História A proposta. "King e Diane" - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Arthur Pendragon, Ban, Diane, Elaine, Escanor, Gilthunder, Gowther, Griamor, Guila, Hauser, Helbram, Hendriksen, Jericho, King, Meliodas, Merlin, Personagens Originais
Tags Baine, Drama, Kiane, Nanatsu No Taizai, Romance
Visualizações 56
Palavras 2.390
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Fantasia, Hentai, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capítulo!!
Este terá uma interação de Merthur, vcs sabem que eu também não posso deixar esse casal de lado! Kkkkk
Boa leitura!!

Capítulo 27 - Abraço


- Matrona...Chegava de volta uma guerreira em sua terra natal.
- Diane? Entre...mas, o que houve? Estava chorando?
- Acabou, Matrona! Acabou! Eu e King, nós não estamos mais juntos.
- Não?  O que houve?
Diane explicou a situação, porém Matrona desconfiou. – Diane. Você sempre age por impulso. Como pode fazer algo assim, sem ao menos conversar com ele?
- Aquela Gerheade sempre olhava pra ele de outra forma, isso não é de hoje. Desde o nosso treinamento juntos eu notei algo nela, eu sabia, e Elaine não iria mentir para mim.
- Eu sei, ela não ia mentir, mas quem sabe isso não foi um engano, você precisa ouvir a versão dele. Juro que se Harlequin fizesse algo com você, eu te defenderia com minhas próprias mãos. 
Mas acho que algo está errado.
- Eu não sei, Matrona. Por hora, não quero saber. E eu já tomei minha decisão. Pode iniciar a cerimônia da minha coroação ainda hoje.
- Diane. Eu posso adiar até que você se resolva com ele.
- Não, Matrona. Está tudo bem. Pode fazer isso. 
 Diane saiu, e como sempre, quando está triste ela gosta de fitar a paisagem. Mas dessa vez, precisava conversar com alguém. Viu Rocky ao fundo, ele estava ocupado, fazendo a entrega dos alimentos para as familias mais carentes. Ela pensou em o chamar, mas estava com medo, não queria o atrapalhar. Achou melhor ir embora, e deu as costas.
- Diane- san! Rocky a viu, e rapidamente se aproximou. Está tudo bem?
- Me desculpe, eu não quis atrapalhar. 
- Não, você nunca me atrapalha. Sorriu. Eu estou fazendo as tarefas que Matrona me passou para essa manhã, mas já estou terminando. 
- Tudo bem. Pode terminar. 
- Quer vir comigo? Vamos caminhando, e aí aproveitamos e conversamos. 
- Sim está bem.
- O coração de Diane doeu, fazer a entrega dos alimentos para as familias era uma das tarefas designada para o Harlequin, quando eles vinham juntos. Até nisso, seu amor não saía de sua cabeça. 
- Me diz, o que houve?
- Eu e Harlequin. Acabou.
Rocky arregalou os olhos. – Acabou? Mas como, vocês não eram casados?
- Sim, éramos. Mas ....ele me decepcionou.  Diane começou a chorar, isso fez o coração de Rocky ficar apertado. – Calma, Diane. Vai ficar tudo bem. Vão se acertar.
- Será?
- Sim, vocês se amam, não é? 
Eles continuaram a caminhar. – Rocky . A minha cerimônia será hoje. Eu me decidi.
Ele desferiu um belo sorriso, com seus dentes perfeitamente brancos.- Sério Diane? Fico feliz. Estarei na primeira fila da platéia para lhe aplaudir.
Diane deu um mínimo sorriso de volta, ainda estava abalada por tudo. Mas tinha que encarar sua nova realidade. 
- Eu já vou. Vou me preparar para a cerimônia. Até mais.
- Até, Diane. – Ele viu ela se retirar, e notou a beleza daquela gigante tão linda. Porém algo não saía da sua cabeça.  Ela não estava usando mais a aliança em sua mão esquerda...

 

Coroação.

 


Diane está em seu tamanho natural. Em um local aberto, estão presentes as maiores autoridades de Megadozer. Em pé perante o público, Matrona, Diane, e Zalpa. 
Todos os gigantes e moradores daquele local vieram para vê-la. Matrona começa o seu discurso. 

