História .a seca de sunwoo - sunhak - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias The Boyz
Personagens Ju Haknyeon, Kim Sunwoo (Sunwoo)
Visualizações 26
Palavras 2.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


yaaa não falo nada por vergonha mesmo

Capítulo 1 - One ; seca


Todos sabem que o famoso clichê americano é o aluno esquecido apaixonado pelo popular. Mas os clichês mudam conforme o tempo, o clichê volta, e ele se torna moda. Porém aqui não tem clichê, é bem diferente, na verdade.

 

Kim Sunwoo, que considerado por seus amigos, o mais bonito da rodinha, estava encarando sua primeira seca. Não é como se Sunwoo pegasse todos, mas sempre tinha um ali, um aqui. 

 

Na escola todos pegam todos, sempre tem um querendo ficar com o outro, por todo o canto você vê pessoas "trocando idéia", era a famosa forma de se preparar para o date.

 

Naquela semana Sunwoo não havia ficado com ninguém, era frustrante, visto que em pelo menos uma semana ele já havia pegado dez. 

 

Seus amigos o consolavam, dizendo que aquele período iria passar e ele voltaria a ter suas noites inquietas e satisfatórias. 

 

Sunwoo desde que perdeu seu famoso _bvl_, andou se aperfeiçoando, agora como aluno do segundo ano, ele pegava até alunos do terceiro, por isso era "famosinho", na visão dos amigos.

 

Mudando o foco, Ju Haknyeon, aluno do terceiro ano, famoso por entre os alunos pela sua beleza, era totalmente sociável. Sempre rodeado de amigos, que hora ou outra também estavam o pegando de alguma forma, seja nos pensamentos ou nas secadas que ele recebia. 

 

Ju era bem diferente, por mais que gostasse da atenção, e gostasse de ser bajulado, nada daquilo parecia verdadeiro. Mesmo sendo gentil e legal, as pessoas continuavam próximo de si apenas por sua fama, e isso era triste e cansativo.

 

Mas, usava a fama para próprio proveito. Haknyeon quando quer alguma coisa ele sempre consegue, seja de qual forma for, não duvide ele vai conseguir. E Ju queria Kim Sunwoo, o único garoto da qual ele não havia provado ainda. Ju Haknyeon atraia olhares demais, e por assim dizer, aqueles que o quisessem e ele quisesse também, bastava uma troca de olhares. Mas quando Haknyeon passou pela primeira vez ao lado do Kim, este não o olhou, e foi o gatilho para o garoto se tornar um desejo do mais velho.

 

Hak pensava que Sunwoo tinha medo de o olhar, porque por muitas pessoas que o moreno passava ele cumprimentava, mas parecia que Ju era o único para quem ele se privava.

 

Na verdade, não era que Sunwoo tinha medo, era só que Ju Haknyeon parecia tão distante que ele acabou "desistindo". Os amigos diziam que Sunwoo deveria investir, por mais que fosse difícil no começo.

 

[...]

 

Era uma sexta-feira, Kim se preparava para uma festa de início de ano, tradição dos alunos do terceiro. Sunwoo procurava dessa vez estar impecável, afinal, confiava que nessa noite sua seca finalmente se encerrasse. 

 

Kim Sunwoo estava verdadeiramente belo, sua calça justa desenhando perfeitamente suas coxas bem trabalhadas, a camisa social branca larga, com sua parte frontal presa dentro da barra da calça e seu vans cano médio preto, que nunca saia de seu pé. E teria de admitir, se olhando no espelho agora, estava lindo. E ainda por cima cheiroso, com seu típico cheiro de frutas cítricas. Seu cabelo simples bagunçado, porém arrumado.

 

A festa bombava, teriam bebidas, algumas comidas, mas o principal: pessoas. Sim, naquela noite Ju Haknyeon sério o anfitrião da vez, sua casa era grande, portanto abrigava um grande número de jovens. Ainda era cedo, visto que apenas seus amigos estavam presentes, e alguns poucos alunos iam chegando, a música alta era exaltada das diversas caixas de som espalhadas pelo ambiente escuro iluminado apenas por algumas leds em diversas cores, uma verdadeira organização de dar inveja.

 

[...] 

 

Fazia cerca de uma hora que a festa havia começado, e com isso já contavam com alunos muito bêbados e a maioria dançando ao som das músicas brasileiras, da qual Hak mais gostava.

