História A safada do 105 - Camren - Capítulo 49


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camila Cabello, Camilag!p, Camilaintersexual, Camren, Camreng!p, Intersexual, Karla Cabello, Lauren Jauregui
Visualizações 465
Palavras 3.891
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Nos vemos nas notas finais, tem algumas músicas durante o capítulo, sugiro que ouçam...

Capítulo 49 - Epílogo


 

Dois anos depois.

Camila POV

 

Quando você ama alguém seu coração bate tão alto, quando você ama alguém seus pés não conseguem sentir o chão.

 

Era março, outono, final de tarde, o tempo parecia estar de acordo com meu humor naquele dia tão especial. O sol estava se pondo no céu e não havia previsão para chover, o dia estava fresco. Os preparativos hoje ocorreram tranquilamente. Nada poderia dar errado. Olhei-me no espelho novamente, meu coração parecia que ia saltar pela boca, minhas mãos suavam e tremiam, meus olhos estavam marejados, mas continham as lágrimas de felicidade, de emoção, alegria, estaria me casando com a mulher da minha vida.

Segurei as lágrimas para não borrar a maquiagem, afinal, esse era o grande dia. O "meu" dia.

Eu estava na biblioteca e Lauren se arrumava no quarto, mantivemos nossas roupas em segredo, queria fazer uma surpresa pra ela e acho que enfartaria assim que a visse de noiva antes da hora, então, estava passando meu tempo lendo o livro de mamãe, sei que ela está orgulhosa da mulher que me tornei, fiz muitas burradas em minha vida, me magoei, magoei outras pessoas, magoei Lauren, demorei para aceitar os meus sentimentos, para procurar ajuda, mas, vendo tudo o que passei e o que passamos percebo que isso me fez amadurecer, me fez perceber o meu valor como ser humano e como mulher, tudo isso, graças a mulher que está a alguns passos de mim e que daqui a poucos minutos vou poder chamar de esposa, esposa, isso fica tão lindo quando é associado a ela. (N/A aqui já foi o meu primeiro tombo.)

Até conhecer a minha linda eu sequer pensava em namoro era avessa a compromissos, e olha onde eu estou hoje. Se alguém me dissesse, há alguns anos, que estaria se casando com a minha vizinha, eu certamente riria, não por ser com ela, mas sim, por ser fechada em relação a qualquer tipo de sentimentos amorosos, não por não sentir, e sim por não me permitir sentir, fui criada assim, porém desde que Lauren entrou no meu coração não teve um dia sequer que não sonhei com isso, e em passar o resto da minha vida ao seu lado.

Mas como eu poderia imaginar que ela seria o amor da minha vida? O quão eu seria feliz, até pouco tempo, felicidade era um sentimento praticamente desconhecido por mim, mas, Lauren juntamente com Clarice Lispector me fizeram descobrir que 'a felicidade aparece para aqueles que choram, para aqueles que se machucam e para aqueles que buscam e tentam sempre.'

Não sei quantas vezes dormi chorando, quantas vezes me machuquei, mas minha linda apareceu em minha vida e foi como o 'band-aid' que foi me curando, seu amor me transformou e me fazia buscar e tentar ser feliz sempre, fazendo-a feliz também. Eu continuo frequentando a psicóloga, vou uma vez ao mês, essa ajuda foi importante e primordial para que eu pudesse realmente me curar. Hoje eu sei que sou uma pessoa muito melhor, não somente por Lauren, mas por nós, eu me amo e sei que posso amar e fazer minha noiva feliz plenamente.

– Camila? – Meu irmão Alejandro deu leves batidas na porta e entrou na biblioteca – Oh, meu Deus, não sou de elogios, você sabe, mas, como você está linda, de vestido e tudo. – Abraçamo-nos brevemente (não queria me amassar e chegar toda errada no meu próprio casamento), minha relação com meu irmão melhorou muito durante esse tempo, estamos mais maduros, e principalmente, estamos nos tratando como irmãos que se suportam, acho que papai está feliz.

– Cara, obrigada por fazer isso por mim. – Ele iria me levar ao altar.

