1. Spirit Fanfics >
  2. A quem não podia amar >
  3. Capítulo Único

História A quem não podia amar - Capítulo 1


Escrita por: e JHopeWorld_


Notas do Autor


Antes de mais nada eu gostaria de agradecer a o projeto @Jhopeworld_ por ter me dado a oportunidade de escrever essa fic💜

Oii flores do meu jardim tudo bem como vocês?espero que sim.Na minha opinião eu gostei mt dessa fic e espero de verdade que gostem também

Betagem:@JungHLeeh
Capa:@JikookUttedd

Boa leitura📖

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction A quem não podia amar - Capítulo 1 - Capítulo Único

Hoseok estava sentado, inquieto, com as pernas trêmulas, e suas mãos suadas juntas à sua testa. Não podia acreditar naquilo que via, era como se tivesse voltado ao tempo de faculdade; o sorriso gengival e pequeno, os olhos diminutos e a altura de Yoongi sempre encantaram a Hoseok, seu amigo de faculdade e seu primeiro amor, que agora está ali, se casando com outra pessoa.

Apesar disso, pensou que ele realmente merecia ser feliz com alguém, mesmo que não fosse o próprio rapaz. Talvez estivesse apenas torturando a si mesmo, ele supunha.

Analisava o convite em que se via os dois na foto, beijando um ao outro com a palavra "casamento" impressa acima, o qual Hoseok ainda não havia pensando que fosse verdade, pois a vida pregava peças.

Após o noivo entrar, todos se levantam imediatamente, enquanto uma das menininhas, que foram convidadas para serem damas de honra, jogava pétalas de rosas brancas sobre o tapete vermelho que forrava todo o centro da igreja.

Ao chegar sobre o altar, Yoongi dá um pequeno selar em Jimin, este que sorri, e dão as mãos.

ㅡ Estamos aqui para reunir um casal, que superou a todos empecilhos e obstáculos para estarem juntos. Que se amam de forma linda e incondicional, e nos mostram o que é amar. Você, Min Yoongi, aceita se casar com Park Jimin?

ㅡ Eu aceito — diz Yoongi e então Hoseok se levanta com os olhos cheios de lágrimas, as quais era incapaz de esconder, chamando a atenção das pessoas na cerimônia.

ㅡ Tenham uma boa cerimônia e felicidades ao casal — diz Hoseok baixo, mas alto o suficiente para o casal da frente virar em sua direção, porém ele não se importava, não queria continuar a ver aquela cena.

Saiu da igreja apressadamente indo a qualquer lugar bem longe dali. Hoseok se sentia egoísta por não conseguir apoiar Yoongi, ao mesmo tempo que se sentia machucado e vulnerável por não ser capaz, de pelo menos, fingir que estava feliz pelo casamento.

Se sentou sobre um banco de um parque e suspirou alto enquanto folgava a gravata que estava em seu pescoço, retirou a mesma e passou uma das mãos em seus cabelos.

ㅡ E aí, cabeça de cavalo! — exclamou Taehyung, seu colega de trabalho irritante.

ㅡ O que você quer, Taehyung? — perguntou Hoseok com a voz fraca, porém autoritária.

ㅡ Eu que lhe pergunto! Você odeia parques, e também odeia ternos. O que está acontecendo? Foi à uma comemoração? — perguntou Taehyung que, apesar de demonstrar falta de interesse pelo moreno, gostava de irritar o mesmo. Entretanto, naquela situação, ele só queria ajudá-lo.

ㅡ Foi… Eu só… — Começou a falar, porém sentiu sua garganta travar e as palavras sumirem.

ㅡ Venha, nada melhor que um soju para relaxar a mente — diz Taehyung, fazendo uma careta para tentar animar o moreno.

ㅡ Aish, sinceramente — responde o rapaz ao se levantar, e partem em direção ao bar mais próximo dali.

Minutos Depois...

Hoseok via o mundo rodar, mas a tristeza não saía de si enquanto perdia sua sanidade. Ele pegou mais uma garrafa, porém esta foi tomada de Hoseok por Taehyung.

ㅡ Já chega, Hoseok — diz um Taehyung autoritário. Contudo, o moreno não o escutou, e apenas a tomou das mãos de Taehyung e voltou a beber.

ㅡ Desde quando você se importa Taehyung?! A única coisa que você sabe fazer é pirraça, porque você faz sempre o que quer fazer — diz Hoseok, as palavras enroladas e sem muito nexo.

