1. Spirit Fanfics >
  2. A protegida do Youkai >
  3. Palavras agressivas

História A protegida do Youkai - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Bom dia! Seguem mais um capítulo.
Se ocorrer tudo certo, pretendo postar dois por dias.
Tenho que aproveitar esses dias em casa para finalizar as duas fincs.

Boa leitura 😘

Capítulo 10 - Palavras agressivas


 O plano de Rin foram deveras perfeito, dia seguinte, sites e jornais exibia as melhores manchetes zombando do empresário Sesshoumaru Taisho por ter levado gaía em sua própria casa que mantinha sua adorável amante.

Sesshoumaru passou a ouvir duras críticas, tentou não se enraivar, até os acionistas da empresa passaram a olhar para o youkai com certa malícia e olhar zombeteiro.

Pelas costas fazia gesto com os dedos simbolizando dois chifres.

Sesshoumaru ignorou a pressão e falatórios, viajou para tratar de assuntos da empresa assim se livraria de tanto ouvir chacota.

Por meio de Jaken, mandou avisar a Kagura que desapareça de sua vista e da casa dele terminando tudo que ambos tinha até o momento.

Não sentiu raiva de Bankutsu, já ouvia falar e observou os olhares dos mesmo quando saía com Kagura. Não amava a Youkai apenas usavam para seus prazeres carnais.

Rin junto com Kagome, deram tantas risadas pela manchetes, mas a jovem não pensou que seu plano fosse pesar tanto contra o Youkai, fazendo o mesmo ser afastado da presidência Taisho uma semana depois do ocorrido.

Sesshoumaru recebeu a notícia em viagem a Finlândia, acabou aceitando, não podia fazer nada, a desgraça já tinha imudado sua vida profissional, e o nome dela era Kagura, acabou se praquejando por ter ficado muito tempo com ela, mesmo sendo folgosa na cama, o Youkai não sentia nada mais por ela.

Na volta a Tóquio, afastou um pouco da empresa, usou a desculpa de férias para fugir dos verdadeiros bombadeios.

Teve uma visita nada amigável com Kikio a madastra de Rin, obrigando a lhe dar dinheiro ou pagará caro.

O Youkai só falou que não tem nada a lhe oferecer e jamais ousa enconstar um dedo na sua protegida.

Bufou socando a mesa do escritório, quando a mulher saiu da sala lhe ameaçando.

- Vamos ver Senhor Sesshoumaru! Quem tem direito a herança.

Agradeceu a Deus quando soube que Rin não estavam em casa, então manteve o encontro pra si mesmo, não contou a jovem.

Aproveitando sua férias forçadas, lembrou de convidar sua protegida para um passeio no Jiper.

Rin só faltou derrubar o telhado da casa de tanto gritar de felicidade pelo convite, não sentia tão bem há muito tempo.

Vestida com um shortinho jeans cintura alta e uma camiseta branca, calçou um tênis branco e prendeu os cabelos no rabo de cavalo, em seus lábios pincelou com um tom rosinha.

Seu coração apaixonado não disfarçavam o brilho de passar um dia ao lado de seu amor!

Descendo os degraus da escada pulando enquanto segurava o corrimão da escada, Rin cantarolava, o dia seria perfeito, perfeito até demais.

Atravessou o jardim se encontrando com Sesshoumaru, que aguardava a jovem do lado de sua relíquia, vestido com uma camisa manga três por quatro, em uma calça jeans justa devido seus músculos torneados, calçando tênis diferente do habitual.

- Desculpas o atraso! Se desculpou.

Sesshoumaru sorriu, estendeu a chave para ela.

- Tome! Hoje a senhorita que vai me levar, só avisando que não gosto de lugares bregas.

Os olhos de Rin brilharam, brilharam de excitação, não estava acreditando que Sesshoumaru vai deixar que dirrija sua preciosidade.

Sem medir o tamanho de desejo para pôr as mãos ao volante, encarou para os olhos de Sesshoumaru, pensava ser uma brincadeira, mas não era, quando fez o movimento para pegar chave, ouviu seu nome ser chamado.

- Rin Onigumo!

