História A Rica e o Pobre - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Amor, Classes Sociais, Dinheiro, Família, Pobre, Rica, Romance
Visualizações 12
Palavras 1.357
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Primeiramente me desculpem pela demora do capítulo. Estive muito ocupado nas últimas semanas e acabou não me restando tempo para escrever.
Mas agora estou de volta! Espero que gostem do capítulo! ;)

Capítulo 9 - Coração a Mil


Fanfic / Fanfiction A Rica e o Pobre - Capítulo 9 - Coração a Mil

Após ver o ônibus partir, Alan volta para sua casa ainda com o rosto completamente vermelho e o coração disparado. Aliás, se o seu coração pudesse pular para fora do peito, isso aconteceria nesse momento. Ele nunca havia se sentido daquela forma ao beijar uma garota. O beijo de Jade o fazia sentir uma forte conexão com ela. Era especial.

Ao entrar em casa, Thomas percebe a expressão de felicidade no rosto de Alan, e já imagina o que havia acontecido. Ele pensa em provocar o irmão, mas prefere deixá-lo curtir o momento.

- Acho que já sei o que aconteceu... Mas vou deixar para zoar mais tarde! - Thomas diz em tom de piada, mas ainda sim carinhoso, dando um leve tapinha no braço do irmão.

- Bobão, hein? - Alan ri do comentário do irmão, devolvendo o tapinha no braço.

Após isso, Alan vai ao seu quarto e se deita em sua cama. Ele ainda estava em êxtase com o acontecido, ao mesmo tempo em que seu coração permanecia disparado. Ele sabia que estava se sentindo completamente atraído por Jade, e ficava ainda mais satisfeito ao saber que sua atração era correspondida.

No outro lado da cidade, Jade se sentia da mesma forma ao chegar em sua casa. Ela pensa cada vez mais em Alan, e, dessa vez isso não a incomoda. Ela já não se importa em tê-lo conhecido a pouco tempo. O sentimento que ela sente é capaz de fazer com que ela sinta que o conhece há muito tempo.

No dia seguinte, após acordar, Jade conversa com Kate numa das salas da casa.

- Jade, por que chegou em casa tão tarde ontem? Eu fiquei preocupada. - A empregada pergunta. Além de sua melhor amiga, Jade era como uma filha para ela.

- Kate, eu fui na casa do Alan, aquele meu amigo com quem eu saí naquele dia, lembra?

- Sim, eu me lembro! E o que aconteceu por lá para você estar tão sorridente assim? - Kate pergunta curiosa.

- Bem, eu... - Jade dá uma pausa um pouco tímida antes de contar - Ao vir para casa, ele me acompanhou até o ponto de ônibus, e... Nós nos beijamos! - O tom de voz de Jade se mistura entre tímido e empolgado.

- Se beijaram? Isso é sério? - Kate pergunta empolgada como se fosse a melhor notícia que já havia recebido.

- Sim! E... Foi a melhor sensação que já senti... - Jade suspira.

- Que bonitinha! Tá apaixonada! - Kate diz em tom de brincadeira, apertando levemente a bochecha de Jade.

- O único inconveniente é que o meu pai não pode saber disso... Sabe como é, né? O Alan mora nos subúrbios da cidade, e sei que ele jamais iria gostar de saber que a filha dele beijou um suburbano...

- Sim. É uma pena que ele seja assim. Eu espero que um dia ele mude de opinião. Ele deve apoiar a felicidade da filha.

- Obrigada por tudo, Kate! - Jade abraça carinhosamente a empregada.

Durante o restante do dia, Jade age normalmente em casa, embora deixe transparecer a sua felicidade. Edward e Andrea, que não estavam acostumados a ver tanta alegria na filha, apesar de estranharem, não perguntam nada, uma vez que Edward ainda estava ressentido sobre os acontecimentos do jantar, e Andrea não queria que esse assunto voltasse à tona.

As semanas se passam, e Alan e Jade frequentemente começam a sair juntos. Um dia vão à sorveteria, em outro vão ao shopping, ou simplesmente saem para caminharem juntos. Eram passeios simples, mas que faziam extremamente bem aos dois. Era como se não precisassem mais de nada desde que tivessem um ao outro.

Em uma noite de sexta-feira, os dois vão juntos ao cinema para assistirem o filme de estreia da semana. Após comprarem os ingressos, ambos entram na sala escura de cinema e sentam em poltronas vagas lado a lado.