ㅡ Eu estou gastando meu dinheiro com essa porra de soju e é assim que me agradece? Aish… — diz Taehyung ao coçar a nuca, aquilo tinha sido uma péssima ideia.

ㅡ Sabe meu colega de faculdade? Aquele garoto que eu tenho a foto no meu escritório? Ele acabou de se casar… Era para eu estar feliz por ele, mas por quê dói tanto? Talvez, se tivesse falado para ele sobre meus sentimentos, agora eu não estaria na porra de um bar com um colega de trabalho, bebendo. — Exaspera Hoseok enquanto seus olhos se debulhavam em lágrimas.

Taehyung olhou para ele e respirou fundo, enquanto bateu levemente em suas costas.

ㅡ Você tinha medo, não era? De que ele te rejeitasse? — perguntou Taehyung olhando para Hoseok, o qual o encarava.

ㅡ É, talvez fosse apenas insegurança, ou porque eu não seria bom mesmo para ele, afinal de contas, ele está feliz com Jimin, não é? O que eu tenho a reclamar? — diz Hoseok, rindo sarcasticamente.

ㅡ Mas, e você? O que pretende fazer? — indagou Taehyung, e Hoseok o olhou torto.

ㅡ Por acaso você ‘tá fazendo psicologia reversa? — respondeu com uma pergunta, fazendo uma careta e Taehyung riu.

ㅡ É que eu li um artigo, sabe como é, às vezes é necessária a tentativa — diz Taehyung, e Hoseok gargalha.

ㅡ É, talvez essa caralha seja necessária. — O moreno concorda.

ㅡ Pensei que não gostasse de palavrões — diz Taehyung, porém Hoseok nega com a mão.

ㅡ Há muitos coisas que você não sabe sobre mim, Tae. 

ㅡ Estou gostando de descobrir esse seu novo lado — diz Taehyung ao sorrir.

ㅡ Você é muito bonito, Tae — diz Hoseok e Taehyung ri de sua frase.

Hoseok sempre admirou de longe Taehyung, logicamente que estando sóbrio jamais admitiria algo assim. Talvez a bebida realmente fosse uma inimiga a si, ou quem sabe, uma amiga.

Taehyung, por outro lado, sentia muitas coisas pelo moreno, mas temia que apenas estivesse dizendo aquilo por conta da bebida ingerida, ao mesmo tempo que estava bobo pelas palavras pronunciadas por seu hyung.

ㅡ Você também é muito bonito, hyung. Acho que eu estou começando a agradecer a bebida por isso — diz Taehyung, envergonhado.

Seus olhos eram como diamantes que brilhavam intensamente sob a luz das lâmpadas fortes, seu sorriso iluminava o mundo; sua concentração e dedicação impressionavam a Taehyung, tudo que Hoseok fazia ficava simplesmente perfeito. Entretanto, tinha medo que estivesse sendo apenas um bobo. Afinal, Hoseok parecia amar outra pessoa, e sabia sobre o risco de ser rejeitado no seguinte, todavia, sabia que talvez fosse sua última chance.

Taehyung toca no rosto de Hoseok e abre um pequeno sorriso ao olhar cada detalhe de rosto, ficou assim por uns segundos, admirando o mais velho, até tomar coragem necessária para fazer aquilo.

ㅡ Seja verdadeiro consigo mesmo, essa é a chave para se aprender a amar — diz Taehyung que concentrava seu olhar nos lábios do moreno a sua frente, foi se aproximando lentamente com os dedos alojados no queixo de Hoseok. Selou os lábios em um selar suave e romântico.

Hoseok retribuiu o beijo com intensidade, sentindo os lábios alheios. E nossa, como aquilo era bom.

O cheiro de álcool de Hoseok invadia as narinas do maior, mas ele não se importava com aquilo, apenas queria fazer algo naquela noite que jamais seria capaz de concretizar se estivessem sóbrios. Realmente, ele estava louco e iria se arrepender quando acordasse. A bebida é realmente um perigo. 

Após Taehyung separar os seus lábios, Hoseok olhou para ele sem esboçar nenhuma reação, e então o arrependimento veio no mesmo momento em que fitou Hoseok.

Resolveu que era hora de sair dali. Pegou sua mochila, a colocou nas costas e apoiou um Hoseok cambaleante pela cintura e um braço envolto em seus ombros. Aquilo tinha sido um completo erro, pensava Taehyung.

