1. Spirit Fanfics >
  2. A Sangue azul:Distorcida >
  3. Capítulo 21

História A Sangue azul:Distorcida - Capítulo 22


Escrita por:


Capítulo 22 - Capítulo 21


Fanfic / Fanfiction A Sangue azul:Distorcida - Capítulo 22 - Capítulo 21

"Ainda tenho as flores que você mandou

E a nota que você escreveu que dizia estarmos destinados

À ser para sempre

Eu as mantenho como provas

Em uma gaveta sob o espelho

Repleto de promessas vazias


Eu não sei por que

Eu continuo deixando você mentir para mim

Não importa o quanto eu tento

Parece que eu não posso fugir

Eu pensei que você seria o herói

Que viria e salvaria o dia

Mas você é um vilão

Seus pecados são imperdoáveis


Eu estou afundando e você me viu afogando

Em um rio de lágrimas

Perdido abaixo da corrente

Sob as ondas eu encontrei a força para dizer

O rio de lágrimas

Me lavou por inteira


Vá em frente e me deseje bem

Eu vou chorar te desejando bem

Eu vou voar antes de falhar

Eu vou velejar e ir para longe

Então não vou precisar de você aqui

O amor afunda e a esperança boia

Em um rio de lágrimas

Em um rio de lágrimas


Eu percebo o seu cheiro em cada vento

E me lembro do amor que tínhamos, eu não posso fingir

Que eu não sinto a sua falta de vez em quando

Mas a dor é para o melhor

Vou seguir em frente, é agora ou nunca


Perdida na maré, não consigo manter meu travesseiro seco

Como se tivesse um oceano nos meus olhos

Eu percebo que às vezes

O amor te traz flores e então te constrói caixões

E frequentemente demais

Nós acabamos falecendo


Eu estou afundando e você me viu afogando

Em um rio de lágrimas

Perdido abaixo da corrente

Sob as ondas eu encontrei a força para dizer

O rio de lágrimas

Me lavou por inteira


Vá em frente e me deseje bem

Eu vou chorar te desejando bem

Eu vou voar antes de falhar

Eu vou velejar e ir para longe

Então não vou precisar de você aqui

O amor afunda e a esperança boia

Em um rio de lágrimas

Em um rio de lágrimas


Me chore um rio, me construa uma ponte, eu já superei

Não posso deixar memórias me matarem

Fico feliz de ver tudo que você é

E eu acredito que você era tudo que eu precisava

Mas eu já não preciso mais


Eu estou afundando e você me viu afogando

Em um rio de lágrimas

Perdido abaixo da corrente

Sob as ondas eu encontrei a força para dizer

O rio de lágrimas

Me lavou por inteira


Vá em frente e me deseje bem

Eu vou chorar te desejando bem

Eu vou voar antes de falhar

Eu vou velejar e ir para longe

Então não vou precisar de você aqui

O amor afunda e a esperança boia

Em um rio de lágrimas

Em um rio de lágrimas"





Uma escolta de guardas me acompanharam pelas escassas, a cada passo minhas mãos tremiam ainda mais. A chama em minhas veias ousavam aparecer, porém eram fortemente contidas por mim. 


O guarda chega em frente a uma porta e abre ela, pega meu braço e me joga no quarto, trancando a porta por fora. Me viro e observo o local. Era simplesmente enorme. O piso era de mármore branco,havia um imenso closat com a porta de madeira rosa. Tinha quatro comodas em tons dourados. Assim como dois armários de madeira rosada. Havia duas prateleiras de madeira pálida recheada com livros, havia uma enorme e graciosa penteadeira decorada com rosas entalhadas. No centro havia uma gigantesca cama com lençoes rosa e dourado. Havia dois criados mudos em cada lado. Em uma parede havia duas grandes sacadas com portas de madeira pálida. 


Em uma parede havia uma porta em um tom nude, provavelmente o banheiro. Um extanso tapete felpudo branco enfeitavam o piso.


A porta se abriu e por ela passou quatro pessoas. A primeira, uma Talita sorrindebte, a segunda era ruiva e bem alta,com os cabelos presos em um choque alto. A terceira era bronzeada com cabelos negros cacheados. A quarta era pálida e morena, e tinha grandes olhos azuis. 


-Sou Nancy , e estas são:Anne,Lilian, Lucy, e Talita, seremos suas criadas-diz Fazendo uma curta referência. 


-Amiga! Por que não me contou que tinha se inscrevi do? - pergunta vindo me abraçar rápido. 


-Não me inscrevi, Alyssa o fez-digo olhando seu rosto contente. 


-Não importa! Foi selecionada! Assim como ela! Sua sortuda-diz sendo fuzilada  pelas outras. 


-Sendo jogada num bando de douradas e prateadas metidas e frívolas, obrigada, mas passo-digo divertida, me viro para as outras-Todas somos vermelhas, dá mesma casta, e a poucas horas era uma de vocês,então dispense as formalidades, por gentileza-digo me jogando na cama ouvindo a risada estrondosa de Talita. 


-Você é uma peça Cora! - diz divertida. -Bom, o seu jantar vai ser servido aqui-explica ela. Bufo. 


-Claro,seria um perigo deixar eu sair para jantar, típico-digo amarga. 


-Vou preparar seu banho! - anuncia Nancy indo para o banheiro. 


-Vamos lhe banhar e lhe arrumar senhorita Cold-diz Anne seriamente. A olho incrédula. 


-Nunca em minha vida vou deixar alguém interromper meu momento pessoal como é o banho-brando irradiça fazendo Lilian soltar uma risadinha discreta. 


-Como a senhorita desejar-diz Anne em um tom descontente-Mas nos iremos arruma - lá, sem objeções-diz firmimente. Levanto as mãos para o alto. 


-Sim senhora! - digo batendo continência a fazendo resmungar. 


-Srt Coralina ,amanhã a Srt irá tomar o café com a família real e as demais selecionadas-Avisa Lilian em um tom gentil. Acinto levemente. 


-Maravilha-resmungo. - Vocês sabem onde está minha irmã? - pergunto inquisitiva. Elas se entreolam e suspiram. 


-A senhorita Cold foi designada a um aposento semelhante ao da Srt, porém um pouco distante-responde Lilian educadamente. Suspiro. 


-Que ótimo! - digo sarcástica. 


-Bom, continuando, amanhã logo após o café, a senhorita irá ao salão de beleza, e em seguida conversará a sós com o príncipe-explica calmante.Fico revoltada. 


-Bom mesmo. Quero quebrar a cara daquele imbecil de merda-brando com raiva fazendo as duas arregalaren os olhos. - Não me olhem assim-repeendo as olhando indignada-O cretino me escolheu para uma porcaria de seleção que eu e minha irmã vamos ser abatidas pelas cobras prateadas! - exclamo exasperado fazendo elas rirem e me olharem em dúvida. Até que Lilian perguntou. 


-Sem querer ser intrometida srt, mas a srt conhecia o princípe? - perguntou com uma pitada de apreensão. Suspirei. 


-Obviamente!-lhe respondo-Quando morava em neptune,O Conheci em um dia, na verdade ele me ajudou umas vezes,eu desconfiei claro, mas ele não parecia uma ameaça,um dia comentei que fui demitida pelos Samos, e ele me afirmou que ia arrumar um trabalho para mim e minha irmã-explico vendo a compreensão chegar em seus olhos-Mas ele se apresentou como Cal, não como "príncipe Tiberias"! Agora ele tem a coragem de nós escolher Para a seleção?! Isso é um absurdo! - explodo vendo elas me olharem incrédulas. 


-O príncipe é chamado assim pelos irmãos-diz Nancy saindo do banheiro. Reviro os olhos.


 - Eu entendo a atitude do príncipe, ele escolheu uma vermelha conhecida, sendo mais fácil e seguro para a segurança da família real, por conta da guarda escarlate-diz Anne em um tom calmo. Quase travo, rio sarcástica na mente. Ótima escolha Cal! Perfeitamente segura!. Penso debochada. 


-Tanto faz! O que me importa é que vamos nos ferrar na prova real! - afirmo me jogando na cama. 


