História A quebra do costume - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Sakura Card Captors
Personagens Touya Kinomoto, Yukito "Yue" Tsukishiro
Tags Gay, Lemom, Toukito, Touya Kinomoto, Yukito Tsukishiro
Visualizações 277
Palavras 1.268
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Shoujo-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oioi, eu escrevi mais uma fic (?) Com um certo suor e vergonha também, pq esse é o primeiro lemon q eu escrevo JUSTO COM UM CASAL TAO BEBEZINHO DESSES
Eles são tão fofos, então sei lá, bateu uma ideia na minha cabeça e de algum jeito eu tentei passar isso para as palavras lol
Eu ainda não revisei mas espero que dê para curtir um pouco :'),

Capítulo 1 - Capítulo Único.


Em mais de umas idas na casa do Toya, acabara ficando tarde de mais e acabou ficando para dormir, não que tal fato fosse incomum, na verdade isso ocorria várias vezes, incontáveis roupas de Yukito já foram esquecidas no quarto de Toya, a presença do amigo já era costumeira e para o Kinomoto incrivelmente confortável e agradável, por conta disso já perdeu as contas de quantas vezes fizera o menor passar mais tempo lá e propositalmente faze-lo dormir em sua casa, claro que o Yukito não se importava muito, ele apreciava muito, de um modo imensurável ficar ao lado de Toya.


Estavam os dois um ao lado do outro deitados na cama de Toya, e o colchão no chão que originalmente foi posto para o Yukito estava totalmente esquecido pelos os dois, que apenas se concentravam nas pequenas carícias que um distribuía no outro, se pudessem viveriam apenas disso, apenas disfrutando desse contato, que o mesmo nunca passou de pequenos beijos calmos e abraços, tanto é que em um momento por iniciativa de Toya o beijo se aprofundou mais intenso que os outros e também mais duradouro, o contado afobado e o abraço forte apenas mostrava que eles estavam totalmente entregues ao sentimento momentâneo, pois quando o ar foi necessário os garotos se separam ofegantes, Yukito pelo o seu tom mais claro de pele estava incrivelmente corado, o rosto queimava igual ao seu corpo inteiro enquanto puxava o ar que podia pela boca, afim de se acalmar, Toya não estava muito diferente, mas aproveitou esse tempo para observar a face corada do garoto ao seu lado, a expressão dele era algo para ser guardado de forma preciosa, e faria questão de marcar muito bem isso em sua mente. Mesmo após esse beijo mais intenso, Toya queria se aprofundar mais, e conhecer melhor as expressões que o amado poderia fazer, será que ele conseguiria? Com tal pensamento e vendo que Yukito já não ofegava tanto, resolveu então, beija-lo uma outra vez, agora as mãos passeavam pelos corpos, apertando aqui ou ali, no fim a mão de Toya parou no pescoço de Yukito, que ao separarem os rostos com os rostos corados se encararam firmemente até que o moreno puxou o garoto mais perto de si, e precisamente abaixou um pouco e distribuiu vários beijos molhados e leves lambidas pela a extensão do pescoço do menor sendo ouvido baixos ofegos e sentido Yukito voltar a ficar mais ofegante e por fim deixou um chupão marcando-o, acabando por ouvir um pequeno gemido vindo da boca do menor, tão baixo que Toya escutou apenas por estar atento a todos os movimentos de Yukito, não querendo perder nada vindo dele, o olhou com um sorriso após o som, vendo o rosto completamente e mais ofegante ainda de Yukito. O garoto que sentia tudo seu corpo arder em chamas por esse contato tão íntimo e nunca experimentado, após sentir diversas buscadas em seu baixo ventre o sentiu dolorido e por uma vontade inconsciente se apertou mais a Toya e acabou por causar um pequeno atrito entre os seus corpos, acabaram os dois gemendo fraco pela fricção que os membros semieretos tiveram, Yukito estava tendo tantas novas sensações em tão pouco tempo, que estava totalmente entregue, apenas queria que Toya aprofundasse aquilo do modo que quisesse. Naquele momento o moreno estava tão preocupado de como fora a abordagem de tudo isso para o seu parceiro, será que teria problemas em continuar? A sua reposta foi respondida quando sentiu o membro de Yukito se chocando no seu, assim percebendo que o garoto também estava aproveitando. Porem o garoto mais novo não estava habituado a tudo aquilo, e sua parte íntima incomodava tanto e ele não sabia de como se livrar disso.