Virou o rosto encontrando um homem trabalhado elegante em um terno e um ofício em mãos.

- Sim! Quem gostaria?

- Vim trazer o contrato do aluguel da casa que a senhorita ficou para assinar, quem mandou-me aqui foi Jakotsu, ele fez dar-lhe as chaves sem receber nenhuma garantia, só fiz isso por que ele avisou-me que morava com os Taisho.

Rin nesse momento desejava desaparecer, desejava se esconder em qualquer lugar do que olhar para os olhos de Sesshoumaru.

- Quem é Jakotsu? Sesshoumaru se intrometeu no meio.

- Ele disse ser jornalista quando me abordou! Informou o desconhecido.

Rin mordeu os lábios nervosos, por que esse homem apareceu justo agora?

- Qual foi o dia que ele pediu-lhe as chaves. Questionou o Youkai.

- Sábado senhor! Faz duas semanas! Olha eu tenho as provas. Tentou justificar o homem pensando que estão desconfiando dele.

Sesshoumaru puxou o papel da mão do homem e encarou o valor, um alarme para um aluguel, sem nada a dizer, puxou a carteira do bolso tirou o talão de chegue e assinou, entregou para o desconhecido.

- Cancele o contrato! Não vamos precisar mais.

Sesshoumaru passou um olhar gélido para Rin, antes de caminhar para dentro de casa.

- Acredito que deva-me uma resposta.

Como estivesse indo para um abatedouro, Rin abaixou a cabeça e seguiu os rastros de Sesshoumaru.

Chegando na sala da casa, Rin não quis sentar, ficou na porta de entrada, por precaução, se Sesshoumaru desejar lhe dar palmadas, dava para fugir.

- Você sabia que Kagura e eu estávamos juntos, não é? Pergunta o Youkai.

Rin apenas moveu a cabeça concordando.

Sesshoumaru suspirou!

- Por isso juntou com um jornalista de merda para arruinar minha imagem! Eu pergunto o que eu fiz para você para ter tanta raiva de mim? Sesshoumaru altera a voz nas últimas palavras.

Rin levanta a cabeça com olhos arregalados, ela não odiavam Sesshoumaru, ela amava, por isso fez isso.

- Por Deus Rin, cadê sua palavra que não ia se meter em confulsão ou me envolver? Estou completamente enraivado. As palavras saíram amarga pela boca do Youkai.

Rin balbuciou, tentou falar algo para justificar.

- Só fiz aquilo para não ser humilhado publicamente!

Sesshoumaru lhe encarou com olhar frio, cortava o coração da garota que já deixava a lágrimas banhar sua face.

- Maldita hora que lhe ajudei naquele dia, maldita hora que te conhecir garota, desde que entrou na minha vida eu não sei mais o que é ter paz, você transformou minha vida no inferno, por sua causa perdir a presidência da empresa, por seu encherimento em minha vida pessoal, sou a chacota no meio empresarial, você me enoja Rin, sinto nojo por te, suma da minha vida! Desapareça! Grita Sesshoumaru alterado já com olhos vermelhos de raiva.

Rin não suporta ouvir as duras palavras, somem da frente de Sesshoumaru, desejando desaparecer, entra no Jiper, tremendo dar a partida arrancando do lugar a toda velocidade.

Seus olhos estavam nublados por lágrimas, sabia que fez tudo para ajudar Sesshoumaru, não imaginou acabar com sua reputação, mais agora o youkai em vez de lhe agradecer, machuca, machuca com palavras duras e frias.

Passou a mão rápido no rosto, vai ganhar o mundo, deixaria Sesshoumaru fazer o que bem entender com sua vida. Mas ela não conseguia, não conseguia por que o amava, amava tanto para não aguentar vê-lo com outra.

Sorriu triste, encarou para estrada, queria testar a velocidade total do carro.

- Vamos lá belezinha! Vamos ver o quanto corre!

Assim, Rin acelerou, acelerou deixando a adrenalina invadir seu corpo para aliviar a dor do seu coração despedaçado


Notas Finais


Sesshoumaru foi muito duro com as palavras.
Rin coitada não conseguiu explicar.
Até o próximo 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...