-Verdade-diz Talita recebendo olhares bravos das outras-Oque? Falei o óbvio! Como você acha que duas vermelhas vão conseguir superar prateadas e douradas com poderes?Cora e Aly não tem poderes! - afirma como se estivesse certa sobre isso. Pobre coitada. Nem imagina minha amiga.Penso divertida. Nas situações de perigo eu sempre uso o sarcasmo como uma espécie de meio de defesa mental. 


-Tem razão Talita-começo as olhando-Aly nunca bateu em ninguém sem ser a mim! E eu sei só atirar arco e flecha e defesa pessoal-digo em um tom calmo. Talita revira os olhos e sorri para mim. 


-Fique calma, aposto que seram eliminadas logo-diz a morena com boa expectativa. 


-Exatamente srt, se não, torça para isso--diz Anne trêmula. 


-Tem razão-digo vagamente. - Oque posso fazer agora é pensar em Alyssa-digo em um tom baixo. Uma batida é ouvida. Todas nós olhamos para a porta. Ela se abre e o Príncipe Elias entra. 


-Boa noite senhorita-diz educadamente. 


-Boa noite alteza-dizemos juntamente fazendo uma curta reverência. 


-Bom, vim aqui falar com a Srt Cold, apesar de não poder fazer isso-diz com um sorriso torto.Gostei dele. -As senhoritas podiam por favor-pede elas acentem de prontidão e saem e a porta bate. Ele é vira para mim e me analisa minuciosamente. 



-Senhorita Cold, sou Elias,Vim lhe dar um curto aviso:Tenha cuidado. Não fale demais. Não olhe demais. Fique  quieta. Se mova cuidadosamente .Pois os erros aqui resultam em infortúnios.. - diz me olhando sério. - Torça para não ir até a fase três.Na verdade implorei.Ela é tremendamente perigosa para vocês, vermelhas.-diz andando pelo quarto. O olho desconfiada e digo. 


-Irmã, Alyssa é minha irmã-o corrigo. - Obrigado pelo adorável aviso vossa alteza, fico agradecida pela gentileza, mas, por que teve o trabalho de vir aqui me dizer oque eu já presumida? - pergunto com a Sombrancelha arqueada. Ele me olha surpreso e ri sarcástico. 


-Entendi o porquê Cal disse que você poderia ser.. Um pouco deselegante-diz debochado. - Aliás, vocês são irmãs peculiares-diz em um tom analítico. 


-O que? Oque Cal disse de mim para você? Aliás por que ele me escolheu? E por que você está aqui? Isso foi um elogio? - desparo para cima dele. 


-Opa!Opa!Calminha aí garota-diz levantando as mãos para cima-Uma pergunta de cada vez.-Sim, foi uma forma de elogio,as duas tem características diferentes-diz ele analítico. 


-Obrigado-digo com um sorriso fraco-Responda as, perguntas! - o lembro. 


--Ok. Ele me contou sobre a ladra mais interessante de Neptune!Ele lhe escolheu pois com a ameaça da guarda escarlate seria um pouco difícil selecionar duas vermelhas sem saber dos riscos. - diz me olhando seriamente -Eu estou aqui pois, meu adorável irmão, me obrigou vir aqui lhe avisar de certas coisas-termina com um sorriso. 



-Ele não tinha o direito! Fofiqueiro-exclamo o fazendo gargalhar-Invadir meu espaço pessoal, mas alguém sabe disso? -continuo com raiva e preocupada. 


-Não se preocupe, ele só confidenciou a mim-diz em um tom calmo. 


-Certo.Hum, vamos ver. Por que a fase tres é perigosa?-pergunto direta. Ele suspira. 



-Bom, a fase dois é onde vocês lutam corpo a corpo,e participam de duelos de armas,para ver qual é a melhor, armas como arco e flecha, Revólver, adaga, espada-diz andando. 


-Merda, Alyssa não sabe bater nem em mim direito! - exclamo. Ele me olha e diz. 


-Pois trate logo de enviá-la! - diz sério 


-Então?porque a fase três é perigosa? - pergunto novamente. 



-É onde as douradas e prateadas vão duelar para saber qual o poder é mais forte, as que pedirem para desistir, vão embora - avisa andando de um lado para o outro. Isso faz meu corpo tremer.Alyssa concertesa morreria nessa fase. E eu possivelmente também, por outros motivos. 


-E se não pedirem para sair? - pergunto apreensiva. Ele para e me olha sério. 


-Bom, provavelmente morrem-diz friamente. Engulo seco e respiro fundo. 


-Porra! Estamos fundidas! -solto no desespero. Ele me olha com um sorriso maroto. 



-Olhe o palavriado srt, uma dama não diria isso. -Avisa divertido


-Acontece que eu não sou uma dama-digo em um tom petulante. 


-Eu vejo isso claramente -comenta com a Sombrancelha erguida. -Bom, continuando,se qualquer uma de vocês duas pedir para sair, podem ir embora, mas vão ter que justificar o por que com a rainha-avisa novamente. Suspiro. 


-Basicamente, se eu quiser sair, vou me ferrar, se eu permanecer, vou me ferrar também-digo com um tom amargo. 


-É isso, mas nao se preocupe muito, se as coisas ficarem.. Complicadas ao ponto de se machucarem seriamente , Cal intervera-diz ele em um tom polido. Sorrio sarcástica. 


-Oh,nao sabe o conforto que me passou! - digo amargamente. 


-Gostei de Você Coralina Cold, mas é muito expressiva, isso não é nada bom.-diz em tom cauteloso -Cuidado com a língua senhorita, como disse, cuidado com tudo-diz mais tranquilo. Bufo. 


-Como quiser vossa alteza-digo educadamente. 


-Elias,não presisa me chamar assim Agora-diz-Prosseguindo,a fase quatro,Cal terá que conhecer cada uma de vocês,em conversas e  encontros-diz sarcástico. 



-Realmente, uma tortura para o príncipe-digo sarcástica. 


-Certamente srt-diz ele igualmente sarcástico. 


- Cora, me chame de Cora-digo mais gentil 


-Prazer srt Cora-diz pegando minha mão e dando um beijo nela. 


-Olha, ele é educado-comento divertida. 


-É um dos meus dotes-diz fingindo arrogância. 


-Pois guardes seus dotes para uma dama adequada senhor-digo divertida. 


-Sou apenas tres anos mais novo que você-diz que ele fingindo estar indignado. 


-Exato,uma criança ainda, e você não faz meu tipo garoto-digo brincando. 


-É qual é seu tipo, olhos dourados como o sol? - pergunta maliciosa ente. O fuzilo. 



-Acho melhor sair daqui pequeno príncipe, não é bem visto um garoto visitar uma dama a esta hora em seus aposentos-digo educadamente como se fosse uma prateada Metida.


-Que dama? - pergunta quase inocentemente. O olho friamente. - Ok. Entendi, estou sendo expulso! Boa noite e Até o café Cora-diz indo até a porta. 


-Boa noite Príncipe Elias, e obrigado - digo gentilmente. Ele se vira e dá um sorriso. 


-De nada, senhorita dos cabelos brancos-diz com um sorriso fraco saindo e fechando a porta. Suspiro. É cada um que me aparece. Penso divertida. Vou até o banheiro. E que banheiro. Todo luxuoso, com detalhes em puro ouro, uma banheira daquela pagaria suas contas por dois meses. Suspiro enquanto me despia, entrei na banheira com cheiro de rosas, a água escaldante acalmava meus nervos. Pego uma bucha e começo a me lavar. Após terminar levanto da banheira saindo. Pego uma toalha e me seco, ao sair do local me deparo com Nancy segurando um roupão, reviro os olhos e tiro a toalha, a deixando me vestir com a peça. 


-Preparei um chá para que possa dormir com tranquilidade srt Coralina-diz me entregando a xícara. 


-Obrigado, estou mesmo precisando-digo pegando a xícara e tomando um grande gole,me sentando na poltrona. 


-Sua roupa está em cima da cama srt-diz em um tom educado. 


-Valeu-digo terminando de tomar o chá.Ao terminar me visto, ouvindo o arfar da outra. Merda. Eu odeio minhas cicatrizes. Ao terminar de me vistir me viro para ela-Boa noite, Nancy-digo educamemte me deitando. Ela vai até a luz e a apaga, se vira para mim e diz.


