chegaram e logo começaram a comer

—Mãe, eu preciso que você me apoie em uma coisa

—O que filha?

—Eu vou deixar o Damon 

O rosto da mãe ficou com uma expressão horrorizada

—Não Elena, você não pode fazer isso

—Fala baixo mãe, não quero que o Alaric nos escute, vou te explicar tudo 

Elena suspirou e começou a explicar seu plano

—Quando estive no hospital uma assistente social me deu um cartão, ela disse que se eu precisasse de um abrigo para mulheres que sofrem violência doméstica que era para eu ligar que eles me protegeriam

—Elena, seu marido é um mafioso, ele vai descobrir isso rápido

—Mas eu vou estar protegida pelo governo, ele não vai poder fazer nada 

A mãe suspirou e perguntou—E como você vai fazer isso?

—Primeiro, antes de eu ligar para o número do cartão, quero deixar vocês seguros. Eu trouxe outra joia, dessa vez é um colar de diamantes. Você vai vendê-lo pelo valor que quiserem pagar. A joia deve valer muito dinheiro, porém, se eles ofereceram um valor suficiente para você, papai e Klaus saírem daqui de Nova York imediatamente, aceita. 

Vão para outro estado e quando chegarem lá, saiam do país o quanto antes.

—Isso é loucura

—Mãe, se eu continuar com o Damon, me matará, ele não se importa comigo, tem outras mulheres.

—Eu não sei, não queria fugir e deixar você aqui, por que não vem com a gente?

—Como vou se tem todos esses seguranças atrás de mim? Nós vamos fazer compras como disse para o Damon e em uma das lojas eu te dou a joia no trocador de roupa, o Alaric não vai poder entrar lá. Quando terminarmos nos despedimos e você vai na casa de penhor. Quando estiver feito negócio, me envia uma mensagem de texto, porém, não diga nada sobre o negócio, vamos usar um código, Eu te amo se tudo deu certo se não escreva Te vejo outro dia. Se tudo deu errado. Logo em seguida, faço a minha parte e ligo para o número do cartão.

—Eu não sei Elena, se o Damon descobrir onde você está?

—Já disse mãe, vou está sob proteção do governo

—Tudo bem

—Então vamos! 

Elena pagou a conta e as duas saíram do restaurante sempre com Alaric atrás delas. Então elas começaram a entrar em varias lojas, comprando coisas para decoração da casa. Elena não sabia nem o que estava comprando, comprava qualquer coisa. Elas foram para uma loja de roupa, pegaram varias peças para experimentar. Alaric sempre atrás delas

—Mãe, você pode entrar no trocador comigo? Preciso da sua opinião sobre esse vestido 

Ela olhou para o Alaric e disse

—Você fica aqui, não pode entrar em trocado feminino. Ele apenas a olhou frio, sem expressão. 

Elena virou a cara para ele e entrou no trocador com a mãe lá ela deu o colar para ela. As duas continuaram a fazer mais compras. Quando já estava caindo a tarde elas resolveram despedir-se. Elena abraçando a mãe forte disse em seu ouvido

—Adeus mãe! Vai da tudo certo. Miranda entrou na estação de metrô, porém, não iria embarcar, assim que Elena se afastasse ela voltaria para ir à casa de penhor. Elena entrou no carro e Alaric perguntou

—Vamos para casa Senhora?

—Não, eu gostaria de fazer um pouco mais de compras. Alaric a olhou pelo retrovisor com olhar sério, ele tinha certeza que ela estava aprontando alguma coisa. Eles ficaram rodando pela cidade e Elena não dizia para onde queria ir, Alaric já estava impaciente. Elena queria ganhar tempo até a mãe conseguir vender a joia. Depois de 40 minutos ela recebeu a mensagem de texto

—Eu te amo 

Elena suspirou aliviada, a mãe já estava com o dinheiro, agora era só fazer a parte dela. Bateu no vidro que separava a dianteira do carro

—Alaric, eu quero ir no shopping

—Tudo bem 

Eles seguiram para o shopping, ao chegar lá ela fez mais algumas compras para disfarçar e resolveu comer alguma coisa em um café. Alaric sentou próximo dela, mas em outra mesa. Elena então, pegou o celular o cartão e fez a chamada.

—Alô

—Uma voz de mulher atendeu Elena falou sussurrando

—Melissa, aqui é Elena, você me deu seu cartão no hospital

—Sim lembro

—Preciso da sua ajuda, quero deixar meu marido

—Onde você está?

—Em uma café no shopping New York

—Tem alguém aí com você

—Sim, os seguranças do meu marido, mas vou tentar despistar eles, já tenho um plano.

—Tudo bem, eu já estou indo até aí com as autoridades, não precisa se preocupar, nós vamos te ajudar. Elena então levantou-se e Alaric e os outros dois seguranças levantaram também, ela disse para o Alaric

—Preciso ir ao banheiro 

Alaric a observava desconfiado, Elena passou por ele e foi em direção ao banheiro, ele foi atrás e ficou na entrada a esperando. Dentro do banheiro, ela tirou a roupa que estava usando e trocou por outra que ela havia comprado em uma das lojas e escondido na bolsa, colocou uma peruca que também havia comprado. Trocou a bolsa e colocou óculos de sol. Saiu do banheiro sem olhar para o Alaric, porém, ele achou estranho aquela mulher, não havia a visto entrar no banheiro, decidiu segui-la, deixando os dois seguranças na porta do banheiro. A mulher foi em direção a saída e num impulso Alaric segurou em seu braço. Ela o olhou assustada, Alaric tirou o óculos dela e viu que era Elena

—O que você está tentando fazer?—Eu vou deixá-lo, não posso mais viver com ele, diga-lhe isso Alaric! Em um impulso e para surpresa dela ele disse

—Vai! Vai logo antes que me arrependa

—Obrigada 

Elena não estava acreditando que o Alaric deixando-a ir embora. Ela saiu rapidamente do café, os seguranças que estavam na parte de fora não a reconheceram, ela foi andando rápido e ligou para a Melissa.

—Eu consegui despistar os seguranças, estou indo para a saída do shopping

—Nós a estamos aguardando 

Ela saiu do shopping e viu o carro com a logo do governo americano. Ela foi em direção e a mulher saiu do carro

—Elena?

—Sim

—Vamos! A mulher falou sem demora

—Eu realmente estou segura com vocês?

—Sim, agora está sob os cuidadosa do governo Federal dos Estados Unidos 

Elena entrou no carro confiante, logo eles começaram a mover-se e o shopping ficando para trás. Ela enviou uma mensagem para a mãe—Estou segura 

A mãe respondeu —Estamos Partindo 

Elena deu um sorriso nervoso, ela havia conseguido, agora iria ficar no abrigo até decidir o que fazer. Ainda não sabia por que o Alaric a ajudou, porém, não estava preocupada com isso. 

Agora era livre.


Notas Finais


Palpites? O que será que vai acontecer?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...