História A Rosa do Norte - Capítulo 51


Escrita por:

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Afrodite de Peixes, Albafica de Peixes, Camus de Aquário, Geist de Serpente, Hyoga de Cisne, June de Camaleão, Krest de Koh-í-noor, Lyfia, Marin de Águia, Misty de Lagarto, Personagens Originais, Saori Kido (Athena), Shun de Andrômeda, Sorento de Sirene
Tags Afrodite De Peixes, Afrodite X Shun, Amor Incondicional, Drama, Feminismo, Gravidez, Intrigas, Machismo, Mistério, Patinação, Preconceito, Romance, Traição, Trauma
Visualizações 143
Palavras 4.111
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Fantasia, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus queridos leitores.
Finalmente chegou o momento da emboscada, então preparem o coração, pois aqui teremos muito drama e fortes emoções.
Espero que gostem e tenham uma boa leitura.

Capítulo 51 - Missão complicada


Na manhã do dia seguinte o clima era de apreensão, pois estavam todos ansiosos e um pouco nervosos com a cilada que seria feita no final da manhã.
Depois que o grupo tomou um reforçado café da manhã, cada um foi para um canto, exceto Akemi e Erick que decidiram passar aquele tempo juntos.

Para o desgosto de Krest, Ikki se negara ajudar a proteger o palácio durante a emboscada dizendo que ficaria estudando na biblioteca. Isso deixou o aquariano muito irritado e magoado, Ikki era seu sucessor e não queria um egoísta no trono. Depois veria o que faria com ele.
Assim boa parte da manhã se passou rapidamente, naquele momento Erick e Akemi estavam no esconderijo subterrâneo e já trajavam suas armaduras. Lyfia, Esmeralda e Noah estavam acomodados em um confortável sofá cama, ali havia água e vários suprimentos, então ficariam bem por um bom tempo caso precisassem permanecer ali por um longo período.

Estava quase na hora da castanha ir para o campo e Erick tinha vontade de não deixar ela ir, mas sabia que aquilo era preciso e que logo ela estaria de volta.
Ao ver aquela grande preocupação nos belos olhos de seu amado, Akemi tenta puxar um assunto mais agradável, não queria que a despedida deles fosse naquele clima tenso.

- A rainha me contou que amanhã a noite haverá um jantar de comemoração. Parece que vai ter gente importante nele.
- E vai mesmo, pois estaremos comemorando a libertação de Mavidelle daqueles covardes.
- Fico só imaginando como é uma festa na realeza, deve ser uma festa deslumbrante e altamente chique.
- Já participei de duas e posso afirmar que são bastante requintadas e cheias de formalidades.
- Entendo, já esperava por algo assim. Ainda bem que eu trouxe aquele vestido que usei no jantar, mas não sei se vai ser adequado.
- Mas é claro que é adequado, não se preocupe com isso. Mas me prometa uma coisa.
- O que meu amor?
- Akemi, me prometa que terá cuidado quando estiver no campo.
- Erick, eu terei cuidado e ficarei bem, logo estarei de volta.
- Eu sei que você é forte e se preparasse bem para essa missão, mas não consigo deixar de ficar preocupado e angustiado.
- Eu te entendo, se estivesse no seu lugar também ficaria assim. Por favor, tente ficar calmo, eu voltarei pra você e nós vamos passar mais uma noite juntos.
- Estou tentando, mas não é fácil.
- Erick, vai dar tudo certo e logo estaremos novamente juntos.
- Te amo tanto, não suportaria te perder.
- E você não vai me perder meu amor, eu voltarei para os seus braços. Te amo com todo o meu coração e nada vai nos separar.

Ao ouvir as belas palavras de sua amada, Erick sorri e depois a beija com todo o seu amor e sente Akemi retribuir abraçando seu pescoço e permitindo que aprofundasse um pouco mais o beijo.
Assim que quebraram o contato, Akemi abraça o seu amado e o loiro faz o mesmo a abraçando um pouco mais forte. Estavam aproveitando ao máximo aquele momento, não era preciso de palavras, apenas de carinho.

Ficaram por um bom tempo ali abraçados apreciando a companhia um do outro, o casal estava tão imerso naquele momento que só perceberam que não estavam mais a sós quando ouviram a voz de Krest.

- Eu odeio ter que estragar esse momento, mas chegou a hora de irmos.
- Está tudo bem majestade, nós já nos despedimos. Por favor, tenha muito cuidado minha querida.
- Eu terei, mas fique tranquilo, logo estarei de volta.

