História A Proposta - Yoonmin - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 58
Palavras 3.122
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noite gente, rsrsr Eu sei demorei para postar, sinto muito kkk mais espero que entendam eu viajei, a preguiça tambem chegou kk enfim vou deixar vocês com o capitulo. Espero que gostem. Bjinhos s2.

Capítulo 2 - Capitulo 1


 

O belo carro preto de vidro escuros blindado, um Hyundai para ser, mas especifico, levava Min Yoongi pelas ruas da grande Seoul, onde passaria um mês fingindo ser seu irmão gêmeo.

Depois de ter aceitado se passar por Hyun, Yoongi foi mandado diretamente para o aeroporto de Daegu para ir a Seoul no lugar do mesmo. Não teve tempo nem de respirar direito, seu irmão não explicou nada para ele sobre onde ficar, só falou que o motorista o esperaria no desembarque com uma plaquinha de “boas vindas”, seu irmão já tinha tudo organizado.

Ele sabia que tinha feito uma grande burrada em ter aceitado a proposta de seu irmão, e sabia que precisava do dinheiro que o mesmo ia dar para pagar o tratamento de sua filhinha. Mesmo que Hyuna não fosse sua filha de sangue, mais era ele quem a criava e ele a amava como se fosse sua.

Quando tinham 17 anos Hyun acabou por engravidar uma ex-namorada de Yoongi. Pois é, seu “querido” irmão era um invejoso e queria tudo o que Yoongi tinha, mesmo que isso fosse quase nada. A questão não era material, na verdade Hyun tinha inveja do que Yoongi era e não do que possuía. Pois, Min Yoongi era tudo o que Min Hyun não era.

Na época ele e Hayumi namoravam e então seu irmão resolveu que também estava apaixonado pela namorada de Yoongi e a levou para cama fazendo-a trair Min. Mas, Yoongi não ficou realmente triste com ocorrido, ele já não gostava de Kim Hayumi da mesma forma como antigamente, na verdade ele só não aceitava sua sexualidade, para ele era assim ele não tinha preconceito com quem era homossexual mais não aceitava ser um. Foi difícil sua aceitação, mas conseguiu depois da traição de Hayumi, pois ele encontrou alguém.

Mesmo não a amando ele sentiu muito mal pelo que seu irmão fez. Mas Hayumi engravidou de seu irmão e o mesmo não quis assumir a criança, isso deu uma briga enorme, pois, os pais da garota queria o casamento deles até tentaram fazer Yoongi assumir a criança que não era dele. E ele teria feito isso se Kim Hayumi não tivesse morrido no parto de Hyuna. E seu irmão? Bem no meio dessa confusão toda acabou fugindo para Deus sabe onde, deixando a família.   

Hyun já havia ferido muito sua família e feitos coisas malvadas, mais sumir e aparecer depois de anos e usar a doença da própria filha para ter um capricho realizado, fazendo seu irmão gêmeo aceitar ficar no seu lugar, fingindo ser o mesmo, não era uma ideia tão genial assim, se alguém descobrisse Yoongi poderia ser preso por usurpar o lugar de seu irmão. Essa era realmente o torpor de todas as encrencas que Hyun já meteu seu irmão Yoongi.

A vida era mesmo a inimiga de Min Yoongi.

- Senhor chegamos. – O motorista tinha abrido à porta da parte de trás do carro para Yoongi sair. O moreno estava tão absorto em suas lembranças que nem se quer reparou que o carro havia parado e chegado a seu destino.

- Ah! Sim, desculpe-me. – O moreno sorriu, fazendo com que o empregado arregalasse os olhos e franzisse as sobrancelhas, chocado.

- Nossa! – Exclamou Yoongi ao sair do automóvel e olhar o que seria sua casa por um mês. Se bem que aquilo não poderia ser chamado de casa já que era uma mansão enorme.

