História A proposta (Hiatus) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Age Play, Bdsm, Bondage, Chanbaek, Daddy, Daddy Kink, Infantilismo, Jihope, Jikook, Kaisoo, Namjin, Taegi
Visualizações 329
Palavras 6.509
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, gente!
Consegui terminar esse capítulo hoje, nem acredito! Estou muito feliz!
Gostaria de agradecer aos favoritos, aos 12! Obrigada de coração!
Nesse capítulo, como disse nas notas do anterior, tem mais interação Taegi!
Espero que gostem e até lá embaixo!

Capítulo 3 - Primeiras ações


No dia seguinte novamente fingiram que não se conheciam, pelo menos Yoongi sim. Taehyung ficou tentado a ir até o garoto, principalmente quando os alunos tentavam chamar sua atenção, quando dois deles começaram a brigar para saber quem era mais próximo do rico, ou quando Yebin começou a se esfregar em si tentando leva-lo para uma sala. Estava cansado disso e implorava mentalmente para o tempo passar e chegar à tarde para estudar com o baixinho.

Min era diferente da maioria dos alunos daquele colégio, ele era real. Tinha sua personalidade, não possuía medo de ser quem era. Tanto que mesmo sendo chantageado, discutia com o outro e evitava abusar de seus privilégios, mesmo quando Kim insistia para ele aceitar, como na noite anterior. Ele era especial, peculiar e fazia Taehyung vontade de conhece-lo melhor.

— No que tanto pensa? — Namjoon perguntou.

— Em como estou cansado disso tudo — Respondeu e o mais velho logo entendeu — Como você aguenta? Ficar longe de Seokjin para ficar aqui? — O mais baixo conhecia Seokjin, já saíram várias vezes junto com Jungkook. Sempre iam para um restaurante diferente e ficavam conversando por horas. Jin era adorável.

— Todo dia tenho vontade de ir até ele, seria bem mais divertido. Mas não deixaria você sozinho aqui. Você é como um irmão para mim e eu tenho que ficar de olho em você para não se meter em uma encrenca no meio de tanta gente interesseira — Explicou e Taehyung sorriu com a resposta.

Ficou um tempo em silêncio e se sentiu desconfortável ao se lembrar de seu segredo, talvez Namjoon e Yoongi ficariam bravos consigo, mas sentia que precisava contar. Pediu para o amigo se podiam conversar a sós na biblioteca e logo ambos estavam lá. Sentaram na mesa mais afastadas e o mais novo sorriu ao lembrar que o baixinho sempre escolhia essa mesa.

— Então, sobre o que quer falar? — O mais velho começou.

— Lembra que eu estava pedindo ajuda de Yoongi para não repetir? — Perguntou e o outro assentiu — Ele se recusava todas vezes e eu acabei descobrindo um segredo dele sem querer, então... — Não conseguiu completar a frase abaixando a cabeça.

— Não me diga que você chantageou ele! — Teve sua afirmação quando o garoto se encolheu — Taehyung! Isso é errado! Não posso ficar longe de você que sempre faz merda! — Suspirou irritado.

— Desculpa — Pediu rápido — Eu não vou contar o segredo para ninguém, eu só estava desesperado! Não podia desapontar Sohye e ele era minha única esperança...

— Não vou brigar com você por isso — Namjoon disse após uns minutos em silencio — Não apoio o que está fazendo com ele. Prometa-me que vai trata-lo bem e não vai lhe machucar!

— Eu prometo! — Disse rápido e abraçou o amigo — Eu precisava lhe contar isso, você é meu amigo e sempre cuida de mim... Mas não é por você que estou prometendo não magoá-lo. Eu realmente não queria fazer isso com ele.

O mais alto sorriu e abraçou os ombros do amigo enquanto voltavam para sala. Sabia que Taehyung era uma boa pessoa e talvez Min mostrasse para ele que não precisava ficar rodeado de gente falsa para se sentir feliz e importante, ou talvez estava esperando muito daquela relação. Preferia acreditar na primeira opção.

Kim ao voltar para a sala de aula deixou um bilhete pedindo para Yoongi lhe esperar na biblioteca. Sentou-se em seu lugar e não demorou para o professor chegar, assim como os demais alunos e começar a aula. Nas últimas aulas, o garoto conseguiu prestar atenção em tudo o que surpreendeu a si mesmo.

Quando o sinal tocou anunciando os fins da aula, viu o baixinho arrumar rapidamente seu material e sair. Fez o mesmo e quando estava quase saindo da sala Yebin lhe chamou.

— Tae, por que não fazemos aquilo de novo? Estou com saudade! — A garota segurou um de seus braços enquanto lhe encarava.

— Estou ocupado, preciso recuperar as matérias que perdi esse ano! — Disse simplesmente enquanto se soltava dela — Agora, se me der licença, eu vou para a biblioteca — E saiu.

— Taehyung! — Pode escutar o chamado frustrado de Yebin enquanto virava no final do corredor, mas ignorou enquanto seguia seu caminho.

O jovem rico, ao entrar na biblioteca, encontrou o nerd sentado na mesa de sempre enquanto este lia algum livro. Sorriu e se aproximou, puxou a cadeira ao seu lado e ficou lá sem dizer nada. Tanto que Min precisou iniciar a conversa perguntando o motivo dele estar calado.