 

—T-toya... Está d-doendo...— O garoto fala de um modo falho e arrastado como um ofego, os olhinhos suplicando por ajuda, sem saber o que fazer o garoto aperta mais ainda os corpos, e soltando um gemido em seguida. Toya estava vendo tudo aquilo com os olhos brilhando, como o seu colega era tão inocente e fofo, ele sonhara com tal ações várias vezes, em como seria explorar mais o corpo do amigo, e agora era a hora, mas não iria com tudo assim tão rápido na primeira vez de um garoto que não tem nada de perverso na cabeça.

 

—Você confia em mim, Yuki? — o moreno disse baixo, encarando o garoto, vendo ele responder com um lento aceno de cabeça afirmando que sim com o rosto todo coradinho o encarando também.


        —Então me diga, você já de tocou aqui? — a mão do moreno desceu enquanto ele falava até o baixo ventre do mais novo, apertando o volume que estava presente e visível por cima das roupas. O garoto ao sentir esse toque arregalou os olhos e acabou por solta um gemido meio cortado chamando pelo o nome do moreno. Enquanto Toya massageava o menor, Yukito tentava responder um mísero “não” referente a pergunta anterior.
A resposta era clara para Toya, então continuou com o movimento brevemente, e logo subiu a sua mão para tirar os tecidos que impediam de um contato mais próximo entre eles, assim que a sua mão entrou em contato com o membro Yukito não conseguiu segurar o gemido e assim foi sequenciado pois a mão de Toya repetiu os movimentos de vai e vem, alternando de rápido para devagar, os gemidos agora estavam mais altos, e às vezes travando com o Yukito sem conseguir formular uma frase, o moreno só parou para abaixar seu pijama e juntar os dois membros e voltar a repetir aquela sequência de movimentos, agora o gemidos meio descompassados, ficando mais frenéticos e mais rápidos, os dois jovens apenas com concentrados no prazer que estavam sentindo, cada vez que ficava mais rápido, mais de ouviam gemidos cortados e nomes sendo ditos. Toya agradecia pela a visão que estava tendo, era tão lindo e excitante ver Yukito tão entregue gemendo o seu nome assim, ele pedia para qualquer divindade conhecida para que o perdoasse por tais pensamentos impróprios sobre o mais novo, mas também pedia para que pudesse ver essas e mais reações de novo.


Os movimentos mais rápidos e gemidos sem compreensão, ficaram mais frequentes, os gemidos de Yukito ficaram mais altos e rápidos, enquanto tentava formular alguma coisa que simplesmente não conseguia sair, apenas o nome do parceiro que foi dito pela a última vez quando um gemido curto e agudo foi deixado, seguido por um manhoso, espasmos corriam por todo o seu corpo após sujar seu abdômen e a mão de Toya que precisou de poucos movimentos para liberar seu gozo também, os dois parceiros ofegantes, corados e até mesmo suados estavam se recuperando do orgasmo, e pelo o tanto de gozo que o mais novo liberará, realmente numa havia se tocado lá em baixo, e isso trazia uma certa felicidade para Toya por ter sido o seu primeiro.


Depois de limpos os dois jovens voltaram a sua posição inicial, um virado para o outro trocando carinhos e sorrisos, agora muito mais envergonhados, por satisfeitos pelo ato anterior.

—Yuki, foi bom? — sem muita vergonha o moreno faz a pergunta que foi como uma bomba, que caiu e explodiu fazendo o menor corar dos pés a cabeça.

—T-toya...! — sentia o rosto muito quente mas se esforçou e respondeu. — S-sim... Foi.— Após conseguir formular a reposta no meio de toda essa confusão na sua cabeça, ele sorri sereno para Toya que retribui.

Após mais alguns beijos, Yukito abraçou Toya se aconchegando em seu peitoral e por fim os dois dormiram, com a precisa reconfortante um do outro.


Notas Finais


OK
Me perdoa os erros pfv
E se vocês acharam q ia ter penetração, fique sabendo que eu pensei em colocar, mas ELES SAO MTO BEBES PARA ESSA SAFADEZA
então era para ser bem de leves mesmo, me perdoem qualquer coisa, e se tiver erra me avisem pfv
Quem sabe um dia um escrevo um porn melhorzinho :')))


Até uma próxima ~~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...