A frente da mansão tinha dos dois lados jardins com gramas verdinhas e flores de vários tipos que ele não sabia quais os nomes, mais uma pequena área com o que seria uma mesa de café da manhã ao ar livre. A entrada da casa tinha dos lados esquerdo e direito grandes escadas para poder entrar casa de dois andares que provavelmente tinha uns vintes quartos e mais banheiros que se pode contar.

- Porra! Puta que pariu Hyun é muito rico. – Yoongi falou sem pensar, deixando o motorista totalmente confuso por ver o patrão falando de si mesmo em terceira pessoa.

- O senhor esta bem? – Perguntou o homem completamente desconfiado.

- Claro que sim. – ele sorriu e deu de ombros. O moreno foi para trás do carro direto ao porta-malas e pegou sua bagagem, que na verdade não era nem dele e sim de seu irmão.

-Deixa que eu pego senhor. – O homem falou estranhando seu patrão.

- Aish! Não precisa, ate parece que não posso fazer sozinho. – O moreno falou e o motorista ficou ainda mais confuso.

- Posso entrar? – Pergunta Min apontando para a casa.

- Claro que pode é sua casa senhor.  – O homem realmente estava com medo de seu patrão o rapaz estava muito estranho.

- Ah! É mesmo.  – Yoongi corou fortemente. Ele já estava deixando transparente que não era ele ali, mais o que podia fazer não conseguia agir como o irmão.

- O senhor tem certeza que esta bem?

- Claro!

Mesmo estando desconfiado o homem assenti, observando seu patrão andar ate as escadas com as malas e as subindo para chegar ate a frente da porta.

Ele gira a maçaneta e parou um centímetro a mais da porta. Ele estava com os olhos arregalados ao olhar dentro da casa, se por fora era bonito, mas por dentro era mais.

A sala era de uma cor bege, o sofá era de cor branca e aparentemente macia , a televisão ocupava praticamente a parede toda e na mesinha ao lado do sofá tinha um livro ao lado de um vaso de cor azul que aparenta ser caro. Mas o que mais chamou a atenção do moreno foi o quadro, onde seu irmão estava com um homem um pouco mais velho e uma criança.

- Parecem até uma família. – Yoongi sussurrou então arregalou os olhos ao ler no quadro “família Min”.

 – Oh Deus! Meu irmão é gay?

Essa informação pegou o moreno de surpresa, jamais imaginaria que seu irmão era gay e ainda por cima casado e mais tinha um filho. Logo ele que tinha raiva incomum de homossexual. Depois dessa, ele não acreditava mais na vida.

- Senhor Hyun? – Uma mulher com roupas branca e preta que parecia ser um uniforme carregava varias caixas em mãos, chamou Yoongi achando estranho o mesmo está parado no meio da sala como uma estatua olhando para tudo como se fosse a primeira vez que entrasse ali.

- Eu?

- Esta tudo bem?

- Oh! Sim, sim... – Yoongi sorriu deixando suas malas de lado e indo ajudar a mulher com as caixas.

 

- Você não devia carregar isso é pesado. Como aguentou?

A mulher de aparência de 37 anos o olha. Dessa vez foi ela que ficou ali parada observando o seu jovem patrão pegando as caixas de suas mãos sem ao menos pergunta o que era ou que ela fazia ali, no lugar de está trabalhando, como sempre fazia. Em nenhum momento ele tinha sido rude.

- O senhor está bem? Quer que eu chame o médico? – Ela pergunta. Franzindo as sobrancelhas e colocando a mão na testa alheia.

- Para que? Eu estou muito bem. – Yoongi falou. Ele já estava ficando chateado consigo mesmo, como era difícil fingir ser seu irmão. Porra! Hyun precisava ser tão rude com as pessoas?

- Mas o senhor nunca é gentil! Parece até outra pessoa.

Yoongi suspirou de medo. Ele esta sendo um fracasso.

Será que a mulher o prefere sendo rude?

- Vai querer ou não minha ajuda? – perguntou tentando soar o mais rude que podia.

- Ah... Sim! Quero sim senhor.