— Não fique bravo comigo — Pediu antes de começar — Eu contei sobre a proposta para Namjoon.

— Você o que? — Perguntou o loirinho inconformado — Você disse que não contaria para ninguém, eu estou fazendo tudo certo... Por quê? — Abaixou sua cabeça sentindo sua respiração acelerar.

— Calma! — Taehyung lhe abraçou — Eu não contei seu segredo, só disse que descobri um segredo! Não contei o que era — Explicou — Ele sempre me ajudou com tudo, precisava contar.

— E por que está me contando isso? Seria melhor se eu não soubesse! — Afastou-se e manteve-se de cabeça.

— Não seria justo com você — Disse voltando a puxar o pequeno para perto de si, mesmo este tentando recuar — E porque ele pediu para não lhe magoar. Ele sabe o que é certo, mas deveria ter ficado do meu lado — Fez bico e consequentemente fez Min rir.

— Namjoon é uma boa pessoa, ás vezes me arrependo de não ter deixado ele sair com meus amigos quando começou a namorar Jin — Comentou e quem riu dessa vez foi Kim, imaginando o amigo implorando para Yoongi deixar ele ficar com o namorado.

Não ficaram na biblioteca por muito tempo e logo saíram em direção a saída juntos. Alguns alunos que ainda estavam no colégio observavam tudo abismados, principalmente Yebin que tentou chamar atenção de Taehyung, mas foi completamente ignorada, fazendo alguns estudantes rirem da situação enquanto ela saiu irritada.

Durante o trajeto de volta, pela primeira vez os garotos conversaram animadamente sobre o que planejavam estudar ao longo dos próximos meses. Até o motorista participou dizendo lugares próximos que poderiam ir até mesmo após as aulas. Yoongi estava visivelmente animado, ele nunca sorrira tanto nos últimos três dias.

Chegaram na mansão e a primeira coisa que fizeram foi procurar Sohye para cumprimenta-la, a mulher sorriu e abraçou os dois fortemente, em seguida lhes mandando irem almoçar, que sorriu ainda mais ao ver que foi obedecida sem resistência.

Enquanto almoçavam, também conversaram. Até parecia que eram amigos há anos. Ás vezes, Min apoiava sua cabeça no ombro do outro enquanto ria ou segurava o braço do outro. Kim achava as ações fofas, porém preferiu não comentar. Ele poderia ficar com vergonha ou até mesmo se irritar.

Ao terminarem foram direto para o quarto do dono.

— O que vamos estudar hoje? — Perguntou enquanto sentava em sua cama.

— História, vou passar dois documentários e explicar — Riu ao ver a cara de tristeza do mais alto, provavelmente queria estudar a mesma matéria do dia anterior — Se reclamar eu passo três — No mesmo instante o loiro se levantou e associou a imagem de seu notebook com a TV do quarto.

Yoongi colocou os documentários e sentou na cama ao lado do maior. De tempos em tempos o garoto pausava para explicar o que estava acontecendo. No final de cada um fazia uma série de perguntas e se surpreendeu ao ver que ele havia acertado a maioria. Fez perguntas mais difíceis e se surpreendeu ainda mais ao ver que ele acertara praticamente metade.

No final acabaram antes do que o baixinho esperava, mas ao invés de passar mais um documentário, preferiu pegar a apostila e explicar as partes que o outro teve dificuldades. O loiro prestava atenção, logo já havia dominado a matéria do dia e nem estava na hora do jantar.

— Você já está sabendo esse conteúdo bem — O pequeno começou a falar — Não adianta começar outra matéria, pois ela será interrompida... Então eu acho que... — Antes que completasse a frase, o dono do quarto lhe puxou e deitou-o na cama e ficou por cima.

— Você está sendo tão bom, o que acha de começarmos hoje a sua parte da proposta? — Perguntou enquanto passava uma de suas mãos nos fios clarinhos do menor.

— O que... — Não conseguiu terminar sua frase. Sentiu suas bochechas vermelhas e não conseguia manter seu olhar no outro.

— Vamos fazer alguma coisa que não lhe atrapalhe amanhã! — Disse com entusiasmo — Você vai gostar, confie em mim.

O pequeno apenas acenou concordando. Taehyung pegou sua mão e o puxou para fora do quarto, caminharam até o final do corredor e abriu a última porta. O mais baixo estranhou ela ser diferente, mas o nervosismo começou quando ele viu todas as coisas que tinham no quarto. Queria experimentar as práticas, porém não conseguiu evitar de sentir um pouco de medo.

Ao ver o baixinho com medo, Kim o puxou para a cama o sentando no meio dela e se pôs ao seu lado.

— Antes de começar, quero lhe explicar algumas coisas para ficar mais claro para você como tudo isso funciona — Começou Taehyung e o outro assentiu — Primeiro BDSM é uma sigla para Bondage, dominação, submissão, sadismo e masoquismo — Explicou — Bondage é a prática de imobilizar o parceiro, pode-se usar correntes, separador de pernas, algemas, cordas e outros. Também entra nessa prática a imobilização de sentidos como mordaça e vendas. Dominação é alguém que controla a relação e as práticas, no caso eu. E o submisso o que submete a fazer essas coisas, no caso, você. Sadismo e masoquismo eu não preciso explicar, certo? — O outro assentiu.

