História A rainha e a princesa - (primeira temporada) - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Cora (Mills), Cruella De Vil, David Nolan (Príncipe Encantado), Dr. Whale (Dr. Victor Frankenstein), Emma Swan, Henry Mills, Lacey (Belle), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Vovó (Granny), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma, Emma Swan, Evil Queen, Lesbicas, Magia, Morilla, Once Upon A Time, Ouat, Regina, Regina Mills, Swaen, Swanqueen
Visualizações 60
Palavras 3.489
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Ficção, LGBT, Literatura Feminina, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capitulo cheio de surpresas

Capítulo 10 - Capítulo 10


Regina


Semanas depois...


  Emma me contou que confrontou minha mãe, até então ninguém mais nos incomodou. Zelena e Ruby estavam com o relacionamento a todo vapor e Belle não havia se manisfestado, entao eu e Emma resolvemos deixar essas questões de lado, principalmente nesse momento.


Hoje a tarde seria a inauguração da cafeteria, estavamos nervosas desde muito cedo, Emma mal conseguiu dormir, ficou a noite toda se mexendo na cama. E eu não dormi porque não estava conseguindo aguentar a ansiedade. Depois de tentativas falha levantamos as 6:00h, tomamos um banho juntas na banheira, aproveitamos para relaxar. Entao descemos para a cozinha, iriamos tomar café antes de começar a nos preocupar com roupa e maquiagem...


Conversamos sobre cada detalhe, era um momento importante para Emma pois pela quantidade de pessoas da imprensa que confirmaram presença, o trabalho dela seria muito divulgado.


- Sabe amor... - Emma começou a falar. - Acho que Deus nos dá sempre uma única oportunidade de sermos completamente felizes. - Presto atenção em cada palavra, Emma então deixa algumas lágrimas rolarem pelo rosto, pega na minha mão e fala. - Um amor verdadeiro é assim... Enfrenta tudo e chega pra nos virar do avesso, e daí descobrimos que na verdade o lado certo é esse.


Nos beijamos e sinto como se nada, nem na terra ou no céu poderia nos separar. Eu e Emma fomos feitas uma para a outra, nos completavamos e nos doavamos uma a outra, sem medo.


- Preparada para ser apresentada como namorada da Regina Mills? - Pergunto e ela ri.


- Olha. - Ela sorri de uma forma que jamais havia visto. - Eu estou preparando o terreno pra mudar esse título.


- O que? Como assim? - Pergunto.


- Talvez seja cedo ou tarde. Mais de uma coisa eu tenho plena certeza. Eu amo você! - Sorrio. - E eu não quero ser apenas sua namorada, quero ser sua esposa.


- Espera... Você?? - Não estava acreditando que Emma estava fazendo o que eu estava imaginando.


- Não faz muito tempo que namoramos. E sei que avançamos todos os sinais possíveis, tudo foi tão rápido,confuso e inesperado... Mas Regina, sabemos que já tivemos muito além do que essa vida pra nos conhecer. Então se me casei com você uma vez, sei que a melhor escolha que poderia fazer agora... - Emma tira uma caixinha do bolço. - Era me casar com você novamente.


- Aí meu Deus...- As lágrimas caiam do me rosto, eu estava muito impressionada. - Eu aceito. - Emma colocou uma aliança dourada no meu dedo agora era oficial, somos noivas.

Emma


Depois que Regina disse sim, apenas pude confirmar que a cada segundo eu amava ela mais. Sei que para muitos isso seria muito cedo ou arriscado. Mas eu E Regina já estavamos morando juntas, temos um passado que comprova esse nosso amor, porque esperar algo que é óbvio?


Sabia que tinhamos muitas lutas pela frente, mas sinto que essa inauguração da cafetaria iria mudar minha vida, então que essa mudança seja completa e plena, assim como está sendo viver ao lado da Regina Mills.

Inauguração ...

Estavamos comprimentando vários empresarios,pessoas aleatórias e a imprensa. Regina trajava um vestido cor vinho com um decote generoso, fiz questão de acompanha-la e coloquei um vestido vermelho, mas curto. Henry estava conosco e vestia um terno infantil completo e arrancava vários elogios de todos. Posavamos juntas para a fotos e deixa-mos claro que eramos noivas. Zelena chegou no meio de uma dessas entrevistas e nos puxou de lado.


- Noivas? Mas como? Mal colocaram a aliança de namoro? - Regina ri e responde.