 

Sunwoo havia chega a cerca de 10 minutos, junto a dois de seis amigos, já que o resto estava muito ocupado para vir. O moreno estava na mesa de bebidas, se preparando para finalmente acabar com a sua seca, mas ao olhar ao redor infelizmente cruzou seu olhar com o tal Ju Haknyeon, aquele que estava tão longe, mas que agora parecia tão perto.

 

— Sempre me questionei do porque você nunca olhar pra mim. — Haknyeon se apoiou no balcão e disse sem olhar para o Kim, este que enchia seu copo pela quinta vez.

 

— Bom, você me parecia distante demais, e perto de você eu sou inexperiente. — Olhava com um sorriso o jeito do outro, naquela noite Ju estava mais bonito que a normal, a calça extremamente justa que deixava sua bunda bem maior e seu cropped em tons de verde, rosa e vermelho, aquele sim era o garoto mais bonito que ele já havia visto.

 

— Mas você nem percebeu... — Chegou perto de mais do ouvido do garoto, falando quase em um sussurro inaudível. — Que eu sempre estive próximo demais.

 

E o garoto saiu, simplesmente, se misturando na multidão que dançava, mas sem tirar os olhos do mais novo. Sunwoo foi atrás dele, claro que com aquelas palavras tudo estava claro, tinha as chances nas palmas das mãos, e não deixaria estas escaparem. Haknyeon dançava, rebolava, e provocava, e além de tudo se esfregava em outros que não era o Kim, este que já sentia seu corpo ferver enciumado, levando ele aonde Ju estava, encostando os corpos e dançando junto ao corpo mais baixo.

 

Se tocavam, vezes ou outra Hak passava sua bunda de propósito sobre a pequena elevação que tinha a calça de Sunwoo, na qual pode ver que ele tinha medidas grandes, que fez sua boca salivar. 

 

Haknyeon estava cheio do contato tão simples, puxou o outro para o canto da escada, na qual não havia ninguém, e se encostou na parede, mantendo o corpo do mais alto o pressionando. Sunwoo ergueu o Ju, segurando suas coxas e juntando os lábios, as línguas não demoram a se encontrar, estas que se enroscavam e das fricções saíam estalos que faziam da ação a mais erótica possível. Hak já tinha perdido o ar, mas o beijo do moreno era tão viciante que era quase impossível quebrar o contato, ainda mais quando tinha as coxas apertadas pelas mãos grandes do mais alto.

 

— O meu quarto fica lá em cima, podemos usá-lo e acabar com a sua seca de uma vez. — Disse contra os lábios ainda conectados por um fio de saliva. — O que acha?

 

Sunwoo não se deu ao trabalho de responder, apenas o puxou escada acima, indo em direção ao quarto principal, que possuía uma cama coberta por tecidos de tom azul e aparentava ser muito convidativa.

 

Sem sequer um pingo de carinho, jogou o corpo menor com brutalidade sobre o colchão, enquanto tirava a própria camisa exibindo seu corpo parcialmente forte, os olhos de Haknyeon brilharam com a visão. Kim voltou a juntar os lábios, se apoiando sobre o corpo de Ju, que era pressionado causando um aumento de temperatura crescente. E como se não bastasse, Sunwoo ainda fazia questão de esfregar os membros contidos pelas roupas.

 

— Precisa de ajuda com as roupas hyung? — Dito e feito, arrancou os tecidos do corpo menor, deixando-o apenas de boxer, que denunciava a ereção contida.

 

Sunwoo levou uma das mãos ao pau já melado de pré-porra que saia da fenda na glande rosada. Pressionava os dedos envolta, masturbando-o e com os lábios deixando grandes marcas vermelhas, que se tornariam roxas no dia seguinte, no pescoço e colo limpos do mais velho.

 

Kim arrancou as próprias calças, juntamente a boxer, podendo se livrar daquela "prisão", seu membro era grande e de uma grossura que fazia Haknyeon o encara com tamanho desejo. Mas Sunwoo não queria atenção somente para si, manteve Hak sentado na cama enquanto ajoelhava e ficava cara a cara com o cacete do outro.

 

— Poxa hyung, você é bem mais bonito ao vivo do que como eu imaginava ouvindo os outros falarem. — Passou a língua por toda a extensão, recolhendo todo o líquido que saía incontido da ereção.

