História A queda de um deus - Capítulo 26


Escrita por: e RudyBlue

Postado
Categorias Mitologia Nórdica
Personagens Personagens Originais
Tags Deus Da Destruição, Deuses, Mitologia Nórdica
Visualizações 9
Palavras 768
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Magia, Misticismo, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Capítulo 26 - O resgate de Luna


O sol já estava se estava a por, eu rápidamente retirei o machado da parte traseira da minha roupa e agarrei me a uma das três cordas.

Angle elegantemente desembainha a sua espada, brilhando com o reflexo do sol, soltando o cabelo no vento abrio um portal de onde saia fogo no seu braço.

"Para onde leva esse portal?" Perguntei curioso.

"Leva para o inferno." Respondeu me ela.

"Sempre pensei que o inferno fosse frio como Helheim e no quente como Muspellheim." Disse esplicando o meu ponto de vista.

Ela sorriu e agarrou-se a corda que estava a minha direita, ficando no meio das três cordas.

Patrisha, retira um papel do bolso e começa a desenha-lo retirando de la de dentro a pedra da lua, a pedra parecia só mais uma rocha branca baça sem graça alguma, diferente de como eu achava q seria a que ia reviver a minha irmã, agarrando se a corda da direita, que era a última olhou para nós e disse. "Estou prontos?" 

"Sempre!" Respondemos em couro.

Nesse mesmo segundo deslizamos os três pelas cordas, ao olhar para trás vi a lua a levantar-se, estava na hora de resgatar Luna.

Ao chegarmos os três lá a gruta q era no meio do penhasco rapidamente avistamos Luna que estava petrificada, pela posição das minhas que ela estava parecia q estava num combate, com o arco empunhado na mão direita e com uma flecha na outra mão pronta a disparar, também notava-se q o seu cabelo voava no vento antes de ser petrificado.

Do nada a pedra da lua começa a brilhar intensamente, com esse brilho desbloqueamos uns versos em língua rastaiana e como consequência desse ato um golem ergue-se do chão.

"Patrisha lê isso em voz alta nós tratamos do Golem." Disse ativando o modo de fúria.

Angle colocou a espada dentro do portal e quando a retirou estava coberta por chamas, rapidamente ela coloca o portal q servia de escudo a sua frente e a espada apontada para o golem.

Eu saltei o atrás dela, erguendo o machado(eu n sei se cheguei a dizer mas o machado é um daqueles machados de guerra que tem dois lados) apenas com a mão esquerda e colocando a mão direita pelo lado para asseguir ao ataque poder sobir mele.

Mas não valeu de nada assim que Angle bateu lhe com a espada a lâmina foi desviada e o impacto n causou dano nenhum nem a espada nem ao golem.

Quando darei contra a criatura a repulsão foi tanta q atirou o machado para longe, mas ainda consigo subir na besta.

"Já sei oq é." Disse Patrisha impolgada. "Para o golem derrotar e a deusa salvar as suas costas terás de transpassar e no seu peito a pedra colocar."

"Já sei como o fazer!" Disse eu colocando a minha mao direita na cara da criatura e espetando as garras de ondem supostamente era o olho. "Angel espeta-lhe a espada atrás e tu Patrisha coloca-lhe a pedra no peito quando abrir."

Então eu tapei completamente a visão do colosso, rapidamente Angle coloca a espada nas costas da criatura, fazendo com q  ele abrisse o peito em luz, então Patrisha atirou a pedra lá para dentro.

Rápidamente o golem desfez-se.

"Finalmente." Disse eu deitando-me sobre os destroços.

Senti uma flecha a assertar o meu peito, então olhei para Luna. "Quem são vocês? E oque querem de mim?" Disse ela puxando outra flecha

Eu retirei a flecha do peito, levantei me e respondi. "Eu sou Airoon Twila e vim para te resgatar."

"De onde vens e como tens o meu nome?" Respondeu ela puchando mais a flecha.

"Eu vim do passado, sou o teu irmão, somos filhos de Odin do norte antigo e eu vim para saber se eras real." Respondi enquanto me baixava para agarrar o meu machado.

"Parado aí, deixa o machado no chão." Disse ela enquanto abria uma ferida com uma flecha no braço e envolvendo-a em sangue. "Se fores quem dizes que és isto não te magoará."

Então ela fez sinal para Patrisha e Angle saírem de trás de mim, puxou a flecha o mais apertado que podia, estava tão apertada q o seu arco começou a estalar, quando ela o solto as paredes começaram a tremer e a cair, a flecha atravessava-me sem causar qualquer dano, assim que olhei sobre o meu ombro notei que tinha criado um buraco circular prefeito.

Luna abriu a boca, estava incrédula. "Não acredito, fala me mais sobre ti. Como é que me achaste?"

"Eu conto te amanhã, já está tarde." Disse enquanto me deitava no chão frio.

Ela n consiga acreditar. "N é possível, eu tenho um irmão e nunca soube, também nunca soube quem é a minha família e agora tenho oportunidade." Pensou ela para dentro.


Notas Finais


Está é a segunda vez q escrevo este capítulo.
E da primeira vez tinha ficado melhor.
Obg site.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...