1. Spirit Fanfics >
  2. A Saga de Valerie Black >
  3. Harry e Valerie Se Tornam Párias

História A Saga de Valerie Black - Capítulo 244


Escrita por:


Notas do Autor


Agora surgem as consequências da seleção dos campeões e não vai ser nada legal pra Val e pro Harry. Espero que gostem do capítulo ^^

Capítulo 244 - Harry e Valerie Se Tornam Párias


Fanfic / Fanfiction A Saga de Valerie Black - Capítulo 244 - Harry e Valerie Se Tornam Párias

Quando Valerie acordou no domingo de manhã, levou algum tempo para se lembrar da razão pela qual se sentia tão infeliz e preocupada. Então, a lembrança da noite anterior a engolfou. Ela se sentou e afastou as cortinas da cama, com a intenção de falar com Rony, forçar Rony a acreditar em Harry, mas encontrou Harry na sala comunal e ele lhe disse que Rony provavelmente já fora tomar o café da manhã. 

Val ouviu aqui e ali algumas pessoas comentando que ela ajudara Harry a burlar as regas A perspectiva de chegar no Salão Principal e encarar o restante dos colegas da Grifinória, a maioria tratando-a como uma boba apaixonada que traíra a confiança de todos, não era nada convidativa; mas era isso ou ficar ali com Harry e ser encurralada pelos irmãos Creevey, que lhes acenavam freneticamente para que fossem se juntar a eles. Assim, dirigiram-se resolutamentes ao buraco do retrato, abriram-no, passaram por ele e deram de cara com Hermione. 

 

Hermione: Olá – Exclamou, estendendo uma pilha de torradas que carregava em um guardanapo – Trouxe para vocês... Querem dar uma volta? 

Valerie: Eh... - Respondeu, meio desanimada. 

Harry: Boa ideia – Respondeu, agradecido. 

 

Os três desceram, atravessaram depressa o saguão, sem olhar para o Salão Principal, e pouco depois estavam caminhando pelos jardins em direção ao lago, onde o navio de Durmstrang, ancorado, se refletia escuramente na água. Fazia uma manhã fria e os três amigos não pararam de andar, comendo as torradas, enquanto Harry e Val contavam a Hermione exatamente o que acontecera depois que deixaram o Salão Principal, na noite anterior. Para seu imenso alívio, Hermione aceitou a história sem duvidar. 

 

Hermione: Bem, é claro que eu sabia que você não tinha se inscrito – Disse a Harry quando ele e Val terminaram de contar a cena na câmara vizinha ao Salão Principal – E Val jamais faria algo assim. A cara que fizeram quando Dumbledore o chamou Harry! Mas a pergunta é, quem inscreveu você? Porque, Moody e Val têm razão... Acho que nenhum estudante teria sido capaz de fazer isso... Nunca teriam sido capazes de enganar o Cálice de Fogo nem de anular o feitiço de Dumbledore... 

Valerie: Você viu o Rony? – Interrompeu-a. Hermione hesitou. 

Hermione: Hum... Vi... Estava tomando café - Uma lágrima rolou do rosto de Val. 

Valerie: Devem estar estranhando – Suspirou – Que eu não tenha sido irreverente com ele, mas é que... Isso meio que me pegou de surpresa e... E ele é meu irmãozinho, sabem – Disse tristemente – Eu e Rony sempre ficamos um ao lado do outro desde bebês. E o que ele me disse... É como se Fred e Jorge brigassem um com o outro. É meio impossível de se imaginar que a pessoa com quem você mais passa tempo na sua vida... 

Hermione: Nós entendemos - Abraçou a amiga pelos ombros – Apesar de brigarem as vezes vocês são bem unidos. Já estava juntos anos antes de eu e Harry os conhecermos. Nem imagino como deve estar se sentindo. 

Valerie: Horrível - Suspirou – Ele pegou no meu ponto fraco e... Por ter sido ele. Foi muito mais doloroso – Harry ficou sem saber o que fazer. 

Harry: E-e-ele ainda acha que eu me inscrevi? – Perguntou a Mione, ainda sem saber se deveria consolar Val, ou o que fazer a respeito. 

