1. Spirit Fanfics >
  2. A Rainha do Caos >
  3. A silhueta estranha

História A Rainha do Caos - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Hiiii, bom decidir trazer mais um cap. hoje pra tô bem inspirada. Espero que gostem!
Boa leitura!!

AVISO: Nos capítulos a seguir pode conter algum erro de ortografia, falta de acento, vírgulas, pontos, linguagem informal etc. Me desculpo desde já e obrigada pela atenção.

~ tia Ana.

Capítulo 2 - A silhueta estranha


"A FILHA DO CAOS" 

ep.02 

Quando... 

Era Willy... Um garoto do 2 B, como eu sou do A eu nunca conversei com ele, mas já ouvi minha amigas falando dele. "Ele é um deus", "tão lindo", entre outras coisas. Devo admitir, ele realmente é bem bonito. Seus cabelos castanhos, e os olhos negros, era realmente encantador, sua beleza era bem... Surreal... 

Ele me fixa com seus olhos negros, me deixando desconfortável. 

- O-o que você quer? - Alicia Carter

Minha voz falha. Ele apenas me olha uma última vez e se aproxima de mim. 

Automaticamente meu corpo se mexe me levando para trás. Quando parei para ver ele já estava perto o bastante me olhando fixamente, me deixando mais nervosa e apavorada. Não sabia o que ele ia fazer, nunca conversei com ele. 

Ele é o típico menino quieto, misterioso, e que raramente você vê ele. Mas por sua grande quantidade de beleza todas sabem quem é Willy. 

- Está tarde. - Willy

- É-é eu sei! - Alicie Carter 

Essa situação estava me deixando um tanto quanto nervosa. Ele estava muito próximo de mim. 

Sinto minhas bochechas queimarem, com certeza eu estava parecendo um pimentão! Por conta da vergonha eu virei o meu rosto, fazendo o possível para eu não olhar nos seus olhos. 

- Por que está sozinha aqui na escola tão tarde assim? - Willy 

Ele dizia tão calmo. O que me deixava mais nervosa ainda. 

- É sua culpa! Foi você que me deixou assustada me fazendo perder o horário do ônibus! - Alicia Carter

Ao concluir a frase, nossos olhos se encontram. 

- Você ficou assustada? - Willy 

Ele diz mais calmo ainda, e se aproxima mais. 

- É-é... B-b-bom, sim... - Alicia Carter

Isso está me deixando profundamente nervosa, eu estou me enrolando toda, minhas mãos estão doando gelado e minha garganta está seca. Esse maldito está fazendo isso porque sabe como eu reajo a isso tudo?! 

- Me desculpe. - Willy 

Ele passa os seus dedo delicadamente em algumas mechas do meu cabelo. Eu me afasto um pouco. Já estou cansada desse joguinho! 

- Bom, vou indo. Se você não tem mais nada para me falar. - Alicia Carter

Digo firme, colocando um fim naquela situação desconfortável. 

Me viro e sigo o corredor com a cabeça erguida, orgulhosa de mim mesma. Quando sinto algo agarrando meu pulso. 

- Você... - Willy

Ele me puxa fazendo eu ficar de perto do seu corpo. 

- Aonde você mora? - Willy

- Quê? Eu não vou dizer aonde eu moro! - Alicia Carter

- Está tarde... - Willy 

- Jura? Eu sei que está tarde! Então me deixe ir para casa. - Alicia Carter

- Tá bom, como queira... Mas eu ouvi falar que estão sequestrando mulheres jovens e bonitas. - Willy 

Que ridículo! Eu não irei falar aonde eu moro para esse cara! 

Mas... Eu vi no jornal... E estão realmente sequestrando mulheres jovens... 

- E uniformizadas... - Willy 

Quê! Calma... Eu sou jovem, minha beleza não é daquelas e estou uniformizada! 

Mas... Isso deve ser mentira! Ele deve estar falando isso apenas para se aproveitar! 