Antes da castanha partir, o loiro dá um beijo na testa dela, tinha vontade de impedir a partida dela, mas sabia que a atuação dela era de grande importância. Então respirou fundo e tentou sorrir e pensar que logo ela estaria novamente em seus braços.

Em seguida, Akemi sai do esconderijo ao lado de Krest, ainda estava um pouco envergonhada por terem sido flagrados em um momento tão íntimo.
Já o aquariano fazia um grande esforço para não rir do acanhamento da castanha, tinha achado bela a cena que vira momentos antes e não via nada demais naquilo, era o direito deles poderem se despedir da forma que achassem melhor, mas entendia o embaraço dela.

- Que isso Akemi, não precisa ficar assim, vocês não estavam fazendo nada errado.
- Mas nós...
- Vocês são namorados e era normal que quisessem ficar esse tempo juntos e depois se despedirem da melhor forma. Eu que me senti um intruso.
- Está tudo bem, você tinha que nos avisar. Nós conseguimos passar uma boa manhã juntos, isso já foi o suficiente.
- Não quero ser intrometido, mas sinto uma grande sintonia entre vocês e ele parece gostar muito de você.
- O Erick é uma das pessoas mais importantes pra mim, não sei se conseguiria viver sem ele ao meu lado. Fico mais tranquila que ele estará longe dos rebeldes.
- Entendo os seus sentimentos, pois sinto o mesmo pela minha família. E fico feliz que esteja tranquila, assim poderá se concentrar em sua missão. De qualquer maneira vocês dois ficariam separados.
- Eu treinei duro durante meses para esse dia e sei que vamos conseguir cumprir essa missão com sucesso. E entendo o motivo de ficarmos separados e até agradeço por isso. Mas há alguma estimativa do número deles?
- Infelizmente não, mas eu acredito que seja entorno de trezentos indivíduos.
- Se for isso é um grupo bem grande, mas não vai sobrar nenhum em liberdade.
- Akemi, está tudo ao nosso favor, mas tome muito cuidado com o excesso de confiança. Tudo poderá acontecer durante essa emboscada.
- Não se preocupe, eu terei cuidado e ficarei concentrada, jamais cometeria esses erros de um aprendiz novato.

Não demorou muito e eles chegam no portão principal onde Frodi já esperava pela castanha, assim que os dois passaram pelos muros, o enorme portão foi lacrado fazendo o aquariano sentir um aperto no peito.

Sabia que aquele não era o momento para pensar em suas suspeitas, mas não conseguia parar de pensar naquela moça tão gentil e misteriosa que fingira ser uma dotada por um motivo que ainda não tinha conseguido decifrar.
Depois que aquilo terminasse, iria ter uma conversa com Camus e exigiria que ele lhe contasse tudo que sabia sobre ela, pois havia uma pequena possibilidade dela ser sua filha e não a descartaria.

Algum tempo depois em um grande paredão, Akemi, Frodi e Misty estavam em uma parte mais elevada e teriam uma boa visão onde estavam.
Assim que o jovem capitão foi comunicado pelo cosmo que já estavam todos posicionados, o loiro quebra o selo que ocultava o cosmo da castanha e pede para que ela o elevasse um pouco, apenas para chamar a atenção daquele bando de monstros.

Não demorou muito e o grupo sente vários cosmos indo em direção a primeira armadilha, iria demorar um pouco para eles chegarem na primeira barreira que certamente eliminaria boa parte daquele grupo.

Enquanto isso no abrigo subterrâneo, Erick permanecia calado enquanto vigiava a entrada, tinha sentido a leve elevação do cosmo da castanha indicando que logo os rebeldes estariam ali.
Sabia que sua amada era forte e que ficaria bem, mas aquele preocupação e angústia não lhe deixavam em paz.
Foi então que ouviu o som de passos e ao olhar para trás, viu Lyfia se aproximando com uma expressão preocupada.