-Boa noite srt-diz educadamente-Vamos nos Erguer como a melhor Alvorada. - diz em um sussurro saindo. A olho confusa e ouço ela trancando a porta. Revirou os olhos e bufo, me deito e me cubro. Caindo no sono rapidamente. 





"Você está triste e cansado

De viver a vida em um carrossel

E você não pode encontrar o lutador

Mas eu vejo isso em você então nós vamos caminhar com isso

E mover montanhas

Nós vamos caminhar com isso

E mover montanhas


E eu vou me levantar

Eu vou me levantar como o nascer do dia, eu vou me levantar

Eu vou me levantar sem medo, eu vou me levantar

E eu vou fazer isso mil vezes

Por você


E eu vou me levantar

Alta como as ondas, eu vou me levantar

Apesar da dor, eu vou me levantar

E eu vou fazer isso milhares de vezes

Por você


Quando o silêncio não é tranquilo

E parece que está ficando difícil de respirar

Eu sei que você sente como se estivesse morrendo

Mas eu prometo que vou levar o mundo a seus pés

E mover montanhas

Levar o mundo a seus pés

E mover montanhas


E eu vou me levantar

Eu vou me levantar como o nascer do dia, eu vou me levantar

Eu vou me levantar sem medo, eu vou me levantar

E eu vou fazer isso mil vezes

Por você


Tudo o que precisamos

Tudo o que precisamos é esperança

E para isso temos um ao outro

E para isso temos um ao outro


Vamos nos levantar, vamos nos levantar

Vamos nos levantar, vamos nos levantar


E eu vou me levantar

Eu vou me levantar como o nascer do dia, eu vou me levantar

Eu vou me levantar sem medo, eu vou me levantar

E eu vou fazer isso mil vezes


E eu vou me levantar

Eu vou me levantar como o nascer do dia, eu vou me levantar

Eu vou me levantar sem medo, eu vou me levantar

E eu vou fazer isso mil vezes

Por você


E eu vou me levantar

Eu vou me levantar como o nascer do dia, eu vou me levantar

Eu vou me levantar sem medo, eu vou me levantar

E eu vou fazer isso mil vezes


E eu vou me levantar

Eu vou me levantar como o nascer do dia, eu vou me levantar

Eu vou me levantar sem medo, eu vou me levantar

E eu vou fazer isso mil vezes"





"Era um lugar rústico, a única luz era vinda de uma lareira, o fogo creptava com fervor,tinha duas figuras no local. Um homem moreno e sua mãe. Ela estava mais jovem. Suas roupas eram velhas e seu rosto possuía uma espécie de deformidade.



-Se você conjurou um portal do nada,ela vira atrás de você-diz o moreno preocupado.



-Ela? Ela quem? - pergunta com medo e dúvida.O ambiente muda.



Era uma vila,uma mulher ruiva de traços frios olhava para um homem com barba, que parecia estar desconte. Atrás dele estava ela, Yneffer,abaixada escutando a espreita enquanto cuidava dos porcos.



-Quanto custa esta besta? - pergunta a mulher ruiva.



-Seis coroas-responde sem emoção.



-Quatro-rebate.



-Vendida-diz satisfeito pegando as moedas.



-O que está fazendo? Ela é nossa filha! - diz uma mulher de olhos verdes.



-Ela não é minha filha,você sabe bem disso! - rebate frio.



-Você não pode me levar, eu não vou! - grita a jovem trêmula. A cena muda novamente.



Era um quarto rústico, Yennefer estava olhando para o espelho com os olhos lacrimejando.



-Apenas quatro coroas-diz em um tom fraco. Ela olha no espelho e o soca. Sangue vermelho escorre de suas mãos. A cena muda novamente.



Era uma sala, com várias garotas, Yennefer tentava fazer um feitiço, e não conseguia.



-As vezes uma flor é apenas uma flor, e o melhor que ela pode fazer é morrer-diz a ruiva friamente.



A cena muda de novo. Era uma caverna. Yennefer estava com o homem de pele bronzeada.



-Yissaia tem razão, estou aqui a semanas, e não sei fazer quase nada-diz em um tom triste. A cena muda. Era uma caverna aberta. Raios caiam sobre ela. Tinha várias garotas ao redor. Yennefer estava sentada no chão. Ela movimentou a mão e raios elétricos foram atirados em uma das garotas.



-seu pior medo faz sentido, mesmo se fosse bonita, ninguém amaria você,é apenas uma rata vermelha com poderes-diz a ruiva friamente. A jovem derramou uma única lágrima. A cena muda. - Você acha que tem oque é presiso? Você não é nada, apenas uma sangue azul inútil-brande rudimente, fazendo ela derramar outra lágrima e fechar os punhos.





-Meu pior medo é real, eu não sou o bastante-diz ela para o moreno.



-Meu verdadeiro pai é um Titanos, um prateado, por causa do seu sangue maldito eu tenho a coluna torta! - brande com raiva.



-Nos nos recriamos conforme a nossa verdade, você pode liberar a vítima no espelho para sempre-diz a ruiva. Yennefer olha fixamente para o espelho.



-Quem concorda em mandar Yennefer para a forca? - pergunta um guarda. Todos os outros prateados concordam. Mas com um movimento tudo explode, e logo depois Ela desaparece.



-Você me prometeu que ia dar um jeito de eu ir-diz ela com raiva



-É por causa de seu sangue-responde fria.



-você está com raiva porque perdeu sua chance de ficar bonita-diz o moreno com raiva.



-Não é isso. Eu quero ser poderosa-responde com firmeza.



-Nem todo poder e beleza do mundo fará com que se sinta merecedora-rebate. A cena muda. Ela estava acorrentada. Cheia de sangue e um líquido preto. Ela gritava alto.



-Imagine a mulher mais poderosa do mundo-diz a ruiva. A cena muda novamente. Era um salão de baile. As portas se abrem, e por ela passa Yennefer, deslumbrante e exalando poder. Todos os olhares foram para ela. Principalmente um par de olhos amarelos como ouro derretido.

Os olhares se encontrarem.

Púrpura intenso contra Ouro brilhante.Luxúria. Atuação. Amor.



O baile segue, os dois dançaram, uma energia poderosa os envouvia.



-cabelo branco, expressão vazia, olhos assustadoramente dourados, eu sei quem você é, príncipe Ozera de Rivia-diz ela.



-Cabelos negros, olhos Púrpura, petulante, uma feiticeira-diz ele sorrindo - Não sei se é corajosa demais para aparecer aqui, ou uma tola-diz ele frio.



-você é poderoso príncipe, mas não é pareo para mim-diz ela com um olhar cheio de luxúria.



-Vamos ver, feiticeira-diz ele com uma voz sedutora.



-Me diga,príncipe, você não acredita em destino, nem no mal menor, no que você acredita? - pergunta ela.



-Na vida e na morte-responde frio. A cena muda. Eles estão em uma casa, com sala branca.



-Está procurando por algo? - pergunta o loiro.



-Está perdendo seu tempo-diz fria.



-Ele permite o acesso desde você o controle-diz ela segurando um pote enquanto uma ventania a cobria e raios elétricos eram soltado de seu corpo.



-Me diga oque quer Yennefer ?! - pede o platinado.



-Eu quero tudo! - diz gritando entre a dor segurando uma força poderosa. Uma força explode todos os objetos.



A cena muda. Era Uma vila. Uma vila sendo atacada brutalmente pelos soldados dourados.Com um movimento ela quebra os pescoços de todos os guardas.Ela joga um guarda no chão e o explode.



A cena muda. Ynnefer é o platinado se beijam ardentemente. Depois fazem amor.



-oque você deseja, sem ser o poder? - ele pergunta.



-Eu queria ser mãe-responde sinceramente.



-Você? Mãe? - pergunta o loiro sarcástico.



-Não acha que eu seria uma boa mãe,Geralt? - pergunta de olhos serrado.





-Não é isso.É que eu nao vejo uma pessoa feroz como você sendo mãe-diz divertido-Você sempre quis ser mãe? - pergunta curioso.



-Eu queria me tornar importante para alguém-responde sincera.



-Você seria uma boa mãe-ele responde.-Você é importante para mim-responde olhando em seus olhos. Eles se beijam. A cena muda novamente. Era uma sala, a Ruiva estava sentada em uma mesa rústica, Yennefer estava em pé a olhando com firmeza.





