História A Sad Nightmare ( Fillie) - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Stranger Things
Personagens Chefe Jim Hopper, Dustin Henderson, Eleven (Onze), Jonathan Byers, Joyce Byers, Lucas Sinclair, Maxine "Max" Mayfield / "Madmax", Mike Wheeler, Will Byers
Visualizações 26
Palavras 1.437
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Mutilação, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Foram necessárias duas semanas para esse capítulo vim ao ar,mas aqui estamos nós ! Let's go!

Capítulo 7 - 7. Prazer,Finn Wolfhard.


Fanfic / Fanfiction A Sad Nightmare ( Fillie) - Capítulo 7 - 7. Prazer,Finn Wolfhard.


💫

-- Sadie você está bem? - Noah perguntou assustado,a ruiva estava mais vermelha que o normal. 

-- Não,e não ficarei até que essa nova aluna não vá embora daqui.

-- Sadie... dá para parar? A culpa não é dela.

-- É sim.

-- Não é,quem permitiu a entrada dela aqui foi o diretor,não a culpe e nem implique com ela pois você sabe o quanto é ruim se adaptar em novos lugares... apesar disso ela está vindo em nossa direção.

-- Como?

-- Seja gentil.

-- E você acha que estamos em " O extraordinário" ?

-- Oi. - Sophia apareceu atrás de Sadie e tinha um adorável sorriso no rosto.

-- Oi, - Sadie disse sem ânimo algum -- está procurando algo?

-- É não... é que de todos da escola eu achei vocês as pessoas sensatas.

-- Nossa,obrigada - Sadie 'forçou simpatia' sem ao menos se importar que todos estavam percebendo.

-- Como é o seu nome? - Noah perguntou querendo quebrar aquele clima tenso.

-- Sophia Lillis e o seu?

-- Eu sou Noah Schnapp e essa é minha amiga Sadie Sink.

-- Prazer,sou nova na cidade. Fiquei sabendo que a amiga de vocês morreu.

Sadie sentiu seu sangue ferver,sua vontade era atirar a outra ruiva na primeira janela aberta que encontrasse.

-- Nossa amiga não está morta,está desaparecida. Não fale o que você não sabe,entendeu? - a ruiva aumentou o tom de voz.

-- Me Desculpe... eu não queria.

-- Idiota.

Sadie sai batendo o pé por toda escola cerrando o punho,ela tinha a certa mania de apertar com tanta força as unhas contra a palma da mão que chegava a sangrar. Sophia a olhou assustada e logo se pôs à ir atrás dela.

-- Sophia não precisa.

-- Eu faço questão,eu juro que não sabia. Foi um tal de Romeo que disse.

-- Não acredite no que aquele babaca diz, ele não sabe de nada.

-- Eu quero falar com ela.

-- Não precisa,eu vou. Tentarei convencê-la de que você é uma boa campainha porém espere aqui.

-- Tudo bem.

Noah se foi atrás da ruiva e Sophia ficou lá se xingando por se tão burra,ela já havia perdido a chance de ter uma boa relação com Sadie porque ela abriu sua boca e falou besteiras sem necessidade. Mas não iria desistir tão fácil,ela teria a amizade da garota mais bonita,popular e patricinha de toda a escola. Sadie Sink e Sophia Lillis seriam amigas de uma forma ou outra.

Noah encontrou Sadie na sala de Química da escola chorando baixinho de cabeça abaixada. Ele se aproximou dela e a envolveu com seus braços que por mais que fossem pequenos,a cobria perfeitamente.

-- Ela está viva Noah... eu sinto aqui dentro.

-- É claro que está meu anjo,Sophia não quis falar aquilo,foi o Romeo que falou isso para ela e ela acreditou,ela já pediu desculpas.

-- Eu não a desculpo porque ela é uma filha de uma ...

-- Ei,não fale isso,por favor.

-- Quando Millie vai voltar e tudo vai ser como era antes?

-- Também gostaria de saber.

P.O.V

Millie Bobby Brown

Acordei com uma enxaqueca horrível,qualquer raio de luz me deixava estressada. Desci as escadas e fiquei naquela sala sem nada para fazer.

-- Droga - sussurrei para mim mesma.

Ouvi passos se aproximarem da porta de entrada,estremeci ao achar que era Jacob mas minha feição mudou ao ouvir a voz que não era pertencente à ele.

-- Tem alguém em casa? -- alguém disse e eu continuei calada. -- É melhor eu arrombar.

Arregalei os olhos e me aproximei da porta,achava que essa pessoa iria chutar a porta como nos filmes que o herói salva a mocinha mas não,apenas vi o cadeado se destravando e "Tan ran", me dei de cara com um garoto. Gritamos ao mesmo tempo.

-- Merda,que susto hein! - ele disse como se fôssemos amigos. -- Então foi você né safadinha? Que me pediu socorro? O que houve naquele dia que estava chorando? Quebrou a unha?