- Essa espera realmente acaba com a gente.
- Majestade, não é seguro sair do abrigo. Essa espera é angustiante, mas eu estou bem.
- Só quero conversar um pouco, pois também estou inquieta e muito preocupada. Não sei como a Esmeralda conseguiu dormir.
- Ela fez bem, aqui está segura e ficar esperando só a deixaria mais nervosa.
- Eu não quero ser intrometida, mas vi que foi difícil pra você se separar dela. Mesmo vocês sendo discretos, dá pra ver de longe que você a ama muito.
- Sim, eu a amo com todo o meu coração. Akemi se tornou uma das pessoas mais importantes da minha vida e eu não saberia mais viver sem ela. Ela me ajudou a superar um enorme trauma e mudou a minha vida para melhor.
- É tão linda a forma que você fala dessa moça. Às vezes eu olho pra ela e penso na minha filha.
- Eu sinto muito que a presença dela acabou incomodando vocês.
- Não, a presença dela está muito longe de ser um incômodo, eu sei lidar com essa dor e jamais a culparia por isso.
- Imagino que toda essa situação esteja te lembrando do dia que eles atacaram essa cidade.
- Sim, você acertou. Jamais irei esquecer daquele dia, quando vi que ela tinha sumido, entrei em desespero e isso só piorou quando nos deram a notícia de que ela tinha se perdido junto com o Andreas, ele conseguiu resgatá-la, mas não pode voltar.
- Essa dor deve ter sido quase insuportável, mas não vamos mais falar sobre isso.
- Erick, eu sei que essa moça é uma dotada e que tudo não passa de uma grande coincidência, mas não há nenhuma possibilidade de estarem enganados?
- Majestade, eu...
- Por favor, me diga, existe uma mínima possibilidade dessa moça ser a minha filha?
- Por favor majestade, tente se acalmar. Sei que todos esses acontecimentos estão mexendo com essa enorme ferida, mas não adianta nada entrar em desespero.
- Você tem razão, me desculpe por isso, eu...
- Não há nada que se desculpar, certas coisas precisam ser colocadas pra fora, me sinto honrado que tenha confiado em mim para falar de algo tão íntimo e profundo.

Lyfia apenas acena com a cabeça e tenta sorrir, se sentia um pouco melhor depois de ter aquela conversa com o pisciano, todos aqueles acontecimentos lhe lembravam daquele terrível dia, mas precisava ser forte e deixar as lembranças de lado. Algo lhe dizia que sua filha estava viva e não descansaria até encontrá-la.

Já Erick sentia um aperto em seu coração ao ver a rainha sofrendo tanto, mas naquele momento não podia contar a verdade, pois ela e o rei ficariam desesperados e isso poderia arruinar aquela missão. Odiava ter que fazer aquilo, mas depois que aquilo terminasse e Akemi estivesse em segurança, contaria toda a verdade a eles e acabaria com o sofrimento deles.
Mas o loiro é tirado de seus devaneios ao sentir as suas rosas e vinhas começarem a atacar, os rebeldes tinham chegado.

Como planejado, o grupo de rebeldes é surpreendido pelo jardim de rosas que formava uma grande barreira terrestre, muitos eram capturados pelas vinhas, já outros não demoravam a cair no sono. Boa parte de grupo já tinha sido eliminada naquela primeira barreira, coisa que deixou os outros furiosos.

A segunda barreira e armadilha foi ainda mais cruel, pois Giovanni sabia muito bem como deixar seus adversários e inimigos apavorados.
As ilusões e outras armadilhas deixadas pelo chão estavam eliminando rapidamente a maior parte do grupo, coisa que deixava o canceriano e os soldados muito satisfeitos e ainda mais confiantes. Os que chegassem no paredão seriam facilmente derrotados pelo trio que esperava por eles, aqueles covardes não teriam nenhuma chance.

Já no paredão, Misty, Akemi e Frodi derrotavam facilmente todos os rebeldes que chegavam ali, pois já estavam cansados ou muito debilitados por causa das duas armadilhas que conseguiram passar.

- O plano do Krest foi genial, não vai demorar muito para derrotarmos todos eles.
- Mantenha o foco Misty, eu ainda não vi o líder deles.
- Logo esse babaca também irá cair, a vantagem é nossa!
- Tenho que concordar com o Misty, está sendo fácil derrotar esses caras, mas não podemos baixar a guarda. Eles devem estar escondendo algo na manga.
- Concordo com você Akemi, esses vermes são capazes de tudo.

Alguns minutos depois, os rebeldes pararam de chegar no paredão, mas quando Misty ia cantar vitória, eles ouvem um barulho alto e assustador. Aquele barulho parecia ser de algo grande e mecânico, coisa que fez os três ficarem apreensivos, a pequena frota de soldados também estava atenta a qualquer movimento ou ataque.
Momentos depois, um ser mecânico aparece diante deles deixando todos apavorados, pois sabiam muito bem o que era aquilo e o enorme perigo que oferecia.

