História A Romance Without Love - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Lydia Martin, Malia Tate, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Personagens Originais
Tags Drama, Erótica, Martinski, Romance, Sadomasoquismo, Sexo, Stydia, Teen Wolf
Visualizações 147
Palavras 2.092
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Visual Novel
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 13 - Say to me


"Assim que acordar, desça e tome seu café da manhã, depois encontre-me no escritório.

— S.S"

Assim que Lydia terminou de ler o bilhete grudado em sua mesinha de cabeceira, deixou um singelo e preguiçoso sorriso escapar. Ela retirou o edredom de cima de seu corpo e andou até o banheiro. Depois de se despir, entrou dentro do box e logo estava sentindo a água morna caindo sobre sua pele, levando embora com a sujeira, qualquer vestígio de sono.

(...)

Assim que Maria serviu seu café, ela tratou de comer logo, pois não queria deixar Stiles esperando. Ela gosta de agradá-lo. Algum tempo depois, ela limpa seus lábios e se levanta da cadeira, agora, seguindo seu caminho para o escrito do mais velho. Assim que chega em frente à porta escura, ela deixa um sorriso baixo sair de sua boca, e logo levanta sua mão até a porta dando duas batidas nela. Ela recebe um abafado "entre". Ela gira a maçaneta e empurra a porta pesada, fechando-a em seguida.

Assim que ela se vira, ela fica levemente surpresa ao ver Stiles com roupas leves. Uma calça jeans e uma camisa sem mangas na cor branca. Ele tinha seus pés cruzados em cima da sua mesa, exibindo um par vans. Seu cabelo estava um pouco bagunçado.

Ele parecia tão jovem. Despreocupado.

Antes que Lydia pudesse falar algo, Stiles a chamou com o dedo, para que se aproximasse e assim ela fez, parando em frente à mesa de madeira, que era única coisa que os separava.

Ambos os olhos estavam conectados. A atmosfera de repente estava mais quente, mais acolhedora. Stiles, mais uma vez, fez sinal com a mão, para que ela se aproximasse mais. E ela entendeu o que ele queria. Ele a queria em seu colo, mais uma vez. Lydia morde seu lábio inferior, e faz a volta na mesa, sentando no colo do moreno, que tinha retirado os pés de cima da mesa.

Stiles pôde perceber o nervosismo de Lydia e sorriu mentalmente. Tão inocente, meu anjo. Ele levou sua mão até o seu rosto e deixou um leve carinho em suas maçãs rosadas, descendo para os lábios carnudos da ruiva. Ele traçou cada milímetro de seus lábios. Tão macios!

Ele não resistiu.

— Me beije. — ela sabia que não era um pedido. Ele queria e teria.

Lydia morde seus lábios enquanto sobe — ansiosamente — a mão a agarra o pescoço alheio, ela aproxima seu rosto do dele. Stiles nada fez, só esperava. Ele queria que ela tomasse iniciativa, mesmo que ele tivesse exigido o beijo, e assim foi.

Lydia encostou seus lábios no de Stiles, e este logo tratou de aprofundar mais as coisas. Uma de suas mãos agarrava as coxas da mais nova, apertando-as. Lydia tinha suas mãos bagunçado o cabelo do moreno, o deixando ainda mais louco. Os lábios se movimentavam com desejo e necessidade. Tão desesperados. Stiles subiu mais a sua mão, e apertou o traseiro da menor com força, deixando que o grunhido saísse de sua boca. Lydia gemeu surpresa. Tão sexy, meu anjo. Ele mordeu seu queixo, e começou a descer os beijos para o pescoço dela, que abriu o caminho para ele. Dando um último beijo, ela se separa dele.

Lydia estava respirando fundo, recuperando o fôlego perdido. Estava vermelha.

Stiles lamber seu lábios mais um vez, e diz:

— Você é deliciosa, querida. — ele aperta as coxas de Lydia. — Quem me dera receber um beijo desses todos os dias.

— Stiles... — ela esconde o rosto no espaço do pescoço dele com vergonha. Este se permite a rir disso. Tão menina.

— Tirei o dia pra ficar com você, sabia? — ele acaricia seu cabelo, e continua a falar — Quero te levar pra fazer compras.

— Pensei que homens não gostassem de fazer compras — ela rebate, mas estava feliz em passar o dia com ele.

— Eu geralmente não gosto, mas eu irei adorar ver você provando as roupas. — ele dá aquele sorriso. Aquele sorriso que só ela sabe.

Tão atrevido.

