História A Prova da Felicidade - Prisão de Corações II - Capítulo 12


Escrita por: ~

Visualizações 13
Palavras 1.029
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Ficção Adolescente, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie gentee bonitaaaa tenho capítulo pra vocês espero que gostemmm, deixem um comentário aiii flwww

Capítulo 12 - É tão bom estar com você...


Fanfic / Fanfiction A Prova da Felicidade - Prisão de Corações II - Capítulo 12 - É tão bom estar com você...

Lucas saiu as pressas, apesar de ser perto de casa, estava atrasado, havia marcado com Raissa as 1:00 da tarde, já eram quase 1:30. Ao chegar já estava cansado, mas ainda sim estava feliz de estar ali, ter a companhia da mesma lhe deixava mais alegre.

- Boa tarde Senhora Myers, a Raissa está?

- Oi Lucas pode entrar, ela está no quintal.

O garoto se apressou e viu a amiga deitada sobre a grama, deitou ao seu lado e permaneceram alguns segundos em silêncio, a garota parecia estar concentrada em algo.

- Oi! – Ele finalmente quebrou o silêncio.

- Oii Luke! – O silêncio estabelece de novo deixando a garota intrigada – O que foi Luke? Aprece abatido, normalmente você é tão animado.

- Não é nada...

- Você não engana ninguém, tem algo te incomodando? Ou alguém te perturbou, é isso ?

- Na verdade, gostaria de te contar uma coisa – Estava nervoso, não sabia porquê, mas mal encontrava palavras – É que eu sou adotado...

- Eu sei disso.

- É que tem mais, na verdade é muita coisa. Bom quando eu tinha 5 anos lembro de uma mulher cuidando de mim, o nome era Liss, por algum motivo ela começou a gritar comigo, depois me batia, isso acontecia todos os dias praticamente, e não me lembro de ter a visto como mãe alguma vez. Ela me deixava trancado as vezes – O menino já estava completamente abalado, lágrimas lutavam para descer, aquela marca na história dele não precisava ser lembrada, porém era de alguma forma bom falar toda a verdade sobre ele mesmo. – Então um dia ela pediu que eu entregasse uma carta pra um cara na rua, ela disse que me daria dinheiro por isso. Eu entreguei... E isso mudou minha vida, o cara era o Michael. A mamãe tinha sido levada, pela Liss. O meu pai disse que ele teve de fazer uma escolha, entre me salvar ou a mamãe, porém ele conseguiu deter a Liss. Ai eles me adotaram.

- Nossa... Mas você nunca falou sobre isso, por que ta te incomodando?

- É que tem a possibilidade de me tirarem da minha casa, talvez eu vá morar num abrigo.

- É serio? Por que?

- Sim, recentemente meus pais descobriram que o Mike tem autismo, então uma assistente social disse que era preciso rever o caso para ter certeza que estamos em boas mãos e em condições para uma criança autista.

- Se for assim, não tem problema, seus pais e sua casa são perfeitas.

- Verdade, só que meu pai já fugiu de uma penitenciária, isso faz todos suspeitarem dele.

A loira sentou-se e puxou o amigo para fazer o mesmo, em seguida os dois já estavam em um longo abraço, algumas lágrimas caíram e logo foram limpadas, ele não gostava que o vissem chorar, ao se separarem Raissa deu um sorriso que foi correspondido.

- É tão bom estar com você... Parece que os problemas ficam menores.

- Também adoro estar com você – a garota responde ao comentário totalmente vermelha.

Ouvisse o telefone tocando, o barulho estridente era facilmente percebido, apesar de estarem no quintal, logo em seguida a mãe de Raissa avisa que Michael está no outro lado da linha.

Ligação ON

- Oi pai.

- Luke, nós vamos na sorveteira, venha conosco, traga sua namorada.

- Pai...

- Opa, quis dizer sua amiga, traga sua amiga e mais uma coisa: Lembra da sorveteira que te levei pela primeira vez?

- Sim lembro.

- Vamos pra lá.

Ligação OFF

Isso foi o suficiente para anima-lo, aquele lugar era especial para Lucas, foi ali que contou ao pai que sua mãe estava grávida por exemplo, depois voltou ali algumas vezes, apesar de ser apenas sorvete, parecia mais especial somente em ser apreciado em tal local e poder levar Raissa pra lá seria melhor ainda.

- Ei Pri, meu pai vai levar a gente pra tomar sorvete. Você pode ir?

- Acho que posso sim, vou me arrumar, espera um pouco?

- Claro.

[...]

- Estou bem animado, vou te levar em um lugar que eu adoro.

Os dois caminharam até a casa do garoto, a animação havia claramente voltado, nem mesmo o sol quente e brilhante poderia tirar tal alegria, o tempo inteiro o sorriso estampado no rosto do Scofield era retribuído pela amiga, ao chegarem na casa todos estavam prontos para sair, a sorveteria não era tão longe, porém longe o suficiente para se preocuparem com o horário.

- Boa tarde, senhor e senhora Scofield, obrigado pelo convite.

- Não foi nada, e não precisa chamar a gente de senhores, ok?

- Ok. – Logo em seguida abaixou-se para falar com o mais novo que estava distraído – Oi Mike, beleza?

O garoto balançou a cabeça em positividade, logo após deu um soquinho como cumprimento. A evolução que Mike fazia era evidente, apesar de terem descoberto a síndrome de asperge, a forma mais leve de autismo, a melhora e evolução de Mike era eminente.

- Eu vou trocar de roupa, bem rápido – Lucas se pronunciou entrando no quarto, minutos depois ele sai, estava com uma camisa social aberta por cima de uma camisa cinza, a mesma estava aberta e com mangas dobradas, sua calça era jeans escura e seu cabelo estava perfeitamente bagunçado, a contradição perfeita – Vamos?

- Uau... – A menina exclamou baixo, porém alto o suficiente para Lucas ouvir e dar um sorriso.

Todos se dirigem ao carro, as crianças entram primeiro, o mais velho abre a porta para a amiga e depois ajuda Sara a colocar Mike na cadeirinha, em poucos minutos já estão no meio do caminho. Periodicamente Michael ajeita o espelho para ver as crianças, em certo momento pisca para Lucas que fica vermelho, mas entendeu a mensagem, pegou a mão da bela menina ao seu lado e entrelaçou os dedos, não teve resistência, estava mais que óbvio que os dois inocentemente estavam gostando um do outro.

- Então... Qual sabor vão querer?

- Quero de morango – Sem sombra de dúvidas Lucas considerava o sabor preferido, como tudo naquele dia parecia especial, era a escolha perfeita – Adoro morango...

- Sei bem... Vocês com certeza vão adorar o dia de hoje.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...