1. Spirit Fanfics >
  2. A república- Sarry >
  3. Capítulo 11

História A república- Sarry - Capítulo 11


Escrita por: Desgasparzinho

Notas do Autor


Fantasminhas, a história tá muito provavelmente perto do fim… mas não se preocupem, vai ter mais alguns capítulos muito bons (incluindo Lemon, bando de taradoKKKKKKKKKK)

Capítulo 11 - Capítulo 11


Fanfic / Fanfiction A república- Sarry - Capítulo 11 - Capítulo 11

Sal POV

Hoje estamos abarrotados de trabalho, eu estou fazendo os meus no meu quarto enquanto os meninos fazem os deles com seus respectivos grupos. 

O meu trabalho decidi fazer com Robert, um menino com seus cabelos ruivos em um moicano que tem umas batidas muito feras, além de ser mega compreensivo com todas as questões complicadas da minha vida, incluindo minha máscara, a qual ele nem pergunta sobre. 

Todd e Neil estão fazendo seus trabalhos juntos, isso é a parte boa de fazer parte do mesmo curso do seu namorado.

Larry está fazendo um trabalho com uma colega do curso de artes, é isso tá me incomodando pra caralho. 

Não me importo de ele ter outras amizades, não mesmo. Mas as meninas da faculdade estão dando muito mole pra ele, e ele parece não tá reparando nada. Eu não sou paranóico, Todd e Neil também estranharam as atitudes delas, mesmo ele estando com a aliança no dedo. 

Nós decidimos esconder nosso relacionamento por um tempo. Não queremos sofrer homofobia no momento, queremos somente curtir o início do nosso relacionamento de modo calmo e pacífico, depois dos 4 meses nós vamos contar para todos. Não uso aliança por enquanto, pedi para que Larry usasse, eu sou ciumento e ele gatão. 

Vou deixar isso de lado por agora, tenho que me concentrar em aprender a letra e os acordes da música “sua mãe sabe mais” da Rapunzel. Segundo a minha professora: “se não somos capazes de reproduzir músicas infantis não deveríamos nem por as mãos em um instrumento musical”, ela é um doce de ser humano. 

-Cara essa música fica difícil no “Crédula, ingênua, levemente suja, boba e um tanto vaga”-Robert diz suspirando, eu concordo.

-Ainda bem que a professora não pediu pra gente cantar a reprise de quando eles estão no bosque-digo afinando o instrumento, meus dedos estão doendo de tanto que estou apertando as cordas.

-Tá afim de um descanso?-ele pergunta com uma expressão sôfrega, eu afirmo. 

-Pizza?-pergunto com meu telefone na mão.

-A resposta é sempre sim-ele diz sorrindo, eu rio. 

-Certo, vou perguntar pros meninos que sabores eles querem daí a gente pega 3 grandes, o que acha?

-Beleza, aí geral vai rachar né?-afirmo com a cabeça. 

Saio do quarto e vou onde Todd e Neil estão. Os dois estavam muito concentrados e pareciam cansados.

-Pizza?-pergunto dando batidinhas na porta, ambos me olham. 

-Quatro queijos-diz Todd. 

-Portuguesa-diz Neil. 

-Grande né?-pergunto anotando no meu telefone. 

-Sim, pera aí que eu vou te dar a grana-diz Neil levantando e tirando a quantia exata para uma pizza grande, sempre pedíamos no mesmo lugar. Recebo o dinheiro e termino de anotar o pedido do casal.

Me dirijo ao quarto de Larry, entro olhando pro meu telefone e vendo o tempo que a tele entrega iria demorar.

-Pizza?-quando olho pra dentro do quarto a menina tinha desabotoado um novo botão de sua camisa e estava enrolando seus cabelos, tentativa de sedução falha, Larry nem olhava pra ela. 

-Calabresa-ele diz me olhando e sorrindo.

-E o outro sabor?-pergunto anotando, ele se dirige pra pegar o dinheiro.

-Quero de brócolis-ela diz suspirando e colocando as mãos no bolso da calça, acho que ela ficou irritada pela minha intromissão. 

-Pior sabor-diz Larry com uma cara de nojo forçada, eu rio.

-Só faltou colocar abacaxi-digo e ele ri comigo, a menina estava rindo sem graça. 

-A tele vai demorar 45 minutos, eu e o Robert vamos comer na sala, se quiserem comer lá-digo andando pra trás.

-A gente vai começar aqui-a menina diz rapidamente.

-Aqui eu vou ter que limpar depois, bora comer enquanto assistimos TV?-pergunta ele olhando para nós dois.

-Vocês que sabem-digo e dou de ombros  enquanto vou pro meu quarto chamar Robert pra ir esperar a tele entrega na sala. 

Quando a tele chega, eu pago o entregador e pego as caixas e as posiciono na mesa. 

Os grupos devem ter escutado o entregador, pois vieram pra sala também. 

-Quem escolheu o sabor proibido?-pergunta Todd com uma voz de nojo, eu rio.

-Desculpa, eu sou vegetariana-ela diz apertando os lábios. 