- É um guardião!
- Mas como esses desgraçados conseguiram restaurar um deles?
- Agora não é hora pra isso Misty, precisamos nos proteger e rápido.

Rapidamente Akemi faz surgir um enorme escudo de gelo que bloqueia facilmente o dispara do laser dele. E antes que aquele monstro ferisse ou matasse algum soldado, Akemi vai até a pequena tropa e invoca outro escudo.

- O que nós vamos fazer, essa coisa vai nos matar.
- Fiquem calmos eu tenho um plano. Eu estive estudando o funcionamento dele e descobri o ponto fraco.
- Akemi, nós estamos te ouvindo e seguremos o seu plano.
- Fique tranquilo Frodi, eu sei exatamente como destruir essa coisa. Nós vamos ter que trabalhar em equipe, um de nós terá que dar um tiro no olho dele e depois o distrair. Os outros dois devem atacar as pernas dele, sem elas será bem mais fácil causar dano ao corpo dele.
- Sem querer duvidar do seu plano, mas não seria mais fácil separar a parte da cabeça do corpo?
- A sua teoria é muito boa Misty, mas a ligação entre o corpo e a cabeça é muito resistente e ele consegue girar a cabeça no próprio eixo. O risco de sermos atingidos é muito alto. Nos meus estudos eu li que essa máquina fica paralisada por alguns momentos quando o olho é atingido, isso pode nos dar ainda mais vantagem.
- Muito bem, então eu vou distrair esse monstro enquanto você e o Frodi destroem as pernas dele e o atacam.
- Então Akemi e eu cuidaremos das pernas e depois do corpo dele. Tenha muito cuidado Misty.
- Não se preocupem, essa coisa nunca irá me pegar, o deixarei tonto igual a uma barata envenenada.

Antes de atacarem aquele monstro mecânico, Frodi pede para que os soldados ficassem ali escondidos, pois naquele momento não poderiam ajudar.
Assim que o guardião fez seu último disparo, Misty salta do escudo e acerta o olho dele com uma rajada de seu cosmo o fazendo cambalear e ficar paralisado por alguns momentos.

Já Akemi e Frodi aproveitaram aquela brecha para começarem a destruir as seis pernas dele, o loiro usava sua poderosa espada e a castanha usava seu poderoso ataque de gelo que envolvia o alvo com cristais e depois o arrancava do resto do corpo.
A cada perna destruída, os três sentiam a energia daquela máquina enfraquecer, pois estavam danificando a estrutura interna.
Aquele guardião podia até ser um pouco menor que os outros que estavam desativados ou destruídos, mas representava o mesmo perigo que os maiores.

Pouco tempo depois, o trio já tinha deixado aquela máquina sem as pernas e atacavam o resto do corpo fazendo as luzes dele piscarem incessantemente. Não demorou muito e aquela terrível máquina parou de funcionar e todas as luzes se apagaram indicando que o guardião tinha sido vencido.

- Estou impressionado, mas a sorte de vocês acaba aqui!

Ao ouvirem aquela voz, o trio se posiciona de forma ofensiva e momentos depois ficam pasmos ao verem outro guardião igual ao anterior que tinham destruído. Mas daquela vez ele não estava sozinho, do nada surgiu um homem alto e corpulento, ele tinha o cabelo negro curto e os olhos eram em um tom de âmbar.

- Então esse é o líder dos rebeldes.
- Isso mesmo garota, já que você nos destruiu, terei o maior prazer em acabar com a sua vida.
- É você quem vai perder.
- Akemi, eu lutarei ao seu lado.
- Não Frodi, ajude o Misty a destruir aquela lata velha. Isso aqui é um assunto pessoal.
- Mas...
- Eu vou ficar bem, agora vá.

Mesmo contrariado, o loiro deixa aquilo com a castanha, já Akemi olhava de forma fria para aquele homem, acabaria com ele e vingaria todas as pessoas que os rebeldes fizeram sofrer.
Akemi não pensou duas vezes e o ataca com seu trovão aurora, mas ele consegue desviar e tenta acertar um golpe na castanha que consegue se esquivar rapidamente e acertar seu poderoso pó de diamante nele o fazendo recuar um pouco.

- Maldita, isso não vai ficar assim!