— Dói muito, tudo isso? — Perguntou após um tempo em silêncio processando tudo.

— Não, Yoon — Chamou e pediu para ele olhar para si — A relação BDSM aos olhos da maioria das pessoas que desconhecem é uma prática que só dá prazer para o dominador, mas isso não é verdade. O dominador tem a obrigação de dar prazer para o submisso, e nós não temos o direito de fazer nada que os submissos não querem! O prazer de vocês são tão importantes quanto os nossos — Explicou enquanto acariciava os fios clarinhos do pequeno e sorriu ao vê-lo se acalmar um pouco.

— Então se eu não aguentar algo e pedir para parar, você vai me obedecer — Min perguntou e o outro assentiu — Vamos fazer todas as práticas? — Perguntou, não conhecia muito sobre o assunto, mas sabia que alguns casais iam muito além do que conseguiria ir.

— Não, existem práticas que eu não suporto e acho nojento, acredito que você também acharia — O maior respondeu — Só vou fazer aquilo que gosto e que acredito que você também irá gostar. Então, aceita ser meu submisso?

— Tudo bem — Aceitou depois de algum tempo pensando.

— Certo, como eu sou seu dominador, a partir de agora você só pode me chamar de Daddy — Riu da cara de assustado do menor.

— Por que daddy?

— Na prática de dominação e submissão sempre inventamos uma forma de chamar-nos uns aos outros. A maioria escolhe mestre e escravo, mas não quero lhe chamar de escravo é como se eu fosse superior a você e não gosto disso — Explicou calmo — Prefiro lhe chamar de baby é mais fofo e combina com você — Completou e o menor corou com a fala.

— Eu prefiro daddy também — Concordou — Na escola eu vou poder lhe chamar pelo nome? — O outro apenas acenou.

— Posso começar? Se não gostar é só pedir para parar — Perguntou e o pequeno aceitou.

Taehyung então começou a retirar a roupa de Yoongi, começando pelas meias, seguida da camisa e o mais baixo se encolheu um pouco estava com vergonha. O dominador tentou acalma-lo beijando seus ombros e aos poucos ele foi se abrindo. Retirou sua calça e em seguida a cueca deixando-o completamente nu. Parou por um instante o observou o corpo dele. Era pequeno e branquinho, a vontade de marcar aquela pele floresceu em si.

Kim levantou e foi até o armário, olhou todos os brinquedos ali dentro e pegou duas algemas de metal, estas, ao contrário da de policiais eram revestidas com pelúcia para não cortar os pulso do menor, que ainda não estava acostumado a usa-las. Voltou até ele, que ainda estava no mesmo lugar e o virou de bruços, deixando-o de quatro, quando prendeu os pulsos na cabeceira.

Ajoelhou ao lado dele e desferiu um tapa na nádega esquerda vendo a região ficar rosada.

— Hmmm — Min gemeu surpreso, não esperava sentir aquilo, contudo havia gostado, isso era estranho?

O loiro esperou um pouco achando que o outro iria pedir para parar, e, ao ver que invés disso ele se remexeu esperando por mais, não pode evitar sorrir. Voltou a maltratar aquela região enquanto o pequeno gemia, só então prestou atenção e viu que não era de dor e sim prazer. Feliz com isso, passou a estapear a outra nádega e o outro gemia cada vez mais manhoso.

Cansado de ficar somente em uma área do corpo, desceu para as coxas do menor e não pôde segurar o riso ao o ver abrir as pernas. Além de apenas estapear as duas regiões, também experimentou aperta-las e céus! Como era bom apertar aquela pele, agora rosada, era tão macia, melhor que praticamente de todas pessoas com quem ficara. Yoongi também aprovou a ação gemendo e abaixando sua cabeça até apoia-la no travesseiro, enquanto apertava a cabeceira. O mais alto teve ainda mais certeza que ele estava gostando ao ver o membro do outro ereto.

Subiu os gestos para as costas e laterais do corpo do baixinho. Senhor! Como era bom maltratar aquela pele! Como aquele garoto tinha um corpo tão bom? Ele era maravilhoso! Arranhou as laterais e até onde alcançava da barriga do submisso até vê-la toda vermelha. Podia tirar foto daquilo, era uma obra de arte!

— Está gostando, baby? — Perguntou enquanto voltava sua atenção para as nádegas e coxas.

— Sim, daddy, continua, por favor — Pediu manhoso se abrindo ainda mais.

Aceitou o pedido e continuou por mais alguns minutos, porém queria marcar mais, precisava marcar mais. Levantou-se da cama e liberou os pulsos do garoto vendo-o resmungar em descontentamento, mas dessa vez ignorou os pedidos dele para continuar. Puxou-o para fora da cama e o levou para o meio do quarto, onde uma corrente pendia do teto. Puxou os pulsos do menor até os braços ficarem totalmente esticados para cima e os prendeu com a corrente.