 

Chupava apenas a glande com vontade, como se fizesse daquilo um pirulito com seu sabor favorito. Não demorou para que enfiasse tudo na boca, podendo senti-lo bater contra sua garganta, mas sem o fazer se engasgar. Ia e vinha com os lábios, enquanto massageava as bolas do Ju, este que gemia baixo e arrastado vendo a boca do moreno engolir seu membro de uma forma tão gostosa. Não se segurou ao colocar a mão no meio dos fios do Kim, estes que já estavam úmidos devido ao suor que sua nuca expelia.

 

— Não vai ser legal se você gozar só com isso hyung, venha, deixa eu fazer você sentir mais. — Haknyeon foi virado de costas pelo moreno, que agora estava de pé no final da cama, podendo aproveitar a vista que era a bunda de seu hyung ali exposta para si. Deixou um tapa, e mais outro, e mais outro, Hak sentia a ardência e gemia com deleite que era sentir as mãos grandes em choque contra sua pele sensível. — Deixe-me ver o que você tanto guarda hyung.

 

Ju abriu as pernas, dando vista do cu apertadinho que piscava implorando por atenção, e o mais novo não hesitou. — Chupa pra mim hyung. — Esticou dois dedos na direção da boca de seu hyung, que os abrigou com agrado, lambuzando-os com saliva até estarem o mais melados possível. — Ah hyung você parece tão apertado.

 

Penetrou dois dedos de uma vez, sentindo a pele se contrair com a invasão repentina. Entrava e saia com os dedos, ouvindo seu hyung gemer com vontade enquanto abria cada vez mais as pernas.

 

— Aah S-Sunwoo seus dedos são t-tão... Bons. — Quase gritou ao ser tocado na próstata, se estava bom com apenas os dedos, imagina com o tamanho que o outro tinha.

 

— Acho que você já está pronto né hyung? — Penetrou seu pau, vendo-o ser engolido pelo cuzinho já preparado do Ju, este que rebolou afirmando que o moreno podia começar a se movimentar ao mesmo tempo que gemia sem pudor. — Tão apertado e quente. _Caralho_.

 

Ambos gemiam em êxtase, as respirações já não tinham mais ritmo, e as vozes saiam em completa bagunça.

 

— P-Por favor... Aah vai mais f-fundo. — Haknyeon não formava mais nenhuma frase sem gemer alto, palavras desconexas era proferidas, e se misturavam junto a voz grave do Kim. — Aah! Aí mesmo. — Gemeu alto para quem quisesse ouvir quando sua próstata foi tocada.

 

A sensação de ter o próprio pênis tocando o ponto doce do Ju era incrível, as paredes do interior alheio apertando-o era um dos principais motivos para gemer. E ouvir seu nome sair da boquinha linda que Haknyeon tinha já eram suficiente para sentir seu baixo ventre formigar. Suas bolas iam de encontra a pele suada do mais velho, enquanto sua mão ia de encontro ao falo esquecido do outro. Masturbava-lo no mesmo ritmo que o fodia, e aquilo era ainda melhor fazendo Ju gemer alto quase gritando.

 

— A-ah S-Sunwoo! Eu vou gozar. 

 

— Eu estou quase. — Apertava a cintura do Hak, deixando sua mão bem marcada, e pode sentir um líquido melar a outra, Haknyeon tinha chegado a seu ápice sujando o lençol abaixo de si, mas não cessou os movimentos até que Sunwoo pudesse chegar ao próprio limite, enchendo o interior apertado do outro com sua porra quente, que era expelida em formar de jatos.

 

Os jovens caíram cansados no colchão.

 

— A gente deveria ter feito isso antes. — Disse o Ju se apoiando no peito apressado do outro.

 

— Concordo, mas não deixou de ser bom.

 

— Enfim, sua seca acabou eu acho. — Riu nasalmente sentindo uma mão em meio a seus fios bagunçados.

 

— É verdade. Mas, apenas por hoje. — Sunwoo sabia que depois daquilo demoraria a pegar outras pessoas, ainda mais sabendo que provavelmente seria o assunto da semana em meio aos corredores.

 

— Se depender de mim, ela nunca mais volta. — Haknyeon escorou o corpo, de modo que alcançasse os lábios alheios, iniciando um beijo calmo.

 

E os dois permaneceram ali, aproveitando o pós-sexo, enquanto a festa rolava solta no andar de baixo.


Notas Finais


Eu tô pensando em fazer uma fic dessa pwp mas não sei, caso queiram por favor comentem, mas apenas conseguirei fazer shortfic.

Espero que tenham gostado meus amores, eu tô com vergonha mas enfim, não postei ontem porque tive uns problemas e deixei pra hoje.

de xoxofana


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...