-Se tivesse me comentado não teria pedido calabresa, eu trocava com o Todd-disse Larry com a feição genuinamente arrependida, a menina estava corada e com um sorriso bobo no rosto. 

-A-ah não precisa, mas obrigada Larry-diz ela colocando uma parte do cabelo atrás da orelha. Suspiro baixo e reviro os olhos, Todd parece notar pois segura uma risada. 

-O que vamos assistir?-pergunta Neil, eu dou de ombros e pego um pedaço do sabor que eu escolhi, colocando sua ponta por baixo da minha prótese. 

Me sentei no sofá e Larry se sentou do meu lado, sorri mínimo com a ação dele e sei que ele fez o mesmo. Minha felicidade durou pouco, a menina sentou do lado dele e colocou a cabeça dela no ombro do Larry, volto somente a comer minha pizza e encarar a escolha de filme. Nem fudendo que ela tá se jogando pra um homem que tá comprometido. 

Já estávamos no meio do filme e a menina já colocou a mão na coxa do Larry, porra faz alguma coisa seu lindo cabeludo imbecil. 

Vejo ela puxar o queixo do Larry na direção dela, ele desvia do beijo mas eu sinto uma lágrima descer pelo meu rosto. Ignoro completamente, sei que ela não vai sair pela parte de baixo da prótese. 

Ela tenta novamente beijar Larry, que a distância mais uma vez, sem ainda dizer nada, ele não gosta de brigar com colegas de grupo. Eu, Todd e Neil por outro lado estamos querendo voar na cara dela, enquanto Robert come sua pizza alheio a todo caos presente. 

Eu sempre estou precavido para situações que quero simplesmente sumir, então coloco a função timer do meu celular para tocar em 5 segundos, simulando uma ligação do meu pai. 

Quando toca, eu levanto e vou pro meu quarto, fingi atender a ligação e suspirei, tentando ter o máximo de autocontrole naquela situação. 

Aproveitando que estou no meu quarto, tomo meu remédios e vou pra sala, sei que tem um calmante e eu tô morrendo de dor de cabeça por causa daquela garota idiota. 

Larry POV 

Quando o Sal voltou não demorou nem 10 minutos, ele capotou do meu lado. Ele não estava encostando em mim enquanto dormia, para impedir que ela continuasse colocando as mãos dela em mim, coloco a cabeça de Sal no meu colo enquanto acaricio. 

Quando o filme termina eu levo Sal pro quarto dele, o tiro sua prótese e o cubro. Antes de sair deixo um pequeno selinho em seus lábios e quando me afasto posso ver um sorriso mínimo. Ele reconhece meus lábios até dormindo? Eu sou muito apaixonado pelo meu garoto. 

Sei que a menina tá dando encima de mim, mas eu não quero brigar com a pessoa que eu tô fazendo o trabalho, não posso criar um clima ruim em uma dupla que iria ter que se ver mais algumas vezes no mínimo. 

Deixo o quarto indo em direção a sala, quando vejo minha parceira estava comendo um pedaço da pior pizza do mundo, quando ela me vê sorri abertamente.

-O que foi fazer Larry? Pensei que você iria dormir antes da gente ver outro filme-diz ela sorrindo e batendo no sofá para que eu sentasse do lado dela. 

-Eu coloquei o Sal no quarto dele, ele dormiu-digo com um sorriso mínimo enquanto pego um pedaço da pizza de calabresa que escolhi, obviamente tirando alguns pedaços das árvores invasoras. 

-Falando nele, que menino estranho, por que usar aquela máscara? Ele é tão feio que tem que disfarçar com algo mais feio ainda?-ela diz em um tom de piada, rindo.

-Vai embora-digo simplista, vou pro meu quarto e pego o agasalho da mesma, a oferecendo.

-Eu fiz algo errado?-ela pergunta pegando o tecido da minha mão.

-Sim, ofendeu o Sal-digo abrindo a porta.

-Isso é tudo por aquele menino de maria-chiquinha? Poxa ele é um esquisitão-ela diz de modo divertido.

-Não admito que alguém fale do meu namorado dessa maneira, vaza-merda falei demais.

-Namorado?-pergunta ela com os olhos arregalados. Merda, merda, merda.

-Pera aí, o Sal é gay?-pergunta Robert. Caralho você tava moscando até agora, tinha que ouvir isso? 

-Entendi por que não quis me pegar, tava ocupado dando pro azulzinho-ela ri maldosa, vejo o grupo atrás dela apertar o punho, inclusive Robert.

-Eu não quis te pegar por que não tenho o mínimo interesse em você, tem até um pouco de peito, mas tirando isso não tem nada de realmente atrativo. E sim, eu adoro sentar no pau do Sal-digo isso mordendo o lábio e lançando um olhar erótico pra mesma, que pareceu ficar irritada pois ela saiu batendo os pés. Quando fechei a porta, Todd, Neil e Robert começaram a gargalhar.

-Seria a descoberta de Larry passiva?-pergunta Robert, entro nas gargalhadas junto. 

-Passiva ele sempre foi, nunca me enganou-diz Todd rindo.