Tomado polo ódio, o líder vai pra cima da castanha e novamente tenta acertar vários golpes nela, mas Akemi desviava rapidamente enquanto tentava prendê-lo com a prisão de cristais, mas ele desviada de todas as suas tentativas.
Em um momento, o homem expande seu cosmo e deixa Akemi apavorada ao sentir a armadura de aquário deixar o seu corpo de forma forçada, aquilo só podia ser uma magia negra ou proibida. Em seguida viu o homem desaparecer em meio a uma nevoa negra, depois sentiu pelo cosmo ele vir rapidamente pelas suas costas, mas daquela vez não conseguiu desviar a tempo e acaba sendo ferida na parte de trás de seu ombro.

O corte não tinha sido profundo, mas quase chegava na coluna da castanha que mesmo sentindo uma intensa ardência, contra-ataca rapidamente e acerta no líder o seu poderoso trovão aurora e a armadura de aquário volta a proteger a castanha.
Mais uma vez, Akemi tenta prendê-lo com seu ataque de gelo, mas ele consegue escapar e vai novamente pra cima da castanha que desvia de todos os golpes, mas é acertava por um em seu braço direito que a abriga recuar.

Ao olhar para a área atingida, Akemi sente seu coração quase parar ao ver uma farpa grossa e a retira rapidamente. Sabia muito bem que aquilo era um dardo envenenado, tinha que acabar logo com aquele verme para que pudesse receber o antídoto.

Novamente o líder tenta acertar um golpe na castanha, mas daquela vez Akemi o ataca com uma violenta rajada de ar gélido que o joga contra o paredão e depois o prende com os cristais de gelo.

Akemi se sentia um pouco cansada, pois aquele confronto tinha sido bastante complicado, também se sentia orgulhosa por ter acabado com aquele verme e cumprido sua missão.
Naquele momento só queria receber o antidoto e voltar para os braços do seu amado Erick.

Já Frodi e Misty estavam assombrados com o grande poder da castanha que conseguira derrotar sozinha o temido líder dos rebeldes. Graças ao plano dela, derrotaram facilmente o segundo guardião e viram ela ser ferida e depois atingida pelo dardo envenenado.

Mas quando foram na direção dela para socorrê-la, de repente Akemi é envolvida por uma fumaça roxa e ela grita em desespero, pois não conseguia se mexer.
Em questão de segundos a fumaça desaparece junto com a castanha deixando Misty e Frodi desesperados, pois Akemi estava ferida e envenenada.

- Frodi, eu não sinto mais o cosmo dela.
- Mexam-se! Nós temos que encontrar a Akemi, procurem ela por todos os cantos, nós temos que encontrá-la!
- Senhor Frodi, isso vai ser arriscado, uma nevasca está chegando rapidamente.
- Isso não interessa. Ela pode estar em perigo e vamos procurá-la até quando for possível!

Ao receberem aquela ordem, os soldados começam a procurar pela castanha, já Frodi avisou Giovanni pelo cosmo do desaparecimento de Akemi e pediu para que todos a procurassem, mas que não deviam falar nada ao reio ou ao cavaleiro de peixes.

Enquanto isso, Akemi estava desesperada e tentava se libertar daquela névoa a todo custo, sentia uma dor horrível por todo seu corpo e que suas energias estavam sendo drenadas.
Foi então que ouviu uma risada maliciosa e reconheceu na hora aquela voz.

- Seu verme covarde, isso não vai ficar assim!
- Por sua culpa eu fui castigado, mas agora terei o prazer de te ver morrer no meio de uma nevasca.
- Isso nunca, você não terá esse prazer!
- Garota idiota, eu drenei a maior parte da sua energia e do seu cosmo, ninguém vai te encontrar a tempo e você morrerá agonizando. Essa é a minha vingança por todo mal que me causasse e por não ter obedecido as minhas ordens. Agora morra sua impura nojenta.

De repente a fumaça roxa se desfaz e Akemi cai no chão, imediatamente sentiu um frio congelante e por mais que tentasse, não conseguia se proteger com seu cosmo.
Se sentia muito cansada e fraca, certamente efeito do golpe daquele canalha. Para piora a situação, estava envenenada e não sabia onde estava. O vento gelado atacava constantemente o seu corpo, precisava encontrar abrigo ou iria congelar.

