1. Spirit Fanfics >
  2. A quiet place: Part II -Klance >
  3. Pequeno treinamento

História A quiet place: Part II -Klance - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Madruguei de novo 😆

Adivinhem quem é o lindo da capa.

Capítulo 9 - Pequeno treinamento


Fanfic / Fanfiction A quiet place: Part II -Klance - Capítulo 9 - Pequeno treinamento

Zack 


Eu estou com medo? Sim. Vergonha? Nem me fala. Cara, como eu vou olhar para a cara do Shiro agora? Mano, minha situação está difícil. 

Por sorte, Kaneki me tira dos meus pensamentos, puxando a base do meu capuz para baixo. Pelo visto, ele acordou. Quando chegamos no quarto, deitei na cama e o deixei em cima do meu peito. Com isso, eu acabei dormindo por um tempinho também. 

Ele ainda está em cima de mim. Quando olho para ele, o vejo sorrir. Sorrio também, fazendo carinho em seus cabelos. Me sento na cabeceira da cama recostando a minha cabeça na cabeceira da mesma, ainda com ele em meu colo. 

-Não sei se você me entende, mas, se entender, só quero que saiba que os meus sentimentos por você não vão diminuir, mas sim, fortalecer cada vez mais. Não me importaria de esperar 100 anos. Eu ainda estaria aqui, pronto para te proteger de tudo e todos. -começo a falar. -Porque, o que eu sinto por você não é só amor adolescente. Não são apenas hormônios à flor da pele. Não é uma paixãozinha qualquer que vai diminuir gradativamente com o tempo. Você é o meu famoso "felizes para sempre" ou "até que a morte nos separe". Você é o meu amor. 

Eu encostei a cabeça na parede, tendo total noção de que ele não tinha entendido nada do que eu havia dito. Então, sinto ele se remexer no meu colo. Quando abaixo o olhar, vejo que ele está tentando ficar de pé. O ajudo com isso e ele estende as mãos para o meu rosto. Ele começa a puxar as minhas faixas meio desajeitado, e eu não o impeço. Logo, todas as bandagens estão no meu colo. Ele olha para mim e dá um sorriso. Além dele, só Keith e Lance já viram o meu rosto. 

-Isaac. -e aí eu congelei. Ele pronunciou o meu nome sem nem gaguejar. -Zack. Zack! -e agora o meu apelido. Eu juro que fiquei com muita vontade de chorar. Eu segurei seu queixo e levantei seu rosto. Depositei um beijo em sua testa e ele sorriu. 

-Eu espero. -sussurrei. -Eu juro pelo destino da humanidade que te espero. São só dezesseis anos. Depois disso, você não me escapa, garoto. 



Keith 



Quando terminei a minha conversa com o meu irmão, já era de noite. Ele tinha que fazer mais algumas colheitas lá fora, então eu fui para casa. 

Resolvi ir ver como o Zack estava depois do ocorrido. Quando entrei no quarto, vi ele de bruços na cama, sem as faixas desenhando alguma coisa. Kaneki estava nos ombros dele, apoiando as mãos na cabeça observando ele desenhar. Que cena fofa. 

-Oi. -chamei. Os dois olharam pra mim. 

-Ele ainda quer me matar? -Zack pergunta. 

-Não. Ele já aceitou. Na verdade, está até pensando em um jeito de te pedir desculpas. -digo rindo. E é verdade. Shiro veio de lá até aqui pedindo a minha opinião sobre as idéias de pedir desculpas. Uma mais maluca que a outra. 

-Ah, não precisa. Eu meio  que entendo. -ele fecha o caderno e tira Kaneki com cuidado de suas costas. -Precisa de algo? 

-Sim. Queria te fazer umas perguntas sobre os meus...poderes. 

-Oh, claro. Pera aí. -ele se levanta e deixa Kaneki sentado em uma cadeira confortável encostada na parede do quarto. Volta a se sentar na cama, dessa vez em posição de lótus. -Vem cá. -ele pede. Eu me sento na frente dele, também em posição de lótus. -Primeiramente, você tem algum isqueiro aí? 

