História A Rebelde e o Príncipe - Bibidro - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bianca Tatto Marques (BIBI), Bruno "TotalCraft" Santana, Jhennifer "Coelha" Angelina, Pedro "SrPedro" Montanari, Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso
Personagens BIBI Tatto, Pedro "SrPedro" Montanari
Tags Bibidro, Flozende, Toelha
Visualizações 76
Palavras 644
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura 😊

Capítulo 4 - Bibi sendo Bibi


Fanfic / Fanfiction A Rebelde e o Príncipe - Bibidro - Capítulo 4 - Bibi sendo Bibi

2 horas depois, na hora do intervalo

Pedro ***

Pedro: Cadê o Total? - eu pergunto pra Coelha.

Coelha: Ele foi falar com o treinador de educação física.

Pedro: Aah - dou uma pausa - e a Bibi?

Coelha: Nem sei, você que deveria saber, campeão - ela ri de mim.

Pedro: Mas você é a irmã dela! 

Coelha: E daí? - ela sai.

Suspiro. E a Bibi chega já sentando na minha mesa. 

Bibi: Cadê o povo? - ela diz.

Pedro: Boa pergunta - dou de ombros quando todo mundo chega junto.

Bibi***

Rezende: Oiieeeeee - ele fala afeminado.

Bibi: Bem gay mesmo tá beninas - ela diz e a gente ri.

Pedro: Onde cês estavam? 

Flokiis: Em lugar nenhum. 

Bibi: Esse lugar nenhum por acaso se chama "diretoria"? - franzi a sobrancelha. 

Rezende: Talvez... 

Pedro: No que vocês se meteram dessa vez? 

Ninguém respondeu. Rezende ficou um pouco indeciso se conta ou não conta, com sua cabeça levemente tombada para o lado. 

Coelha chega e se senta com a gente, um pouco animada, mas confusa. 

Coelha: Oi, antes eu tinha visto vocês tentando pular o muro - ela sorriu, decifrando todo aquele clima misterioso que estava com a gente. 

Eu, Pedro e Total olhamos para eles como se eles fossem dois capetinhas. Não que eles não sejam... 

Total: Por que?

Rezende: Fala sério, quem aguenta a aula da senhora Snodgrass? Aliás, hoje tem promoção no sorvete do seu Beto até as 16:30! - ele levanta os braços em forma de rendimento. 

Bibi: Não é isso, por quê não chamaram a gente? - eu perguntei como se fosse óbvio e eles concordaram comigo. 

Rezende: Desde quando você tem altura para pular o muro, Bianca?

Bibi: Desde quando a Flokiis tem altura para pular o muro?! - eu estiquei meus braços. 

Pedro: Isso é verdade, Rezende. A Bibi não conseguiria pular o muro. A Flokiis pode se sentir lisonjeada por ter seus 3 centímetros a mais. 

Flokiis, ao ouvir aquilo, soltou uma gargalhada histérica. 

Flokiis: Toma essa, Tatto! 

Bibi: Como se eu não tivesse feito isso umas duzentas vezes - eu falei neutra e todos direcionaram seus olhares curiosos para mim - a qual é, gente! Onde vocês achavam que eu ficava toda terça-feira depois do intervalo, a famosa aula duplicada de geografia? 

Flokiis: Pensávamos que você tinha psicólogo, alguma coisa do gênero - ela fez uma careta. 

Total: Realmente, ninguém aguenta geografia. 

Pedro: Uau.. então você costuma fugir da escola? - ele me olhou, como se não acreditasse. 

Bibi: Gente, em que mundo vocês vivem? 

Coelha: Em um certamente bem longe do seu. 

O sinal tocou. Agora que vem o inferno, já que hoje, coincidentemente, é o dia da aula duplicada de geografia. Terça-feira.

Essa é mais uma de algumas que eu vou para essa aula. Afinal, hoje tem prova e uma coisa que eu não entendo muito, é geografia. Mas o conteúdo é fácil, eu estou me lixando. 

Sentamos e ela entregou as provas. A professora Lurdes já alcançou a terceira idade e certamente não ligaria (ou até mesmo, não notaria) se alguém da sala sumisse do nada. 

Durante a prova, só se ouvia o som do lápis sobre o papel. Ah, também se ouvia Lurdes murmurar letras de músicas dos ano 60. 

Terminei a prova muito rápido e a entreguei imediatamente, sem mesmo corrigir. Atrás de mim, veio o Pedro. Quando nos sentamos de volta, já que sento ao lado dele, passei um bilhete. 

"Tá afim de comer uns sorvetes baratos? :)"

Quando abriu e o leu, me olhou como se pensasse mesma coisa só que com um pouco de insegurança. Ele assentiu a cabeça, não aguentando mesmo ouvir aquele som que a Lurdes emitia em forma de música. 

Bibi: Professora, posso ir ao banheiro? 

Ela me olhou, um pouco desconfiada. Mas como eu já havia entregado a prova, ela deixou. Saí da sala e me escorei na parede, do lado de fora. 

Pedro: posso ir também? 




Notas Finais


Desculpaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...