- Disponha maninha, mas sabe que vai ter que me pagar, estou esperando meus sobrinhos.

Alejandro e essa mania de cobrança, Lauren estava no segundo ano da faculdade de gastronomia, estava estagiando no restaurante comigo e não teria como termos filhos agora, pelos menos nos próximos 2 anos que ainda restava de sua faculdade estava fora de cogitação.

- Mano, já conversamos sobre isso, ainda não dá. Se quer tantas crianças na família, se case e faça os seus. – Sorri presunçosa, Alejandro odiava o fato que ainda estava solteiro, fazer o que, o cara era uma negação na paquera, não puxou o gene dos Cabello's. Não que ele fosse feio, ele só não tinha jeito no papo.

- Tudo bem, tudo bem. Não vamos voltar a esse assunto que me deixa deprimido. – Alejandro me olhou nos olhos e sorriu. – É tão emocionante te ver assim, ver a mulher que se tornou, papai deve estar orgulhoso, você vai se casar, Camila, não acredito que a Lauren ainda aceitou. Mas, eu quero muito que você seja feliz, muito feliz.

Eu fiquei realmente muito emocionada e o abracei novamente, acho que estava emotiva pelo casamento, mas o que mais desejava é continuar sendo imensamente feliz ao lado da Lauren.

O quintal do papai estava perfeitamente decorado para aquele dia especial. Sim, estávamos nos casando no quintal da nossa casa, afinal nem Lauren nem eu tínhamos grandes amigos, só chamamos nossas famílias e as pessoas que realmente são importantes para nós, minha psicóloga estaria aqui também, nosso chefe e alguns amigos que fizemos no restaurante, CK e Clarice, claro e só.

Um pequeno altar, um arco branco atrás enfeitado com flores, algumas cadeiras entorno do tapete cor de palha que daria a nossa passagem, mais atrás algumas ainda no quintal, mesas decoradas com flores brancas com cadeiras ao redor, alguns quiosques e luzes entre as árvores finalizavam o local que escolhemos e preparamos com tanto carinho para podermos celebrar esse momento tão importante para nós duas. Seria uma cerimônia simples e intima. Perfeita para nós. 

 

{...}

 

[Lauren POV]

 

Existe algo sobre ela agora, que não consigo compreender completamente. Tudo o que ela faz é bonito, tudo o que ela faz é certo.

Acordei cedo naquele dia, não por conta dos raios de sol que insistiam em bater em meu rosto, nem porque Camila estava me dando beijos de bom dia - ou uma chupada - como aconteceu nos últimos dois anos, mas sim pela minha grande ansiedade. Hoje era o grande dia! Eu estava tão feliz, havia sido um longo caminho até ali.

Na verdade, eu penso nisso desde o dia que fui pedida em casamento enquanto fazia um boquete na minha noiva, minutos após ter gozado na boca dela no tapete da nossa biblioteca, safada como ela é, eu não poderia esperar algo diferente vindo dela, no fim ela disse que durante alguns segundos se arrependeu de ter escolhido esse método para 'pedir minha mão', mas, sei que foi do fundo do coração. Afinal, eu a conheci assim, me apaixonei por ela assim e amava o fato de estarmos a dois anos juntas e ela ainda ser completamente louca por mim como sou por ela, nosso desejo e tesão nunca passavam e isso num relacionamento é maravilhoso.

Depois do pedido, transamos loucamente, sério, foi loucamente mesmo, batizamos os cantos da casa que ainda não haviam sido estreados, inclusive no jardim (N/A lembram dela no dia da entrevista de emprego?) e por mais que minutos antes eu estava totalmente angustiada com o futuro, as palavras da Camila me fizeram perceber que ao lado dela eu poderia chegar onde eu quisesse, ser quem eu quisesse, e se eu estivesse com ela eu estaria bem e feliz.

Dito e feito.

Cumpri meu aviso e guardamos o dinheiro no banco, me inscrevi nos programas de estudos do governo e no final do ano prestei vestibular para gastronomia, nunca me senti tão realizada, eu amava fazer as coisas junto com a Camila, mas descobri um amor por cozinhar que me completa, cozinhar me completa e Camila me transborda, não tem como não ser mais feliz assim. Consegui uma bolsa de estudos, e estou na metade do curso, estudo pela manhã, e meu anjo conseguiu um estágio lá no restaurante que ela é Chef e estou amando trabalhar com ela.