Voltou para o armário e mexeu pelos brinquedos até encontrar três coisas que procurava, sendo elas, um separador de pernas, uma corrente e uma palmatória rosa bebê. Deixou os três objetos em cima da cama e foi para onde ficava os chicotes, chibatas e floggers e encarou um por um, antes de escolher uma chibata preta fina com a ponta arredondada. Voltou para cama e pegou os itens esquecidos só então voltando para o submisso, que observava tudo curioso.

Pegou o separados de pernas e prendeu cada lado nos joelhos do pequeno impedindo que ele conseguisse movê-las. Não satisfeito com a imobilização, pegou as correntes e prendeu os pés um ao outro, sem deixar espaço para ele mover o mínimo que fosse. Agora com apenas dois objetos na mão, voltou-se para o pequeno que ainda estava confuso.

— Sabe o que é isso, baby? — Perguntou o dominador e o outro negou — Uma palmatória e uma chibata, com elas eu vou conseguir marcar mais ainda sua pele branquinha.

— Mas, daddy — Começou assustado — Isso vai machucar — Tentou se encolher, porém com os membros preso não conseguiu fazer nada além de incomodar sua pele — Lembrava-se das imagens de escravos que eram chicoteados, não queria aquelas marcas em seu corpo.

— Baby, não são as marcas que você está pensando — Taehyung foi até o pequeno e acariciou seu rosto tentando lhe passar segurança — Não são os mesmo objetos da aula de história e eu nunca usaria força para lhe deixar com alguma cicatriz — Beijou a testa dele — Lembre-se do que eu disse, o prazer do submisso é tão importante quanto do dominador.

Min acenou após um tempo com a cabeça e só então Kim se mexeu. Decidiu começar pela palmatória por causa do medo dele. Acertou nas nádegas e o menor gemeu aprovando o gesto. O loiro sorriu e acertou todo o glúteo, subindo ás vezes para o lombar, ou descendo para as coxas e o outro se remexia enquanto apreciava as ações. Então Taehyung se moveu para frente, queria testar uma região nova.

Um pouco hesitante, acertou o membro ereto do submisso e, ao contrário das outras vezes, ele gritou. No mesmo instante recuou e pensou em parar, mas ao ouvir os gemidos misturados com a palavra “mais”, percebeu que estava tão nervoso quanto ele, tanto que estava com dificuldades em distinguir o som de prazer com o de dor. Acertou mais algumas vezes naquela região e na virilha, contudo parou ao ver que logo o garoto gozaria. Ainda queria usar a chibata e testar outra coisa.

Jogou à palmatória em cima da cama e logo voltou sua atenção para Yoongi. Posicionou-se atrás dele e acertou uma vez suas costas. Ele gemeu, pela primeira, de dor. No mesmo instante o loiro jogou o objeto no chão e foi até a frente do pequeno. Segurou o rosto dele com suas mãos e acariciou levemente suas bochechas.

— Tudo bem? — Perguntou preocupado.

— Sim, Daddy, pode continuar — Disse olhando em seus olhos.

— Tem certeza, Baby? Você não precisa aceitar se não quiser — Ainda estava incerto.

— Eu quero, Daddy! — Kim pôde ver em seus olhos que falava a verdade.

Sorriu pela determinação do mais baixo, pegou a chibata e acertou novamente suas costas. Ele gemeu de dor novamente e antes que o loiro desistisse, pediu por mais. Inseguro voltou a acertar a região. Não demorou para os gemidos de dor darem lugar para os de prazer. Ele realmente estava gostando daquilo. Mudou o foco das ações para os braços e a barriga. Min gemia cada vez mais e seu membro voltou a pulsar.

Seu submisso era tão adorável. Dessa vez seus gestos foram para as regiões favoritas de Taehyung, as nádegas e as coxas. Desde a primeira chibatada, o pequeno gritara com a ação, eram as regiões mais sensíveis dele. O baixinho tentou se mexer em busca de mais contato, mas infelizmente não conseguia. Porém o dominador entendeu a ação e começou a acertar o local mais rapidamente.

Parou com as ações somente quando o corpo de Yoongi estava completamente vermelho e nas áreas mais atingidas, alguns cortes sangravam, estes que eram todos superficiais e não demorariam para sarar sem deixar uma cicatriz na pele clarinha. Soltou os braços do mais baixo primeiro e acariciou ar marcas vermelhas do pulso. Seguiu para o separador e só então para as correntes do tornozelo. Deixou tudo lá e guiou seu bebe para a cama deitando de barriga para cima.

Enquanto ele descansava, Taehyung foi novamente até o armário, pegando dessa vez um frasco com algo dentro que o menor não conseguiu identificar. Voltou para onde seu pequeno estava e prendeu os pulsos novamente nas algemas, que haviam ficado na cabeceira quando trocaram de lugar. Subiu na cama e ficou entre as pernas do outro que o olhava curioso.

— Baby, eu sei que você é virgem, mas eu quero preparar você pelo menos um pouco hoje, eu posso? — Perguntou e o submisso arregalou os olhos.

— Daddy, vai fazer com calma que nem nas outras coisas, não é? — Perguntou incerto após uns minutos.