-Voce mente, guarda segredos. Você suconbe  a emoção, à fraqueza. - diz a ruiva.



-Eu não sou fraca! - rebate ela entre dentes. A cena muda. Era uma cabana.



-Está na hora de seguir em frente, Yennefer, ele vai se casar-diz a ruiva.



-Ei sei-diz ela friamente,se virando para a janela, uma única lágrima desce de seus olhos. Ela cuidadosamente coloca a mão sobre seu ventre. Fecha os olhos Púrpura e os abre com determinação-Eu vou o deixar-diz friamente. A cena muda.





-Você é poderosa, porém nunca está satisfeita!Sempre está lutando por mais- diz ele com raiva. A cena muda. Era uma sala de reuniões.





-Você é uma manipuladora, Yennefer de Vengerberg.-diz uma mulher loira.



-Meu mundo é cruel. Você entra, sobrevive ou morre. - responde secamente. - Você sobrevive como pode, Cirila. Então sim, sou uma malipuladora-diz friamente para a mulher prateada. O ambiente muda. Era noite, em frente a um estábulo inabotado.O loiro e a morena discutian.



-Você é uma mulher perigosa, principalmente para si mesmo Yen. - diz o platinado com raiva.



-Se sou tão perigosa, porque fica perto? - pergunta fria.



-Por que não consigo ficar longe de você, Yen-diz em um tom emocionado. A cena muda novamente. Era uma cabana. A ruiva é morena discutian.



-Você é poderosa, mas tem medo e insegurança de perder.-siz a ruiva.



-O medo amimenta a coragem-responde  fria. A cena muda, era noite, especificamente um campo de guerra, os seus estavam morrendo nas mãos dos dourados. Seu peito subia e descia freneticamente.



-Agora! - grita fazendo seus lacaios atacarem os guardas. Uma explosão de cores foi vista. A cena muda.



Era uma vila sendo atacada por rebeldes, não de sru grupo.Ela beija o platinado e uma força invisível joga todos ao redor longe.



-Eu amo você-diz ela.



-Eu também amo você, -diz ele a olhando intensamente. A cena muda novamente.



-Tenho algo para te contar-diz caltelosamente.



-O que é Yennefer? - pergunta cansado-Sabe que mês que vem eu me caso com Cirila,o "nos" acabou-diz friamente. Era como uma adaga atravessando o peito da morena. Ela respirou fundo e disse sem o olhar.



-Estou Grávida, de cinco luas-diz em um tom seco., os olhos Amarelos do príncipe se arrsgavam. - É antes que ouse perguntar, é seu, mas não necessito de ajuda vinda sua-diz secamente o encarando com mágoa.



-Não importa oque diga, é meu filho, meu herdeiro, vou cuidar dele com minha própria vida-brande furioso e com os olhos lacrimejando.



-Como quiser,Geralt-responde friamente-Não é um menino, é uma menina-responde finalmente olhando para ele com dor nos olhos.



-Minha herdeira, a futura rainha de meu reino-diz com um sorriso.



-Não acho que seus pais iram permitir uma sangue azul reinar - diz debochada



-Não me importa com eles, é minha filha, ela irá suceder após a mim-diz firmimente.



-Quero te pedir algo-diz ela olhando para ele.



-O que, Yen? - pergunta em um tom calmo vendo sua apreensão.



-Estamos em uma guerra, e em uma guerra, pessoas morrem-diz contornando a mesa-Se for para escolher, na hora certa, Salve minha filha Geralt-pede em um tom firme. Ele respira fundo e diz.



-Eu irei, eu prometo-diz a olhando nos olhos. A cena mudou.



-Ele se casou-diz a ruiva.



-Sim-responde a morena.



-E a deixou grávida-diz novamente.



-Não importa, é minha filha, eu vou te-la, com ou sem ele-diz firmimente.



-Estou orgulhosa de você Yennefer, se tornou uma mulher forte-diz a ruiva com um sorriso mínimo.



-A vida me fez forte-rebate olhando pela a janela.A cena muda. Era uma guerra. Ela estava sangrando e cansada. Pessoas morriam. Ela colocou a mão no ventre em proteção.



-Salve essas pessoas! Salve esse continente-diz a ruiva desesperada-Esse é seu legado-diz ela firme.



Era uma guerra.Crianças morriam. Idosos morriam. Famílias foram assacinadas.



-Agora-diz e os seus guardas atiram as flechas com fogo.



-Tudo que já sentiu, tudo que já enterrou, esqueça a garrafa, deixe o caos expludir-diz fracamente. Ela fecha os olhos e se levanta. -Você é puro caos agora-diz a ruiva.



Ela caminha até a colina. Eletricidade crepita em suas mãos. Faíscas de fogo saem de sua pele. Seu olhar era puro ódio.





"-onde vai sua torta?



-Rata imunda! Faça algo direito!



-Ela não é minha filha, é uma besta.



-Sua leitoa imunda.



-Você vai olhar no espelho e vai ver a decepção que sempre foi.



-Voce gosta da dor.



-Não. Eu aprendi a conviver com ela.



-Você fez besteira, nos não faremos.



-Sua vagabunda inútil.



Sabe quantas pessoas se importa riam se você morresse? Nenhuma.



-Bem que Yennefer podia ter ficado em onicisciete.



-Quanto custa essa besta?



-Quatro coroas.



-

-Você é apenas a amante, não a pessoa com que ele vai se casar.



-Ele fez suas escolha, e a escolha dele nunca foi você



-você é odiada por todos.



-Todos me deixamram.





-Lamento que tenha escolhido o poder.



-você acha que é o que eu presiso? Você é somente uma rata imunda com poderes.



-Não importa o quanto lutar, sempre ficará sozinha.



-Ninguém nunca irá te amar.



-Não importa o quão poderosa for, nunca vai encontrar a felicidade.



-Eu te amo, mas presiso ficar com minha família.



-você é bonita e poderosa, não é mas nada.



-você nunca vai ser sua esposa, é apenas a segunda opiçao.



-ele vai se casar, o esqueça.



-Ele nunca irá a escolher.



-Você é quebrada demais para poder ser feliz.



-Você voa como um tornado, causando estragos,e para que? Ser mais poderosa!?



-Tudo que você toca você distroi Yennefer.



-Uma criança não é o caminho para aumentar seu ego frágil Yennefer!



-Eu ted amo Yen, mas não posso ficar com você.



-Eu presiso de você, mas que você imagina Yen. Mas não posso arriscar minha família.



-você se foi, me abandonou.



-Você é vazia por dentro, Yennefer



-Eu voltei para você.





-Não, você escolheu a segunda opção







-Haaa-grita enquanto uma onda fogo sae de suas mãos, cobrindo todo o local. Acabando com os inimigos.



-Yennefer! Yennefer! - grita o platinado.



-Yennefer! Yennefer!-grita uma loira. -Achou Yennefer? - pergunta a loira para a ruiva.



-Não. - responde apreensiva.-O bebê, temos que salvar o bebê-diz a ruiva fazendo a noiva do príncipe ficar pálida, eles tinham que salvar o bebê.



-Yennefer! Yennefer!-grita a ruiva com a loira a seu lado.



-Eu a achei! - diz o loiro.As duas correm até o local e se espantaram. Yennefer estava sentada e escorada em uma árvore,com cortes em todo o corpo, seus olhos estavam cansados, estava suja de sangue e Cinzas, e tinha as mãos sobre o ventre. Ela estava em trabalho de parto. Porém era cedo demais. - Fiquei comigo Yen, fique comigo! - grita a Geralt em desespero.



-Cirila-chama ela fracamente, a loira se ajoelha em sua frente.



- Sim, Yennefer? - pergunta preocupada.



-Salve minha filha, custe o que custar, você me promete? - pergunta em um fio de voz. A loira derrama lágrimas.



-Eu prometo! - diz ela segurando sua mão. Geralt a leva para uma cabana próxima e depois de meia hora de parto, a bebê nasce. Com cabelos brancos como neve, pele pálida como porcelana, e grandes olhos Púrpura.



-Me de ela.. Por favor-pede a morena  fraca. A ruiva entrega a bebê coberta de sangue para a morena-Ela é linda-sussurra encantada. Ela sente sua visão ocilar-Geralt, Cirila-xhama os dois, estes que se aproximam.