- Sis... Acha que precisamos esperar por algo que esta estampado? Juro que também fiquei impressionada com o pedido da Emma mas...


- O que a Emma que pediu? - Olho pra ela e falo mais perto do seu ouvido.


- Mas... - Continuo o que Regina iria falar. - Se enfrentamos até o tempo para estarmos juntas, acha que vamos ligar para fases?


- Wou! Ok. Agora eu fiquei arepiada. - Diz Zelena e nós rimos. - Preciso tomar uma atitude com a Ruby. - Regina ri.


- Só porque vou casar ? Tá com medo de ficar pra titia? - Zelena mostra o dedo do meio pra Regina e vai até Ruby que estava encarregada de cuidar do Henry essa noite.


Varios donos de empresa estavam pegando meu Email, queriam fazer propostas. Eu estava completamente feliz com essa oportunidade e não podia deixar de agradecer a Regina.


- Amor... Sabe a cafeteria é sua. - Regina ri. - Mas tenho leve impressão que isso está contribuído mais pra mim do que pra você. - Regina sorri e me diz.


- Sua felicidade é a minha meu amor. Apenas apostei no que era óbvio. Hoje é um dia importante pra nós duas.


- Obrigada meu amor! - Dizemos juntas.


- Eu te amo! - Repitimos o mesmo.


- Será que isso da sorte ou azar? - Pergunto.


- Falarmos juntas? Aaah não sei. - Regina fecha a cara. - Acho que é azar. - Olho na direção que ela está olhando e vejo Cora entrar.


- Amor... Calma. Se ela fizer alguma coisa eu tiro ela daqui. - Regina nega com a cabeça e vai até a mãe.


Pensei que os jornalistas iriam ver que a Cora Mills estava alí. Mas parece que nem suspeitaram de nada, Regina vai para os fundos do estabelecimento com a mãe e começo a conversar com mais um empresário.

Regina


- Cora! Não me diga que veio estragar esse dia especial também . - Ela me olha de uma forma diferente, não existe raiva ou ódio no olhar dela, eu via amor.


- Gina... Meu anjo. Me perdoe! - Ela começa a chorar e meu coração se parte em mil pedaços. Embora ela tenha feito tantas coisas, continuava sendo minha mãe.


- Ei...shiuu... Não chora. - Abraço ela e isso me trás paz. - Eu perdoo mãe. - Ela chora mais.


- Sei que não posso culpar ninguem... Mas a Mary me colocou tantas coisas na cabeça. - A raiva por aquela mulher só aumentava em mim. - Mas não quero estragar o seu dia com isso. Quero falar com vocês tres.


- Três? - Questiono. - Não fico no mesmo ambiente que a Mary. - minha mãe nega com a cabeça.


- Não filha. Quero falar com você,Zelena e Emma. - Me assusto.


- Com Emma? - Ela me olha nos olhos.


- A semanas atras, quando ela foi me confrontar por sua causa e disse que você tinha um filho com o nome Henry... Meu Deus... Meu mundo virou. Henry... Seu pai me fazia uma mulher feliz, depois que ele morreu eu me tornei uma pessoa amarga. Eu quero mudar Filha, você me ajuda?


- Oh mãe... - Nos abraçamos. - É claro que te ajudo. Eu te amo, juro que fiquei muito magoada e Zelena esta bem mais do que eu.  Principalmente por causa da falsa morte... Mas eu te amo, sei que muito dos seus conselhos me fizeram ser a mulher forte que sou hoje. Eu te perdoo, eu te amo e vamos ajudar Você.


- Obrigada minha Filha. - Ela seca as lagrimas.


- Só quero pedir uma coisa.


- Pode pedir Regina.


- Saía de perto da Mary. Ela não é quem você pensa mãe. - Cora concorda.


- Eu sei... Já saí de lá, estou em uma pensão aqui da cidade. Ela não gostou da ideia de me aproximar de vocês. Mas isso eu conto na nossa conversa. Agora onde esta meu neto?


- Está com a Ruby... Ela se ofereceu pra ficar com ele hoje. Quer que eu e Emma estejamos sozinhas a noite. Pra comemorarmos.


- Aah. A namorada da Zelena? - Concordo. - Sua irmã parece feliz com ela. Andei vendo vocês por ai. - Olho com compreensão para ela.


