1. Spirit Fanfics >
  2. A Saga Crepúsculo: Eclipse >
  3. Tempestade

História A Saga Crepúsculo: Eclipse - Capítulo 25


Escrita por:


Capítulo 25 - Tempestade


Fanfic / Fanfiction A Saga Crepúsculo: Eclipse - Capítulo 25 - Tempestade

A manhã seguinte foi calma, levando em conta que eu estava indo para o alto de uma montanha porque um exercíto de vampiros estavam atrás de mim pra me matar, o que mais me estava deixando agitada foi com total e absoluta certeza o meu "sim" da noite passada, eu não voltaria atraz é claro que não eu queria aquilo mais do que qualquer coisa mas eu comecei a pensar em muitas coisas e em principal Jacob, como eu iria contar isso a ele? 

— Você está bem? - Perguntou Edward. Nós estávamos na trilha onde meu cheiro iria chamar atenção dos recém criados. 

— Estou. - Eu disse, quase tropeçando em uma pedra. — Só um pouco, não sei, estranha. 

— Pelo pedido de casamento certo? Bella se você está arrependida por favor... 

— Não Edward. - Eu disse o interrompendo. — Eu quero me casar com você e não vou mudar de ideia quando a isso, é só que... 

— Você não está usando o anel que eu te dei. - Ele disse.

Eu olhei pra mim mão e meu bolso pesou com o anel. — Eu não queria perder. 

— Ou não queria que Jacob visse? 

Eu teopecei e cortei minha mão em um galho. Edward estava ao meu lado examinando minha mão ensanguentada. 

— Tudo bem você não precisa ver isso. - Eu disse te mando puxar minha mão da dele. 

— Não se preocupe, não me é mais do mesmo jeito. 

Eu examinei ele. — Meu sangue não te afeta mais? 

Ele sorriu. — Seu sangue sempre vai mexer com meu estinto vampiro Bella, mas eu aprendi a me controlar e ele não me afeta mais da mesma forma.

— Dês de quando? 

— Dês de que passei um dia pensando que você estava morta. - Ele disse beijando minha mão com curativo. 

Nós andamos mais umas milhas até encontrarmos Jacob com um agasalho peludo nas mãos no meio do campo de batalha. 

— Hey Jack, dês de quando você sente frio? - Eu perguntei quando me aproximei dele. 

Ele me olhou e sorriu. — Trouxe pra você, talvez mais tarde você vá precisar dele. 

— Eu vou seguir um caminho mais longo. - Disse Edward para Jacob. — Você vai aonde nós combinamos. 

Jacob ignorou Edward e estendeu os braços pra mim. Eu me virei pra Edward que estava com o sorriso doce mas a mandíbula serrada. 

— Eu te amo. - Eu disse no ouvido dele depois de um beijo caloroso. 

— Eu te amo.- Ele sussurrou. 

Eu me aproximei de Jacob que me pegou no colo como se estivesse carregando um travesseiro. 

— Aqui vai um perfume de lobo. - Disse Jacob se virando pra mata. 

A floresta estava escura, as nuvens no céu  estavam cinzas como de costume. 

— Você está bem? - Jacob perguntou. 

— Estou. - Eu disse. — Levando em consideração que um exército está querendo matar a mim eu estou bem. 

Jacob sorriu. — O mesmo de sempre então. 

Eu sorri. — Jacob como está as coisas com Sam? 

Jacob revirou os olhos. — Sam é um cara bacana, mas às vezes ele é muito...

— Mandão? - Eu adivinhei. 

— Eu sei que ele tem o direito de ser assim, mas eu não concordo com muitas coisas que ele fala. 

— Você tem essa mania de não respeitar as decisões das pessoas. 

Jacob parou. — Mas isso é diferente bella, e você sabe. 

— Eu não vejo como, e essa conversa está tomando outro rumo estranho. 

Jacob voltou a andar em passos rápidos. — Você não acha que escolheu um lugar muito alto pra ficar? 

— Já está cansado chefe? 

Jacob revirou os olhos. — Olhe as nuvens roxas, está vindo uma tempestade com muita neve. É melhor eu me apressar. 

Ele começou a correr e eu me agarrei mais a ele. 

Quando chegamos no alto Edward já estava lá com a barraca armada. 

— Está vindo uma tempestade. - Disse Edward quando eu fui até ele. 

— É eu estou sentido. - Disse Jacob. — Vou dar uma volta no perímetro mas eu volto. 

— Volta? Você vai ficar? - Eu perguntei me virando pra ele. 

— Sim, Seth vai chegar amanhã cedo. - Ele disse se virando e correndo na mata. 

— Obrigada Jacob. - Eu murmurei. 

— Ele ouviu. - Edward disse. — Vamos entrar na barraca? 

Eu concordei e entramos.