- Não sabia que gostava de filmes de aventura! - Alan diz com um sorriso.

- Gosto desde quando eu era criança! - Jade retribui o sorriso.

Os dois trocam um selinho antes do filme começar. As cenas de ação os deixava impressionados e presos à trama. Os efeitos especiais eram de fazer os olhos brilharem.

- Agora sei porque todos estavam elogiando esse filme! - Jade sussurra para Alan durante uma das cenas.

- Com certeza! - Alan sussurra.

O filme continua, e em um momento, Alan se arrisca a colocar a sua mão sobre a de Jade que estava sobre o braço da poltrona. Ao fazer isso, ele se lembra de quando segurou a mão da garota no parque de diversões. Naquele dia, ele havia se sentido completamente envergonhado ao ter feito isso, mas dessa vez sentia um prazer imenso ao fazer isso. Jade, que estava distraída no momento, solta um sorriso ao sentir a mão de Alan tocando a sua. Ela abre levemente a mão, entrelaçando os seus dedos com os de Alan. Ao fazer isso, ela coloca a sua cabeça nos ombros do garoto, sentindo o calor de seu corpo. Aquilo lhe passava uma sensação de segurança.

Com o término do filme, ambos saem do cinema, ainda com sorrisos bobos ao olharem um para o outro.

- Gostou do filme? - Alan pergunta.

- Eu adorei! Um dos melhores que já vi no cinema! - Jade responde animada.

- Eu também! Entrou para a minha lista de favoritos!

Após andarem um pouco pelas ruas, Jade pensa em ir à praça que ficava perto dali.

- Que tal caminharmos um pouco na praça?

- Boa ideia!

Os dois andam em direção à praça que estava quase vazia, a não ser por uma ou duas pessoas que ocasionalmente apareciam caminhando. Os postes de luz iluminavam o local, fazendo com que ficasse ainda mais bonito e acolhedor. Os dois se sentam em um banco, e Alan, coloca o seu braço ao redor de Jade abraçando-a carinhosamente.

- Tenho sorte em ter você perto de mim. - Ele diz um pouco envergonhado.

- Acredite, a sorte maior é minha. Não sabe o quanto eu me sinto grata por ter conhecido você.

Os dois se beijam apaixonadamente. Parecia que cada vez que se beijavam era uma experiência nova, e, embora já tivessem se beijado várias vezes nas últimas semanas, sentiam como se sempre fosse a primeira.

Depois do beijo, Alan afasta o seu rosto levemente.

- Pode até parecer meio sem sentido, afinal nos conhecemos a pouco mais de um mês, mas... Tô apaixonado por você! - Ele sorri se esforçando para não parecer bobo.

- Não é sem sentido, porque... Eu também estou apaixonada por você, Alan! Parece até meio clichê, mas é verdade! - Jade retribui o sorriso.

- Não sabe como é ótimo ouvir isso de você.

Alan segura novamente nas mãos de Jade, a acariciando com os seus dedos. Se pudesse, nunca mais a soltaria.

- Bem... - Ele continua - Nas últimas semanas, já saímos várias vezes, já segurei na sua mão diversas vezes, e você tem ideia de quantas vezes nos beijamos?

- Não sei... - Jade ri - Não cheguei a contar.

- Bem, acho que já somos algo mais do que amigos...

- Sim, mas... E então? O que somos agora?

- Eu queria que você perguntasse isso. Eu sou um rapaz que não gosta de enrolar para definir as coisas, e por isso eu te pergunto: Jade, você quer ser a minha namorada? - Alan pergunta com uma serena expressão em seu rosto.

Jade fica surpresa mas ao mesmo tempo em êxtase com a pergunta de Alan.

- Sim, Alan! É tudo o que eu mais quero! - Jade responde com o coração a mil.

Alan se aproxima de Jade e a beija novamente. Começava ali uma nova relação entre eles. Minutos depois, ao perceber que já estava ficando tarde, eles se levantam do banco para irem para casa.

- Até mais, Jade! Boa noite!

- Boa noite pra você também, Alan!

- Melhor agora em saber que somos oficialmente namorados! - Ele ri.

Após trocarem um selinho, cada um segue o seu rumo.


Notas Finais


Esse é o novo capítulo!
Espero que gostem! :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...