Levo minha mãe para o meio da multidão. Ela estava muito diferente e ninguem iria reconhece-lá. Zelena me vê enganchar na nossa mãe, faz uma cara de furia, pega Ruby e vai embora levando meu filho.

Já Emma vêm até nós.


- Tudo bem Querida? - Pergunta pra mim.


- Nossa você está linda Emma. - Diz Cora.


- Ann... - Emma parece confusa com a minha mãe. - Obrigada senhora Mills.


- Cora. Por favor querida. - Emma me olha ainda meio confusa. - Sei que deve estar achando estranho meu comportamento, mas saiba que a sua atitude ao ir me comfrontar pra defender Regina, me fez ver o quanto estava equivocada


- Uau... Bom. Isso é ótimo! - Diz Emma.


- Bem vinda a família Emma e obrigada por fazer minha filha feliz, consigo notar isso nos olhos dela. 


Emma e Cora se abraçam, logo minha mãe vai embora. Recebo uma mensagem de Ruby dizendo que Zelena não se sentiu bem e que não era pra mim me preocupar, pois ela e henry dormiria na casa dela. Já estava noite e resolvemos então dar por encerrado a inauguração, os empregados iriam limpar e fechar o estabelecimento, pois eu não ficaria trabalhando ali. Apenas administraria, as vezes ficaria analisando tudo, mas não todos os dias. Chegamos em casa e Emma estava sorridente...


- Posso saber o motivo desse sorriso? - Pergunto abraçando ela por trás, enquanto a mesma estava diante do espelho removendo a maquiagem.


- Que tarde! Que noite! - Dizia ela.


- Realmente. E olha... Quem diria que Cora iria nos surpreender daquele jeito? - Digo e vejo Emma vacilar.


- Amor... Não quero ser pessimista, sei que você ama a sua mãe. Mas essa mudança repentina.


- Ahh não Emma. - Desfaço o abraço e vou tirando a roupa. - Não quero pensar que ela está mentindo. Quero acreditar nela.


- Ok amor. Me desculpe... Só não quero ninguém decepcionando você.


- Eu sei meu amor... - Dou um selinho nela. - Banho? - Ela concorda.

Entrei no chuveiro sendo seguida por Emma. A água estava morna, emma fez questão de que fossemos para a ducha e começou a me dar banho. Algo que achei fofinho mas com segundas intenções logo em seguida. Ela queria me fazer relaxar pra depois me exitar.


Emma pegou o shampoo e de forma leve lavou meu cabelos lentamente, logo depois pegou o sabonete e ensaboou meu corpo, agora seus toques tinham uma intensão mais erótica. Enquanto me ensaboava, estando colada nas minhas costas, ela mordia e beijava minha nuca e ombros. Eu estava sentindo um calor...


Ela termina de me ensaboar e sabia que eu esrava exitada então em um ato bem brusco ela me prende na parede, o contato coma parede fria fez meu corpo arrepiar.


- Te quero tanto Regina. - Dizia ela sussurando em meu lábios.


- Eu sou sua Emma. 


Após um sorriso, Emma aprofunda um beijo de tirar o folego, ergue uma das minhas pernas fazendo com que eu ficasse "exposta" pra ela. Ela passa a mão pela minha perna e aperta minha bunda.


- Aahhh Emma... - Gemo em resposta. - Me faz gozar pra você. - Ela sorri sapeca e chega ao meu sexo.


Emma dá total atenção ao meu clitóris que é provocado com seus dedos ágeis e tão especialistas em mim. Logo em seguida introduz dois dedos de uma vez, me fazendo gemer alto.


Em pouco tempo me entrego em um orgasmo arrebatador, não satisfeita eu queria devolver o prazer para a Emma, mas ela estava cansada, então compreendendo minha loira vamos dormir.


Pela manhã acordo vendo aquele corpo maravilhoso de Emma. Haviamos dormido nuas e ela estava apenas com um lençou branco cobrindo parte do seu corpo. Resolvo começar o que queria ontem, retiro o lençol e começo a beijar toda a extensão das costas dela e beijo a bunda redondinha dela. Algo muito pervertido passou pela minha mente, mas talvez falaria isso com Emma depois.


- Estou adorando acordar assim... - Diz Emma com a voz rouca.


- E quer que eu continue? - Ela concorda com um gemido após o tapa que dou na sua bunda. Faço o caminho inverso e digo no seu ouvido. - Sabia que tenho desejos escondidos pela sua bunda? - Aperto o lugar.