Hermione: Bem... Não, acho que não... Não para valer – Disse sem jeito. 

Harry: Que é que você está querendo dizer com esse não para valer? – Não entendeu. 

Hermione: Ah, Harry, não está na cara? – Respondeu desesperada – Ele está com ciúmes! 

Harry: Com ciúmes? – Repetiu sem acreditar – Com ciúmes de quê? Será que ele quer fazer papel de babaca na frente da escola inteira? 

Valerie: Olha – Disse cautelosamente – É sempre você que recebe todas as atenções, você sabe que é. Sei que não é sua culpa – Acrescentou depressa, vendo Harry abrir a boca, indignado – Sei que você não quer isso... Mas, bem... Sabe, Rony tem muitos irmãos competindo com ele em casa, e você é o melhor amigo dele e é realmente famoso, Rony é sempre deixado de lado quando as pessoas veem você, e ele aguenta isso sem reclamar, mas acho que mais essa vezinha foi demais... 

Harry: Ótimo! – Berrou com amargura e se virou para Mione – Realmente ótimo. Diga a ele que troco de lugar quando ele quiser. Diga a ele que o meu lugar está às ordens... Gente olhando de boca aberta para a minha cicatriz para todo lado que vou... 

Hermione: Não vou dizer nada a ele – Falou com rispidez – Diga você mesmo, é o único jeito de resolver isso. 

Harry: Não vou correr atrás dele para fazer ele crescer! – Disse, tão alto que várias corujas pousadas em uma árvore próxima levantaram voo assustadas – Talvez ele acredite que não estou me divertindo quando me partirem o pescoço ou... 

Valerie: Isso não tem graça – Disse baixinho e soluçou – Não tem a menor graça. Se você se machucar nesse Torneio eu... 

Harry: Eu sei... - Disse com um olhar de desculpas – Eu não quis te deixar pior – Fez menção em abraçá-la, mas recuou – Desculpe. Eu... Eu sei que sou realmente importante pra você. 

Valerie: Muito – Suspirou, tentando conter as lágrimas. 

Hermione: Harry, estive pensando... Você sabe o que precisamos fazer, não sabe? Depressa, assim que voltarmos ao castelo? – Ela parecia extremamente ansiosa. 

Harry: Sei, tacar no Rony um bom chute na b... – Val deu um sorrisinho contido. Só por tê-la feito sorrir um pouquinho, Harry já se sentiu melhor. 

Hermione: Escrever a Sirius. Você tem que contar a ele o que aconteceu. Ele pediu para você o manter informado de tudo que estivesse acontecendo em Hogwarts... É quase como se ele esperasse que uma coisa dessas fosse acontecer. Trouxe pergaminho e uma pena comigo... – Contou. 

Harry: Corta essa! – Exclamou, olhando à volta para verificar se havia alguém ouvindo; mas os jardins estavam muito desertos – Ele voltou ao país só porque a minha cicatriz doeu. Provavelmente invadiria o castelo furioso se eu contasse que alguém me inscreveu no Torneio Tribruxo... 

Valerie: Papai tem meios de saber o que está acontecendo sem ser por nós - Disse a Harry – Isso vai sair no Profeta Diário com certeza Tiago. O Torneio é o assunto do momento. Ele não precisa de muito pra descobrir, é só achar um jornal velho pelo chão enquanto está em sua forma canina. 

Hermione: Sirius iria gostar que contassem antes de sair no jornal – Disse com severidade. 

Harry: OK, OK, vou escrever – Disse atirando o último pedaço de torrada no lago. Os três ficaram parados observando o pão flutuar por um instante, antes de um grande tentáculo emergir e engoli-lo por baixo. Depois disso retornaram ao castelo – Vou usar a coruja de quem? – Perguntou, quando subiam as escadas – Ele me disse para não usar Edwiges outra vez. 

Hermione: Pergunte ao Rony se você pode pedir emprestada... – Ia sugerindo. 

Harry: Não vou pedir nada ao Rony – Disse decidido. 

Valerie: Bom, então peça uma das corujas da escola, qualquer pessoa pode pedir – Informou a ele. 