— Claro, bebê, não vou lhe machucar, nunca se esqueça disso — Respondeu e se esticou para beijar a testa suada do mais novo e ele assentiu.

Kim abriu o frasco e despejou o líquido em seus dedos, só agora Min entendeu que era lubrificante. O dominador fez questão de deixá-los bem molhados, iria evitar o máximo de dor possível dele. Quando terminou fechou o frasco e deixou ao seu lado, então levou sua mão até o orifício do pequeno e massageou a região vendo-o tencionar, no mesmo instante pediu para ele relaxar e só então começou a introduzir seu dedo indicador.

Assim que ouviu o primeiro gemido incômodo do baixinho parou, esperou um pouco e continuou. Quando seu dedo estava dentro dele, levantou seu olhar para o menor tentando decifrar o que ele estava sentindo.

— É esquisito — Disse após uns instantes — Dói um pouco e incomoda... Também parece que dá vontade de fazer... Você sabe... — Ficou com vergonha de completar sua frase.

Taehyung sabia o que ele queria dizer com aquela frase. Ele não estava acostumado com nada dentro de si e seu corpo inconscientemente queria expulsar aquilo dali. Avisou que iria mover o dedo e o incomodo aumentou, ele não iria se acostumar com a intromissão na primeira vez, por isso queria preparar ele pelo menos um pouco.

Após repetir os movimentos por alguns instantes avisou que iria inserir mais um dedo e o outro aceitou. Usou o mesmo processo do primeiro, parando sempre que ele gemia de dor e continuando segundos depois. Com os dois dedos dentro, além dos movimentos de retirar e inserir, também moveu fazendo o movimento de tesouras. Esse era o mais dolorido para o submisso e toda hora se contraia. Não ficou muito tempo com os dedos dentro dele e logo os tirou.

— Você foi ótimo, Baby! — Elogiou o loiro enquanto beijava o menor na bochecha — Merece se aliviar — Distanciou-se e segurou o membro do menor.

No mesmo momento Yoongi praticamente gritou de prazer e Kim estranhou, será que ele nunca havia se tocado? Deixou sua pergunta de lado e começou a masturbas o pequeno vendo-o gemer cada vez mais e se remexer. Começou com movimentos lentos e de tempos em tempos acelerava, fazendo o outro ir ao delírio. Aquilo era muito bom! As mãos do dominador em si fazia mágica!

— Goza, Baby — Taehyung chamou olhando nos olhos do pequeno — Goze para mim.

— Daddy! — Com um gemido arrastado, Min se desfez na mão do outro sujando-a e também a si mesmo — Isso foi incrível — Disse enquanto ofegante.

— Baby, isso só foi o começo, eu vou lhe levar para as estrelas muitas vezes ainda, além de fazer você sentir coisas que jamais sentiu antes — Pegou o baixinho no colo e beijou sua testa — Agora, por ter sido um bebê maravilhoso, eu vou lhe compensar com um banho relaxante — Saiu do quarto e trancou a porta, depois procuraria um empregado de confiança para arruma-lo.

Voltou para o seu quarto e foi direto para o banheiro. Colocou o pequeno sentado em cima da pia e pegou um espumante espalhando pela banheira antes de ligar a água, deixando o mais quente para seu pequeno. Queria que ele descansasse. Enquanto a banheira enchia, pegou shampoo, condicionador e sabote. Deixando perto dela e saiu para seu quarto, voltando instantes depois com duas toalhas e um roupão.

Quando tudo estava pronto pegou Yoongi no colo que estava praticamente dormindo e colocou-o na água vendo-o gemer aprovando a temperatura e as espumas. Seus olhos se fecharam, mas Taehyung não se importou. Iria banhar e cuidar do pequeno como um bom dominante, afinal, depois de uma “sessão”, todo submisso merece um pouco de mimo, principalmente quando obedecem a tudo.

Esperou o pequeno adormecer antes de banha-lo. Assim que teve certeza que o outro estava inconsciente, pegou o frasco do shampoo e despejou um pouco em suas mãos e as levou até os fios clarinhos do submisso massageando toda a região enquanto espalhava o produto. Pegou o chuveirinho da banheira e passou pelo cabelo dele para limpa-los. Em seguida pegou o condicionador e fez o mesmo processo.

Agora o cabelo estava limpo, faltava só o corpo. Pegou o sabonete e passou pela pele do baixinho em movimentos circulares e delicados para não machuca-lo mais. Com o chuveirinho tirou o sabão do corpo dele. Pegou o corpo pequeno e tirou da banheira. Nem se preocupou em retirar a tampa do ralo, pois usaria a mesma água para seu banho depois.

Com uma toalha em mãos, colocou o corpo do Min sobre a pia e enxugou seu corpo, em seguida o vestiu com o roupão e pegou a outra toalha antes de sair do banheiro. Foi até sua cama e sentou colocando-o em seu colo para poder secar os cabelos do pequeno. Assim que estava seco o deixou deitado e ligou o aquecedor para ele não sentir frio. Voltou para o banheiro e colocou as duas toalhas no cesto de roupa.

