1. Spirit Fanfics >
  2. A protegida do Youkai >
  3. A verdade depois da dor.

História A protegida do Youkai - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Estou trazendo mais um capítulo.
Boa leitura 😘

Capítulo 11 - A verdade depois da dor.


Algumas horas mais tarde, Sesshoumaru que decidiu caminhar entre o jardim da casa e meditar um pouco sobre tudo que estavam acontecendo até então, acabou consciente de suas duras palavras proferidas a sua protegida, foram deveras rudes, então quando Rin chegar pedirar desculpas a ela.

Ele não entendia ainda o motivo da garota armar todo aquele flagrante, mas agora pensando bem foi muito genial ela bolar um plano desse, nem ele mesmo pensaria em algo assim.

Caminhou saindo do jardim e entrou dentro de casa, avistou o pequeno Youkai.

- Quando Rin chegar, avise-me.

Sesshoumaru entrou em seu escritório, pegando uma garrafa de bebida sentou na poltrona bebericiando o líquido que descia garganta ardendo, mas ele não se importou, ficaria ali esperando Rin, precisava falar com ela.

Rin já estavam bem distante de Tóquio, quando a mesma foi cair em si da paisagem vista, acabou lembrando que ali foram o local que encontrou Sesshoumaru.

Fica encarando por um momento, depois sentindo o coração ainda triste, liga o motor do carro e seguem para um local que pensaria nunca mais voltar.

Um tempo depois, Rin entra em uma rua, vira a esquerda e para em uma casa média, desce do carro, pega a chave coloca dentro do bolso do short e caminha até a porta.

Antes de tocar a campainha, a porta é aberta por uma mulher esbelta, lhe fitando com sorriso desdenhoso.

- Bom filho a casa torna! Irroniza encarando para o rosto vermelho de Rin.

- Vim lhe dizer que aceito o casamento! Marque para o dia que quiser.

O sorriso de vitória brotou, os olhos da mulher não negava a alvareza ali plantada.

- Rin minha querida, sabia que você não desamparia sua mãe! Estou muito feliz em ouvir isso! Entre meu amor!

- Pare de drama Kikio, só quero pegar o que é meu e ter minha liberdade!

Rin entra dentro de casa ignorando as bajulações de Kikio,subiu para seu quarto entrando e trancando a porta com a chave.

Encarou o seu antigo quarto, pairou suas vista ainda úmida em um porta retrato com ela e seu pai, caminhou até a cama e chorou, chorou muito até pegar no sono pela triste caminho que sua vida seguiu.

Encarando o relógio, o Youkai levantou-se de rompante por não ter percebido a horas passar.

Abriu a porta berrando por Jaken.

- Deseja algo Senhor Sesshoumaru?

- A Rin! Já chegou Jaken?

- Não! Pensei que estava na casa de Kagome!

- Ligue para lá agora!

Jaken com seus curtos passos, aproximou do telefone e discou.

Imediatamente falou com Kagome, desligando a ligação, Jaken olhou com receio para seu Senhor.

- Ela não está!

- Droga!

- Posso ajudar em alguma coisa?

- Saia! Grita o youkai enraivado.

Sesshoumaru passou as mãos pelos cabelos, não imaginava onde Rin poderia está! A garota só se mete em encrenca, sentia seu coração apertado pensando se algo pior tinha acontecido.

- Jaken! Grita novamente Sesshoumaru.

O pequeno aparece ofegante.

- Sim Senhor Sesshoumaru.

- Cadê a chave do Jiper?

Jaken encarou para Sesshoumaru!

- A humana saiu com ele.

Sesshoumaru dar um cascudo em Jaken deixando desacordado.

Se praguejando por não ter lembrando disso, como não se tocou que o carro não estava no jardim.

- Onde você está Rin! Não me faça lhe caçar. Fala pra si mesmo pegando o telefone e discando para Jakotsu.

Tentaria a sorte com ele, Jakotsu acabou não escondendo nada, contou todo o motivo de Rin lhe procurar e confessou que a garota estavam desejando impedir uma emboscada que Kagura armou, ela jamais desejou prejudicar ele.

Sentindo um misto de raiva e contentamento, Sesshoumaru finalizou a ligação mais pertubado do que antes.

Pertubado agora por juntar as peças do quebra cabeça e ver diante de si toda a verdade.

O coração Dayoukai batia desenfreado dentro do peito, cada fibras de seu corpo latejava por imaginar muitas coisas ruim ter acontecido com sua protegida devido seu temperamento agressivo, encarando o pôr do sol Sesshoumaru abriu os olhos surpreso, ele não estavam preocupados tanto pelo bem estar dar garota, o sangue que corria no corpo do Youkai, pulsou dando uma físgada aguda, a dor no peito cresceu demasiado por agora perceber, agora perceber que a raiva que sentia tanto de Rin, era para evitar que ela nutre sentimentos por ele.

Ele desejava a garota desde o primeiro instante que a viu, só não imaginava agora sentir incomodado pela falta de notícia, o incômodo era tanto sufocante, que soltou um gemido contendo a angústia, essa discussão só serviu para mostrar a Sesshoumaru o que ele nunca tinha observado, Rin invadiu todo seu ser, deixando sem chão, por que o youkai percebeu que o ama, sim, algo que jamais imaginou acontecer em sua longa existência, agora está ali estampado como a dor no peito sufocante que o ama, uma jovem imprudente e imatura.

Rin acabava de tomar um banho, foi avisada por Kikio que o jantar seria para ela conhecer o seu noivo.

Rin não estavam muito animada, mas as palavras de Sesshoumaru lhe martelava a cada segundo em sua mente.