- Para onde devo levar essas caixas? – falou sorrindo gengival.

- Para a cozinha. – respondeu a cozinheira corando com a gentileza e claro aquele lindo sorriso do moreno.

Óbvio que ela estava estranhando o comportamento do jovem patrão, mas, era bom ter alguma ajuda, aquelas caixas estão realmente pesadas, aquelas caixas realmente estavam a matando.

O moreno seguiu a mulher que o guiava pela casa indo para a cozinha, afinal não sabia nem mesmo onde era seu quarto, ou melhor, o quarto de seu irmão, quem dirá a cozinha.

- Muito obrigada senhor. – A ajumma corou mais uma vez, estava com medo de que seu patrão de alguma forma começasse a gritar consigo. Mas a senhora se surpreendeu com a fala do jovem.

- Por favor! Pare de me chamar de senhor. Sinto-me um velho. –Brincou – Pode me chamar de Y... De Hyun. – Se corrigiu rapidamente e sorriu doce para a cozinheira.

- Ah!... Como quiser se... Hyun. – Concordou ainda achando estranho, se perguntando onde o mesmo tinha batido a cabeça.

- E como é seu nome? – Foi à vez de o moreno corar por perguntar tal coisa a própria cozinha. Sabia que era arriscado mais tinha que tentar.

- Mi-Cha, Senhor Hyun. O senhor esqueceu? – A mulher falou confusa.

- Assim! Que cabeça a minha, então eu vou subi Mi-Cha. Estou morto de cansado e preciso muito de um banho. – Disse Yoongi se esticando e suspirando exausto. Ele só queria fugir das perguntas desconfiadas da ajumma e por isso nem ligou pelo “senhor” solto pela mesma.

- Quer que eu peça para Kwan preparar seu banho? – Perguntou Mi-Cha.

- Não, muito obrigado. – Yoongi agradeceu e a cozinheira arregalou seus pequenos olhos em surpresa. Ela estava cogitando a ideia de ir a igreja se confessar e pedir perdão pelos seus pecados, que se resumiam aos xingamentos ao seu patrão a sua frente, porque realmente eram os fins dos tempos.

O moreno que antes estava de cabelo azul antes da viajem voltou moreno e gentil.

Ela já tinha perdido as contas de quantas vezes o tinha ouvido falar “obrigado” e, “Por favor” só naquele dia. Ela queria seu crucifixo seu patrão tinha sido possuído.

- O Senhor quer que eu chame um medico? Não, melhor chame um padre. – falou a mulher fazendo os gestos com a mão desesperada.

- Para que isso?

- Se o Senhor estiver doente precisamos de um medico, mas, se o senhor tiver sido possuído precisaremos de um padre para o exorcismo.  – Yoongi gargalhou para o desespero da mulher, seu patrão realmente estava rindo.

- A gente não vai precisar de nenhum dos dois Mi-Cha. Eu estou bem juro!

Yoongi estava achando que seu irmão poderia ser o diabo mesmo, porque não era possível que a cada palavra dita por si, alguém arregala os olhos e quisesse chamar medico e até mesmo padre.

- Tudo bem. Se senhor diz.

- Já pedi nada de “senhor” ajumma.

- Está bem se... Hyun. O Jungkook esta lá no parquinho brincado. – comentou Mi-Cha.

- Jungkook? – Min soltou sem pensar franzindo suas belas sobrancelhas. Quem era Jungkook?

- Sim senhor, o seu filho. – respondeu como se fosse obvio. No entanto era mesmo. Yoongi suspirou corando, estava se entregando demais, e parece que a mulher não iria parar de chamá-lo de senhor.

- Oh! Eu vou lá. – falou saindo da cozinha, mas parou e acabou voltando assim que percebeu que não sabia onde era o tal parquinho.

- Só mais uma pergunta. Onde fica o parquinho?

Mi-Cha soltou uma risada de seu patrão. “Não precisa de um medico e nem padre. Sei”. Foi o que pensou a senhora. Mas também podia ser só o cansaço. Era a única explicação para as atitudes do homem a sua frente. Ou talvez fossem mesmo as suas teorias.

