História A protegida - Capítulo 112


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Blásio Zabini, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Luna Lovegood, Pansy Parkinson, Ronald Weasley, Theodore Nott
Visualizações 233
Palavras 1.035
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 112 - Draco


Fanfic / Fanfiction A protegida - Capítulo 112 - Draco

Pronto. Estava dito. Em voz alta e na frente dela. Hermione me encarou por longos minutos,em total silencio,com seus olhos cor de mel fixos em mim sem piscar ou desviar. Uma parte de mim queria beijá-la logo,mas a outra sabia que eu precisava dar tempo a ela.

Assim como eu,a mente de Hermione estava uma bagunça. Memórias falsas, o medo de não recuperarmos nossas memórias verdadeiras e sentimentos estranhos. Ela podia muito bem gostar do Weasley –de modo verdadeiro –e isso só serviria para eu quebrar a cara. Ou ela podia gostar de mim;

-Hermione –Chamei não gostando do silencio dela

Hermione me encarou por mais alguns segundos e então se inclinou,de supetão,para frente chocando nossas bocas. Eu fiquei estático,por segundos,antes de retribuir o beijo. E nada pareceu mais certo do que aquilo.

Aquela altura,eu já não conseguia mais me controlar. Estava totalmente entregue a Hermione. Aquele beijo era a única coisa que eu queria. Mas,cedo demais,Hermione o quebrou e se afastou constrangida.

-Isso não devia ter acontecido –Ela murmurou se pondo de pé e se afastando

-Hermione –Chamei segurando seu braço para ela não fugir

-Não –Hermione negou fugindo do meu toque e recuando um passo –Não faz isso.

-Isso o que?

-Não brinca comigo,Draco.

-Eu não estou brincando –Rebati –Eu gosto mesmo de você. Você não gosta de mim?

-Não seja idiota –Hermione respondeu irritada –Eu gosto tanto de você.. até mais do que achei que seria possível. Você bagunçou minha mente,mais do que esse feitiço,e eu me sinto sem chão sem você por perto. Mas,eu não posso.

-Por que não? –Perguntei dando um passo para frente

-Daphne. Você esta com Daphne.

-Na verdade.. –Murmurei pegando no meu bolso da calça o colar de esmeralda –Eu acho que não estamos mais juntos.

-Não estão? –Ela repetiu fitando o colar

-Não.. estar com ela parece errado. Muito errado. E eu achei que era só por causa da bagunça da minha mente,mas.. agora que te beijei.. eu notei que é errado estar com Daphne quando na verdade quero estar com você.

Hermione,infelizmente,ainda parecia hesitante. Lentamente fechei a distancia entre nós,prendendo Hermione entre mim e uma mesa, e aproximei nossos rostos.

-Draco –Ela murmurou

-Shiu,não fala nada –Pedi –Não fala nada,só me beija.

E me surpreendendo,Hermione acatou meu pedido. Outra vez,beijá-la parecia a coisa mais certa desde o inicio daquela bagunça. Como se eu não tivesse mais controle sob o meu corpo,empurrei Hermione até ela estar sentada sob a mesa e aumentei a intensidade daquele beijo. Me acompanhando,Hermione escorregou as mãos pelas minhas costas e infiltrando-as por baixo da mesma arranhando minhas costas.

Aquele lugar ficou terrivelmente abafado enquanto meu corpo aumentava de calor. Num movimento rápido,Hermione se livrou da minha camisa deixando suas mãos explorarem minha pele nua enquanto eu continuava a beijá-la. Naquele ponto já não nos importávamos mais com nada além do um do outro.Até mesmo esquecemos de que estávamos na biblioteca.

Prova disso foi o susto que tomamos quando as portas daquele lugar foram aberta,o barulho ecoou pelo local,e isso nos trouxe de volta a realidade. Retirei a mão de dentro da camisa de Hermione e ela desceu da mesa,ajeitando as vestes com uma expressão constrangida. Enquanto ela arrumava a bagunça que havíamos feito, vesti minha camisa.

-O que vocês dois estão fazendo aqui? -Irmã Pince perguntou

Hermione e eu trocamos olhares enquanto a bibliotecária nos avaliava com um olhar desaprovador.

-Pesquisando.

-Pesquisando? –Ela repetiu minha resposta num tom irritado –Antes do horário? Como entraram aqui?

-Não é tão difícil entrar numa biblioteca –Dei de ombros

-Nos desculpe,irmã Pince –Hermione pediu agarrando meu braço –Não vamos fazer outra vez.

Antes que a bruxa pudesse responder,Hermione me puxou para fora da biblioteca trazendo juntos também os pergaminhos que ela havia conseguido ontem a noite.

-Onde estamos indo? –Perguntei quando passamos pelo nosso salão

-Diretoria. Precisamos falar com McGonagall –Hermione respondeu –Talvez,agora que sabemos o que aconteceu,podemos reverter.

-Acha que da para reverter?

-Temos que tentar.

Assim que chegamos, a diretora já estava na sua sala –mesmo sendo cedo. Deixei que Hermione explicasse o que descobrimos,eu me sentia cansado demais para isso. A diretora afirmou que entraria em contato com os medibruxos e nos liberou das aulas.

-Eu to morto –Murmurei entrando no nosso salão

-Eu também –Hermione bocejou se arrastando na direção do quarto dela –Boa noite.. quer dizer,bom dia, Malfoy.

-Hermione –Chamei indo até ela –Quero que fique com isso.

Ela me encarou surpresa quando coloquei em suas mãos o colar,o anel dos Malfoy e a aliança de compromisso. Joias que todos dizem que pertenceram a ela,nunca a Daphne,e que no fundo eu sabia que sim.

-Draco –Ela murmurou

-Não me importa se vamos ou não recuperar nossas memórias,eu sei.. eu sinto que isso pertence a você –Respondi segurando seu rosto com ambas as mãos –Eu sinto que pertenço a você.

-Mas.. e Daphne? E a traiç..

-Acho que já ficou claro para nós que não houve traição –Respondi –E eu já disse. Não há mais Daphne.

-Eu tenho tanto medo de estar cometendo um erro –Hermione confessou

-Não tenha,Hermione. Nós não somos um erro,ok?

Hermione fitou as joias e depois me encarou. Antes que ela achasse mais motivos para hesitar,eu a beijei.  E assim como ocorreu na biblioteca,parecemos esquecer de tudo e todos,entrando num mondo apenas nosso.

E então minha cabeça começou a dor,me afastei de supetão de Hermione e coloquei minhas mãos na cabeça –como se isso fosse minimizar a dor.

-Draco? –Hermione me chamou preocupada

Senti minhas pernas fraquejarem e cai de joelhos no chão. A dor,que tinha minimizado por algumas horas,havia voltado com força total. Era como se algo tentasse se romper na minha cabeça.

-Draco –Hermione se ajoelhou na minha frente preocupada –Vai ficar tudo bem...

Ela conjurou um patrono,enviando uma mensagem urgente a madame Pomfrey e então voltou sua atenção a mim,até que ela também soltou um gemido de dor.

-Hermione? –Chamei notando a careta de dor

-Isso dói como um inferno –Ela murmurou

Antes que eu conseguisse perguntar se ela também estava sentindo,minha visão escureceu e eu desabei totalmente no chão do salão. Ouvi ao longe o grito de Hermione e então –se eu tivesse acordado –teria notado seu corpo desmaiado ao lado do meu. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...