1. Spirit Fanfics >
  2. A realidade da minha fantasia. >
  3. Lírios

História A realidade da minha fantasia. - Capítulo 7


Escrita por: HangZoe

Notas do Autor


Vim aqui trazendo mais um capítuloo! Hoje eu estou feliz... mas vim fazer gente triste. :'D
Espero que gostem, e me perdoem qualquer dorzinha mas ao mesmo tempo ficarei feliz de saber que se envolvem tanto com minha história.

Capítulo 7 - Lírios


Ponto de vista, Narradora. (Presente)

 

Levi havia recebido apenas uma ligação de operadora, o que o dava nos nervos normalmente, mas desta vez apenas ignorou e foi se arrumando minimamente para sair. Quando saiu do hotel, já acendeu novamente o cigarro e foi andando pelas ruas, tentando olhar o mínimo que podia para a face das pessoas.

 

Já na casa nas colinas, Nanaba e Moblit tentaram animar Hange com um jogo depois de um tempo. Seria de conhecimentos gerais, então ela costumava se dar bem por sempre pesquisar tanto sobre várias coisas e tudo mais. Começaram a jogar e a que menos acertava era Nanaba.

 

- Acho isso um absurdo! Quem precisa saber quando foi descoberto a estrela N perto da lua N com N bobagens?! - Bufou, cruzando os braços e jogando a carta longe, conseguindo arrancar uma risada de Moblit e uma um pouco baixinha de Hange. - E, tem muito poucas perguntas sobre música! Eu, como compositora, sabendo tanto sobre músicas me sinto ofendida! Se o jogo não demonstra nossa importância, não são bons os conhecimentos que tem nele! - Fazia drama, para conseguir arrancar mais risadas de Hange, o que acabava dando certo, ela ria um pouco mais, mas ainda muito pouco para quando estava sem estes problemas martelando-lhe a cabeça.

 

Ficaram jogando por um tempo a mais, até que guardaram tudo e prepararam para se deitar na sala, com vários cobertores no chão, e claro, Hange ficaria no meio dos dois. Ao se acomodarem, ligaram a TV e colocaram em um filme de comédia velho, querendo tentar deixar o clima mais suave. Porém, Hange só conseguia pensar que alguma coisa ia acontecer, e isso a deixava se corroendo toda por dentro. Sabia do passado de Levi antes de todos e com mais detalhes e também sabia que o quadro dele o fez desenvolver uma depressão que, graças a ele conseguir controlar seu corpo por instintos que ninguém soube explicar direito ainda, nunca havia se sentido forçado ou tentando a se machucar ou algo pior. Mas, a mulher não duvidava de que ele conseguisse controlar, pois era de certa forma comprovado considerando todos os testes e etc, mas sim de ele querer se machucar, pois isso ela tinha certeza de que não era impossível. 

 

Enquanto os três continuavam a ver o filme, Levi estava parado em um ponto de espera para atravessar a faixa. Olhava fixamente para frente, vendo um amontoado de pessoas que estavam à espera também, uma empurrando a outra. Na hora, acabou por ver um rosto familiar, de seu melhor amigo, Erwin. Ele acenou para o menor, que retribuiu e soltou mais fumaça, mas a fumaça se dissipar, viu uma mulher com uma criança de colo ser empurrada por outra que queria ficar na frente do amontoado e Levi não conseguiu ficar parado neste momento, correu para o meu, apenas empurrando os dois para a calçada novamente enquanto sentia a luz o cegar cada vez mais, sem tempo. Só teve tempo de pensar em uma coisa enquanto via a criança e a mulher de cabelos negros.

 

“Mãe…”

 

Assim, sentiu o impacto e foi lançado para frente depois de bater o rosto do vidro da frente. Caído no chão acabou por ter sua mão atropelada por uma moto que não conseguiu frear a tempo. Não sentiu nada, apenas olhava o céu e uns fios de cabelos loiros irem socorrer aquele homem. O cigarro caiu de sua boca, e ele apenas soltou mais fumaça, agora com um pouco de sangue enquanto via mais pessoas se aproximarem. Elas gritavam assustadas e mais, o que o irritou um pouco.

 

- Calem a boca… - Falou baixo, fazendo com que só Erwin conseguisse ouvir.

 

- Acalme-se, Levi. Cale a boca você, mas fique acordado! Já chamaram uma ambulância!

 

Ele só assentiu com o olhar, continuando a olhar o céu enquanto lembrava da figura de sua mãe e da mulher que salvou, que agora agradecia.