Mesmo se sentindo exausta, Akemi caminha por aquela floresta até que encontra uma pequena caverna onde entra sem pensar duas vezes, não tinha mais forças para buscar lenha para fazer uma fogueira, mas conseguira elevar minimamente seu cosmo para tentar se manter aquecida.
Akemi sabia que estava na pior situação, mas acreditava que seria encontrada pelos seus amigos que jamais desistiriam de si. Estava sendo difícil se manter aquecida e sentia que iria congelar, mas não desistiria e lutaria até o fim.

Pouco tempo depois no palácio de Lanayru, todos estavam preocupados e esperavam pelo retorno do quarteto em uma das salas, foi então que ouviram a grande porta ser aberta e ficaram apreensivos ao verem que só Frodi tinha voltado.

- Frodi o que aconteceu, onde estão os outros?
- A emboscada foi um sucesso, mas infelizmente a Akemi desapareceu.
- O que?!

Ao ouvir aquilo, Erick sente como se alguém tivesse lhe apunhalado no peito, aquilo não podia ser verdade. Já Krest e Lyfia estavam chocados com aquela noticia, pois tudo parecia ter ido bem.

- Como assim ela desapareceu?!
- Eu sinto muito Erick, nós não conseguimos fazer nada, foi tudo muito rápido.
- Mas como isso aconteceu?
- Akemi lutou sozinha contra o líder dos rebeldes e o venceu e depois o prendeu com os cristais de gelo. Mas uma névoa roxa a envolveu rapidamente e desapareceu com ela. Aquilo surgiu do nada e desapareceu em um piscar de olhos. Uma forte nevasca está chegando e pra piorar tudo ela foi envenenada e ferida durante o confronto.
- Eu vou atrás dela! Não vou deixa-la lá fora!
- Erick se acalme! Você não pode ir assim de mão vazias e nós não sabemos onde ela está.
- Majestade, eu preciso ir ou ela...
- Eu entendo o seu desespero, mas ir assim sem nada é loucura.

Quando o belo pisciano pensou em responder, a armadura de peixes começou a emitir um brilho fraco e depois apagar, piscava constantemente como se quisesse dizer algo.

- Já sei onde ela está, a armadura de aquário está chamando pela minha. Algo grave aconteceu, pois ela parece chorar.
- Tente se acalmar, você vai encontrá-la a tempo. Essa nevasca é muito perigosa, pois oculta qualquer cosmo e dificulta muito qualquer teletransporte. Se não conseguir voltar, vá para esse abrigo que fica no bosque. Lá tem tudo para que fiquem bem até a nevasca passar.

Em seguida o aquariano toca na testa do loiro e Erick vê uma cabana de dois andares no meio do bosque que certamente era usada no treinamento dos soldados de elite.

- Agora vá e pegue tudo que for preciso.

Ao ouvir aquilo, Erick sai correndo em direção ao seu quarto, ao chegar no local pegou o kit de primeiros socorros, uma capa grossa e depois foi para o quarto da castanha onde pegou uma calça de moletom cinza claro e a túnica azul que ela tinha ganhado de Camus.
Assim que colocou o kit e as roupas dela em uma sacola de tecido, voltou para a sala e encontrou Krest e o médico Utgard esperando por si.

- Erick, aqui está o antidoto e uma seringa com agulha esterilizada. Você deve aplica-lo na corrente sanguínea, então essa caixa tem três ampolas caso algo dê errado com uma das aplicações.
- E nessa mochila há comida pra vocês dois, o suficiente para dois dias e também mais algumas coisas que podem ser úteis. Boa sorte e tenha cuidado.
- Obrigado.

Após guardar tudo na mochila, Erick veste a capa e se concentra em sua armadura e consegue se teletransportar para um local que parecia ser uma floresta. Era a mesma floresta de onde os rebeldes tinham vindo, mas estava na parte mais profunda.
Sentia seu coração doer enquanto tentava localizar sua amada Akemi seguindo o chamado da armadura de aquário, pedia com todas as suas forças para que a encontrasse a tempo, pois não saberia mais viver sem ela ao seu lado.


Notas Finais


Aqui está o guardião, o peguei emprestado da franquia legend of zelda.
https://pre00.deviantart.net/0625/th/pre/f/2017/128/4/a/zelda_botw_guardian_3d_render_by_magicofgames-db8iyt6.png

Estou sem palavras para esse capítulo, foi muito difícil pra mim escrever algumas partes dele.

Muito obrigada a todos que estão comentando e acompanhando a fanfic, e também a todos que deixaram seu favorito. O apoio de vocês é muito importante e significa muito pra mim. Um grande abraço e até breve.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...