Após ter colocado Hoseok com delicadeza no banco de trás do carro, fazendo questão de o deixar o mais confortável possível, sentou-se no banco da frente e começou a dirigir a caminho de seu edifício. Sentimentos eram tão difíceis, principalmente quando se tratava do amor, uma palavra que era definida por apenas um único significado.

Existem amores unilaterais, amores recíprocos, amores à primeira vista, amores vazios e vários outros que às vezes, mesmo sendo ruins ou bons, são formas de amar.

Taehyung não entendia qual tipo de amor sentia ou qual relação gostaria de ter com Hoseok. Seu coração palpitava quando estava perto dele. Por que ele tinha que se apaixonar justamente por ele? Afinal, lá no fundo, sabia que ele amava aquele babaca de sua faculdade.

Ele queria muito desistir de Hoseok, e até mesmo mudou de mesa no trabalho, para um local mais afastado, para simplesmente tentar ignorar aquele sentimentos que havia criado pelo rapaz.

Após chegar ao edifício e colocar seu carro no estacionamento, Taehyung notou que o moreno estava desacordado e abraçado à mochila que anteriormente havia feito como travesseiro.

Ele sorri, e cuidadosamente retira as mãos de Hoseok que envolviam a mochila, pegou o mesmo no colo e entrelaçou os braços alheios em seu pescoço e o levou para seu apartamento. Analisava o mesmo com a boca entreaberta e os cabelos bagunçados; para ele, Hoseok parecia lindo de todas as formas, e estar ali, com ele, o deixava eufórico, mesmo não querendo estar com ele numa situação como aquela.

Ele abre a porta do apartamento e vai direto para o quarto, logo colocando Hoseok deitado em sua cama e o embrulhando. Taehyung não era do tipo romântico ou que seria capaz de colocar as prioridades dos outros acima das dele, mas, com o moreno ele sentia a necessidade de protegê-lo e ajudá-lo.

Respirou fundo, pegou a toalha e foi se banhar. Enquanto passava as mãos em seus fios um tanto crescidos, se recordava das memórias vagas de quando trabalhava com Hoseok. A verdade era que ele não gostava daquele trabalho, ele gostava de trabalhar com seu hyung.

Após alguns meses na empresa, havia percebido que as coisas tinham mudado, pois começou a ver Hoseok não apenas como um amigo, mas muito além disto, porém se recusava a ter esse sentimento por ele. Era para serem apenas parceiros de trabalho. Então, após tantas lutas para esconder seus sentimentos, decidiu se afastar. Ele não havia se afastado por não achar que Hoseok era a pessoa certa, ele estava com medo pois sabia que ele era.

Após terminar seu banho e vestir roupas limpas, foi para o quarto e sorriu ao se sentar sobre a cama, próximo ao moreno, e acariciar os cabelos do mesmo.

ㅡ Não chore mais pelos outros, isso não combina nada com o seu sorriso bonito. Ame alguém que seja capaz de te amar inteiramente a cada batida de seu coração, que sempre esteja em seu lado, aceitando cada pedacinho seu — disse Taehyung, ao derramar algumas lágrimas involuntárias. — Eu sempre estarei aqui. — Emitiu por fim, e depositou um beijo na testa do moreno.

ㅡ Eu sempre estarei aqui por você também, Taehyung — afirmou Hoseok, se levantando e fazendo Taehyung se espantar.

ㅡ V-você… Ouviu tudo? — perguntou Taehyung e Hoseok assentiu.

ㅡ Ouvi sim, apesar de estar um pouco embriagado, ainda tenho bons ouvidos, sabia? — Taehyung riu diante disso. ㅡ Você ainda quer tentar? — Hoseok indaga, e Taehyung o olha confuso.

ㅡ Tem certeza? — O moreno assentiu sorrindo. 

ㅡ Nunca tive tanta certeza em minha vida como tenho agora… O que está esperando, Tae? — Ao ouvir essa pergunta, Taehyung atacou os lábios do moreno.

O amor não se baseia somente no fato de gostar de alguém. Se baseia em o apreciar sinceramente, em estar presente com todo o seu ser. É ser alguém que o motive a viver todos os dias; a ser alguém melhor, a ser uma inspiração. Que te ensine que amar; é a melhor coisa que existe, para quem não tinha esperanças de poder amar algum dia.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...