 

“Mãe, eu salvei alguém. De forma bem direta, diferente das outras formas como sendo investigador, a senhora se orgulharia, não?”

“Sim, meu filho. Sempre tive tanto orgulho de você, Levi…”

“Mãe…”

 

Deu um breve sorriso, começando a sentir as dores horrorosas, e por fim desmaiando com elas enquanto já o colocavam dentro da ambulância. Erwin na hora ligou para Nanaba, sabendo que ela estaria com Hange.

 

A mesma atendeu, já dormindo de certa forma com Hange e Moblit. Se levantou e foi para fora da casa, olhando a escuridão que caía sobre o local.

 

- Sim, Erwin? O que aconteceu? Tem notícias do Rivaille? Hange está bem aqui, acho, melhorou o máximo que pode melhorar com filmes e… - Ele gritou de uma vez só, a fazendo travar e ficar apenas respirando profundamente. - Sim… - Desligou o telefone e saiu correndo para dentro da casa, fazendo Moblit e Hange se assustarem. A mulher tinha lágrimas nos olhos e com dor disse. - Rivaille está no hospital… é sério, muito sério, Hange… Precisamos ir… - Direcionou especificamente a ela pelo momento, mas não excluiu Moblit sobre explicar o que ocorria.

 

Os três colocaram uma roupa normal o mais rápido que puderam e já saíram a caminho do hospital. Hange levava alguns papéis consigo e os outros dois a levavam nos ombros pois a coitada não conseguia andar direito. As pernas estavam bambas e todo o corpo tremendo de medo, seu choro era escandaloso e cheio de dor, não fazia questão de guardar nada do medo que sentia naquela hora, e os outros dois muito menos encorajar a isso, pois também estavam com a dor lhes tomando todo o coração. Em todos aqueles anos, o grupo sempre foi muito junto e nunca ocorreu algo assim antes. Todos já haviam recebido a mensagem, e o mais chocante para todos foi saber que foi Levi quem sofreu este terrível acidente.

 

Ponto de vista, Narradora. (Passado)

 

Os 7 integrantes do grupo estavam em uma praia, todos tentando ajeitar uma tanga na areia para que conseguissem se sentar confortavelmente. Porém, acabaram por não conseguir direito e todos só se jogaram em cima dela rindo enquanto sujaram tudo de areia pela tanga ter ficado toda amassada. No caso, quase todos, Levi apenas deu um sorrisinho quase invisível. Ao conseguirem organizar um pouco mais, Petra se voluntariou para passar protetor solar em todos, recebendo várias piadas, até mesmo de Hange, ao passar nas costas de Levi, o que a fez corar brevemente e logo deu um tapa no homem como se falasse que não gostava mais dele, percebendo o que havia feito.

 

- Sua sorte é que você não é a quatro-olhos de merda, senão eu já teria quebrado essa sua mão, Petra. - Ele olhou de forma assustadora para todos que logo se esconderam atrás de Erwin, fazendo Levi apenas desviar o olhar.

 

- Escudo Erwin Smith usado com destreza novamente, Reconheçam este utensílio, o único que para Rivaille! - Nanaba gritava e todos batiam palmas, rindo enquanto o outro só ficava emburrado, mas se divertindo. - Olha, reconhecimento… Vamos nos chamar assim agora! Quem vota pelo apelido do grupo?!

 

Todos levantavam a mão, só faltava o homem, que levantou dando um breve sorriso sincero.

 

- Ótimo! Agora, vamos comer! Estou morrendo de fome! - Reclamava Nanaba, já abrindo as mochilas e tirando a comida. 

 

- Me impressiona que tenha aceitado sem problemas o apelido, Levi. - Hange falava com um sorriso doce, indo para próximo dele e o dando um selinho na bochecha.

 

- Não é tão ruim, na verdade eu também acho que combine bastante conosco. - Ele respondeu enquanto acariciava os cabelos dela, com os dois admirando o mar.

 

Eles ficaram lá comendo por um tempo, até que Mike sugeriu uma brincadeira. Cada um seria vendado e dariam algo na mão da pessoa, assim com ela tendo que descobrir o que tem na mão.

 

- Me parece divertido, o que acham? - Erwin perguntou e logo todos assentiram. Assim, foram brincando, colocando coisas como areia, conchas, pedras e etc. Até que, chegou a vez de Mike colocar algo nas mãos de Hange. Com um sorriso meigo, colocou um lírio. Hange tateava e sabia que era uma flor, mas Mike disse que ela precisava descobrir qual era, assim, Hange cheirou a flor e travou um pouco, um cheiro tão doce e bom, a fez dar um sorriso bobo, mas negou pois não sabia que flor era. 