- Eu lhe levo lá se... Hyun.

Min foi seguindo a mulher tentando decorar o cominho. Se perder naquela casa seria a coisa mais fácil para si e muita humilhação também.

O moreno viu de longe uma criança brincado em um mini parquinho que tinha próximo a um outro jardim atrás da grande casa. Esse jardim era menor que o da frente.

Ele andou até lá em passos largos e parou próximo ao um balanço. E observou o seu agora filho subir no escorregador com um sorriso fofo com os dois dentinhos de cima levemente um pouco mais para frente em seu rostinho. Min o achou lindo e fofo. Parecia um coelhinho.

Desde sua adolescência o moreno era perdidamente apaixonado por crianças. Por isso foi extremamente dócil em aceitar registrar Min Hyuna como sua filha e a criar como tal.

Diferente de seu irmão que simplesmente odiava criança, se bem que ele duvida que seu irmão fosse amar qualquer uma criança algum dia. O menor se perguntava como ele pode adotar uma.

“Coitadinho dessa criança” pensou ele negando com a cabeça, seu irmão provavelmente não dava amor suficiente.

- Appa? – Yoongi saiu de seus devaneios ao ouvir uma voz de criança lhe chamar.

Olhou para baixo encontrando os olhinhos feitos duas jabuticabas, o olhando com curiosidade.

Min se agachou e sorriu abertamente para o pequenino Jungkook, que sorriu de volta.

- Papai está sorrindo. Que milagle! – o menino diz, errando um pouco na ultima palavra.

 - O senhor fica muito bunitu. – Yoongi gargalha, balançando a cabeça negativamente.

- Nhaaa! Você que é bonito, sabia que é muito fofo. – O moreno falou acariciando a bochecha do menor e logo depositando um beijo na testa alheia.

- Eu sei! Sou um amor de pessoa. – o acastanhado disse sorrindo mais ainda.

- Posso brinca também? – pergunta o mais velho.

- O senhor já é glandinho para blincar. – Jungkook falou cruzando os braços. – Vai queblar os blinquedos.

Yoongi percebeu que o pequeno errava bastantes às palavras com “R”.

- Nossa! Meu próprio filho me chamando de gordo? – o adulto se fingiu de ofendido colocando a mão em cima do peito onde fica o coração. – Estou triste agora.

- Não, você é lindo papai. – Jungkook diz tocando o rosto do moreno que sorrir começando a fazer cosquinha no garotinho.

Jungkook gargalhou tentando se soltar do “Pai” que só aumentou o ataque de cosquinhas em si. Quando Min parou, se sentou no chão cansado e seu “filho” fez a mesma coisa se sentando com as perninhas cruzadas.

- Pensei que ia voltar só amanhã! – Uma voz não muito grossa soou pelos tímpanos do mais novo que se arrepiou inteiro.

- Achei estranho quando Mi-Cha me disse que estava aqui fora.

E era completamente verdade, não pelo fato de Hyun ter chegado mais cedo afinal quem estava ali era seu irresponsável marido, mais a surpresa foi saber que Hyun tinha ido ver Jungkook sem pressão do mais velho para isso. E mais, ele estava brincando com garoto.

- Papa! – Jungkook se levantou em um pulo correndo para os braços do loiro que sorriu pegando a criança no colo. – Papa, o papai sorriu.

- Sério? Será que ele bateu com a cabeça Kookie? – Yoongi riu se virando, ainda sentado, para olhar o tal marido de seu irmão. Yoongi estava pasmo, se ele não tivesse sentado com toda certeza cairia, pois olhar para o marido de seu irmão o deixou realmente fraco pela tamanha beleza do mesmo.

O que Hyun tinha na cabeça para querer ficar longe da sua família e essa “Vida Chata”? Ele tinha um filho fofo e educado, era muito rico, não que isso realmente importasse a Yoongi, mas, para seu irmão parecia algo que importasse. E tinha seu marido, pelo amor de Deus ele era lindo demais.