Olhou em volta e se perguntou o que precisava fazer. Limpar os machucados do submisso, pedir para Sohye lavar o uniforme deste para amanhã, aliviar seu membro, que ainda latejava e tomar banho. Decidiu começar pelo uniforme. Voltou para o quarto das “seções” e pegou a roupa espalhada no chão. Saiu e foi procurar a criada, achando-a na sala de estar enquanto costurava uma blusa.

— Taehyung — Exclamou quando viu o adolescente entrar — Onde vocês estavam? Eu ia perguntar sobre o que fazer no jantar, mas quando eu bati na porta, vocês não me responderam!

— Desculpe, Sohye, eu me distraí com o Yoon — Aproximou-se da mesa e colocou o uniforme do outro em cima dela — Pode lavar isso para amanhã? Está muito tarde para ele voltar para casa — A mulher concordou quando viu que já passava das nove. Ele sairia quase as onze, ainda precisava preparar o jantar.

— Eu lavo — Pegou o uniforme e viu a ereção do jovem — Agora eu entendo sua distração — Riu enquanto ele corava — Vá resolver isso logo! Vou colocar as roupas na máquina e ir preparar o jantar, o que querem?

— Pode fazer sua sopa? Eu acho que ele vai gostar — Estava frio e esperava que o baixinho adorasse comer a sopa quentinha que nem ele.

A criada concordou e saiu. Taehyung também se retirou. No caminho para o quarto parou em um banheiro no corredor e pegou uma caixa de primeiro socorros. Chegando lá foi direto para o submisso e passou remédio em todas as marquinhas, algumas mais machucadas cobriu com gaze e micropóre. Para terminar com seus cuidados, foi até seu armário. Pegou uma cueca box branca que nunca havia usado e um pijama antigo. Vestiu o garoto e não evitou rir ao ver que este ficava grande nele. Segurou no colo novamente, dessa vez para ajeita-lo debaixo da coberta.

Seguiu para o banheiro e finalmente foi dar atenção para seu membro. Estava ereto a tanto tempo que em poucos minutos de masturbação se desfez em suas mãos. Banhou-se e não demorou para sair. No caminho para o quarto pegou a toalha que havia esquecido e se enxugou, deixando outra no chão para secar os respingos que caíram de seu corpo. Colocou seu pijama e deitou em sua cama esperando Sohye avisar quando a janta ficasse pronta. Aproveitou para acariciar os fios que tanto lhe atraia.

Pouco mais de meia hora se passou e a criada bateu na porta dizendo que a comida estava pronta. Taehyung levantou da cama e encarou o corpo pequeno do submisso. Estava com dó de acorda-lo, mas precisava fazer isso. Balançou-o um pouco e lhe chamou. O baixinho se remexeu e sentou na cama enquanto coçava seus olhos com a mão e se remexia inconscientemente.

— Meu bumbum está estranho — Disse ainda meio sonolento, só então se lembrando de tudo que acontecera — Eu dormi? Que horas são? Deve estar tarde para ir para casa! E aquilo que fizemos? Estou com tanta vergonha! — Dizia tudo desesperadamente e Kim teve que segura-lo para se acalmar.

— Calma, vou responder uma coisa de cada vez — Olhou em seus olhos e começou a falar — Aí — Apontou para a bunda do menor — Está estranha por causa do que fizemos, vai ficar assim por um tempinho, mas logo passa. Sim, você dormiu e são dez e quinze. Você vai dormir aqui hoje. E você não precisa ficar com vergonha, você foi ótimo, Baby — Riu ao ver o rosto corado do outro.

— Eu fui bem mesmo? — Perguntou depois de um tempo, queria fazer isso, então tentaria esquecer de seu constrangimento — Então eu sou um bom baby, daddy?

— Sim, você foi um baby maravilhoso — O loiro acariciou as bochechas do pequeno e sorriu ao vê-lo mexer o rosto em busca de mais contato — Agora vamos, vou evitar que seu bumbum fique incomodado — Puxou-o para andar abraçado consigo.

Ao chegarem na sala de jantar, ao invés de cada um sentar em uma cadeira, Taehyung puxou seu submisso para sentar em seu colo. Comeram em silêncio, enquanto acariciava as coxas do pequeno.

— Essa sopa estava muito boa e quentinha — Yoongi disse quando terminou, ajeitou-se no colo do maior e apoio sua cabeça no ombro deste.

— Fico feliz que tenha gostado e acredito que Sohye também — Depositou um beijo no topo da cabeça dele, estava adorando esse jeito manhoso dele — O que quer fazer agora? São dez e meia.

— Eu não estou com sono agora porque dormi... O que a gente pode fazer? — Perguntou.

— Porque não mostre a casa para o Yoon? — A criada respondeu antes do Kim — Vocês disseram que iriam fazer isso e até agora nada.

Ambos concordaram e Taehyung subiu em seu quarto para pegar dois agasalhos. Queria começar por fora. No quintal tinha duas piscinas. Uma aberta e com um tobogã em um dos lados e a fechada que era aquecida. Também havia uma churrasqueira e várias mesas espalhadas em uma área coberta e ao redor da pscina. O loiro fazia festa quase todo o final de semana e elas ficavam todas ocupadas de adolescentes bêbados.