 

- Dê um nome então, Hange. Daí em diante você chama essa flor por esse nome. - Falou rindo como os outros.

 

- Hm.. Vai ser Aime! Pois acho que é uma carmélia, e aí fica Amélia, Aime! - Falou sorrindo, tirando a venda e observando o lírio, dando uma risada um pouco alta, e no caso de Levi um sorrisinho.

 

- Senhoras e senhora, Aime Piroficitas, flor descoberta por Zoë Hange ao retirar a venda! - Moblit falou, arrancando uma risada de todos agora, mas ninguém viu ou ouviu a do menor.

 

-  Ei! Ao menos ela tem um nome fofo! - Falava a morena, dando de língua para Moblit enquanto segurava a flor. - Agora, esta flor é oficial! Eu quero várias Aimes um dia! - Disse com um sorriso e todos assentiram. Depois de um longo dia na praia, todos foram para a casa do casal, fazer uma grande festa no pijama enquanto ainda tinham tempo para ficarem todos juntos.

 

Ponto de vista, Narradora. (Presente)

 

Todos lembravam muito daquele dia,menos Hange, e haviam dito que conseguiriam sim o fazer de novo, por ela. Mas então fizeram o acordo, descartando a ideia totalmente depois de descobrirem que aquela parte da praia havia sido estragada por causa de um esgoto que agora residia ali. 

 

Quando chegaram ao hospital, Hange começou a ter severas dores de cabeça, mas se mantinha firme por querer ir logo para onde Levi estava. Por demorarem um tempo, graças à fraqueza da morena, puderam ir direto para a sala onde ele estava, quase que correndo se não fosse proibido. Hange ia na frente, totalmente desesperada e quase gorfando com enjôos e dores de cabeça a assolando enquanto pensava no menor. Quando adentrou a sala, sentiu seu coração parar por um momento. Erwin estava ao lado dele, de cabeça baixa e com as mãos na mesma, respirando fundo, afinal estava ainda em choque por ter visto como foi todo o ocorrido. Nanaba e Moblit, que chegavam por trás, congelaram de medo e se desabaram em choro baixo ao verem como ele estava.

 

Todo enfaixado no rosto, com o mesmo ralado aonde não estava. A mão direita enfaixada também, e depois Erwin disse que na barriga também tiveram que fazer uma cirurgia rápida pois um enorme caco de vidro perfurou-lhe a bacia. 

 

Hange se aproximou com cuidado enquanto ouviu o aparelho ao lado mostrar como estavam os batimentos dele. Sentia a cada passo um peso enorme, se aguentando para  não chorar mais do que estava chorando. Ele parecia tão calmo… Mas, parecia se recusar a morrer. Aproximou o rosto de uma parte no rosto dele que não havia ferimentos muito fortes e acariciou bem suavemente, vendo ele abrir o único olho visível e a fitar.

 

- L-levi… - Gaguejou, desregulando um pouco a respiração enquanto o olhava, acabando por voltar a chorar histericamente, tentando de todas as formas parar, respirando o mais fundo que podia.

 

- H-han… ge… - Ele falava com dificuldade, tentando levantar para a abraçar, sendo impedido pelos os outros três, mas aquilo na sua cabeça havia sido apenas pelo o que ele fez antes, uma forma de a proteger de si, então só aceitou e deixou lágrimas escorrerem.

 

Mike entrou com Petra um tempo depois, tinham sido chamados por Erwin, também estavam extremamente preocupados e Petra se debruçando em lágrimas desde que recebeu a ligação, tanto que apenas colocou um sobretudo preto por cima do pijama e botou uma sapatilha. Mike segurava um buquê de lírios na mão e no mesmo momento em que todos se lembraram e sentiram o cheiro dos lírios, Hange ficou estática, olhando eles mais uma vez e se lembrando de tudo enquanto as lágrimas caíam agora de um rosto que demonstrava confusão e dor. Olhou Levi, dizendo enquanto segurava a mão dele com cuidado. 

 

- Lírios… um cheiro tão suave...

 


Notas Finais


Foi isso!

Agora sabemos que o Levi realmente não estava mentindo, afinal ele não se machucaria por nada. Lembrando que a maior das dores não foi a "separação", mas sim a culpa sobre o que ele fez com a Hange e etc.

Qualquer comentário é bem vindo! Beijos e até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...