Pega o primeiro vestido que estavam no cabide, leva até a cama e suspira dolorosamente tentando não chorar novamente.

Pega um óleo corporal, banha seu corpo, depois veste a langeri preta, suspira, pega o vestido e veste, caminhou até o lado da cama, pegou o primeiro par de sapatos que era vermelho e calçou, combinou com seu vestido cor bege.

Senta na cadeira da penteadeira, e começa a desembaraçar os fios castanhos.

Acaba deixando solto mesmo, não tinha ânimo para fazer um penteado.

Pega um brilho e banha seus lábios trêmulos, pisca  diversas vezes, o amargo já estavam na boca, mais uma vez as lembranças dos olhos frios de Sesshoumaru aparecia como reflexo no espelho, Rin arfa vendo que seria segundos para chorar.

Mas logo escuta a porta sendo aberta e uma Kikio linda vestida no vestido justo preto entra esboçando o ar de vitória.

- Seu noivo já aguarda para nós irmos ao jantar! Nossa Rin, que noiva mais triste é essa? Venha cá, irei te maquiar!

Rin levanta a mão interrompendo Kikio, não queria maquiagem, não desejava ficar linda para ninguém, a única pessoa que deseja está linda e se arrumar era para ele, para o Sesshoumaru, mas se ele lhe ignorou, não precisa se arrumar para mais ninguém.

- Não Kikio! Meu noivo se quiser casar comigo tem que conhecer minha verdadeira face.

Kikio dar de ombro, sabia que alguma coisa aconteceu para Rin voltar para casa, não era otária, a garota está sofrendo, e o nome desse sentimento é amor, mais ela não liga para o sentimento dela, só deseja o dinheiro que irá receber com o casamento de Rin com o Mukutsu.

Descendo a escada, Rin andavam lentamente, não sentia o local que seus pés pisava, só sentia sua respiração, logo a seu lado Kikio se postou agarrando seu braço e puxando para sala onde estava sentando no sofá um homem com um buquê de rosas em mãos.

Se fosse em outro momento, cuja faculdades mentais estivessem devidamente em harmonia, Rin teria gritado e fugido com a imagem do homem.

Um velho, baixinho, gordo que não passa de um metro e meio, uma imensa cabeça sem cabelos, os olhos grandes brancos sem brilho, a boca enorme de um canto a outro, os dentes podre é um mosquito estavam pousando na boca, fez Rin ficar ali, observando a imagem, não conseguia raciocinar, ela deveria ser nojenta para casar com um homem nojento mesmo.

E assim as palavras de Sesshoumaru, veio com tudo, novamente, Rin se viu aterrorizada.

Nem ouviu quando Kikio apresentou ambos, a única coisa que aconteceu foi debruçar em lágrimas de desgosto, mais Rin não choravam apenas, sorria enquanto os olhos castanhos umedicia a cada sons da risada amarga e frustada que saia da garganta.

Kikio encarou Mukutsu sem conseguir entender o motivo da jovem está assim, parecia descontrolada, parecia fora de si.

O homem ficou paralisado, Rin era linda, mais o seu comportamento lhe trouxe tristeza, não gostou do comportamento da garota, sentiu humilhado, o mesmo já era feio, passou a vida toda ouvindo isso, mais ali ele não ouviu da boca da jovem que era feio, ele sentiu arrasado.

Rin levou a mão na barriga enquanto sorria, não! Gargalhava, seu coração estavam um caco, um caco, e sua mente estavam sendo torturada por Sesshoumaru lhe chamando de nojenta.

- Comportar-se Rin! Não são modos perante a seu noivo. Kikio tentavam arranjar uma maneira de Rin parar.

Rin cada vez que levantavam os olhos para Mukutsu, só dava vontade de sorrir, seus olhos ainda caiam lágrimas.

Em um gesto revoltante, Kikio lhe esbofeteia o rosto,fazendo a crise de riso conter-se.

Rin ficou alguns segundos com o rosto virado, depois voltou o rosto encarando Kikio que lhe fulminava.

- Só estou feliz que encontrei meu príncipe encantado para me livrar de suas garras, madrastra má. Rin falou irronizando.

Kikio elevou a mão para esbofetear o rosto de Rin novamente, mas não completou.

Mukutsu sentido grato por ouvir Rin chamar de príncipe encantado, agarrou a mão de Kikio apertando com força.

- Não tocará no fio de cabelo da minha noiva, ou lhe matarei.

Kikio abriu os olhos surpresa, acasso Mukutsu enlouqueceu, ele tem um acordo com ela de tirar tudo da piralha.

- Está louco Mukutsu?

- Não! Não estou! Acabo com sua raça se agredi-la mais uma vez.

Ele soltou com brusquidão a mão de Kikio, caminhou aproximando de Rin, segurou sua mão, falou docemente.

- És a única mulher que não me chamaste de feio! Sinto muito feliz por me achar bonito.

Rin só faltou engasgar, acaso esse homem é louco, ele não é feio e sim medonho! Mas não disse uma só palavra, acabou se identificando e sendo solidária com ele, ela também foi humilhada a vida toda pela madrastra e agora rejeitada pelo homem que o ama.

Não disse nada, apenas moveu involuntária as mãos pegando o lindo buquê de rosas que o mesmo lhe deu.


Notas Finais


Rin descobriu está apaixonada por Sesshoumaru, mas não conseguiu lidar muito bem com sentimento, se atrapalhou toda e acabou aceitando o casamento que Kikio arranjou.
Como as palavras de quem ama atormenta nossas mentes, Rin está sendo muito castigada.

Até o próximo 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...