— Ande, vamos! — ele levanta da cadeira e coloca Lydia no chão. — Não quero sair de casa tão tarde. Já perdemos tempo de mais com a sua safadeza, querida.

— Minha safadeza? — ela o olha incrédula.

—Sim, meu anjo. — Ele deixa um beijo singelo em seus lábios e se afasta. — Agora pare de tentar me provocar com essa sua sobrancelha arqueada.

— Mas eu não tô provocando.

— Vamos logo, querida! — Stiles já saía pela porta, colocando uma jaqueta preta por cima da camisa.

Ela deixou um sorriso aparecer em seus lábios. Bobo, ela pensou enquanto fazia o mesmo caminho que o mais velho tinha feito segundos atrás.

(...)

Lydia POV's

Stiles estava sentado ao meu lado, no lugar do motorista, ele cantava uma música qualquer que estava passando no rádio do carro. Seus cabelos estavam voando um pouco por causa da janela que estava aberta, o sol batia em seu rosto o deixando ainda mais bonito, a sua voz completava o pacote perfeição. Era doce e presente, levemente rouca e sexy. Tem alguma coisa que ele não saiba fazer bem?

Ele deu uma olhada para mim pelo canto do olho, pegando-me no flagra. Ele me jogou uma piscadela e deixou um sorriso de lado aparecer.

Será que ele sabe que eu amo o seu sorriso?

Eu dou um sorriso bobo e volto a olhar pra frente.

— Chegamos, anjo. — ouço ele dizer e logo ele entra no estacionamento do shopping e deixa seu carro estacionado bem no começo.

Assim que saímos do carro, nós começamos a andar em direção da entrada do shopping, e antes que pudéssemos passar pela porta, sinto seu braço passando pela minha cintura, dando um leve aperto na lateral, permanecendo com o braço ali. Meu coração bate mais rápido, mas eu tento não demonstrar nada. Não quero que ele pense que algo tão bolo mexa comigo desse jeito.

Stiles me guiava pelos corredores do shopping. Nunca vi um lugar tão cheio e grande como aquele, eu já havia feito compras em lojas pequenas, mas isso só acontecia 2 ou 3 vezes ao ano.

— Primeira parada: Victoria Secrets. — Justin diz, é me leva até a loja.

— Que tipo de roupas vende nessa loja? — pergunto.

— Lingeries. — ele diz dando aquela olhada pra mim.

Eu coro.

— E você vai entrar comigo? — minha voz sai em um tom mais alto dessa vez.

— Mais é claro. — ele diz e nesse momento entramos dentro da loja.

— Stiles! São roupas íntimas para garotas. Eu não quero que você me veja escolhendo, eu fico envergonhada.

— Anjo, não haja como se eu nunca tivesse te visto com roupas íntimas. Até por que, eu já vi além deste insignificante pedaço de pano. — ele diz olhando diretamente nos meus olhos. —Além de que, você não vai escolher nada. Eu que vou.

Mal posso me recuperar de suas palavras, uma das atendentes param em nossa frente. Ela era negra e um pouco mais alta que eu, bonita e simpática.

— Bom dia, senhores. Eu sou a Sara. Posso ajudar em alguma coisa?

— Sim, Sara, você pode. Onde fica as lingeries mais sexys daqui? — Stiles respondeu sem rodeios.

Eu — como sempre — corei como uma condenada. Tão constrangedor! Como ele consegue agir com tanta naturalidade?

A moça sorrir, e responde:

— Sigam-me, por favor.

Stiles segura a minha mão e começa a fazer o mesmo caminho que a moça. Assim que ela para em uma parte da loja, ela se vira para nós e torna a perguntar.

— Posso ajudá-los em mais alguma coisa? — o sorriso não sai de sua boca.

— Não, obrigado Sara. — ele sorriu sem mostrar os dentes.

Sara logo saiu de onde estávamos, e quando já estava longe o bastante, Stiles se virou e começou a olhar as lingeries com tranquilidade.

— Vamos achar algo para você, Srta. Martin. — diz enquanto segura umas peças, avaliando-as.

— Stiles... —antes que eu possa começar ele me corta.

— Eu vou escolher suas roupas íntimas, querida. Assim como eu escolhi suas camisolas. Por que você não vai sentar ali enquanto eu estou enchendo algo para que você possa provar. — ele continua. — Isso não é um pedido, Lydia.

— Tudo bem, eu vou esperar ali.

— Não saia das minhas vistas, escutou?

— Não sou uma criança, Stiles!.

— Não, você não é, querida. Só que você é a minha bonequinha de porcelana. Frágil e valiosa. Então, faça o que eu digo. — ele se aproxima e beija meus lábios por um instante. Adoro isso!