Achei que poderíamos brigar ou nos estranhar por estarmos passando tanto tempo junto, mas não... nossa relação só é da cozinha para fora, lá dentro somos totalmente profissionais e é até estranho ver a Camila lá toda concentrada, nem parece a mesma safada que tenho em casa.

Voltando ao casamento, nós decidimos por uma cerimônia pequena e totalmente intima, mas isso não nos fez estressar menos, foram meses de preparo, Camila e eu decidimos organizar as coisas juntas e dispensamos uma cerimonialista, testamos cada receita para os possíveis pratos do jantar, os recheios para o bolo, escolhemos juntas as bebidas que seriam servidas, as louças, guardanapos, enfeite das mesas e o convite... a única coisa que não fizemos juntas foi a escolha das roupas, ela disse que queria me fazer uma surpresa e confesso que não estou me aguentando de tanta curiosidade no que a minha latina linda pode estar aprontando.

Meu vestido é simples, optei por um frente única que valorizava minhas costas, não era longo, apenas passava dos meus joelhos, o tecido off-white tinha um caimento mais soltinho da cintura para baixo, meu cabelo estava 'selvagem' do jeito que Camila gostava, eu apenas tinha o lavado (N/A ô glória, casou de cabelo limpo.) de manhã e deixei ele secar naturalmente fazendo com que as ondulações ficassem evidentes, estava usando pouca maquiagem, um olho delineado e batom nude, tinha passado uma base também para cobrir olheiras e imperfeições, de joia usava apenas brincos simples, um anel que era da vovó e o colar que havia ganhado de Camila anos atrás. 

Eu estava terminando de retocar o meu batom quando alguém bateu na porta.

– Olá noiva, tudo bem? – Perguntou a Taylor, assim que ela abriu a porta.

– Tay! Tudo sim, e você? Trouxe minha sobrinha né? Não podemos ter um casamento sem daminha." – Taylor abriu um sorriso e apenas balançou a cabeça afirmativamente, quando olhei paras suas mãos vi que ela estava segurando uma coroa de flores brancas com um pequeno véu.

- Ah, me mandaram te entregar isso. – Estendeu a coroa junto com um bilhete.

Sorri, isso só poderia ser coisa da Camila, peguei as coisas de sua mão e Taylor saiu quarto. Fui até a cama, coloquei a coroa delicadamente em cima do travesseiro de Camila e abri o bilhete, a letra dela continuava horrorosa, não pude deixar de sorrir logo nas primeiras linhas:

‘Meu amor,

Saiba que por mim a gente casaria até de pijama (você com ele e eu em meu conjunto CK), já que você fica linda de qualquer jeito! Mas a sua mãe não iria gostar muito né?

Tenho uma surpresa para você! E se não for pedir muito, gostaria que usasse essa coroa de flores com o véu.

Eu te amo muito, muito mesmo!

Da sua futura esposa,

Karla Camila.

P.s: você é mais linda do que todas as flores do universo.’

Sorri, nunca me acostumaria com essa Camila romântica, dedicada e carinhosa. Coloquei a coroa de flores na minha cabeça e gostei do resultado, combinava com o meu vestido. Peguei meu buque e foi o tempo de baterem na porta novamente.

Dessa vez era meu pai, e disse que estava na hora, todos os poucos convidados já tinham chegado e estavam em seus lugares e o juiz de paz também já se encontrava no altar. Eu entraria primeiro com meu pai e depois Camila entraria com Alejandro, ela escolheu assim e eu não iria contrariar. Papai disse que os padrinhos já estavam em seus lugares e era a minha vez agora.

Meus padrinhos eram Chris e Taylor, e os de Camila eram a Martha-ex-quenga (acreditam que ela está noiva daquele projeto de modelo chamada Alexa?), e o Pedro, gerente do restaurante em que trabalhamos, Camila e ele tornaram-se bons amigos e quando passei a trabalhar lá, acabei entrando na 'roda da amizade' também, afinal, Camila não tinha nenhum outro parente vivo e Alejandro a iria levar ao altar. No fim, estava tudo certo.