 

- Hoje de fato, é um dia marcante para o nosso clã. Não serei eu mais a lider suprema de vocês, e sim Diane, todos já conhecem seu poder e força. É jovem, é inteligente e amável. A escolhida por Drole. – Ela se virou para Diane. – Eu declaro, em nome do clã dos gigantes, você Diane será a mais nova Rainha.
Aplausos são ouvidos por todo o local, alguns olhares tortos também, por Diane ser tão jovem e ficar a frente de tudo. Porem Matrona estava atenta a tudo, segurou em sua mão, e lhe deu força. 
Uma nova roupa lhe foi entregue, esta não era mais a laranja, e sim um body verde. Simbolizava sua nova fase, ela recebeu em mãos aquela roupa.
- Obrigada. Ela agradeceu. 
Uma coroa lhe foi colocada em sua cabeça. Era uma tiara com pedras preciosas, estas tinham um simbolismo com a terra, a força. Algo interligado com seu povo.


- Te dedico, Dolores, esta coroa...Diane pensou.


Porém na platéia não estavam as pessoas que ela mais ama. Nenhuma de suas amigas, isso tocou seu coração. Tão repentina foi sua decisão, ela mal teve tempo de avisa-las. E ele, o seu amor, quem ela mais queria. Harlequin. Ela teve que respirar fundo mais uma vez, e se mostrar forte perante seu povo.
- Vou ter que usar sempre a coroa, Matrona ? Diane sussurou. 
- Não meu amor. É apenas um simbolismo. Ela sorriu. 
Matrona levantou a mão de Diane perante o público.  É oficializada a sua nova posição. 
Danças são realizadas por entre todo o povo, eles estão felizes com sua nova Rainha.
Diane sorriu, porém foi surpreendida quando lhe abraçaram de surpresa.
- Parabéns Diane! Foi incrível.  Rocky a abraçou forte.
- Diane corou, não esperava receber aquele abraço, porém o retribuiu. 
- O-obrigada, Rocky-san...
°°°

 

 

Arthur-samaaaarrr – Uma voz dengosa se aproximou.  – Precisa de alguma coisa?
- Não, Lucy. Obrigado.- Ele sorriu. – Está dispensada. 
- Peça, meu Rei. Faço qualquer coisa que você quiser...Ela desceu as mãos por entre o pescoço, até os seios, extremamente sedutora. Porém Arthur não deu atenção. 
- Já disse, Lucy. Pode ir, já está tarde.
O pensamento de Merlin ao ver essa cena era esse:
- O que eu faço com essa vagabunda? Prendo ela num Perfect Cube eterno, ou despedaço num Infinity?-  Mas ela se conteve, estava namorando com o Rei Arthur, no Palácio.  Ela não iria fazer uma cena. Mas é da Merlin que estamos falando. 
- Ele já disse que não quer nada, não é? Ela se levantou e lhe beijou, na frente da funcionária, deixando Arthur como um cosplay de tomate de tão vermelho e todo travado.
Lucy viu e ficou de punhos cerrados. – Está bem, meu Rei.
- Pra você não é meu Rei. É apenas Arthur-sama ou até...vossa majestade.  Ela sorriu irônica pra Lucy. – Boa noite! 
Lucy correu daquele escritório, estava arrasada. Merlin por sua vez lançou um olhar para Arthur buscando respostas.
- Precisa prestar mais atenção nas coisas, Arthur. 
- Atenção...Como? 
- Essas garotas vivem dado em cima de você, e voce não coloca elas em seu lugar. 
- Sabe que eu não ligo pra essas coisas, se eu só quero você. – Vem cá. Ele a puxou. Quero outro beijo.
- Não! Sai Arthur...
Sempre foi comum o fato de Arthur ter ciume de Escanor ou de qualquer outro que olhasse para sua namorada. Principalmente quando ela usava o uniforme roxo, extremamente sensual. Mas Merlin sentir ciúmes de Arthur, era no mínimo inusitado, já que ela sempre tinha uma postura poderosa e quase nunca demonstrava emoções.
- Sério que vai ficar brava comigo? Eu não tive culpa!
- ...
- Vem cá. Para com essa cara. Os olhos violeta de Arthur fitou os verdes de Merlin. – Ciúmes? Ele provocou.
- Não sinto ciumes de ninguém. 
Arthur deu um sorrisinho lateral. Não se preocupe com isso, linda. Ela não vai mais não incomodar. 
Merlin fitou aqueles olhos violeta, aqueles cabelos ruivos, ele era simplesmente perfeito. Não havia ninguém que o deixasse daquele jeito senão ele. O beijo de despedida já estava quente, mas já era chegado a hora de voltar para Liones. 
- Linda? Volta logo? – Eles estavam se despedindo.
- Volto. Ela o beijou, ele se apossou de seu corpo, a abraçando,  aquela despedida mais parecia uma tortura para os dois, ambos eram loucos um pelo outro