Eu concordo e vou em direção às cadeiras perto do provador, deixando que ele escolha as minhas peças íntimas.

(...)

Eu estava distraída olhando uma revista da loja, quando eu percebo Stiles vindo em minha direção, em suas mãos tinham alguns pares de lingeries. Ele passou a língua nos lábios mais uma vez, e me entregou as peças.

— Vá prová-las. — ele disse.

— Tudo bem.

Eu ajeito as peças em meu braço, caminho para dentro do provador e escolho a última cabine do corredor. Assim que penduro as peças no suporte do lado, eu fecho a cortina e começo a tirar a roupa.

Eu decido experimentar primeiro um conjunto rosa, e assim que eu visto a calcinha, percebo que ela é pequena, pelo menos em relação às que eu costumo usar. Todas as que Stiles escolheu são pequenas na parte de baixo.

Eu já havia vestido a parte de baixo da segunda lingerie — na cor vinho — e estava tentando abotoar a parte de trás do sutiã, quando eu percebo um movimento do lado de fora, e a cortina de repente é aberta e um ser entra com pressa.

Stiles!

Eu esqueço de tentar abotoar o sutiã, e tento me cobri — o que é inútil. Eu sei que Stiles já havia visto mais do que ele está vendo agora, mas eu ainda fico envergonhada, não posso controlar isso.

— Stiles, o que está fazendo aqui? É o provador feminino. — eu estou espantada e acabo subindo meu tom de voz.

— Eu sei, anjo. Mas eu não pude me controlar ao imaginar você provando essas peças. Imaginar você subindo vagarosamente essa pequena calcinha, — ele se aproxima e me prensa na parede. — passando ela pelas suas coxas e seu traseiro delicioso. Em seguida, cobrir seus lindos e firmes seios com um sutiã sexy, realçando a beleza dessas duas preciosidades. Você me enlouquece só pelo pensamento, anjo.

— Stiles, você não pode ficar aqui... — eu sussurro pra ele.

Seus olhos castanhos estavam grudados nos meus, conectados. Meu corpo estava começando a ferver por dentro, eu estava nervosa mas eu queria tanto que ele me beijasse. Eu desejava por isso. Acho que ele percebeu isso.

Seus lábios roçaram nos meus, me provocando, me fazendo suspirar pela vontade, pelo desejo.

— Diz que você é o meu anjo. — ele manda.

— Eu sou o seu anjo.

Eu sinto sua mão retirando o sutiã que estava encaixado em mim, e ele levemente agarrada o bico do meu seio direito.

— Arh... — eu deixo um gemido escapar, eu fiquei tão sensível de repente. Meus peitos doíam, queriam atenção.

— Diz que você adora quando eu te beijo.

Seus beijos descem pelo meu pescoço e vão até o espaço entre os meus seios. Eu passo minhas mãos em seu cabelo, puxando-os , deixando-os mais bagunçados. Ele segura meus dois seios e os aperta.

Delícia.

Eu arfo

— Eu adoro quando você me beija, Stiles.

Com um impulso, ele ergue meu corpo e eu imediatamente enrosco minhas pernas ao redor de sua cintura. Ele me prensa ainda mais na parede, seu rosto está grudado no meu, e ele passa a língua pelos seus lábios e em seguida puxa meu lábio inferior com os dentes. Ele novamente, deixa um beijo entre meus seios.

— Agora diz, Lydia. Diz, quem é o seu dono. Me diz a quem você pertence.

Me pegando se surpresa, sua língua passa por cima do meu bico do seio esquerdo, ele o coloca na boca e chupa. Chupa. Chupa.

Oh meu Deus! Ai que delícia! Tão bom, tão bom!

— Você Stiles. Você é meu dono. É você a quem pertenço. Só você.

Ele me olha e me olha, no final das contas, ele me põe no chão e se afasta um pouco, ajeitando sua roupa e seu cabelo. Eu estava tão necessitada do seu toque, que não me importei no momento por estar — mais uma vez — semi-nua na sua frente.

— Você vai sair? Sem me beijar? — a pergunta saiu surpreendente pela minha boca. Eu chorei um pouco pelo meu atrevimento. Eu ando tão descarada.

— Anjo, deixe de ser uma safada. Estamos em um provador, contenha-se.

Dito isso ele piscou pra mim enquanto dava um sorriso sacana. Depois, saiu da cabine como se nada tivesse acontecido.

Mais que diavos


Notas Finais


Eu tô morrendo com esse final! Espero que vocês também tenham curtido. Besosss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...