Mas... E se realmente isso acontecer?? E se eu for sequestrada? O ônibus já foi embora faz tempo, e não tem outro ponto aqui de perto, se eu for em um outro ponto de ônibus vai ser quase o caminho de casa... E ela não é perto da escola. 

- Tá! Você vai me acompanhar? - Alicia Carter 

- Esse era o plano.. - Willy 

- Ok, você vai me acompanhar até a minha rua, o resto eu vou sozinha! - Alicia Carter 

Nem a pau que vou mostrar aonde eu moro, não sei o que esse cara planeja, mas será pior se eu for sozinha. 

Ele apenas afirmou com a cabeça e enterrou suas mãos no bolso da calça. 

Caminhamos para fora do prédio em silêncio, um silêncio predominante e estranho. 

Eu tentei dar início a uma conversa alheia. 

- Então... Tá bem frio hoje né. Esse tempo é estranho. - Alicia Carter 

- Uhum. - Willy 

Mas ele é incrivelmente chato e quebra meus assuntos. 

Andamos em silêncio por um bom tempo, enquanto andávamos eu admirava a cidade e via o quão bom era andar de vez em quando. 

Ele permanecia com as mãos no bolso, sem pronunciar uma única palavra. Aproveitei o silêncio e respirei fundo, deixando meus olhos pesados fazendo os mesmo se fecharem, e soltei o ar logo em seguida, abri os meus olhos e olhei para o lado. 

Ele estava me olhando, e quando percebeu que eu estava olhando também ele vira imediatamente, com um certo rubor nas bochechas. Solto uma pequena risada e ele me olha novamente. 

- O que ouve? - Willy 

- *risadinhas* Nada, nada... *risadinhas* - Alicia Carter

- O que? Anda, me fala! - Willy 

- *risadinhas* Já falei que não é nada! - Alicia Carter

Ele bufou e volto com as mãos no bolso, isso me divertiu um pouco, ver ele curioso e irritado foi muito bom. 

Cheguei na rua da minha casa e me despedi dele. Fui caminhando até a minha casa. 

Quando as luzes dos postes se apagam, isso me assusta, mais continuo caminhando. Vozes ecoavam pela rua escura. 

"A filha de Asmodeus está aqui." 

"Desperte menina" 

"Rainha da noite" 

"Primogênita do demônio da luxúria" 

"Acorde" 

Essas palavras estranham ecoavam pela rua, me deixando confusa. 

Eu parei e prensei minhas mãos em meus ouvidos, bloqueando qualquer tipo de som. 

Porém as vozes continuavam. E isso foi me deixando mais e mais confusa. 

Quando sinto mãos sobre as minhas pernas. 

Não sabia o que era aquilo, sombras em formas humanas, se rastejando no chão e me puxando para baixo. 

Eu fiquei paralisada, e horrorizada. Minha garganta não emitia nem um tipo de som, ela simplesmente trancou e eu não conseguia dizer nada, as lágrimas vieram, não conseguia piscar. 

Eu tentava me mexer mas não conseguia. Por algum motivo consegui dizer uma coisa, na verdade eu não disse. 

Eu gritei. 

- Aaaaah!!!! - Alicia Carter 

Foi um grito de horror, eu estava em choque com tudo isso, não parava de chorar e não consegui mais fazer nada além de gritar, gritar e gritar. 

Aquelas coisas estranham estavam me puxando para baixo. 

Eu olhei para cima e gritei, só conseguia fazer isso... 

- Socorro... Por favor... Alguém... - Alicia Carter

Minha voz saia cada vez mais falhada e baixa.

Quando, naquele momento. 

Um anjo veio me ajudar, um anjo das assas negras, que cobriam os céus. 

Veio me resgatar... 

- Me... Ajude... - Alicia Carter 


Continua...


Notas Finais


É isso genten, até o próximo cap
Vlw flw


~ tia Ana


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...