Saí do quarto de braços dados com papai e passamos por Alejandro na sala, ele disse que Camila estava linda, mas não daria mais detalhes, eu teria que ver com meus próprios olhos.

Okay Lauren, inspira – expira, você não pode ter um ataque cardíaco prestes a subir no altar.

Atravessamos a porta que dava acesso ao quintal e respirei fundo pela milésima vez só nos últimos dez minutos. Perguntei ao papai se eu estava bem, só para ter certeza, não queria sair estranha nas fotos e filmagens do meu casamento.

Clarinha entrou primeiro jogando pétalas de rosas vermelhas pelo chão onde eu e Camila passaríamos. A música que escolhi - ' Yours do Russell Dickerson*' - começou a tocar, eu estava nervosa, apertei minha mão no braço de papai e acho que ele reclamou de dor, porém, não consegui ouvir e nem prestar atenção em nada.

Sorri mecanicamente - espero não estar fazendo careta, isso está sendo filmado - para os convidados que estavam de pé só para me ver passar e segui com meu pai até o altar, assim que paramos ele me beijou a testa desejando toda a felicidade do mundo, e foi sentar-se ao lado de mamãe na primeira fileira.

Minutos - que julguei ser horas – se passaram até que uma melodia suave em espanhol começou a tocar. Engoli o choro ao perceber que tratava de 'Para tu amor – Juanes' a letra dessa música é linda e saber que Camila havia a escolhida para subir ao altar comigo me deixava ainda mais emocionada.

Quando penso que não poderia mais ser surpreendida, afinal, achei que essa era a surpresa que meu amor tanto falou, meu coração só faltou sair pela boca quando eu vi Camila, juro, eu não consegui segurar as lágrimas, espero que minha maquiagem seja a prova d'agua.

Meus olhos não acreditavam no que viam, apesar de Camila ser sempre bem feminina ela nunca havia usado vestido, e quando falávamos sobre a roupa do casamento ela disse que usaria uma calça e blusinha branca, mas realmente fui pega de surpresa ao ver ela com aquele vestido branco, era de manga regata cavada em cima, com um decote longo que expunha bem o vale dos seus seios, bem justo ao tronco tinha um detalhe de uma espécie de cinto trançado e ia soltando logo abaixo em vários cortes do tecido, ele era bem logo, tinha um caimento lindo, seus cabelos estavam em cachos grossos caindo por seus ombros, seu rosto com pouquíssima maquiagem (ela não precisava mesmo) o único adereço que usava era o colar que tinha dado a ela.

Minha noiva sem mentira nenhuma parecia um anjo, o meu anjo.

Os olhos de Camila se prenderam firmemente aos meus, naquela conexão inexplicável mais que fadada a durar para sempre, ela ao me ver emocionada, deixou algumas lágrimas caírem também, e sorriu - não o sorriso cafajeste e sedutor de sempre -, um sorriso que mostrava a felicidade de sua alma, os olhos dela brilhavam a metros de distância e tenho certeza que os meus também.

A chegada de Camila ao altar pareceu uma eternidade para mim, mas quando Alejandro depositou a mão da Camila na minha e nos desejou amor e fé, eu senti que minha vida estava finalmente completa. Estou casando com a mulher que amo e isso é tudo.

Camila apertou minha mão, beijou minha testa e nos viramos juntas ao juiz de paz.

– Boa tarde a todos presentes, estamos aqui para celebrarmos a união de Karla Camila Cabello e Lauren Michelle Jauregui...

Quando o juiz de paz terminou o discurso inicial, eu fiquei nervosa, o silêncio era apenas quebrado pelos pássaros cantando nas árvores e pelos nossos cachorros correndo e brincando no quintal.

- Karla Camila Cabello, é de livre e espontânea vontade que você aceita Lauren Michelle Jauregui, como sua companheira em matrimonio? – O Juiz pergunta e me viro olhando para Camila.