_

O frio estava insuportável meus dentes batiam com tanta força um no outro que eu pensei que a minha cabeça iria explodir, meu corpo tremia violentamente, Edward estava o mais longe que conseguia de mim para que o frio da pele dele não piorasse a situação, seu rosto estava marcado pela dor e angústia.
— O que eu posso fazer? - Ele sussurrava pra si mesmo colocando mais e mais cobertores em cima de mim. — Deveríamos ter escolhido um lugar mais baixo.
— T…tá...t..u…u..tudo..b…b..b..bem. - Eu disse entre meus dentes.
Jacob entrou na barraca com seu peito nu.
— Eu não consigo dormir com os dentes dela batendo. - Jacob disse.
— Ao menos que você tenha um aquecedor sugiro que saia. - Disse Edward ainda olhando pra mim. Jacob abriu os braços. — Não. - Disse Edward. Jacob não deu importancia pra ele e se moveu na minha direção a mão branca de Edward estava no braço de Jacob.
— Não põe a mão em mim. - Disse Jacob.
— Não ponha a mão nela. - Falou Edward com um tom áspero.
— N…n…ão..brig…brig...briguem.
— Se ela ficar doente a culpa é sua.
Edward olhou pra mim e depois pra Jacob e balançou a cabeça e tirou a mão dele, Jacob passou por ele e se deitou ao meu lado, ele cobriu nós dois e me abraçou, eu me afundei nos braços dele e encontrei minha bochecha no seu peito quente.
— Nossa Bella você tá congelante. - Disse Jacob me apertando mais nele. — Calma, logo você esquenta. - Eu vi um sorriso sair dos lábios de Jacob. — Vai mais depressa se tirar a roupa. - Ele disse. — Curso básico de sobrevivência.
— Ja…Jack..
— Sua boca está roxa Bella se quiser eu posso esquentar ela pra você é só pedir.
— Vai domir cachorro antes que eu te faça domir. - Disse Edward.
Jacob me abraçou ainda mais, o calor estava inundando meu corpo e o sono estava finalmente chegando, eu fechei os olhos e ouvi apenas sussuros depois disso.
— Da para você controlar seus pensamentos. - Disse Edward com a voz áspera.
— Você é frio mas eu consigo te tirar do sério não é? O que é tá com medo dela mudar os sentimentos por você? - Edward não respondeu. — Você saber dos meus pensamentos tudo bem, mas revelar o seus nem pensar.
— Ela ama você.
— Isso é bom. - Disse Edward e eu poderia jurar que ele sorriu.
— Mas ela me ama também, ela só ainda não admite isso.
— Não sei se você está aceito.
— E se ela me escolhesse?
— Ela não vai.
— Mas e se ela me ecolhesse, você me mataria?
— É interessante essa ideia. - Edward murmurou. — Mas não, eu jamais a machucaria dessa forma.
— Mas a transformaria em um demônio chupador de sangue.
— Eu não quero isso, eu nunca quis isso, eu a deixei.
— Desistiu rápido demais, se você tivesse ficado mais seis meses longe eu a teria feito feliz acredite. Você tem que considerar a ideia de que eu posso ser melhor pra ela.
— Eu já considerei isso, sei que você pode protegê-la dar uma vida humana pra ela, é tudo o que eu quero, mas eu não vou forçar a Bella fazer nada nunca mais, a última vez que fiz isso quase nos matou.
— É tô lembrado disso. - Disse Jacob. — Quando pensou que ela tinha morrido, que havia perdido ela como você aguentou?
— Não a palavras. - Murmurou Edward. — Mas não desejo isso a ninguém Jacob. É estranho mas estou feliz que você esteja aqui.
— Quer dizer "gostaria de matar você mas estou feliz por ela estar quente".
— Se não fossemos inimigos mortais e você não estivesse tentando roubar a razão da minha existência eu poderia gostar de você.
— Bom, se não estivesse planejando sugar a vida da garota que eu amo eu poderia… Não nem mesmo assim. - Um silêncio tomou a barraca e de repente Jacob disse.
— As vezes eu me pergunto quando ela está em silêncio se não é você que está nos pensamentos dela.
Jacob me apertou ainda mais perto dele, depois de vários minutos em silêncio Jacob disse:
— É talvez seja eu que esteja nos pensamentos dela assim como ela está nos meus - Houve um minuto em silêncio e depois Jacob disse. — Ela ainda pode mudar de ideia sabia?
— Então eu a deixaria. Mas eu sempre estaria esperando por ela, se você tivesse um Imprinting por alguém você teria que a deixar e eu estaria a esperando se ela me quisesse.
— Bom agora você pode nos dar um pouco de privacidade.
— Eu posso fazer você domir cachorro. - Murmurou Edward. E depois ele cantarolou baixinho a minha canção de ninar.