 

Os três subiram até o corujal. Hermione deu a Harry um pedaço de pergaminho, uma pena e um tinteiro, depois saiu percorrendo as longas filas de poleiros, examinando as diferentes corujas, enquanto Harry se sentava encostado à parede e escrevia a carta. “Caro Sirius, Você me disse para mantê-lo informado do que está acontecendo em Hogwarts, então aqui vai: não sei se você já sabe, mas vão realizar um Torneio Tribruxo este ano e, na noite de sábado, fui escolhido para ser o quarto campeão. Não sei quem pôs o meu nome no Cálice de Fogo, mas não fui eu e nem Val. O outro campeão de Hogwarts é Cedrico Diggory da Lufa-Lufa". Ele parou nesse ponto, pensativo. Teve vontade de dizer alguma coisa sobre a imensa carga de ansiedade que parecia ter se instalado em seu peito desde a noite anterior, mas não conseguiu descobrir como traduzir isso em palavras. Então, ele simplesmente molhou mais uma vez a pena no tinteiro e escreveu: “Espero que você esteja OK, e Bicuço também. Harry” 

 

Harry: Terminei – Disse, levantando-se e sacudindo a palha das vestes. Ao fazer isso, Edwiges veio voando para o seu ombro e estendeu a perna – Não posso usar você – Disse a ela, correndo o olhar pelas corujas da escola ao redor – Tenho que usar uma dessas...  

 

Edwiges soltou um pio muito alto e levantou voo tão inesperadamente que suas garras cortaram o ombro do garoto. E ficou de costas para Harry enquanto ele tentava prender a carta a uma grande coruja-de-igreja. Depois que a coruja partiu, Harry estendeu a mão para acariciar Edwiges, mas ela estalou o bico, furiosa, e voou para os caibros do telhado fora do seu alcance. 

 

Harry: Primeiro Rony, e agora você – Disse aborrecido – Todo estão me abandonando. 

Hermione: Que dramático - Bufou. 

Valerie: Nós duas ainda estamos aqui – Disse a ele. 

Harry: Eh, mas logo você vai sumir também - Disse emburrado a Val – Logo deve estar namorando o Digorry. Ele não te convidou “para uma conversa no cantinho de sempre da biblioteca”? - Debochou. 

Valerie: Isso não é justo – Franziu o cenho - Você pode ficar de lenga-lenga com aquela vac... 

Hermione: Valerie! - A repreendeu. 

Valerie: Com a Chang e eu tenho que ser uma freira?! - Falou indignada. 

 

Se Harry pensou que as coisas iam melhorar uma vez que se acostumasse à ideia de ser campeão, o dia seguinte lhe provou que estava enganado. Era oficial, depois do horário do almoço do dia anterior Valerie se tornara a "Sra. Diggory" e começou a andar com seu novo namorado de cima pra baixo. Ambos haviam combinado que mesmo que não fossem apaixonados um pelo outro, como eram por seus ex, iriam tentar fazer o relacionamento dar certo. Afinal, eles se respeitavam e se apoiavam. Não era o ideal, mas estavam lidando bem com os problemas juntos. Mesmo que tudo aquilo irritasse Harry profundamente, nas últimas vinte e quadro horas Val passar a andar de mãos dadas com Cedrico por todo canto e se não fosse isso, ele ainda poderia evitar o resto da escola quando voltasse às aulas, e era visível que o resto da escola, tal como seus colegas da Grifinória, achava que Harry se inscrevera para o torneio. 

Ao contrário dos garotos de sua Casa, porém, os outros não pareciam estar bem impressionados. Os da Lufa-Lufa, que normalmente conviviam em excelentes termos com os alunos da Grifinória, tinham se tornado bastante frios. Uma aula de Herbologia foi suficiente para demonstrar isso. Ficou claro que os alunos da Lufa-Lufa achavam que Harry roubara a glória do seu campeão; um sentimento talvez exagerado pelo fato de que a Lufa-Lufa raramente conquistava alguma glória, e Cedrico era um dos poucos que lhe dera alguma, tendo uma vez derrotado a Grifinória no quadribol. Ernesto MacMillan e Justino Finch-Fletchley, com quem Harry habitualmente se dava tão bem, não falaram com ele, embora os três estivessem reenvasando bulbos saltadores na mesma caixa, embora tivessem rido de modo bem desagradável quando um dos bulbos saltadores escapuliu da mão de Harry e bateu com força no rosto do garoto. 