Ele era loiro, olhos de um azul safira lindos, bem puxadinho, lábio levemente cheinho e rosado era mais alto, mais, não tonto e era realmente bem viril.

- Hyun?

- Ah... – Yoongi sentiu sua bochecha queimar enquanto o olhar do loiro passar por todo seu corpo.

- Desculpe-me, eu não sabia que você estava aqui. – falou a mais pura verdade.

- Eu moro aqui também sabia Hyun e essa casa é tão minha quanto sua. – respondeu chateado.

Yoongi arregalou os olhos pela grosseria do outro rapaz.

- Ah! Desculpe, não era minha...

- Pera! Desculpa? Você sendo educado? Esta tudo bem? Quer que eu chame o medico? – Pergunta o mais alto enquanto o moreno se levantava do chão e limpava sua bunda.

- Mas que diabo será que Hyun é tão demônio assim. – falou ele sem percebe. Yoongi já estava ficando chateado de ouvir isso das pessoas.

O loiro ficou completamente chocado com a maneira que o próprio Hyun se referia a ele, como se fosse realmente estranho às pessoas se assustarem com sua delicadeza.

- Não, eu não preciso de medico, eu estou ótimo. Por que esta todo mundo perguntando isso? Eu pareço doente? – Yoongi passou a mão pelo seu rosto.

- Certo... Você esta super estranho. O que está aprontando?

- Nada? – o moreno perguntou franzindo as sobrancelhas.

- Sei...

O menor queria perguntar o nome do loiro mais seria muito estranho. Afinal ele seu “marido” agora, e quem pergunta o nome do próprio marido? Estando casado com ele há sabe quanto tempo?

- Eh...- o moreno ficou sem saber o que dizer. O que ele tinha na cabeça, não podia fazer esse tipo de pergunta. Se ele abrir a boca novamente vai falar alguma besteira. Então apenas se calou e esperou que o outro falasse algo.

- Vou da banho no Jungkook. – O marido disse ainda desconfiado das atitudes do suposto Hyun.

- O almoço está quase pronto, vai almoçar com a gente? – perguntou.

- Claro que sim. – Min disse confuso com a pergunta, afinal onde mais ele ia comer? Na rua?

Com a resposta de Yoongi, o maior realmente abriu os olhos o tanto que sua fisionomia deixava, Hyun nunca almoçava em casa e agora der repente aceita o convite sem mais nem menos.

- É realmente, você está muito estranho Hyun. – falou o mais velho mais desconfiado ainda. O que será que Hyun estava aprontando? Queria mais dinheiro?

- Ah! – foi só o que Yoongi disse ainda parado observando o loiro partir para dentro da casa com Jungkook em seu colo.

“Ele tem uma comissão de traz bem grande” pensou quando viu a bunda de seu marido.

O moreno não sabia o que fazer, se ficava ali ou se ia procurar seu quarto. Então, seu coração começou a acelerar a mil por hora ao perceber que teria que dividir seu quarto com seu “Marido”, ou seja terão que dormir juntos, na mesma cama.

- Oh Deus! Na mesma cama! – o menor exclamou corando fortemente. Yoongi era virgem em seus plenos 23 anos de idade.

Ele se sentia tão desesperado agora como nunca sentiu antes.  Ele teria que dormi no mesmo cômodo e cama do marido do seu irmão. E se o loiro quisesse fazer amor com ele? Ah! Ele realmente estava ferrado.

Porque o maldito do seu irmão não avisou que tinha um marido? Porque ele foi aceitar aquela proposta? Porque foi tão burro?

Min passou a mão pelos cabelos negros e suspirou. Agora teria que arcar com as consequências. Não podia fazer nada. Teria que ficar um mês dormindo com o loiro.

- Isso não será nada fácil.


Notas Finais


Então foi isso gente eu espero que tenham gostado srsrsr Desculpa se tiver erros.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...