No canto esquerdo, quase imperceptível tinha a casa de um cachorro. Este estava lá e dormia serenamente, era um pitibul. Min queria acaricia-lo, mas foi impedido pelos braços do maior, que logo explicou que ele não gostava de ser acordado e podia atacar alguém por isso e fez questão que lhe deixaria brincar com o animal quando ele estivesse acordado.

Voltaram para dentro da casa e o dono mostrou a cozinha. Os móveis todos brancos e devidamente limpos encantaram o pequeno. Ele sempre tivera interesse em cozinhar, contudo sua cozinha pequena e simples impedia de realizar este desejo. Kim preferiu evitar de mostrar a dispensa de comidas, então foram para o último lugar do térreo. A sala de estar.

Uma enorme televisão estava presa na parede direita. Embaixo dela ficava uma estante baixa com alguns livros e dvds dentro, sobre ela estava o aparelho para canais fechados e um aparelho de dvd. Na parede oposta, um enorme sofá que podia estica-lo para virar uma cama. Uma mesa no canto da sala ao lado do sofá e outra estante na frente dela. Na parede a frente dos garotos uma enorme janela mostrava a escuridão da noite.

— Quem gosta de ficar aqui, são os funcionários. Eles sempre vem jogar algum jogo quando não precisam trabalhar — Abriu a que ficava em frente à mesa e mostrou os diversos jogos.

Saíram do cômodo e subiram as escadas para o primeiro andar parando no topo.

— Esse andar é todo meu, eu dividia com meu irmão, Taeyong, mas ele quis morar em um lugar mais perto da empresa. Então ficou tudo para mim — Explicou e o outro concordou enquanto ouvia tudo atentamente — Os únicos cômodos que estão em uso são o meu quarto e a nossa sala — Quando terminou a frase puxou o menor para mais perto — Você me ajuda a decidir o que fazer com o resto? — Perguntou e o baixinho arregalou os olhos.

— Está realmente pedindo isso para mim? — Questionou assustado, apesar de todo o carinho que estava recebendo, achava que era por causa da proposta. Mas pedir aquilo era além demais para isso — Tem certeza?

— Sim, podemos decidir tudo com calma — Sorriu e guiou o submisso para o andar de cima — Esse andar fica o quarto dos meus e o do lado eles usam para ficar juntos quando não estão trabalhando. Todos os outros são usados pelos funcionários que trabalham 24 horas por dia, como a Sohye — Explicou e logo subiram para o próximo andar.

Ao contrário dos dois anteriores, não havia várias portas. Apenas duas.

— Este andar é o mais sem graça — Taehyung começou a contar — As duas salas são usadas para trabalho. A da esquerda são as que meus pais usam quando estão aqui e a da direita o meu irmão. Vamos passar reto que nem mesmo eu posso entrar nelas — Subiram para o último andar.

E assim como o terceiro, este era diferente dos demais também. Esse possuía quatro portas, duas de cada lado. Uma no começo e outra no final do corredor. Não havia uma parede no final e sim uma escadaria. O Kim estava ansioso para mostrar esse andar para Yoongi e logo começou a puxa-lo para a primeira porta da esquerda.

— Este é o melhor andar. Quando Namjoon e Jungkook vem aqui só ficamos não descemos nem para comer — Contou enquanto abria a porta — Aqui é a sala de cinema.

O quarto todo era revestido de carpete. Quatro sofás como o da sala de estar foram postos um atrás do outro. Porém quanto mais atrás, mais alto eles ficavam, por isso em cada lado estava uma escada. Havia também dois ar condicionado para gelar bastante a sala. Na frente uma tela para o retroprojetor ocupava a parede inteira. E no canto, esquecido em um lugar tão grande, estava uma pipoqueira.

— Que incrível! — Min entrou animado na sala e sentou no primeiro sofá — Um dia podemos assistir um filme aqui?

— Claro — O dono foi até o outro e sentou ao seu lado — Podemos assistir quantos você quiser. Mas por hora, ainda tenho outros lugares para lhe mostrar — Guiou-o para fora do quarto e entrou no da frente — A sala de jogos.

E era realmente isso. Ocupando um dos cantos estavam cinco computadores de gamers. Na frente uma mesa de sinuca e outra de hóquei de mão. Do outro lado duas televisões. As duas para poderem ligar qualquer console, porém, na primeira havia dois tapetes no chão para quem quisesse jogar jogos de dança.

— Aposto que era aqui que você e seus amigos ficam quando eles vem — Comentou Yoongi fazendo o outro rir.

— Acertou, não é à toa que é o melhor aluno do colégio — Abraçou-o pela cintura enquanto iam ao último quarto da direita — Esse você que vai amar.

Era uma pequena biblioteca. As estantes eram separadas em gêneros e autores. O chão era coberto por um grande tapete marrom. No meio da sala ficavam duas mesas redondas com quatro cadeiras em volta e alguns puffs. O pequeno passou por todas as estantes observando os exemplares com os olhos brilhando. Acabou não aguentando e pegou um livro quando viu o título.

— Não acredito que você tem o exemplar de “Por lugares incríveis”! — Exclamou enquanto apertava o livro — Eu li em 2015, ele me motivou a continuar — Disse feliz.