Estava quente, muito quente eu abri os olhos e Jacob estava com um braço em cima de mim, eu tentei sair mais não Havaí força suficiente no meu braço.
— Jack. - Eu murmurei. — Jack, acorda.
Jacob nem ao menos parou o rouco baixo dele, Edward apareceu no mesmo instante abrindo a cabana.
— Uma ajudinha? - Perguntou Edward.
— Por favor.
Edward tirou o braço de Jacob de cima de mim, mas nesse instante Jacob se virou e ficou com o peso todo em cima de mim, minha respiração sumiu embaixo dele assim como eu. Edward empurrou Jacob pra sair de cima de mim, Jacob levantou e olhou para todos os lados.
— Você ia matar ela. - Protestou Edward me ajudando a sair da cabana.
— O que foi? O que houve? O que aconteceu? - Perguntou Jacob ainda olhando por toda a cabana.
— Nada Jack volte a domir.
Jacob murmurou algum coisa e voltou a se enrolar no cobertor, mas logo em seguida saiu da barraca também.
— Agora eu não vou conseguir dormir mesmo, vou ver se Sam precisa de alguma coisa. - Disse Jacob correndo para a floresta.
Eu me virei pra Edward que estava com um sorriso doce.
— Sinto muito pela noite anterior, eu sei como deve ter sido difícil pra você.
— Não vai entrar na minha lista de noites favoritas.
— Tem uma lista?
— Todas elas eu passei com você. - Ele disse acariciando meu rosto.
Eu pensei por um minuto. - Eu só consigo pensar nas minhas - eu admití.
— Elas podem ser as mesmas - ele encorajou.
— Bem, houve a primeira noite. A noite que você ficou.
— Sim, essa é uma das minhas também. É claro, você estava inconsciente na minha parte favorita.
— Isso mesmo - eu lembrei. - Eu estava falando naquela noite também.
— Sim - ele concordou.
O meu rosto ficou quente de novo quando eu me perguntei o que eu poderia ter dito enquanto dormia nos braços de Jacob. Eu não conseguia me lembrar com o que eu havia sonhado, ou se sequer eu havia sonhado, então isso não ajudava.
— O que eu disse na noite passada? - eu sussurrei mais baixo do que antes. Ele levantou os ombros ao invés de responder, e eu gemí.
— Ruim assim?
— Nada muito horrível - ele suspirou.
— Por favor me diga.
— Em maioria você disse o meu nome, como sempre.
— Isso não é ruim - eu concordei cautelosamente.
— Perto do final, no entanto, você começou a murmurar algumas bobagens sobre 'Jacob, meu Jacob’ - eu podia ouvir a dor, mesmo nos sussurros. - O seu Jacob gostou muito disso. Eu estiquei o meu pescoço, me inclinando pra alcançar a beira da mandíbula dele com os meus lábios. Eu não podia olhar os olhos dele. Ele estava olhando para o teto da tenda.
— Desculpa - eu murmurei. - Essa é só a forma como eu diferencio.
— Diferencia?
— Entre o Dr. Jekyll e o Sr. Hide. Entre o Jacob que eu gosto e o que me tira do sério - eu expliquei.
— Isso faz sentido - Ele parecia mais maleável. - Me diga outra das suas noites favoritas.
— Voltar pra casa da Itália.
Ele fez uma careta.
— Essa não é uma das suas? - eu me perguntei.
— Não, na verdade, essa é uma das minhas, mas eu estou surpreso que esteja na sua lista. Você não estava com a ridícula impressão que eu estava agindo por peso na consciência, e que eu ia fugir assim que as portas do avião se abrissem?
— Sim - eu sorri. - Mas, mesmo assim, você estava lá.
Ele beijou meu cabelo. - Você me ama mais do que eu mereço.
Eu rí com a impossibilidade da idéia. - A próxima seria a noite depois da Itália, eu continuei.
— Sim, essa está na lista. Você foi tão engraçada.
— Engraçada? - eu me opus.
— Eu não tinha idéia de que os seus sonhos eram tão vívidos. Eu levei uma eternidade pra te convencer de que você estava acordada.
— Eu ainda não tenho certeza - eu murmurei. - Você sempre pareceu mais com um sonho do que com a realidade. Me diga uma das suas agora. Eu adivinhei a sua primeira colocada?
— Não, essa seria ha duas noites atrás, quando você finalmente aceitou casar comigo Sra. Cullen.
Eu sorri mais pra ele do que pra mim, a ideia ainda martelava a minha cabeça.
— Vai casar com ele? - Uma voz quebrou de traz das árvores.
— Jack? - Eu disse perplexa. — Jack espera.
Eu fui na direção dele, Edward segurou meu braço.
— Bella não...
— Você sabia? Sabia que ele estava ouvindo?
— Sim.
Eu soltei a mão dele do meu braço e corri na direção das árvores atrás de Jacob.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...