 °°°

 

 

 

- Minha linda...Ele falou, enquanto fitava aqueles cabelos negros, aqueles olhos puxadinhos que o fazia suspirar. Beijava sua boca, seu pescoço.  Ela estava arrepiada, ele amava causar aquela sensação. 
Ela em contra partida amava fitar aqueles olhos mel, aqueles cabelos de uma cor tão exótica, um rosa aceso. Ele era perfeito pra ela, pensava. 
- Meu lindo- Sussurou. Eles tornaram a se beijar, ele puxou o lábio inferior no beijo  e levemente o mordeu. Gemeu. Ela segurava em sua nuca, ele em sua cintura, de maneira firme. Aquele abraço, o perfume dos dois. Tudo aquilo era muito convidativo. Ele a puxou para o seu colo.
- Gowther! Ela sorriu. Estamos no portão da sua casa. Merlin vai já chegar! 
- Vai sim. Ela  esta vindo de Camelot. Mas deixa eu aproveitar mais um pouquinho de você. Nos quase não temos tempo juntos. Ele sussurrou no seu ouvido, e mordeu sua orelha. Ela arfou.
O fato de Gowther ter ganhado um coração de verdade a surpreendia, ele não estava mais com aquele jeito robótico de antes. Estava mais solto, mais humano. Mas claro: como sempre, calmo, inteligente, e sincero. Esse era o Pecado da luxúria do bode.
O clima daquele casal era de dois adolescentes apaixonados. Eles amavam sentir um o outro, o beijo, o toque, o corpo. Mais uns beijos sentados em frente ao portão , são surpreendidos por uma maga. 
- Boa noite. Ela deu um mínimo sorriso para os dois. Guila corou no colo do namorado e rapidamente saiu em um pulo.
- B-ao noite Merlin-sama!! Ela disse toda sem jeito.
- Boa noite Merlin. Gowther 100% calmo.
Ela entrou. Mas ela parecia estranha, isso não passou despercebido para os dois, principalmente para ele.
Mais um numero infinito de selinhos eles se despediram. Ela foi para casa, teria trabalho no dia seguinte d precisaria acordar cedo. Gowther entrou em casa, e o fato se Merlin ter entrado tão estranha o intrigou.