-oque presisa Yen? - pergunta o loiro preucupado.



-Minha menininha, seu nome será Corona Austeyna De Vengerberg-diz com os olhos brilhando de emoção.



-É um lindo nome-diz ele sorrindo fraco.



-Tomé-diz tirando seu anel com dificuldades e entregando a Cirila-De a ela quando tiver a idade certa...... Cuidem dela... Por favor-pede em lágrimas. Geralt chora junto com ela.



-Cuidarei, cuidarei da minha filha com todo o amor do mundo-responde ele em lágrimas.



-Cirila-chama vendo ela levantar seu olhar para ela-Cuide dela como se fosse sua, por favor-pede vendo a loira chorar.



-Irei cuidar dela como se fosse minha filha, eu prometo-diz agarrando sua mão. Então aos poucos a morena sente seus olhos pensarem, e em segundos o brilho de seus olhos se esvaiva. Causando um choro em todos. Geralt pega a bebê e corta o cordão com as mãos tremendo, a enrola em um manto e a abraça com força. Um soldado aparece na porta correndo.



-Vossa alteza, não o achava em lugar nenhum, pensei que tinha ocorrido tragilidades-diz com a respiração pesada. - Quem é esse bebê? - pergunta curiosamente.



-É minha filha, minha herdeira, Corona Austryna Ozera de Rivia,a princesa e futura Herdeira de Corona-diz em um tom de orgulho e tristeza. Cirila pega a criança e começa a limpá-la.



-Ei, bebê, venha com a tia Ciri-diz dando um sorrisinho enquanto a limpava.A ruiva coloca um pano sobre o corpo da morena-Ela tem seus cabelos, e a cor de sua pele-diz ela sorrindo fracamente.



-Sim, mas os traços e os olhos são de Yen-diz com pesar. -Ela é perfeita-diz sorrindo entre lágrimas.



-Ela é-diz a loira sorrindo fraco. A cena se distorce e tudo fica escuro."


Acordo ofegante e suando. Minha respiração estava descompassado e meu coração batia fortemente. O sonho foi bizarro. Era um sonho ou uma lembrança?. Eu não sabia. Porém oque vi me deixou arrepiada. Minha mãe tinha o sobrenome do padrasto.


Yennefer De Vengerberg.Agora entendi porque nunca foi descoberta pelos prateados.Essa lembrança mecheu comigo. 


Se fosse verdade, se foi uma lembrança vinda como visão em meus sonhos. 


Meu pai seria Geralt Ozera de Rivia. O falecido rei do reino  Corona. 


Corona. Meu nome biológico, isso soou até irônico e meio óbvio. Meu nome de nascimento desconhecido por todos até então era:Corona Austryna Laris Titanos. Mas com essa possível descoberta seria:


"Corona Austryna Laris Titanos Ozera De Rivia"Enorme,diferente e exagerado.Mas tudo bem.Ja me acustumei a ser diferente. Mas não era isso que me abalava mais. 


Eram as lembranças de minha mãe, seu padrasto filho da puta a vendendo. Uma dourada desgraçada que a treinava com mão de ferro. Seu pai cretino que a deixou grávida e se casou com outro. Ele escolheu a coroa dique ela e sua mãe.Miserável. 


Mas ele a ajudava na gravidez, não que justificava oque o cretino fez. Sua mãe morreu. Morreu salvando sua cidade Natal. Morreu ao dar a luz a ela. A entregando a rei Geralt e rainha Cirila. Eu tinha os cabelos como o rei, não tinha como negar. Eu  era filha do rei cretino morto. Mas oque não entrava na minha mente era:Eles me abandonaram no orfanato por que? Vergonha de ter uma herdeira bastarda? Ela era um fardo? Por que diabos eles a deixaram? E tiveram outros filhos? Ela não importava para eles?. 


Essas eram as perguntas que rondavam minha mente. Eu Coralina Cold, a rata vermelha imunda, ou melhor a sangue azul imunda, a princesa bastarda de Corona,participante da guarda escarlate. 


Eu agradeçi mentalmente por ter três meios irmaos para cuidar dos prateados e dourados de merda por lá. Pois eu? Eu nunca ousaria o pé naquele reino. Eu jurei. Nunca. Me deito novamente e tento dormir. 




"Então eu nunca te conheci de verdade

Deus, eu realmente tentei

De surpresa, viciada

Achamos que poderíamos realmente fazer isso

Mas na verdade eu fui tola

Retrospectiva, é óbvio


Conversando com meu advogado

Ela disse: Onde você achou esse cara?

Eu disse que os jovens se apaixonam

Pelas as pessoas erradas às vezes


Alguns erros são cometidos

Tá tudo bem, tudo ok

Você pode pensar que está apaixonado

Quando está apenas com dor


Alguns erros são cometidos

Tá tudo bem, tudo ok

No final, é melhor para mim

Essa é a moral da história, meu bem


É engraçado como uma memória

Se torna um sonho ruim

Quando corridas selvagens se tornam voláteis

Lembra de como pintamos nossa casa

Assim como meus avós fizeram?

Tão romântico, mas nós brigamos o tempo todo

Eu deveria ter visto os sinais, sim


Conversando com minha mãe

Ela disse: Onde você achou esse cara?

Eu disse que algumas pessoas se apaixonam

Pelas pessoas erradas às vezes


Alguns erros são cometidos

Tá tudo bem, tudo ok

Você pode pensar que está apaixonado

Quando está apenas com dor


Alguns erros são cometidos

Tá tudo bem, tudo ok

No final, é melhor para mim

Essa é a moral da história, meu bem


Eles dizem que é melhor ter amado e perdido

Do que nunca ter amado

Isso pode ser um monte de merda

Mas eu só preciso contar a todos vocês


Alguns erros são cometidos

Tá tudo bem, tudo ok

Você pode pensar que está apaixonado

Quando está apenas comprometida


Alguns erros são cometidos

Tá tudo bem, tudo ok

No final, é melhor para mim

Essa é a moral da história


Alguns erros são cometidos

Tá tudo bem, tudo ok

Você pode pensar que está apaixonado

Quando está apenas com dor


Alguns erros são cometidos

Tá tudo bem, tudo ok

No final, é melhor para mim

Essa é a moral da história, meu bem"




&




"Minha mente está torcida

Eu já tive o bastante

Parece que estou queimando, as chamas se levantam

E eu não posso dizer o que vem por aí

A vida é como um jogo de roleta


Meu amado

Ajude-me a ver, além da superfície

O meu propósito


Você era minha estrela do norte

Você era meu Sempre

Você era minha bússola

Agora eu me viro para os lados

Talvez eu me transforme em cinzas, cinzas


Quando tudo vem abaixo

Quando tudo vem abaixo


Um vento frio nas minhas costas

O céu está ficando cheio

E ficando preto

Eu me perdi

Quando eu te perdi

Preciso de mais um momento

Isso não pode ser verdade


Meu amado

Ajude-me a ver, além da superfície

O meu propósito


Você foi minha estrela norte

Você foi minha sempre

Você era minha bússola

Agora eu me viro para os lados

Quem você virou também

O que você pode dizer

Cinzas, cinzas


Tudo vem abaixo

Tudo vem abaixo

Tudo vem abaixo

Cinzas, cinzas

Cinzas, cinzas


Quando tudo vem abaixo

Quando tudo vem abaixo


Quem você vira também

Quando tudo vem abaixo

Tudo vem abaixo

Tudo vem abaixo

Cinzas, cinzas

Cinzas, cinzas


Quando tudo vem abaixo

Tudo vem abaixo

Quem você vira também

Quando tudo vem abaixo

Quando tudo vem abaixo

Cinzas, cinzas

Cinzas, cinzas


Quem você vira também

Quando tudo vem abaixo"






O silêncios som que escoava no quarto era sem dúvidas Ensurdecedor. Meus olhos estavam olhando fixamente para um ponto no teto, sem nenhum vestígio de sono.O sonho que teve não a deixou pegar no sono. Me levantei calmamente e senti o chão gélido entrar em contato com meus pés, estremeci. Andei calmamente até a janela. A abri sentindo a brisa fria bater sobre meu rosto. Sorri tranquila, abri os olhos e andei até a sacada. 