-Ah, tenho. -eu retiro de um dos bolsos um antigo isqueiro que Allura me deu. Já fazem anos, e ele ainda está novo, já que eu nunca usei. -Mas pra quê? 

-Bom, inicialmente, você vai precisar dele. Pois primeiro, você precisa aprender a controlar o fogo e só depois aprender a produzi-lo. Mas vai ser um pouco complicado. -ele diz colocando a mão no queixo. 

-Por quê? 

-Porque os seus poderes nunca foram ativados antes. Vamos ter que dar um jeito de ativá-los. 

-Como? 

-Bom, vamos tentar sentimentos. 

-Que tipo de sentimentos? 

-Sei lá. -ele admite. -Sou vidente, não um descendente. Só vamos começar os testes. Vai pensando em memórias que te fazem feliz, triste, bravo, e por aí vai. Aí, vemos se dá algum resultado. 

Eu suspiro, acendo o isqueiro, ergo a minha mão e me concentro. Fui de memória em memória até chegar ao pedido que Lance fez a mim. Neste momento, o fogo mudou para o formato de duas alianças entrelaçadas. 

-Wow. -eu disse, impressionado com as minhas próprias habilidades. 

-Irado. Espera, vocês vão se casar? -ele pergunta rindo. 

-Putz! Você tá aqui há quase uma semana e a gente não contou. Sim, eu e o Lance vamos nos casar.

-Nossa, que incrível! Quando? 

-A gente ainda não sabe. Talvez quando tudo isso acabar. 

-Então, agora, eu tenho mais uma motivação para acelerar vocês com seus poderes! -diz animado. -Vamos nessa! Segundo teste! 

-Ok, professor. 

-Tente manipular o fogo dessa vez. Pense nas motivações que você tem. Isso deve ajudar. 

Então, acendo o isqueiro mais uma vez. Concentro minhas energias e começo a pensar. Movo a mão para o lado e o fogo segue o meu movimento. Giro o pulso num movimento constante e as chamas rodeiam o meu braço em espiral. Então, eu movo o braço para cima, fazendo o fogo voar e se dissipar no ar. 

Zack me olhou sorrindo. Íamos falar alguma coisa, mas somos cortados por um raio de gelo passando entre nós e atingindo a parede. Olhando para o outro lado, vemos Kaneki rindo e batendo palmas. 

-Ai, meu Deus. -eu disse colocando as mãos sobre a boca. 

-Achei que iríamos demorar mais para achar o descendente da Rainha da neve. Eu tava errado. -ele diz. -Caramba, a minha Byfrosth é um bebê de um ano de idade e, ainda por cima, o descendente do gelo. Que rumo a minha vida está levando? 

-E agora? 

-Agora, ele tem que ficar sobre vigilância constante. Minha, sua, do Shiro ou do Lance, de preferência. 

-Ok. Eu vou falar com o Lance e com o Shiro mais tarde. -dou um suspiro. -Mais alguma lição? 

-Ah, já está de noite. Acho que por hoje está bom. Já é um grande progresso para o primeiro dia. -ele diz sorrindo. 

-Ok. -eu me levanto e vou até a porta. -Boa noite, Zack. 

-Boa noite, Keith. 

Assim, eu saí do quarto, desci as escadas, saí da casa e fui para o celeiro. Lance já deve estar me esperando. 



Zack 


Depois que o Keith saiu, achei melhor colocar o Kaneki no berço. Também saí do meu quarto com ele em meus braços e andei até o quarto no final do corredor. 

O coloquei no berço, mas ele puxou a minha mão. Então, fiquei esperando com a outra mão apoiada no berço. Nesse meio tempo, eu tive uma pequena visão que eu não vou esquecer tão cedo. 

Ele estava deitado de bruços olhando para mim. Mas não era um olhar qualquer. Era aquele tipo de olhar. 

Quando ele finalmente dormiu, retirei a minha mão com cuidado e saí devagarinho do quarto, indo em direção ao meu. 

Me joguei na cama, dando um suspiro pesado.

Esse moleque vai me dar trabalho.
















Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...