- Merlin. Ele chamou, ela estava sozinha em seu quarto. Mas estranhamente, ela tinham deixado suas coisas e estava calada.
- Oi Gowther. – Ela mal olhou. 
- Como foi em Camelot? Ele fitou seu rosto, tentando descobrir o que tinha acontecido. 
- Tudo bem.
- Fala Merlin.  O que houve? 
Ela respirou fundo. Tentou disfarçar o que estava sentindo, mas estava difícil.  – Bem. Eu e Arthur estamos bem, mas...Ela ficou de punhos cerrados. Respirou fundo. - Melhor não falar sobre isso.
- Merlin, fala. Esse é o seu problema. Você nunca fala o que te incomoda, fica guardando tudo pra si, você tem que falar.
- Eu sabia que isso ia acontecer mais cedo ou mais tarde. As garotas ficam suspirando quando Arthur passa. E tem uma, essa eu estou odiando. É uma funcionária do Palácio.  Um tal de Lucy.
- Tá, mas...o que ela fez?
- Ela só falta dizer que quer dar pra ele, Gowther eu fiquei com tanta raiva! 
Gowther estava incrédulo por ver Merlin com ciúmes.  Isso ele julgava ate um tempo atras que seria impossível, alguem tao confiante como ela estar daquele jeito.
- E ele?
- Não fez nada, ele não deu liberdade nenhuma, só que...
- Merlin. Você está se dando conta que está com ciumes do Arthur? Logo você? 
- Não. Estou com raiva, apenas.
- Descreve essa otária pra mim?
- Deixa eu ver...Loira, baixa estatura, olhos castanhos. Da idade dele.
- Está em desvantagem, então. 
Merlin bufou. – Droga! 
- Merlin eu estou sendo irônico, é uma brincadeira.  Ele sorriu. Tem noção de quem você é? É simplesmente Merlin Belialuin, mulher igual você não tem sequer parecida. Maravilhosa. 
- Tá, Gowther. Nunca pensei que viria me dar conselhos. Ela sorriu. Mas...vamos deixar isso de lado. E você e Guila como estão?
- Muito bem...Ele desferiu um sorriso de ponta a ponta. 
- Estão se prevenindo, pelo menos?
- Boa noite Merlin!!! Ele correu, mas ela o segurou pela blusa.
- Gowther...cuida, ou já vai me dar um sobrinho? Ela arqueou a sombrancelha.
- Sei me cuidar, você sabe. Ele deu uma piscadinha e fez aquele gesto com o indicador e o dedo medio, aquele gesto que é sua marca registrada. 
Merlin apenas riu. E o viu se retirar, porém O fato daquela Lucy estar dando em cima de seu ruivo não lhe saía da cabeça...

°°°

 

 


É chegado a noite, Harlequin estava péssimo, este estava no Chapéu de javali. Meliodas o recebeu, ele lhe deu força, aquilo certamente estava sendo muito dificil para ele.
Ele estava sentado, sobre o balcão.  Em mãos, cerveja.
- Harlequin.  Meliodas se aproximou.  Já está bom por hoje, certo? Já bebeu muito.
- Me deixa Meliodas. Me deixa beber.
- Amigo, eu estou arrasado como você. Mas eu acho que deveria ir atras dela, e resolver as coisas.
- Não sei, Meliodas. Acha que ela voltaria para mim?
- Claro que sim! Repense, King. Olha, você está péssimo, não vou te deixar voltar desse jeito. Pode dormir no seu antigo quarto conosco hoje. Eu e Elizabeth te recebemos.
Harlequin estava a todo custo tentando se animar, Meliodas o tratava como um irmão, assim como Elizabeth. Porém quando nada poderia tornar aquele momento pior, cochichos são ouvidos por ele naquele lugar.

 

- Soube que Diane se tornou Rainha. Clientes sussuravam, para Harlequin, isso não passou despercebido. 

 

- Diane?! Já se tornou Rainha? Ele continuou a escutar.

 

- Sim! Agora será que ela tem primos, ou irmãos? 


- Não faço ideia. 


- Porque um gigante moreno a abraçou em frente a todo público, e bem, não se sabe o que eles são um do outro.

 

Ao ouvir essas palavras, Harlequin estoura o copo de bebidas em mãos, tamanha foi sua raiva, resultando em um corte profundo pelos cacos. Ele sabia muito bem de quem se tratava tal pessoa, era o amigo de Matrona, este por sua vez já tinha notado certo interesse em Diane, e isso foi notado, nas visitas que ele fazia em Megadozer. 
Elizabeth viu de longe Harlequin machucado, e correu para ajudá-lo. 
- Meu kami, King-sama! O que foi isso? Ela não pensou duas vezes, aquele corte estava profundo, rapidamente manifestou seu poder e seu olhar se tornou bicolor. 
A ferida foi fechada, porem ele continuava mal. Porém dessa vez, com raiva.
- Parece que Diane está bem acompanhada por lá, já que se tornou Rainha tão rapido.
- Diane se tornou Rainha?! Ellie estava surpresa, não sabia que isso tinha acontecido.
- Sim. 
- Harlequin, não de ouvidos a fofocas. Meliodas também tinha escutado.  Não deixe de ir vê-la, vocês precisam se resolver.


- Não, Meliodas. Parece que ela está seguindo sua vida, e então eu seguirei a minha.

 

 

 


Notas Finais


Temos um Rei das Fadas e uma maga putos nesse capitulo kkkkkkkk
É isso! Até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...