Observei o ambiente cuidadosamente.O crepúsculo era fascinante ao seus olhos. A cor rubra a deixava admirada. 

A vouto para o quarto e vou até o banheiro, preparo minha banheira e me dispo, entro na banheira apreciando a água quente, era relaxante. Lavo meu corpo e saio da banheira,ligo o chuveiro e lavo meus cabelos, ao terminar me envolvo com a tolha deixada em cima da pia. Vou até o quarto e visto minhas roupas íntimas e uma calça preta e uma blusa branca basica. Ouço batidas na porta. 


-Entre-grito e a porta se abre, por ela passa todas as criadas de ontem. Ainda acho um exagero ter tantas, só Talita estava bom. Não gosto das pessoas invadindo meu espaço pessoal. 

Anne e Nancy correm para o closat. Lilian e Talita me sentam na pentiadeira. Lili vai secando meu cabelo cuidadosamente. 


-A cor de seu cabelo é diferente, assim como seus olhos, mas eu gosto, combina com você-diz Lili enquanto virava as pontas de minhas madeixas brancas. 


-Um vestido Vermelho escarlate, azul marinho, ou lilás ficaria perfeito em você-diz Nancy com vários vestidos na mão. 


-Em tons escuros, é claro, não acho que tons claros combinam com ela, a deixaria ainda mais palida-diz Anne separando os vestidos escuros. Eram todos luxuosos e elegantes. 


-Tem razão-responde a ruiva.EEla estende um vestido roxo com tons de rosa.-Vestido Lilás  na autura dos joelhos,simples, porem elegante.Perfeito!-diz se aproximando  e me ajudando a me despir, apos Tira  a roupa Nancy me auxilia a vestir a peça com cuidado.


-Sebte-se!vaos fazer sua maquiagem !-diz Lilian me puxando Para sentar. Após me sentar mary começa a passar uma base clara. 


-Faça um acabamento leve,com tons claros, pois não acho adequado que ela fique com muita maquiagem na primeira apresentação-Diz Nancy seriamente, revido os olhos inconscientemente. 


-Concordo-diz Mary enquanto passava uma sombra em meus olhos. - Recomendo a senhorita ficar em silêncio no Cafe,se lhe fizerem uma pergunta tente responder com as palavras certas,fale com cautela-me avisa enquanto termina seu trabalho nos olhos. 


-Exatamente,você vaí ser alvo das outras por ser vermelha-diz Anne enquanto passava um batom em meus lábios-Portanto, fale com cuidado, ouça com toda sua atenção,Se porte bem na frente deles-completa.


-Traduzido, não fassa nada estúpido ou idiota, ou vai se dar mal Amiga- diz Talita passando um lápis na Sombrancelha. 


-Talita!! - repreende Anne.-Modos, por favor-diz em um tom aborrecido.


-Falei apenas verdades - retruca ela. 


- Enfim, tenha muito cuidado srt Coralina, e não se esqueça de deixar sua mente limpa-avisa Nancy em um tom apreensivo. 


-Verdade, Ou pode ser alvo do poder da rainha Ellana-diz Anne passando um blush em minhas bochechas.


-Vou tentar passar no máximo despercebida, não vou me pôr na forca-digo em um tom sério. - Obrigado pelos conselhos-digo sorrindo sinceramente. Nancy sorri de leve. 


-Esse é nosso dever Srt, e gostamos de você-diz simpaticamente. 


-Isso, e você é uma vermelha, como nos, nos ajudamos os nossos quando podemos-diz Mary seriamente. 




-Verdade, aliás nos todas deram  sorte de ficar como suas damas, imagina ficar com uma prateada-diz Anne com os olhos arregalados. Isso me causou uma risada. Ela tem razão. Imagina as criadas de Evageline, coitadas. Eu sei oque estam passando. 


-Anne! Não fale isso! Se alguém lhe escuta esta definitivamente demitida! - ralha Nancy com uma expressão dura. 


-Me desculpe, tem razão, mas ninguém daqui vai dizer nada-diz ela com o cenho franzido. 


-Talvez não, mas as paredes daqui tem ouvidos Anne, não se esqueça-diz misteriosamente.Talita pega um salto maravilhoso e coloca em meus pés. 


-Sorte a sua de ter pés tão pequenos, esses saltos eram da irmã do rei quando ela tinha sua idade-diz se levantando -Dizem que todos que calçava uma vez nunca os usava pela segunda ez,depois de seu casamento os deixou aqui,ninguém os usou, por serem em um número pequeno - explica e eu acinto. Uau, calçados de uma princesa. Que regalia. Se eu tiver uma bota eu a uso pela vida toda até desgastar por completo. E as prateadas se dão o luxo de usar um sapato com detalhes em ouro puro somente uma vez. Para mim aquilo era um completo absurdo. 


-Sapatos da princesa,que luxo-digo debochada fazendo elas darem pequenas risadinha. Ela pega um lindo colar e coloca em meu pescoço.Após minutos com os olhos fechados, uma delas se pronuncia. 


-Pronto acabamos, só falta a srt colocar as luvas- diz Lilian me entregando um par de luvas, abro os olhos e as coloco cuidadosamente. Talita aparece em minha direita com um espelho enorme. Me pego fascinada com meu reflexo. 


O vestido lilás batia no meu joelho, era rodado e seus detalhes em rosa o deixaram mais belo. Era rodado e soltinho, porém era um pouco acentuado na cintura. Meu cabelo prateado estava liso até as pontas, depois elas tinham uma leve curvatura para cima.Minhas bochechas e lábios estavam rosados. Em meus olhos elas tinham usado um rosa colarinho mesclado lilás claro. O lápis preto e a máscara de cílios preta destacavam meus olhos "azuis acinzentados". Eu estava bonita. Bonita não. A garota do espelho estava lindíssima, nem parecia eu. 



-Estou linda! Obrigada meninas vocês fizeram um bom trabalho-digo sorrindo largo. 


-Você é como uma tela em branco, presisa de apenas algumas cores para destacar sua beleza-diz Nancy sorrindo gentilmente. 


-Está gata Cora! Agora vá! Está quase atrasada! - diz Talita me alertando. Saio do quarto e me deparo com minha irmã vindo do outro corredor, com um guarda a escoltado. Ela estava maravilhosa. 


-Coralina! - exclama ela vindo até a mim e me abraçando forte. - Graças a Deus! Pensei que tivessem feito algo a você, não pude sair do quarto! - exclama exasperada me olhando. 


-Eu sei, também não pude sair-respondo andando com ela ao meu lado, e claro, dois guardas atrás de nós a poucos passos. 


-Sabia que tenho criadas? Três! - exclama como se estivesse surpresa. Ri com isso. Ela pensou que por sermos vermelhas não teríamos o mesmo tratamento  que as outras. Merda. Tenho que parar de ler as pessoas assim. 


-Acredito.Também tenho, porém são cinco-lhe digo vendo ela arregalar os olhos. 


-Cinco?! Por que tantas? -me pergunta confusa. 


-Não fasso ideia-lhe respondo-Esta muito linda Aly-comentoa olhando mais de perto. Ela tinha uma maquiagem um pouco mais forte que a minha. 


-Obrigado! Você também! Está maravilhosa! - diz elogiando-Nem parece a garota que usava calças e blusas largas e caçava na floresta-diz debochada me olhando. Claro. Alyssa Não seria Alyssa se não debochace de mim. Chata. 


-Fique quieta Alyssa-digo a fuzilando. 


-Tá bom, parei-diz dando um sorriso torto-Como esta? - pergunta em um tom totalmente diferenciado. Entendi. 


-Bem, estou indo bem-lhe respondo olhando fixamente em seus olhos. 


-Ótimo-responde.-Estamos chegando certo-diz ao sentir o cheiro de comida. Percebo que sua mão esta tremendo, a pego e ela me olha.


-Estou aqui-susuro baixo somente para ela escutar. 


-Eu sei-responde no mesmo tom. Continuamos andando até chegar em frente as grandes portas do salão de jantar. Imediatamente ergo uma barreira forte na mente de Alyssa, foi tão difícil que eu arfei. Me deu um desgaste momentâneo. Enquanto eu tiver próxima, ela ficará protegida.Os guardas abrem as portas e todos se calam de imediato,os olhares vão todos para nós. Caminho calmamente até um os dos dois lugares sobrando.Alyssa se senta ao meu lado em  silêncio. 