-Eii, ambos somos flex-digo normalizando minha respiração.

-Gente, mas vocês não queriam deixar o relacionamento escondido por mais um tempo?-pergunta Neil me olhando preocupado.

-Eu falei demais mesmo… eu só fiquei irritado e sei que o Sal tá chateado-digo suspirando e sentando no sofá.

-Irmão, por que querem esconder o relacionamento?-pergunta Robert.

-A gente só não queria ouvir os comentários idiotas que o pessoal vai fazer-digo dando de ombros.

-Se o pessoal falar alguma coisa, me avisa que eu resolvo-diz Robert se levantando.

-Como assim?-pergunta Todd confuso.

-Vamos dizer que eu e meus amigos não gostamos nem um pouco de homofóbicos-ele diz dando de ombros. 

-Galera eu vou indo, a janta foi muito boa, o filme também foi dahora, mas o show foi mil vezes melhor-rimos.

-Até mais Robert-Todd vai com ele até a saída, quando fecha a porta ele me olha e senta do meu lado. 

-Larry, você sabe que o Sal é inseguro, depois da uma animada nele, ok?-eu digo que sim com a cabeça.

-Vou fazer um café na cama pra ele amanhã, mas por agora, vou dormir abraçadinho nele-levanto e sorrio. 

-Boa noite Cinderela-diz Neil sentando do lado do namorado pra assistir um filme. 

-Boa noite meu príncipe encantado-digo rindo e indo pro quarto, pude ouvir ambos rirem também.

Quando chego no quarto de Sal, o vejo dormir tranquilamente. Sorrio, tiro minha camisa e deito ao seu lado, o puxando para que eu pudesse abraçar o mesmo. Ele me abraça e se aconchega, fico tão feliz de saber que ele reconhece o meu cheiro mesmo dormindo. 

Dou um último beijo na testa do meu menino e durmo pensando o quão sortudo sou por ter ele do meu lado. 

Sal POV 

Acordo com pequenos beijos sendo depositados por todo o meu rosto, sorrio e sinto finalmente um beijo sendo depositado em meus lábios. 

-Bom dia Sal-diz Larry sorrindo mínimo.

-Bom dia Larry-digo sorrindo abertamente enquanto me espreguiço.

-Fiz um café na cama de “me desculpe por ter te magoado e sem querer quando surtei ter revelado sua sexualidade pra 2 pessoas da escola”-ele diz isso rápido e com um sorriso no rosto, eu o olho confuso. 

-Como isso aconteceu?-eu tava com um sorriso no rosto, mas muito confuso.

-A minha colega te chateou ontem, aí quando você foi dormir, ela começou a falar mal de você. Eu surtei e mandei ela embora, mas não antes de sem querer expor nosso relacionamento… desculpa Sal-ele diz e suspira, eu sorrio abertamente enquanto o puxo pra um abraço apertado.

-Tô perdoado?-ele pergunta rindo.

-Você não precisa se desculpar por nada, eu amo você e muito obrigado por ter me defendido-digo dando um selinho nos lábios do maior, que intensifica fazendo virar um beijo de língua.

-Eu não escovei os dentes Larry-digo isso corado e virando o rosto pro lado, ele ri.

-Eu não me importo, se for você, pra mim tá perfeito-ele diz isso me puxando pra mais um beijo, eu sorrio entre o mesmo. 

-Vamos comer o que de café da manhã?-pergunto vendo os pratos cobertos. Ele puxa o pano revelando as pizzas frias de ontem, eu rio.

-Eu não sei cozinhar-diz ele parecendo chateado, eu o chamo pra sentar do meu lado na cama, ele faz, eu levanto e sento no colo dele, sorrindo. 

-Isso tá mais que perfeito, além do mais, pizza é o melhor café da manhã-digo entregando um pedaço na boca do maior. Provavelmente nos atrasaríamos, mas eu tô pouco me fodendo. 

-Agora que as pessoas sabem Sal, o que pretende fazer?-ele pergunta receoso depois de comer o que tinha em sua boca.  

-Vejamos… colocar minha aliança e toda vez que transarmos, deixar marcas em lugares mais visíveis-digo simplista dando uma mordida na pizza, ele ri.

-Fisher, você não era tímido?-ele pergunta divertido.

-Eu só tô marcando território-dou de ombros rindo junto de Larry. 

Quebra de tempo

De fato, a escola foi uma merda. 

Muita gente olhou torto e eu fui zoado pelo Travis e seu grupinho. Robert defendeu a gente e ainda disse que quebraria cada um na porrada, Neil e Todd ajudaram, Neil não concordou com violência extrema, já Todd estava com sangue nos olhos pra bater em alguém. 

Algumas pessoa parabenizaram nosso relacionamento, sinceramente foi legal ouvir um “felicidades, vocês merecem o mundo” de algumas pessoas. 

Mas eu realmente não me importo com o mundo ao redor de mim, só me importo com o meu moreno lindo, com meus amigos, com meu pai e com Lisa. Tirando eles, que se foda todo mundo. 

~continua~



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...