História A Rosa Negra - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Historia Original, Original, Romance
Visualizações 3
Palavras 1.900
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oii bebês, tudo bem?
Mais um capítulo fresquinho para vocês❤
Boa leitura :)

Capítulo 18 - Reencontro


°•°•Brien•°•°

4:08PM

Allison entra no quarto e anda apressadamente ao meu encontro e depois de próximos o bastante para sentir a respiração um do outro, ela me beija:

- Eu te amo - Allison diz separando nossos lábios.

- Lilly, desculpe falar, mas você não me ama. A verdade - ela me olha apreensiva -, é que você está querendo iludir a si mesma para esquecer quem você realmente ama, que no caso é o Mike.

Allison me olha com a expressão de repulsa, como se estivesse a sentir nojo e desaprovação de mim, por fim, ela diz:

- Não, Brien. Não é assim. Eu realmente o amo e sei que sente o mesmo que eu. Talvez eu não sinta com a mesma intensidade, mas sinto - ela se aproxima novamente encostando nossas testas.

- Allison - falo me levantando ao máximo possível -, você está certa em relação a mim. Entretanto, não a si mesma.

- Eu venho aqui lhe dizer sobre meus sentimentos e é assim que você me trata? Discordando do que eu sinto por você?

Consigo ver que Allison não está sendo realmente sincera consigo mesma. Nem ao menos seus olhos ficam com lágrimas a cair enquanto fala:

- Vou lhe dizer o que acho em relação a isso - digo e então ela me olha a espera da minha resposta -. Você deveria ir para o Brasil encontrar o Mike.

- Ah, sério Brien?! É mesmo?! Você não deve estar informado mas ele vai voltar com a ex dele. A Leila.

- Mas ele a ama de verdade.

Seus olhos esbanjam ódio por Mike, como se ele tivesse lhe feito algo ruim. Algo que quebrou o seu coração e a fez se transformar assim:

- Quer saber? Vai se fuder Brien. Quero que você...

Lágrimas escorrem pelo seu rosto, então ela pega sua bolsa e sai sem dizer mais nada.

Allison estava totalmente fora de sí naquele quarto, sabia que não era ela falando comigo e sim uma garota de coração ferido querendo se curar com a ilusão.

Eu precisava falar com Mike urgente.

°•°• Allison •°•°

8:54PM

Entrei em casa com os olhos um tanto vermelhos por causa do choro:

- Está tudo bem, filha? - Minha mãe pergunta sem tirar os olhos da TV.

- Sim. Está tudo ótimo.

Ela se vira para mim e fala:

- A diretora ligou para mim. Perguntou o por que de você não está indo mais para escola. E disse também que suas notas estão baixas.

- É... Minha cabeça não está para escola agora.

- Amanhã você irá voltar, ok?

- Ok - digo e então subo para meu quarto.

          °•••••••°°°•••••••°

Encaro o celular como se fosse um vilão em um filme de faroeste. Minha cabeça está numa insuportável disputa para decidir se eu ligo para o Brien para me desculpar com ele ou não.

Ok, confesso, eu sou um pouco orgulhosa e não tenho muito jeito para pedir desculpas. É como se eu estivesse matando algo dentro de mim ao dizer "desculpas" ou, pior ainda pedir um perdão.

Enfim, eu estava indecisa em questão disso. E se ele não me perdoasse?

Eu fui uma estúpida total com ele e com todos ao meu redor. A verdade é que não consigo digerir as coisas que estão acontecendo, por exemplo, o namoro da minha mãe com o George. Ele é um completo idiota, sem falar que sempre que pode fica dando em cima de mim, o que me deixa muito irritada e acabo descontando toda minha raiva nas pessoas que mais gosto.

Por fim decido ligar, no terceiro toque ele atende:

- Oi - digo -, é a Allison.

- É, eu sei.

- Brien, eu quero lhe pedir mil desculpas por hoje mais cedo, não sei o que me deu e...

- Não precisa se desculpar Lilly - ele diz me interrompendo -, eu lhe entendo.

- Você... Me entende?