Tampouco Rony estava falando com Harry e Val. Hermione se sentou entre eles, procurando a custo manter uma conversa, e embora os três lhe respondessem normalmente, evitavam se olhar. Harry achou que até a Profa Sprout parecia estar distante com ele, mas, afinal, ela era a diretora da Lufa-Lufa. Em circunstâncias normais, o garoto teria ficado ansioso para ver Hagrid, mas a aula de Trato das Criaturas Mágicas significava também rever os alunos da Sonserina, a primeira vez que estaria cara a cara com eles desde que se tornara campeão. Previsivelmente, Malfoy chegou à cabana de Hagrid com o conhecido sorriso desdenhoso atarraxado no rosto. 

 

Draco: Ah, olha só, pessoal, é o campeão – Disse a Crabbe e a Goyle no instante em que se aproximou de Harry o bastante para ser ouvido – Trouxeram os cadernos de autógrafos? É melhor pedir um agora porque duvido que a gente vá vê-lo por muito tempo... Metade dos campeões do Torneio Tribruxo morreram... Quanto tempo você acha que vai durar, Potter? Aposto que só os primeiros dez minutos da primeira tarefa. 

Valerie: Para com isso Draco e... - Mas foi interrompida. 

Draco: Porque está falando comigo? - Disse friamente a ela – Sua traidora do sangue! 

Valerie: Dra-draquinho?! - Disse chocada. Era visível o olhar de ciúmes no rosto dele – Eu nunca pensei que... Mas... Mas é bom mesmo – Disse furiosa – Pra mim parar de ser besta e achar que você tem jeito! 

Harry: Ei Val... Calma – Tentou ajudar. 

Valerie: Calma nada! Incêndio! - Brandiu a varinha – Chamuscando o cucuruto de Draco, que grunhiu como um rato apavorado – Eu não acredito que um dia fui apaixonada por você, seu lixo! 

 

Hemione e Harry lutaram para conterem Val, pois Hagrid surgiu dos fundos da cabana, segurando uma torre instável de caixas, cada uma contendo um enorme explosivim. Para horror da turma, Hagrid começou a explicar que a razão pela qual os bichos tinham andado se matando era o excesso de energia acumulada, e que a solução era cada aluno pôr uma coleira em um bicho e levá-lo para passear um pouco. A única vantagem desse plano foi distrair Malfoy completamente. 

 

Draco: Levar essa coisa para passear um pouco? – Repetiu enojado, olhando para dentro de uma das caixas – E onde exatamente você quer que a gente amarre a coleira? No ferrão, no rabo explosivo desse treco? 

Hagrid: No meio – Respondeu, fazendo uma demonstração – Hum... É, vocês talvez queiram calçar as luvas de couro de dragão, assim como uma precaução a mais. Harry e Valerie, venham até aqui me ajudar com esse grandalhão... - A verdadeira intenção de Hagrid, no entanto, era falar com Harry e Val longe do restante da turma. Ele esperou até todos terem se afastado com os explosivins, depois se virou para os garotos e disse, muito sério: – Então... Você vai competir, Harry. No torneio. Campeão da escola. 

Harry: Um dos campeões – Corrigiu-o. Os olhos de Hagrid, negros como besouros, pareciam muito ansiosos sob as sobrancelhas desgrenhadas. 

Hagrid: Não faz ideia de quem o meteu nessa fria, Harry? – Perguntou. 

Valerie: Você acredita então que não fomos nós que fizemos isso? – Perguntou, escondendo com esforço o arroubo de gratidão que sentiu ao ouvir as palavras de Hagrid. 

Hagrid: Claro que acredito – Resmungou – Vocês dizem que não foram vocês e eu acredito em vocês, e Dumbledore acredita em vocês e tudo. 

Harry: Eu bem gostaria de saber quem foi – Disse com amargura. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado ^^
Música: Judas - Lady Gaga
Link: https://youtu.be/wagn8Wrmzuc


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...