A família real ainda não estavam presentes, estavam somente as garotas da seleção. Todas as prateadas e douradas nos olhavam fixamente. Mas eu senti dois  olhares em especial me fuzilado. Samara e Evageline. Essas me olhavam furiosamente. Se olhar mata-se, provavelmente eu já estaria morta ou enterrada. 

Uma Dourada me olhala curiosamente. 


-Seu cabelo é interessante-comenta em um tom calmo-Sou Marlene , a propósito-se apresenta estendendo a mão. A aperto brevemente. 


-Obrigado, o seu é gracioso, sou Coralina-digo gentilmente. Seu cabelo era loiro médio, e tinha cachos lindos. 


-Obrigado, Coralina-responde simplesmente. 


-Chega de teatro, não fale com ela Marlene ! Elas vão sair a poucos dias, não perca seu tempo com esse tipo de gente-diz uma morena arrogantemente. 


-Fique tranquila Celeste, ao contrário de você eu possuo algo chamado Educação, oque claramente você não tem-diz friamente. Eu definitivamente gostei dessa dourada. 


-Cale-se creatina-rebate a outra. 


-Por favor garotas, tenham modos, principalmente você Celeste-ralha uma morena. - Sou Ashley, prazer-diz acenando com a cabeça. 



-Prazer-dizemos nos duas juntas. 


-E você ruiva, qual é seu nome? - pergunta a mesma. 


-Alyssa, Alyssa Cold, prazer-responde ela em um tom neutro. 


-São primas? Irmãs? - pergunta uma loira.-Sou  Clarissa -diz em um tom neutro. 


-Irmãs-respondo para Alyssa.-Somos irmãs - digo em um tom calmo. 


-Sério? São completamente diferentes-diz Marlene . 


-Coralina é adotada-responde Evageline friamente, está que até então se mantida calada. 


-Como sabe Samos? - perguntou uma morena sentada ao seu lado. 


-Ela já foi minha criada-diz com um sorriso arrogante fazendo umas três rirem de mim. Cretina. 


-Agora tenho pena dela, coitada, ter aguentando seu enorme ego todo dia-diz Marlene fazendo eu sorrir discretamente de canto. 


-Cuidado com a inveja querida-responde a prateada-Ela foi inútil que durou somente um mês-diz debochada fazendo eu trancar a mandíbula.


-Evageline! Não seja desagradável! - diz uma de suas amigas, se não me engano  Delphi - Não presisa jogar na cara dela, isso é cruel-diz com um sorriso contido. Outra vadia. 


-É verdade Evageline! Não deixe a rata imunda pior-diz Samara sarcástica. Me segurei para não quebrar aquele rosto debochado dela. 


-Calen-se vocês tres!Vocês não tem respeito pelo próximo não?! - diz uma garota de franginha. -Sou Elaine, prazer-diz sorrindo simpaticamente-Coralina, Alyssa, me perdoem pela indelicadeza das tres-diz polidamente. Nos duas acentimos educadamente. 


-Estou ansiosa para conhecer o Príncipe! E vocês? - pergunta uma ruiva animadamente. 


-Não seja tola Bess, Todas já sabemos quem vai ser a ganhadora-diz outra em um tom amargurado. 


-Quem? Você ou a Samos? Talvez uma das vermelhas?-diz debochadamente. Não me seguro. 


-Tenho plena consciência que não vai ser nem a mim, muito menos minha irmã,somos vermelhas,então, por favor-peço com um sorriso falso. 


-Você é uma garota sensata, Coralina Cold-diz Celeste me olhando com um pequeno sorriso. 


-Vamos ficar calmas sim, não vai nos levar a nada-diz Marlene. 



-Exatamente-diz uma garota de cabelos pretos lisos e pele bronzeada. - Cold's, sou Coraline,prazer-diz sorrindo simpática.


-Seus nomes são quase iguais-comenta uma loira.-Sou Kriss, a propósito-se apresenta. 


-Só os nomes né, por favor em meninas, porque essa aí não chega aos pés da Jacobs-diz Samara. Eu estava pensando seriamente em arrancar a lingua dela. 


-Basta Garota, uma palavra a mais e eu lhe fasso calar a boca-diz Marlene mais pálida que o normal. 


-Tome um chá, Marlene querida, está muito exaltada-diz Celeste sarcástica. Fecho os olhos e sinto uma quentura atravessar meu corpo. As grandes portas são abertas abruptamente revelando a família real. Todas nós levantamos rapidamente e fizemos uma reverência. 


A rainha acena para nós sentarmos. Mente vazia.Esvazio todos os meus pensamentos e os lanço em uma parte vazia no canto da mi há mente e os tranco. É desconfortável como uma leve dor de cabeça. Mas é eficaz contra os murmuradores até no momento. 


Primeiro se senta os príncipes menores, depois os príncipes Elijah e Maven. Foi nesse momento que percebo que Cal não está. Então de onde veio a aproximação quente?. Minha mente deu um tapa na minha cara. Maven. Com aquele sorriso lançado discretamente em sua direção. 


A rainha e o rei se sentam calmamente.Os guardas  que os escoltavam fizeram reverência e se poram de pé. Como estacas ao redor deles. Como se em algum momento ousássemos os atacar. 


-Infortúniamente,O príncipe Tiberias Calore não podera comparecer ao café, pois teve uma infelicidade no treino-fala o rei friamente. Infelicidade? Será que ele perdeu o controle novamente? Merda. - Podem se servir-diz o rei e as criadas que até então estavam na parede oposta se poram a nós servir. Tomei um café forte. Era o melhor café que eu a tomei em toda minha vida. Comi um pedaço de torta de limão. E no momento estou tomando um chá. As prateadas e douradas tentavam chamar a atenção da família real, o rei e a rainha só deram atenção a Coraline, Kriss, e Evajeline,para a infelicidade das demais. Bom, exceto Alyssa, Marlene e a mim. Eu Não entendia o desisterece da dourada. Mas deixei para lá, não era assunto meu. 


-Senhoritas oque estão achando do Palácio? - pergunta Elijah educadamente. Aquilo foi uma brecha para a muntidao de elogios delas. 



-Maravilhoso vossa alteza-diz Kriss em um tom polido. 


-A estadia está sendo excelente, vossa alteza-Diz Celeste em um tom educado. 


-Adorável vossa alteza-diz Marlene em um tom melodioso. 


-Estou deslumbrada com a decoração vossa alteza-diz Amy em um tom de Manso. 


-Adorei os vestidos.-diz Delphi em um tom Estridente. Garota fútil. 


-Exelente vossa alteza-diz Coraline em um tom amigável. 


-Estou amando meus aposentos-diz Samara um tom Meloso. Ridícula. 


-Graciosa vossa alteza-diz Ravena em tom gentil. 


-Formidável vossa alteza-Clarissa

Em um tom Límpido. 


-Exepcional vossa alteza-Ashley em um tom Suave . 


-A estadia está sendo encantadora-diz Elaine em um tom dócil. 


-Magnífica ao meu ver vossa alteza-diz Evageline em um tom Monótono. 


-A cama é maravilhosa, vossa alteza-diz Bess em um tom alegre. Prendo o riso entre os dentes.Isso trás a atenção dos príncipes. 


-E vocês, senhoritas Cold's? - pergunta Maven em um tom curioso. Pego a xícara e tomo um gole de chá. Alyssa o olha nervosa. 


-Estou gostando Vossa alteza, é totalmente diferente da minha casa, porém.. - ela foi interrompida por Samara. 


-Obviamente não é minha querida! Você morava em um casebre aos pedaços!-diz Samara rindo debochada. Aberto a xícara com tanta força que quase sinto ela rachar. 


-Minha casa não era ruim de se viver senhorita, eu tinha minha família-rebate Alyssa para a cretina. Essa é a minha irmã. 


-Mas em que condições vergonhosas não é? Seu casebre é miserável - retruca com veneno na voz. Um barulho é ouvido. Olho para minha mão,eu quebrei a xícara, e ela cortou minha mão,estava começando a sangrar.Merda.