Taehyung estranhou a fala, será que ele já havia pensado em suicídio? Ou havia interpretado erroneamente a frase? Pensou em perguntar, mas ao ver o pequeno tão feliz com o livro preferiu guardar a dúvida para si.

— Eu li ano passado, é muito bom mesmo — Comentou vendo o outro sorrir ainda mais — Se quiser pode levar para o meu quarto e ler quando quiser.

O submisso agradeceu e eles saíram da sala e se dirigiram para o último quarto do andar. Ao contrário do que Min esperava, não havia praticamente nada dentro do quarto. A parede esquerda estava coberta por um espelho. Na parede de frente para a porta havia uma bancada com um frigobar e bebedouro. Do lado uma janela e um ar condicionado. O piso, diferente de todos os outros cômodos, era de tábua corrida.

— Você pode achar esse quarto estranho, mas ele é importante para mim — Começou o Kim — Eu gosto muito de atuar, quero ser ator um dia e treino aqui. Quando estou muito estressado eu gosto de dançar aqui também.

— É um quarto bem importante mesmo — Comentou enquanto entrava observando tudo ao redor.

Parou em frente a um dos imensos espelhos e se olhou no espelho. Sua franja estava muito comprida e quase cobria seus pequenos olhos. E eles não eram a única parte pequena, seu nariz e lábios também eram. Em compensação sua bochecha era mais fofa que muitos garotos. Seu corpo também era pequeno e muito magro. Por mais que estas características fossem bonitas para muitos, para si eram horríveis. Sentiu vontade de chorar.

— Vamos — Taehyung lhe chamou, percebera que ele ficara triste olhando seu reflexo — Ainda tem um lugar e está ficando tarde — Quando o baixinho ficou próximo de si para sair depositou um beijo no topo da cabeça dele.

Kim fechou a porta e guiou o outro para a escadaria. Quando chegaram no topo sorriu ao vê-lo correr animado até a ponta do terraço. Ele segurou na grade baixa e observou as luzes que banhavam parte da cidade. Era tão lindo! Olhou para o horizonte e ergueu um pouco a cabeça para ver as estrelas, enquanto o vento gelado da noite balançava seus fios de cabelo clarinho.

— Pelo visto você gostou daqui tanto quanto eu gosto — O loiro falou enquanto apontava para um espaço coberto por vidro. Dentro dele estava apenas uma cama — Quando está muito frio ou chovendo eu fico lá.

— Eu adoro lugares altos — O submisso começou a explicar o motivo de sua empolgação — Posso ver como o mundo é grande, mesmo que isso — Apontou para o horizonte — Seja somente uma parte insignificante dele.

— Não acho que aqui seja uma parte insignificante, vidas nascem e vivem aqui. Alguém daqui pode mudar o mundo — Disse observando as luzes e puxou-o para mais perto — Se não fosse esse lugar eu não estaria experimentando coisas novas que estão mexendo muito comigo.

— Eu nunca pensei nisso — O pequeno virou para olhar nos olhos do maior. Enquanto fazia não pode evitar tremer ao sentir uma rajada de vento mais forte.

— Vamos entrar. Podemos voltar algum dia mais cedo — Disse ao ver a reação de Yoongi e o puxou para dentro, antes que ele tentasse resistir.

Voltaram para o quarto de Taehyung e retiraram os agasalhos deixando em um canto, o proprietário ligou o ar condicionado e os dois se enfiaram de baixo da coberta. Ainda com um pouco de frio, Min acabou deitando sua cabeça no peito do outro enquanto abraçava sua cintura. Kim rapidamente entendeu e passou o braço esquerdo em volta dele para esquentá-lo.

— Hoje foi muito divertido para mim, o daddy foi carinhoso comigo e me mostrou vários lugares legais da casa — Disse manhoso depois de um tempo em silêncio — Eu quero fazer mais coisas com o daddy.

— Você vai, baby — O loiro beijou o topo da cabeça do menor — Eu também me diverti, mas agora precisamos dormir, tudo bem? — O outro concordou e logo adormeceu.

No entando Taehyung só conseguia pensar em como Yoongi estava mexendo consigo, ele estava tão manhoso! Será que essa era a verdadeira personalidade dele? Por isso os amigos dele lhe chamam de Suga? Será que ele usa aquela personalidade indiferente apenas para se proteger? Não sabia responder aquelas perguntas, só sabia que aquele garoto, que foi atrás somente para conseguir ajuda para os estudos estava mexendo cada vez mais consigo, fazendo-o sentir coisas que nunca sentira antes. Era algo real, diferente de tantas relações que tivera.

Com seus pensamentos focados no Min, Kim acabou adormecendo.


Notas Finais


O que acharam? Gostaram? Eu espero que sim, se tiver alguma dúvida ou quiser apenas comentar mesmo eu ficarei agradecida e responderei com gosto!
O próximo capítulo vai ser o final de semana, ou seja, as coisas vão esquentar.
Contudo, infelizmente, semana que vem eu vou ter compromisso todos os dias, então vai ficar complicado escrever, portanto, não sei quando ele vai sair, sinto muito.
Obrigada a você que chegou até aqui e até o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...