- Sim. Agora vá dormir, eu também preciso descansar -Brien desliga.

Respiro mais fundo e deito na cama agarrando o travesseiro e com o tempo meus olhos se fecham devagar e em fim, durmo.

           °•°•Alicia•°•°

As provas finais estavam chegando e todos na escola estavam tensos demais com isso.

Caminho pelo corredor e encontro Allison encostada no seu armário, sua cabeça parece estar em outro lugar:

- Oi - digo. - Tudo bem?

- Ah, oi. Melhor impossível - Lilly demonstra um sorriso sarcástico. - E você?

- Maravilhosamente, bem.

Ela me encara com os olhos semicerrados:

- O que aconteceu Alicia?

Levanto minha mão direita mostrando o anel de compromisso que Sasha me deu:

- Ai. Meu. Deus. Você está namorando!? - Ela diz quase pulando de alegria.

- Sim - digo saltitante. - E você? O que aconteceu?

Allison abre a boca para dizer algo e como quase combinado, o sinal toca e ela levanta seu dedo:

- Mesa dois, esquerda no canto.

Mesa dois, esquerda no canto era o nosso lugar preferido para conversar sobre coisas sérias. Poucas pessoas se sentavam perto de lá por causa dos nerds que se sentavam naquela área.

Nos despedimos e seguimos cada uma para a sala.

         °•°•Allison•°•°

- E depois disso eu liguei para ele pedi desculpas - falo enquanto Alicia morde um pedaço de pizza.

- Nossa - ela diz ainda com a boca com pizza -, coitado de Brien.

- É. Eu não sei o que tinha na cabeça quando falei aquilo.

- Eu recebi uma mensagem de Mike - Alicia diz pegando seu celular.

- Eu não quero saber mais dele.

- Não diga nada antes de ler isso - e então ela mostra:

" Alicia, é o Mike. Diga a Allison que eu a amo e que estou voltando para o Canadá, porém não vou poder ficar muito tempo por aí. Diga a ela também que não acredite em nada sobre antes mesmo de saber a minha versão. "

- Não acredito no que ele diz - digo.

- Allison - Alicia pega em minha mão. - Você precisa perdoar o Mike. Ele é o homem para você, pense nisso - ela pega a bandeja e sai me deixando sozinha.

°•°• Mike

°•°• Um mês depois.

Os dias parecem não terem fim, estou contando as horas para o meu vôo para o Canadá. Consegui despistar Leila dizendo que seria uma viagem da escola. Desde que ela começou a me chantagear, não desgruda mais de mim:

- Primeira chamada para o vôo 134 da Canada Air Lines, com destino a Toronto.

Chegada a hora tão esperada, pego a minha bolsa e caminho para o embarque. Adentro o avião e sento em meu assento ao lado da janela. Logo uma moça bonita senta ao meu lado, a olho e cumprimento e o mesmo retribui com um sorriso.

Fui a viagem inteira escutando música, foram cerca de 10 horas de viagem.

Cheguei em Toronto por volta das 11 da noite. O Brien já estava a minha espera, ele se recuperara rápido:

- Brien - digo aliviado.

- Mike - o mesmo me abraça.

Seguimos para o carro dele, e fomos para a casa do mesmo:

- Minha mãe teve que viajar para a Vanccouver a negócios.

- Então estamos sós? - O olho com um sorriso malicioso.

- Nem tanto. Minha mãe contratou um enfermeiro para vir aqui todas as manhas e tardes.

- Pelo menos você tem alguém de companhia - rimos.

Brien era o tipo de pessoa que já provara de tudo, mas isso era somente entre nós, é claro. Mas o Brien não era gay ou qualquer outra coisa, ele era hétero mesmo, embora eu sempre desconfiasse.

- Então, você quer alguma coisa? Temos cereal, pão, queijo, bacon...

- Não man, tô suave, mas valeu mesmo assim.

- Ficou fora um tempo e já voltou com outro sotaque? - Brien e eu rimos. - E a Leila?

