1. Spirit Fanfics >
  2. A protegida do Youkai >
  3. Chifres na testa do cachorrão.

História A protegida do Youkai - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Conforme prometido o extra😘

Capítulo 9 - Chifres na testa do cachorrão.


 Capítulo nono - Chifres na testa do cachorrão.

Depois da breve reconciliação de Rin com seu protetor, a morena não desistiu de tentar uma maneira de falar com esse tal Jakotsu.

Fazendo de inocente para despistar Sesshoumaru e todos, pediu autorização para ficar dois dias na casa de Kagome.

Rin subiu para o quarto alegre, pegou uma pequena bolsa com mudas de roupas, desceu abraçando Izayo e Inu No Taisho, correu porta fora se encontrando com Jaken.

Alguns minutos, Rin desce do carro e dar um beijo na testa de Jaken, fazendo o pequeno espantar pela atitude da humana.

- Vou embora logo antes que me afogue nesse sentimentalismo. Reclama Jaken pondo o carro em movimento.

Rin acena, quando percebe-se que Jaken não voltará, ela corre até um telefone público e faz uma ligação.

Descobriu o endereço de Jakotsu! Não será difícil. Pega um táxi e dar o endereço, fazendo o taxista se espantar.

Nervosa, tirou um maço de dinheiro, vendo que o mesmo não ia reclamar, se ajeitou e ficou olhando a paisagem.

Meia hora depois, Rin, se ver em uma bairro de extrema pobreza, cheia de pessoas na rua pedindo, algumas roubando, e outras bêbadas e drogadas.

Ela se assustou, nunca presenciou algo tão horrível como aquela situação, seu coração apertou, e seus olhos encheram de lágrimas por onde olhavam notavam a devastação da probreza.

Parando em uma casa mais afastada, aproximou da porta batendo, não demora, uma figura alta, moreno com rosto alegre lhe puxa para dentro antes que um rapaz furtasse sua bolsa que carregava nas costas.

- Deve ser louca para ter vindo até aqui. Fala Jakotsu trancando a porta.

Rin suspirou, ainda em choque ficou alguns minutos se acalmando.

Jakotsu observou a jovem, caminhou até a pia, pegou um copo e encheu de água, voltou entregando.

- Tome! Estou acostumado com isso desde de criança.

Rin agradeceu, depois sentou no pequeno sofá que ali estava e tratou de ir direto ao ponto.

- Quero saber quanto a Kagura está te pagando para armar um flagrante para obrigar ela é o Sesshoumaru se casar?

Jakotsu disfarçou, não ia contar.

- Eu não sei o que você está falando?

Rin teria que ser um genia! Teria que ser esperta.

- Olha! Eu ouvir ela falando tudo! Eu sei todo o plano dela, sei até onde ela marcou o jantar com Sesshoumaru! Não me venha dizer isso, por que parece que você e ela, ambos estão necessitando com esse furo de reportagem.

- Se veio até aqui pedir para não fazer, sinto muito, preciso desse furo de reportagem, é o melhor de todos, assim poderei ser reconhecido onde trabalho e ganharei minha promoção e poderei sair dessa pobreza toda.

Rin sabia que Jakotsu tentaria manter-se firme.

- Seja lá o que ela te ofereceu, eu lhe pagarei o dobro e darei a você um furo maior ainda.

Jakotsu encarou para Rin, poderia confiar nessa garota, ele já sabia quem era ela, viu quando a mesma doou o valor do concurso para instituição de caridade.

- Que furo melhor você poderia me dar?

Rin encarou, não seria nada maravilhoso do que fazer uma vergonha total a Kagura.

Lembrou que em conversa com Kagome, descobriu que Kagura mantinha uma certa intimidade com Bankutsu, o mesmo que tentou lhe paquerar no dia que foram apresentados por Kagome.

Rin tratou de descobrir a casa que Sesshoumaru deu para Kagura, de seus olhos vislumbrou o qual linda era o local, como desejou morar em um lugar lindo como aquele.

Ficou sabendo pela boca de Houjo, que Bankutsu teria um encontro no sábado a noite! Se fazendo de inocente, descobriu que era com Kagura.

Nada seria perfeito para Rin, mostrar a Sesshoumaru que o mesmo foi deveras enganado.

Jakotsu apertou a mão de Rin, aceitando a oferta, ficaram de se encontrar as 19:00 horas da noite do sábado.

Sentindo ansiosa enquanto olhava pela janela da casa de Kagome, Rin não podia acreditar que estavam mentindo para sua amiga, aceitou um jantar com Houjo, mas não comparecerá, vai fazer o coitado esperar até ela colocar em ação seu plano.

Despediu da amiga, que sorriu contente e ver Rin, lindamente moldurada por uma maquiagem, cabelos castanhos caracolados, vestida em um vestidinho preto um pouco colado ao corpo e deixando as costa nua.

Rin deixou o táxi ir em direção ao restaurante, desceu e não entrou, seguiu para um carro no estacionamento e entrou, agradeceu mentalmente Jakotsu por está lhe esperando.

- Vamos!

Não tarda, Rin chega com Jakotsu, o portão da casa que alugou é aberto e eles para o carro.

Desce e entra para dentro de casa, a visão para casa que Kagura moravam eram muito perfeita, principalmente que a casa, era colada, então dava para ver o fundo e a frente.

- Será que eles já chegaram?

Rin sentia apreensiva.

Jakotsu lhe encara.

- Pelas minhas contas, falta dez minutos.

Em silêncio com a luzes apagadas, Jakotsu e Rin seguiram para o fundo da casa, e sentaram em cima da lage, se reconstaram em dois tanques que ali estavam, ele tirou dois pacotinhos contendo ervas e abriu espalhando, para Kagura não desconfiar do cheiro e como suas roupas escuras, perfeito pelo escuro da noite.

Dez minutos para Rin, parecia uma eternidade, simplesmente suas unhas decoradas não existia mais esmalte.

Quando ouviram um barrulho, se postaram a ficar atento quando a luz da casa acendeu, e nos fundos duas pessoas apareceram conversando e gargalhava com proeza, enquanto existia troca de carícias ousadas.

Rin travou o maxilar em reconhecer Kagura, praticamente desnuda, apenas a langerir tapava sua vergonha, mas Bankutsu que estava somente de cueca.

Seu estômago revirou, como era possível ela trair Sesshoumaru, como era possível trair um homem como ele?

Jakotsu levou a mão até os lábios de Rin, contendo para a morena não colocar tudo a perder.

Os minutos depois, Rin presenciou a mais safadezas realizadas por Kagura e Bankutsu, enquanto ambos gargalhava e falando alto, brindando dentro da piscina.

- Um brinde aos chifres que estamos dando ao cachorro.

- Sentirei grato de continuar comendo a futura Senhora Taisho. Gargalha Bankutsu enquanto puxa Kagura pela nuca e toma seus lábios em um beijo intenso.

Rin sentia vontade de esganar, seu corpo tremia, se pudesse voavam na garganta deles dois.

Jakotsu adorou pegar os melhores ângulos dos amantes.

Continua!


Notas Finais


Espero que tenha gostado.
😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...