- Sim. – Ela sorri e eu acompanho.

- Lauren Michelle Jauregui, é de livre e espontânea vontade que você aceita Karla Camila Cabello, como sua companheira em matrimonio?

- Sim, aceito.

- Assim sendo, por favor, deem-se as mãos e preparem-se para dar e receber os votos de amor, que estão entre os maiores presentes da vida.

Me viro totalmente de frente para Camila e seguro sua mão.

– Camila, vou dizer que sempre sonhei em encontrar uma pessoa que me trouxesse paz, que me trouxesse conforto e me aceitasse exatamente como sou. Aí eu conheci você, e você não era nada disso. Foi difícil te conquistar, não foi fácil para que ficássemos juntas, mas cada obstáculo foi superado para que pudéssemos nos tornar o que somos hoje. Hoje não estamos apenas unindo nossos corações, mas unindo nossas almas num elo inquebrável. Não direi 'até que a morte nos separe', porque acredito que nem ela será capaz disso. Pois tenho certeza que nosso amor é muito mais forte do que isso. E quero enfrentar cada desafio do seu lado e tenho coragem de dizer que, se depender de mim, ficaremos juntas para sempre. Eu te darei o meu carinho, minha amizade e dedicação, estarei ao seu lado em momentos bons e ruins. E assim como eu te amo hoje, sempre vou te amar, por toda a minha vida.

Deslizo a aliança em seu dedo anelar da mão esquerda enquanto encaro os olhos da minha latina, os olhos de Camila estavam cheios de lágrimas e os convidados continham os risos e emoções. O amor que os unia era forte demais, acredito que todos que estavam presentes conseguiam senti-lo, era tanto amor que chegava a ser palpável.

Camila segurando em minha mão, suspirou e sorriu antes de começar.

– Lauren, se alguém me dissesse há alguns anos que eu me casaria e você seria o amor da minha vida, eu diria que essa pessoa estaria delirando. Mas você foi me conquistando e se tornou tão essencial pra mim, como o ar que eu respiro, hoje é inimaginável minha vida sem você. Prometo amar e cuidar de você, e tentarei, de todas as maneiras, ser digna do seu amor. Sempre serei honesta, gentil, paciente e tolerante. Mas, acima de tudo, prometo ser uma amiga verdadeira e leal. Prometo admirar seu jeito de ser, porque é isso que a torna única e maravilhosa, prometo nutrir seus sonhos, porque é através deles que sua alma brilha, prometo ajudá-la em todos os momentos, pois não há nada que não possamos enfrentar se ficarmos juntas. Eu te amo. Eu quero estar do seu lado em todos os momentos, te amar para sempre. Ter uma família com você. Enfrentar todos os desafios do seu lado. Sei que nada é perfeito, mas eu tenho uma certeza: meu amor por você é muito forte e nada poderá mudar isso.

Ela desliza a aliança em meu dedo, tremendo levemente. Quando termina, beija o metal contra a minha pele. Eu não pude mais segurar as lágrimas, Camila conseguia se superar em tudo o que fazia. Os soluços da mamãe podiam ser ouvidos e as lágrimas já tomavam contam dos convidados, inclusive do Chris, juro que vi ele limpando o rosto rapidamente.

- As alianças são símbolos físicos do compromisso de um casal e de sua ligação emocional e espiritual. Elas são consideradas um círculo perfeito, sem começo nem fim, Lauren e Camila, que estes anéis sejam um lembrete visível de seus sentimentos uma pela outra neste momento. Ao olhar para eles, lembrem-se que vocês têm alguém especial com quem compartilhar suas vidas. Lembrem-se de que vocês se encontraram uma na outra, e de que nunca mais andarão sozinhas.

Camila já chorava como uma criança e eu não estava ficando atrás.

- Camila e Lauren, pelo poder investido a mim pelo estado, é com grande alegria que declaro que vocês estão casadas. Podem se beijar

Camila colocou uma de suas mãos na minha cintura e com a outra segurou meu rosto, deu-me um selinho demorado, coloquei minha mão no seu rosto e sorri, finalmente estava casada com a mulher da minha vida.