- A é... E o que seria senhora pervertida Mills. - Sorrio.


- Queria pegar você de quatro... - Sussuro e vejo ela se arrepiar. Emma começ a se mover e fica de joelho.


- Assim minha rainha? - Que visão Jesus.


- Bem assim... - Digo em um fio de voz, não tinha a noção do quanto aqui me exitaria.


Passei os dedos pelo sexo exposto da loira o que fez ela gemer. Emma estava molhada, intoduzo um dedo lentamente, fecho os olhos sentido meu dedo dentro dela, era uma sensação que jamais irei me enjoar. Introduzi outro dedo e continuei entrando e saindo lentamente, sentindo cada sensação, quando resolvi parar de torturar Emma que já estava segurando o lençol com forma. Começo a estocala de forma precisa e forte, ver os seios dela balançando e ela indo conforme meu movimento, sinto um prazer me invadir. Em um ato nada esperado pela loira, mas algo que eu estava desejando muito, enquanto meus dados estavam fazendo o trabalho no sexo dela comecei a passar a lingua no deu buraquinho. Emma se contorcendo desabou gozando de forma intensa.


- Que gostosa... Sussurei no ouvido dela, ela estava de costas. - Acho que ensopou o lençol. - Ela sorri e tenta colocar a respiração no lugar.


- Doida... - Diz ofegante. - Quer me matar? - Sorrio e falo no seu ouvido.


- Só se for de prazer meu amor... - Dou uma leve mordida na sua orelha e vou para o banho.



Zelena


- A Regina é maluca! - Eu e Ruby estavamos discutindo por causa da minha saida subita da inauguração.


- Amor a Cora é mãe de vocês. Ela deve ter falado com a Regina, você não me falou que ela sempre foi um coração mole? Pode ter perdoado a mãe.


- Vamos levar o garoto lá. Quero falar com a Regina sobre isso.


Paramos na garagem da Regina então entremos pelos fundos e observamos a cena mais linda de amor que poderiamos imaginar. Até eu que não gosto de melação fiquei encantada.


Emma estava segurando Regina bem no alto, para que a mesma pegasse uma maça na arvore mais que preferida, minha irma sorria tanto que eu nunca tinha visto ela assim. Emma tambem sorria, cansada de segurar Regina, ela desce minha irma e começa a rodar com ela pelo gramado, ambas caem no chao e a gargalhada é contagiante.


- Wou!!! Cena de filme!!! - Grita Ruby e eu rio. As duas ficam vermelhas de vergonha.


- Mamãe!!! Emma!!! - Grita Henry correndo até ela. Ruby não resiste e pega o celular tirando alguma fotos.


- Elas são lindas juntas... - Digo e meus olhos começam a marejar.


- Tá chorando amor? - Pergunta Ruby.


- Capaz... Um sisco... - Ruby nega com a cabeça.


- Sei que está feliz pela sua irmã.


- Na verdade sim. - Sorrio vendo os três interagirem e rolarem pela grama brincando. - Ela merece sabe... Sofreu tanto escondendo o que era, sempre vi ela triste e obrigada a vestir uma máscara, agora aqui, vendo ela feliz desse jeito... Aí conto de fadas existe. - Digo me referindo a implicancia que fazia com Regina antes dela conhecer a Emma.


- Literalmente né meu amor... - Ruby ri. - A rainha,a princesa, a loba e a ... - Amor o que você é na verdade???


- Boa pergunta. - Fico pensativa.


- Atrapalho alguma coisa? - Pergunta alguem, me viro e dou de cara com minha Mae. - Oi Zelena.


- Mamãe? - Meu semblante muda e ao contrario do que eu sentia a minutos atras em relação a ela. Pulei para abraça-lá.


- Ohh... Minha Zelena. Me perdoe minha filha... Desculpe por tudo o que fiz. Eu amo vocês mas dei ouvidos para a pessoa errada. - Chorei no seu colo.


Depois de nos perdoarmos todas entramos na casa. Cora ficou encanatada com Henry, mas precisavamos conversar então Ruby subiu para o quarto dele e manteve o garoto lá para conversarmos.


- Então meninas... Eu queria falar com as três. - Começou Cora.


- Estamos aqui para ouvir você mãe. Mas isso nos machucou bastante. Principalmente por que você confiou mais na Mary do que em nós. - Digo e ela abaixa a cabeça.


