1. Spirit Fanfics >
  2. A protegida do Youkai >
  3. Não faça isso garota.

História A protegida do Youkai - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite!
Aqui está mais um extra.
Desejo boa leitura 😘

Capítulo 12 - Não faça isso garota.


 Capítulo décimo segundo - Não faça isso garota.

A noite surgiu perante aos olhos dourados e nada de saber notícias de sua protegida, encarando o escuro da noite pela janela de seu quarto, Sesshoumaru ficou ali, em pé até não se aguentar de esperar, decidiu ir atrás de Rin.

Conforme seu instinto selvagem queria aflorar, não controlou a ira em receber uma ligação, as palavras ouvidas foram ousadas para sua natureza Youkai.

- Sesshoumaru!

- Estou ligando para avisar que eu vencir, vencir, a Rin vai se casar e não há nada que o impeça! Ela pediu para lhe dizer, obrigado!

Sesshoumaru vociferou!

- Onde está a Rin! Quero falar com ela Kikio! Mas as ordens do youkai não foram acatadas, por que a ligação foram finalizada, fazendo o youkai quebrar o telefone.

Sesshoumaru pegou a chave e a carteira, saiu do quarto com olhar determinado, Rin não vai escapar assim de suas mãos, justo agora, justo agora que descobriu amar a garota.

Sesshoumaru não era burro, sabia que Rin não estaria perto, Kikio é ardilosa, entrou na BMW cor preta e direcionou para fora do portão.

Tentaria encontrar Rin, tentaria, pelo menos não ficaria sentado vendo a jovem se meter em confulsão.

O youkai pediu a localização antes do seu Jiper, já estavam sabendo que ela voltou para casa da madrasta, só não imaginou ouvir Kikio avisando que ela vai casou.

- Por favor Rin! Não faça isso! Pede o Youkai torcendo para que suas preces seja ouvida.

Bem distante de onde Sesshomaru estavam, em uma igrejinha no meio da estrada, com alguns fiés desconhecido, Rin estava vestida com as mesmas roupas , os cabelos castanhos que foram presos, estavam segurando o mesmo buquê recebido a horas mais cedo.

Kikio foi esperta em marcar o casamento para o mesmo dia, ela sabia que o youkai tentaria impedir, foi sábia em pegar algumas mudas de roupas e junto com Mukutsu entraram no Jiper do youkai e pegaram estrada fora.

Kikio só fazia sorrir, nada impediria de ser a nova milionária do pedaço, encarando para o padre, deixou o mesmo guiar as palavras sagradas profanadas em torno do recente casal.

Rin estavam foram de órbita, sua mente entrou em estado de inquietação, de seus olhos começaram a cair lágrimas, iniciando aos poucos, para cada segundos virar um rio, fazendo o padre parar um pouco e estender o lenço para a jovem se recompor.

Kikio disfarçou, avisando que é pura emoção de casar com o homem que ama, aproximou de Rin e falando no pé do seu ouvido, enquanto apertava o braço dela com força exagerada.

- Não tente fazer ceninha aqui. Trate de se recompor sua vadia.

Kikio voltou para o padre sorrindo.

- Pode continuar! Por favor!

Como já presenciou diversos casamento, o padre não questionou, já que Kikio avisou que Rin estava grávida e para não deixar a barriga crescer teve que casar as presas.

Os votos de casamento iniciaram, Mukutsu sorrindo fez o seu enquanto colocavam aliança no dedo trêmulo de Rin.

Rin sabia que ali não teria volta, estava arruinada pelo resto de sua vida, tudo que desejou e pensou, ficou para trás, agora ali encarando o padre e ouvindo o pedido do mesmo para repetir os votos perante a todos e a Deus, Rin sentiu como sua alma fosse arrancada do peito, um grito se formou na sua garganta para não responder, moveu a cabeça encarando os fiéis que esperavam pela fala da jovem.

- Filha! Repita o que disse.

Rin voltou a olhar para o padre, encarou para o rosto de Mukutsu ansioso, virou o rosto para a porta da igreja, seu coração começou a ganhar energia, não entendia, não entendia nada, tentou prestar atenção para dar continuidade ao votos.

Mas o que está impedido-a, se nem mesmo Sesshoumaru está ali, Sesshoumaru, por que agora está ali pensando nele, por que agora está desesperada para vê-lo? Se tudo que está fazendo e por causa dele!

Rin engoliu a saliva ao ser sacudida por Kikio lhe tirando de seus pensamentos.

- Responda o que o padre está falando! Não está ouvindo?

Rin concordou no automático, tentou voltar prestar atenção nas palavras, mas novamente sua mente lhe traiu, levou para o dia que descobriu amá-lo, levou para o dia que conheceu na estrada, levou para o momento que brigaram? Mas uma vez ficou inerte esquecendo de tudo ao pensar em Sesshoumaru.

Começou a cair em si, começou a perceber que Sesshoumaru não sabe de seus sentimentos, um surgimento de fio de esperança brotou do coração ferido, se ela contar a Sesshoumaru seus sentimentos, ele de certa negaria ou aceitaria, mas por que não pensou nisso antes?

Logo Rin lembrou que o Youkai gritou dizendo que o odeia e sente nojo, mais uma vez novas e dolorosa lágrimas saíram com cascata dos olhos castanhos.

Rin se via presa nela mesma, se via aflita desesperada sem saber mais o que é o certo, começou a balbuciar coisas com coisa, começou a ficar com rosto estampando medo.