– E a partir desse dia será registrado em cartório o nome Lauren Michelle Cabello-Jauregui e Karla Camila Cabello-Jauregui. Assinem aqui, por favor. – O juiz de paz apontou aonde deveríamos assinar.

- Cabello-Jauregui, soa bem pra mim, amor. - Camila sussurrou no meu ouvido não consegui segurar a sorriso.

- Para mim também, esposa. – Pisquei.

Depois de assinarmos os papeis, cumprimentamos o juiz e agradecemos a presença de todos. Muitas fotos nossas foram tiradas, com os padrinhos, meus pais e demais convidados, logo após fomos recepcionar o jantar. Tudo acorria tranquilamente, a felicidade era um sentimento unânime naquele momento, eu via o brilho nos olhos chocolates da minha esposa.

Camila não parava de me falar o quanto eu estava linda e o quanto ela era sortuda por estar casada comigo. Me paparicava, abraçava e beijava o tempo todo, não me largava em nenhum minuto e eu não poderia estar mais feliz.

- Eu ainda não acredito que você está de vestido! – Falei admirando aquela obra de arte na minha frente. –  Foi uma surpresa emocionante, amor, você me faz todos os dias a mulher mais feliz do mundo. – Sorri lhe dando um selinho.

- Eu sabia o quanto você queria isso, resolvi inovar, e não me arrependo não, está tudo 'leve' aqui em baixo. – Gargalhamos. – Você sabe que também me faz muito feliz, meu amor. – Ela falou olhando nos meus olhos.

- Eu também tenho uma surpresa para você, mas é só para a lua de mel. – Sussurrei rouca com a boca encostada em sua orelha, aproveitando para mordiscar aquele lugar, sei que Camila ficaria louca com isso.

- Eu mal posso esperar, vindo de você com certeza é uma coisa boa. – Pisquei maliciosamente e lambi o lóbulo de sua orelha. – Não me deixa de pau duro agora, Laur, esse vestido vai ficar literalmente parecendo uma barraca armada.

Rimos juntas e resolvi parar de tortura-la.

A festa também simples transcorreu animada, com todos os convidados rindo e bebendo junto com nós, comentários como 'vocês fazem um casal lindo' e 'a cerimônia foi linda', 'a festa está demais' 'está tudo a cara das duas, perfeito' foram o que mais ouvimos, sorrimos felizes, afinal, também queríamos que as pessoas que são importantes para nós gostassem do nosso momento.

Decidimos fazer nossa primeira dança como casadas, ensaiamos a valsa algumas vezes na nossa sala, não queríamos fazer feio. Havíamos também escolhido a música juntas, seria ‘I won't give up – Jason Mraz’, ela passava tudo o que sentíamos uma pela outra. Fomos paro meio do tablado onde estava a pista de dança improvisada no nosso jardim, nos posicionamos e todos ao redor pararam para nos observar.

Camila colocou suas duas mãos na minha cintura e eu enlacei meus braços em seu pescoço, e então os primeiros acordes da música foram ouvidos por todos, começamos a nos mover lentamente conforme seguia a música.

Nossa valsa improvisada foi perfeita, como havíamos ensaiado algumas vezes, conseguimos passar o tempo todo sem desgrudarmos os olhos uma da outra. Nossos corpos se moviam como se fossem um só, sussurrávamos coisas uma para outra, as vezes trechinhos da música, as vezes palavras carinhosas, e Camila lançou uma de suas piadas idiotas, que me fez sorrir amplamente. 

Terminamos a dança com um beijo suave, jurando mais uma vez nosso amor, nossos corações batiam juntos, balançando no ritmo da música, naquela sintonia que sempre nos uniria.

 

 


Notas Finais


Notas finais

Relembrando. Esse 'capítulo' é um extra, NÃO EXISTE no livro original, foi escrito por mim, espero que vocês o apreciem tanto quanto apreciei escrevê-lo.

Depois de toda tempestade que foi 'A Safada do 105', acredito que aqui tivemos a calmaria que tantos desejaram.

* A música que a Lauren entrou tem uma versão 'Wedding Edition' no spotify que é maravilhosa.

Até breve,

M.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...