- No fim descobri que Mary apenas me envenenou contra todos, porque é uma pessoa vingativa. - Todos olhamos para Emma, pois querendo ou não estavamos falando da mãe dela.


- Gente não se preocupem. - Disse ela nos olhando. - Eu sei quem é a Mary e tambem sei que ela é tudo isso que a Cora falou e muito mais... - Regina abraça Emma e nossa mãe começa a contar como tudo aconteceu.

Cora


Depois daquele dia que Emma foi me enfrentar, defendendo Regina, me liguei de que estava tomando só as decisões erradas. Eu estava virando as costas para a minha familia por anos, apenas porque alguém me falava coisas horríveis sobre elas. Mary sempre quis me jogar contra minhas filhas principalmente depois da vez em que mandei Regina para aquele colégio.


Na verdade esse foi o primeiro golpe da Mary que acabei descobrindo depois que Emma saíu aquele dia...


- Mary queria se vingar da nossa família na verdade. - Começo a contar. - Vocês sabiam que na verdade Mary gosta de mulheres? - Todas se espantam. - Sim... Desde que ela estava com o David ela tinha um caso com uma tal de Elsa... Não sei quem é ela. Mas por algum motivo ela não suportava a ideia de ver Zelena se assumindo e logo depois Regina beijando aquela garota.


- Mãe para aí! - Diz Regina. - Como você descobriu isso?


Naquele dia que a Emma saíu da casa dela depois de me enfrentar eu e Mary discutimos feio...

Flash back on


- O que eu estou fazendo meu Deus? - Digo chorando. - Regina tem um filho? Onde eu estava esse tempo todo? - Mary me olhava de forma raivosa.


- Ficou louca Cora. Ela e a Zelena são aberrações, fazem coisas contra a natureza e outra esse filho nem é da Regina. Foi adotado.


- Chega Mary! - Algo começou a me incomodar. Como permiti que alguem falasse assim delas durante todo esse tempo. - Elas são minhas filhas!


- Vai fraquejar agora Cora? Não acredito!


- Eu não devia ter ouvido você. - Digo me afastando dela e então Mary se revela.


- Você não vai colocar meus planos no ralo Cora. - Estranhei aquilo.


- Do que você esta falando? - Ela veio transtornada pra cima de mim.


- Eu nunca suportei essas suas filhas vivendo essa loucura enquanto eu tinha que me esconder. Traí o David com um monte de homens mas não adiantou, o problema era eu e minha paixão pela Elsa.


- Espera... Você é... - Mary se transforma em uma pessoa arrogante.


- Não vou permitir que elas sejam felizes. Eu não pude então ninguem poderá. Emma e Regina não ficaram juntas, Nem Zelena e Ruby. Eu vou acabar com isso.


- O que minha família tem haver com isso Mary? Você está transtornada sem motivo algum...


- Saía da minha casa Mills.

Flash back off

As três estavam chocadas mas Emma cochichou com Regina e me falou...


- Dona Cora, eu sei quem é a Elsa... - Zelena e eu olhamos pra ela.


- Quem? - Pergunto.


- Elsa é a irmã do meu pai! - Diz ela e então olho para Zelena.


- Aí Deus! - Diz Zelena. Aquela mulher? Por isso Mary tem raiva da nossa família.


- Ok! Dessa parte ai eu não sei. - Diz Emma.


- A irmã do David foi a mulher com quem perdi a virgindade. - Diz Zelena.


- Jesus Cristo! - Diz Emma.


Aí estava a razão de tanta raiva, como eu não me lembrava disso, foi exatamente depois que Mary começou a me envenenar contra Zelena e logo após contra a Regina.


- Ela se matou Emma... - Diz Zelena. - E muitos acham que é por minha causa. - Revela Zelena, deixando todos perplexos.


- Eu sabia que ela tinha sofrido um acidente... - Diz Emma em pé andando de um lado para o outro. - Ok eu não estou bem... - Diz Emma ficando muito palida e a sala fica muito fria.


- Amor acalme-se. - Falava Regina. Mas a sala toda começou a parecer um freezer.


- Credo que frio é esse? - Pergunto.


- Acho melhor contar pra ela. - Diz Regina.


- Ela não vai acredita. - Diz Zelena.


- Do que vocês estão falando? - Pergunto interferindo a pequena discussão entre minhas filhas enquanto estavamos quase virando pinguim.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...