- Cara, sobre isso - parte de mim queria contar a verdade para ele, Brien aparentava estar muito melhor e aguentaria ouvir, mas parte de mim ainda hesitava. - Não quero nem falar sobre isso.

Ele assente com a cabeça:

- Venha, vou levá-lo ao seu quarto - levanto, pego minhas coisas e o sigo pelas escadas.

O quarto era pequeno mas o suficiente para mim, tinha apenas uma cama de solteiro, uma janela e uma escrivaninha com uma cadeira que parece ser confortável:

- Se preferir pode ir dormir comigo, no meu quarto tem espaço.

- Não, aqui está ótimo - ponho a mão em seu ombro -, você é meu melhor amigo, Brien. Nunca se esqueça disso.

- Você também é meu melhor amigo, te amo cara.

- Também te amo.

Brien se retira do quarto e vou até a cama, me deito e fecho os olhos.

Amanhã será um grande dia.

        °•°• Allison •°•°

O dia tinha sido cheio, as aulas estão mais intensas e como fiquei um tempo sem frequentar a escola, tenho que trabalhar em dobro.

Adentro em casa e vejo Mike sentado no sofá com um garoto, chego mais perto para que ele me ouça:

- Oi, Max - ambos viram assustados, percebi que estavam de mãos dadas, logo sorrio. - Quem é o seu acompanhante?

- Ãhn... Oi Lilly, esse é o Stephan. Um amigo - o garoto sorri.

- Uma amigo - repito com um olhar malicioso -, vou deixá-los a sós e a vontade - sorrio para eles.

Subo as escadas apressadamente, não estava a fim de ver meu irmão se pegar com aquele garoto.

Estro no banheiro e ligo a ducha, estava precisando de um banho quente para relaxar, espero um minuto até deixar a água escorrer por meu corpo.

Saio do banho e visto uma calça e uma blusa de manga longa:

- Lilly - Max diz através da porta, reviro meus olhos e levanto. - Tem um rapaz querendo falar com você.

O rosto de Max não reluz felicidade, euforia, segundo sentindo, nada. Ele apenas me olha seriamente:

- Quem é ele?

- Não quis dizer o nome, disse que queria fazer uma surpresa.

Acompanho Max até a sala e vejo o tal rapaz.

Ele está de costas, veste um moletom, calça jeans e um tênis cano alto preto. Sua silhueta é muito familiar:

- Você quer falar comigo? - Digo ainda descendo as escadas.

O rapaz se vira revelando seu rosto. E não posso acreditar no que vejo. Aqueles olhos. Aquela boca. Aquele cabelo. Só podia ser... O Mike:

- Podemos conversar, Allison?

         °•°• Mike •°•°

O dia estava meio nublado, com o céu acinzentado e intimidador.

Olho para o relógio do celular e são 5:45PM:

- Você vai mesmo ir vê-la? - Brien diz com uma caneca de chocolate quente.

- Eu preciso. Ela precisa ouvir o que tenho para dizer - ele me entrega uma caneca.

- Ok, então boa sorte - ele sorri e põe sua mão em meu ombro.

          •°•°•°•°•°•°•°

Faltando três casas para a de Allison a vejo descer do ônibus, por um momento hesito em continuar, mesmo com esse medo travando minhas pernas e fazendo-me soar frio. Respiro fundo e continuo:

- Mike?! - Max diz espantado.

- Oi, Max - um garoto me olha do sofá.

- Você... Você quer entrar? - Percebo o nervosismo de Max, Allison deve ter lhe falado coisas horríveis sobre mim.

- Claro. A Allison está em casa? - Pergunto mesmo sabendo a resposta.

- Vou chamar ela - Max faz um sinal de espera para o rapaz e sobe as escadas.

- Não diga meu nome, ok? - Olho para o menino. - Tudo bem? - Digo para ele que assente com a cabeça.

Demora alguns segundo até que Allison comece a descer as escadas, me viro de costas para ela. Seria bom fazer um surpresa a ela:

- Você quer falar comigo?

Fico de frente para Allison e consigo ver a sua cara quando me vê:

- Podemos conversar Allison?


Notas Finais


:)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...