O padre viu a angustia nós olhos da jovem, decidiu então parar a cerimônia para ter uma conversa com ela, não era normal uma noiva tão assustada desse jeito, quando enfim abriu a boca para iniciar sua decisão, supreendeu-se a ver a jovem largar o buquê e ter o chão com aparador e o pequeno pés iniciarem partida porta fora deixando todos apreensivos.

Rin correu sem rumo, ganhou a estrada de chão sem saber para onde iria, disparou sua corrida, nunca esteve tão aterrorizada consigo mesmo, sua mente lhe conturbava como fosse açoitada a cada milésimo de segundos.

Desesperada tentando limpar as lágrimas dos olhos, desapareceu na escuridão da noite, pertubada.

Kikio encarou Mukutsu com ira nós olhos.

- Vá trás dela idiota! Ou já era nosso dinheiro.

Mukutsu ignorando os falatórios, saiu para fora da igrejinha, olhou para um lado e outro não vendo ninguém, caminhou até o Jiper entrou, tratou de seguir estrada, mas seus pensamentos estavam em duas alternativas, se não achar Rin, desapareceria com o Jiper, pois o mesmo é ciente que se trata de uma relíquia e vale fortuna.

Usando das últimas informações obtidas pelo rastreamento do seu Jiper, Sesshoumaru seguiu uma rodovia que dar acesso a prefeitura de Saitama, em pensamentos tinha consciência que Kikio fugiria para poder obter o que deseja, e ele sabia que depois, Rin seria descartada como uma qualquer após perder a herança para sua madrasta e noivo.

Acabou usando de seu bom faro youkia quando sentiu o vento bater em sua face indecifrável revelando o cheiro de lágrimas da sua protegida.

Sesshoumaru automaticamente, parou o carro em um posto de gasolina próximo e tratou de seguir o rumo fora da estrada, seu coração estavam acelerado, sentia medo que sua pequena humana estivesse em apuros.

Encarando um lado e outro, não avistando ninguém, ganhou sua velocidade youkai, foi tão rápido em direção ao cheiro de sua pequena encrenqueira, que Sesshoumaru pousou próximo a uma árvore seus olhos a viu, viu, mas o que presenciou foi de partir seu coração.

Sua pequena estavam encolhida, tremendo, lutando contra seus sentimentos.

Sesshoumaru chamou seu nome, quase não saiu, mais o suficiente para Rin levantar o rosto todo inchado pelo choro.

- Rin!

Rin ainda atordoada, tentavam se libertar das palavras de Sesshoumaru lhe martelando, tapava os ouvindo chorando pedindo para parar.

Se encolheu e ficou ali, sem nada mais a pensar, mas quando pensava que a voz dele iria parar de lhe atormentar, escuta agora mais forte adentrar seus tímpanos fazendo levantar a cabeça para o nada e encontrando ele, o ser bem em sua frente com os cabelos prateados em contato com a noite.

- Sai, sai, sai! Por favor! Deixe-me em paz, não me atormentem mais. Dizia a garota angustiada.

Sesshoumaru rompeu a distância agachando perto dela é tomando-a nós braços.

Rin chorou, chorou mais forte, agarrou a camisa dele com as duas mãos, enquanto ao mesmo tempo pedia para afastar, puxavam contra seu pequeno corpo com uma força fora do normal.

Sesshoumaru abraçou mais forte, acabou tombando suas nádegas contra o chão e puxando a garota para seu colo, deixando o rosto dela enfiado a seu peitoral.

- Me perdoa meu amor! Perdoa esse youkai que não pensou em seus sentimentos. Por favor! Me perdoa pelas palavras que lhe disse, você é tudo para mim, não suporto vê-la desse jeito.

O choro que Rin colocavam para fora foi engolido de vez, quando escutou Sesshoumaru lhe chamar de meu amor!

A morena abriu os olhos ainda vermelho, levantou um pouco o rosto para encarar o youkai, mas o que recebeu em resposta, foi seus lábios sendo envolvido pelos lábios machos experiente.

Rin não deu tempo em pensar, apenas ficou ali, presa em mais uma emoção, presa nós braços do homem que a ama, ama de todo seu ser, ama loucamente, ama como nunca amou ninguém.

O beijo do youkia lhe tirou do abismo, tirou do escuro lhe arrebentando para o mundo,o mundo de seus sonhos.

Aos poucos o beijo foi finalizando, Sesshoumaru demorou alguns segundos dando leve bitocas nós lábios da morena, tirando gargalhada dela pela primeira vez.

Rin sentiu os cacos do coração se juntando, a esperança se fez presente, encarou dentro da íris douradas, perguntou para ver se não é uma ilusão de sua cabeça.

- Me chamou de seu amor! Foi mais uma pergunta do que afirmação.

Sesshoumaru sorriu, aproximou o rosto fez um carinho nariz, nariz, depois respondeu.

- Sim! Apesar de ser uma humana abusada e irresponsável, eu o amo, amo com todo meu instinto selvagem que possuo.

Rin se derreteu, suspirou aliviada, não era sonho, não era sonho, logo sentiu os lábios dela ser tomado de uma forma lenta e apaixonada.

Ela desejavam confessar que o ama, mãos o momento deixou ser guiada por Sesshoumaru, eram tantas emoções que não se aguenta, sentiu tonta nós braços do youkai que demonstravam todo amor recém descoberto.


Notas Finais


Sesshoumaru encontrou Rin.
Foi muito bonito ele pedir desculpas a ela.
Lindo se reconciliaram.🤩🤩

Até o próximo 😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...