Tudo bem que ele não sabia o que se passava comigo mas precisava falar tanta besteira? Maldita hora que eu pedi Socorro pra ele! Estava tão desatenta que nem percebi o que estava fazendo.

-- Queria mil vezes estar chorando por ter quebrado uma unha - fui sincera. -- O que você está fazendo aqui?

-- Ouvi alguns gritos 1 horas atrás e depois um silêncio muito grande,fiquei preocupado e resolvi aqui para ver se ninguém tinha morrido.

-- Como conseguiu abrir a porta?

-- Isso é fácil,essa porta é mais velha que a minha bisavó que Deus a tenha,por mim eu a derrubaria com apenas um chute,mas não queria assustar os moradores da casa. Eles ia achar que era bandidos querendo invadir a casa deles. Então com minhas táticas especiais aprendidas em filmes e abri com um grampo de cabelo.

-- Você tem um grampo de cabelo?

-- Não dá pra falar com as pessoas quando os cachos ficam todos nos seus olhos. Uso quando necessário.

Ri dele e nossa! Parecia que eu não ria a séculos e que minha vida sempre havia sido triste. Acho que você perde a esperança de algo,você esquece que tudo tem momentos bons e ruins. Parei de rir e direcionou o olhar pra ele e ... Céus,que menino bonito.

Seus cachos negros se balançavam por conta do vento que estava lá fora,consequentemente por eu não ter fechado a porta. Ele tinha sardas em toda maçã do rosto e seus lábios eram carnudos e rosados,definitivamente ele era um menino muito bonito,espera! Bonito é pouco,maravilhoso.

-- Você está me deixando com uma vergonha em tanto!

Ele disse e eu senti meu rosto corar,ele sabia que eu estava o observando? Claro Millie,você não sabe disfarçar!

Eu estava tão despesa no primeiro dia que cheguei que não me importei em pedir socorro à ele. Minha vontade era contar a verdade e correr dali mas e Winona? Jacob me tem na palma da mão e eu não posso fazer nada além de obedece-lô.

-- Você mora sozinha? - o garoto disse invadindo literalmente a casa,que calúnia!

-- Está se sentindo aonde? Na sua casa é?

-- Ah é verdade,Prazer,Finn Wolfhard seu vizinho. - ele estendeu a mão e eu o observei sem fazer ato algum.

O que ele tinha de lindo tinha de babaca.

-- Sai daqui . - falei convicta,um garoto como ele não me ajudaria a sair dali.

-- Só vim aqui para conversamos.

-- Eu não quero sai.

-- Eu... - o interrompi

-- Você é um idiota? Sim.

-- Por que a grosseira? - ele perguntou ingenuamente e eu quis jogá-lo pela janela.

-- Você chega na propriedade de outra pessoa,acha que está em casa,fala e age como um babaca e com certeza,sua beleza não define seu jeito com garotas. Você é um garoto bobo. Pode sair agora?

-- Vejo que não começamos bem,pelo menos posso saber seu nome?

-- Me chamo Noé.

-- Noé?

-- Não é da sua conta,agora dá um fora.

-- Mas eu... - antes que ele pudesse falar algo o expulsei da casa.  -- Me diz seu nome pelo menos.

Tranquei a porta 'de novo' e agradeci por ouvir ele ir embora,definitivamente ele é um garoto chato.

💫

P.O.V

Sophia Lillis

Eu estava esperando que todos da escola saíssem e que sobrasse somente eu e Sadie. A vi guardando seu livro em seu armário e um sorriso nasceu em meu rosto.

-- Oi. - falei sem muito formalidade -- Me desculpe pelo o que aconteceu mais cedo,eu agi feito idiota.

-- Que bom que sabe.

-- Eu falei sem pensar. - insisti.

-- Hum. - ela prosseguiu falando sem ânimo algum.

-- Eu sei o que você está sentindo. Eu sei o quanto doi quando você acredita em algo mas as pessoas em seu derredor não acreditam. Quando você não quer perder  as esperanças mas as pessoas destroem as suas. Eu sei o quanto você está sofrendo com isso Sadie,não precisa se mostrar forte o tempo todo. Forte não é aquele que nunca chora e sim aquele que vence a cada dia mas sabendo que existe dias de luta e dias de Glória. -- tentei falar palavras bonitas para me desculpar e funcionou,ela já se encontrava com os olhinhos cheios de lágrimas. -- Você é admirável e se desabar as vezes faz bem.

Depois de dizer tudo isso,a envolvi em um abraço,não fui rejeitada e nem tão pouco xingada. Pude ouvir o choro baixo dela em ouvido e pude sentir seu coração acelerado. Sadie tinha um cheiro de flores e a maciez de seu cabelo era perfeita. Aquilo era adorável,e eu precisava te-lâ. Somente para mim e de mais ninguém.

[ 07 ]



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...