-Oh, me deixe ajudá-la-Diz Marlene enrolando minha mão em um guardanapo e pressionando contra a ferida. Graças a Marlene. Me viro furiosa para aquela cobra. Porém controlo minha voz e escolho bem as palavras. Fale com cuidado. 


-Peço que a senhorita demostre o mínimo respeito pela nossa residência,pois não é um assunto que a senhorita se envolve, então por gentileza, se cale perante ao assunto-digo friamente em um tom baixo. Eu a olho com tanto ódio. Me viro para o príncipe e digo. - Estou adorando a estadia em sua casa, vossa alteza, e peço perdão pelo transtorno, se for necessário, eu pago pago pela xicara- digo Inexpressiva o olhando mais calma. 


-Nem ouse pensar nisso Senhorita,foi um infeliz acidente-diz ele em um tom calmo.-E senhorita Welle, receio que a srt deva um pedido de desculpas às senhoritas que você ofendeu-diz friamente. A expressão de Samara é incrédula, mas com um olhar do príncipe ela se vira para nos. 


-Peço desculpas se ofendi as senhoritas, isso não ocorrerá novamente-diz em um om falsamente polido. Acenamos com a cabeça rapidamente. 


-Bom, com esse assunto devidamente resolvido, podemos ressaltar algo-diz a rainha, fazendo todos a olharem-Receio dizer que a senhorita Coralina tem uma boa força física não é? - comenta fazendo todos me olharem em  interrogativa.Porem contínuo sem expressão. 


-Bom,nas horas vagas eu praticava arco e flecha, e treinava com defesa pessoal com um amigo-digo em um tom educado. Lembranças de eu derrubando kol fizeram meu coração doer. 


-Interessante, porém de ótima utilidade futura-diz a rainha me analisando, sinto uma pressão em minha mente, mas resisto-A senhorita continua com os pensamentos...confusos,ilegíveis, sabe o porquê disto? - pergunta seriamente. Apenas a olho confusa. 


-Não fasso ideia o porquê, vossa exelecencia-digo em um tom educado e inexpressivo. 


-Curioso, sua irmã também tem os pensamentos confusos-diz com a face dura. Deve ser difícil para alguém que invade a cabeça de todo mundo não poder xeretar a vida alheia. 


-Realmente, é curioso-respondo em um tom calmo. 


-Bom senhoritas, daqui a uma hora, encontrem com a senhora Marinos no salão da área sul,iremos guiá-las corretamente até até, tenham um bom dia-diz A rainha se levantando e saindo. 


-Tenham um bom dia, e não criem conflitos entre si,novamente-diz o rei friamente saindo com os filhos. Marlene pega minha mão e diz 


-Vamos até a enfermaria-diz seria. 


-Não é necessário Marlene-digo relutante. 


-Cora tem pavor de agulhas-inventa Alyssa e a morena suspira.Ela coloca a mão sobre a minha e eu sinto uma formigaçao,logo depois ela tira a mão e diz. 


-Pronto-diz baixo. Eu a olho confuso e olho e volta, a maioria das garotas tinha saído. E discretamente tiro o guardanapo vendo a minha pele intacta. Limpo qualquer vestígio de sangue e entrego Alyssa. 


-Obrigado, Marlene. É uma curadora? - pergunto curiosamente. Ela nega. 


-Minha mãe é uma Skonos, é meu poder secundario-responde simplismente. Acinto em compreendimento . 


-Olha aqui sua imunda, não ouse falar assim comigo denovo ouviu? Ou vai se arrepender!.-diz Samara furiosa.


-Estarei esperando-respondo com um sorriso falso. Ela gruni e sae do salão. 


-Você é louca, se meter com Samara? Ela é vingativa-diz Elaine para mim. 


-Não importa, ela ofendeu a mim, não podia ficar quieta-lhe respondo. 


-As vezes você pode esquecer que é uma vermelha e ela uma dourada,ela pode te machucar de verdade-avisa friamente. Fito seu rosto com calma e digo. 


-Eu Também posso machucar ela de verdade-digo secamente. Ela me olha e diz. 


-Se algo acontecer com você, Vermelha, não irei te ajudar-diz friamente. 


-Em que momento eu pedi sua ajuda? - pergunto calmamente. Ela me olha debochada. 


-Você claramente pode passar na segunda prova, mas não na terceira, e é nessa que vai presisar de uma de nós para a salvar da morte-diz friamente. Um calafrio passa por mim. 


-Talvez, mas no momento, estou bem-digo simplismente. Ela mau me olha e sai. 


-Ela tem razão você sabe né-diz Marlene. 


-Sei, é compreendo, mas elas não estão aqui para ajudar, não, estão aqui para destruir - digo a olhando fixamente até ela sorrir. 


-É esperta Coralina,aprendeu rápido, aprecio isso-diz sorrindo de canto, se vira indo em direção da porta-Até depois garotas! Fiquem vivas! -diz dando uma risadi há e saindo. Nós duas acenamos. Alyssa vira para mim e diz. 


-Você é louca Cora! Tremendamente pertubada l! - diz andando ao meu lado. 


-Não ia deixar aquela Cobra falar de você assim na minha frente Alyssa! - digo seguindo o caminho. Ela me entrega o guardanapo e diz


-Mas você vai se ferrar por isso-avisa me fazendo bufar. 


-Eu sei, mas pelo menos eu me ferro por defender minha irmã-digo a olhando. Ela abre um sorriso e diz


-Obrigado por me defender-diz sorrindo parando em frente ao meu quarto


-Denada Cabeça de salsinha-digo divertida vendo ela revirar os olhos. 


-Chata!.Daqui alguns minutos eu bato aqui ok? - diz se despidindo. 


-Tudo bem-digo abri do a porta d entrando. As meninas não estavam. Graças a Deus.Tiro meus saltos e coloco um chinelo,Vou para o banheiro e tranco a porta. Fasso uma chama aparecer na minha mão e pego o guardanapo. Tinha sangue vermelho por todo o pano, e quase invisível um rastro de sangue prateado no cantinho. Suspiro aliviada.Taco fogo nele e espeto queimar, depois jogo as cinzas no lixo. 



Tiro o vestido com cuidado tirando as roupas íntimas depois me dispindo. Amarro meu cabelo em um eslatico e Vou até o box, e o abro,entro debaixo do chuveiro o ligando.Tomo uma ducha rápida e me seco. Enrolo a toalha no meu corpo e saio do banheiro. Me deparando com cinco mulheres sérias e aparentemente furiosas. Dou um longo Suspiro. 




"Eu não poderia te explicar

Porquê ela se sentia daquele jeito

Ela sentia aquilo, todos os dias

E eu não pude ajudá-la

Simplesmente a assisti

Cometer os mesmos erros, outra vez


O que está errado, o que está errado agora?

Muitos, muitos problemas

Não sabe onde ela pertence

Onde ela pertence


Ela quer ir para casa, mas não há ninguém em casa

É aqui onde ela deita, destruída por dentro

Sem nenhum lugar para ir, nenhum lugar para ir

Para secar suas lágrimas, destruída por dentro


Abra os seus olhos

E olhe lá fora

Encontre as razões, pelas quais (pelas quais)

Você têm sido rejeitada (você tem sido rejeitada)

E agora você não consegue achar

O que você deixou para trás


Seja forte, seja forte agora

Muitos, muitos problemas

Não sabe onde ela pertence

Onde ela pertence


Ela quer ir para casa, mas não há ninguém em casa

É aqui onde ela deita, destruída por dentro

Sem nenhum lugar para ir, nenhum lugar para ir

Para secar suas lágrimas, destruída por dentro


Seus sentimentos, ela esconde

Seus sonhos, ela não consegue encontrar

Ela está enlouquecendo

Ela está ficando pra trás

Ela não consegue encontrar seu lar

Ela está perdendo a fé

Ela está caindo em desgraça

Ela está por toda parte (sim!)


Ela quer ir para casa, mas não há ninguém em casa

É aqui onde ela deita, destruída por dentro

Sem nenhum lugar para ir, nenhum lugar para ir

Para secar suas lágrimas, destruída por dentro


Ela está perdida por dentro, perdida por dentro (oh, oh)

Ela está perdida por dentro, perdida por dentro (oh, oh, sim)"


Notas Finais


😘✌🏻


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...