História A Second Chance - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Cameron Dallas, Jack & Jack, Sam "Wilk" Wilkinson
Personagens Cameron Dallas, Jack Gilinsky, Sammy Wilkinson
Tags Magcon
Visualizações 35
Palavras 3.276
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


a
leiam, espero q gostem ❤

Capítulo 10 - I'm Sorry, Cameron.


Fanfic / Fanfiction A Second Chance - Capítulo 10 - I'm Sorry, Cameron.

Meus passos estavam em ritmos normais mas tudo parecia como uma câmera lenta, eu via tudo devagar e eu não sei sabia o porquê daquela sensação. Sorri para o pessoal e o cumprimentei-os, pairando meu olhar em Cameron. Ele engoliu seco e voltou a sua atenção pra qualquer coisa que não fosse eu. Já sentada ao lado de Matthew, começamos a conversar.

- Eu pensei que você não viria, sabe como é né?! - Ele diz e eu rio.

- Na verdade não sei, me explique. - Apoei o queixo em minhas mãos e o encarei curiosa esperando que ele me respondese.

- Minha abordagem foi um tanto estranha, não sabia que você ia dar ouvidos para um estranho e aparecer aqui hoje. - Ele fala tímido e eu sorrio.

- Bom, você queria uma amiga e seu pedido foi concedido. - falo e jogo o cabelo pro lado, rindo e mostrando convencimento da minha parte.

- Sorte a minha então Ari, me sinto lisonjeado em ter sua amizade. - ele diz formalmente e eu gargalho alto, chamando atenção de todos na mesa.

- Já estão assim? - Gilinsky pergunta nos encarando e eu franzi a sobrancelha.

- Amigos mais que tudo? - perguntei

- Mas é claro. - Matt completa e me abraça e nós rimos.

Ele era incrivelmente imprevisível e a cada palavra vindo dele eu ria, até minha barriga doer. Pedimos pizza - mesmo que lá fosse um restaurante especializado em hambúrgueres havia pizza também -, eu pedi doce e o resto dos garotos pediram outros sabores salgados. Eu conversava com geral e Cameron continuava quieto, silencioso, soltava alguns risos e sorrisos mas não conversava com ninguém muito sério. Com certeza eu era a causa, eu havia feito merda e estava feliz por Sammy não estar ali hoje.

- Sabe, a bunda dela é tão grande que dá pra morar. - Johnson diz suspirando e todos soltam gargalhadas. Eu arregalo os olhos e quase cuspo a pizza.

- Eu só queria saber onde a Lox está... - disse pra mim mesma, mas Matt que estava do lado parecia ter ouvindo.

- Ariel, mais alto por favor, não entendi nada. - Matt diz.

- Mas não falei pra você... - Ele levanta uma sobrancelha com expressão de tipo "ok, mas fala pra mim".

- Tá bom. Lox saiu e não voltou até agora, to me sentindo deslocada no meio de tantos garotos e essas meninas que são desconhecidas... - Soltei tudo e ele semi-serrou os olhos pra mim, observando ao redor e parecendo planejar algo.

- Vamos resolver isso então, tenho uma idéia. - Ele riu malicioso, suspirou fundo e disse. - Então gente, vamos animar um pouco né?! - fala chamando a atenção de todos. 

- Manda ai, Matt! - Gilinsky se aconchega melhor na cadeira e o encara.

- Vamos brincar de "Eu nunca". Você soltam uma frase do tipo "Eu nunca comi azeitona" e quem tiver feito, bebe isso. - Ele diz e tira uma garrafa de vodka de uma mochilinha. Que? Por que diabos ele andava com uma mochilinha e com bebida dentro???? - Uma maneira de nos conhecermos melhor e animar, só pizza é chato.

- Tô dentro! - Gilinsky é o primeiro a responder com um sorriso aberto formado em seus lábios.

- Aceito. - Cameron diz e me fita. Ele parecia querer tirar algo de mim. Todos concordaram e eu também, não tinha pra onde fugir e, talvez odiasse o Matt por me fazer beber em plena terça feira e em um restaurante de hambúrguer/pizza/milkshake lotado. Não me responsabilizo por nada, a culpa será dele.

- Eu dei a idéia, eu começo! Eu nunca fumei maconha. - Ele joga e os garotos se encaram e dão de ombros. Gilinsky, Nate, Nash, Shawn e duas garotas das quais não conhecia beberam um pouco de vodka. Céus, quanta gente...

- Eu nunca broxei. - Gilinsky diz sorrindo e os meninos reclamam. Cameron, Matt e Taylor bebem e os garotos caem na risada, inclusive eu que não aguentei aquela cena.

- Eu nunca peguei meu melhor amigo ou amiga.- Uma das garotas diz. Shawn, Nash, uma das garotas bebem. Eu também, e Matt e alguns dos meninos me encaram confusos.

- Que foi? - perguntei e eles riram.

- Qual é Ariel, pensava que você era mais guardada. - Nash diz e eu rio.

- Acontece né..- Rio e dessa vez Aaron diz.

- Eu nunca transei. - Ele fala e os garotos os encaram confusos, ele bebe uma dose em seguida. - Calma gente, só uma afirmação falsa... - duas das três garotas bebem e todos os outros. Eu também e novamente todo mundo me olhou torto.

- Que foi gente? Vocês também transaram e eu não olhei assim... - Falo e os garotos riem, inclusive as meninas que eu não conhecia.

- A cada frase Ariel revela quem ela é por trás do rostinho meigo... - Matt diz e eu lhe dou um tapa no braço, ele geme de dor e eu gargalho.

- Eu nunca peguei o Cameron. - Taylor diz e eu rio, que pergunta mais estranha. Todas as garotas bebem e eu arregalo os olhos. Todos me olham e eu passo essa, eu nunca havia beijado ele.

- A gente podia repetir a dose né Cam? - a loira diz colocando a mão no ombro dele e ele ri e tira a mão dela.

- A bebida já está no fim, deixa pra quem quer... - Ele fala e eu me seguro pra não rir, que fora.

- Por que, não gostou? - ela pergunta maliciosamente e eu mordo um pedaço de pizza na tentativa de não rir.

- Figurinha repetida não completa álbum. - Ele diz e ela bufa de raiva. Todos riem e ela levanta, eu rio também da frase mas aquilo me intrigou. Eu não sabia que ele era... assim.

- Eu podia dormir sem essa....

- Depois dessa aí eu saía daqui, que mico. - Todos começam a falar e a garota parecia um tomate de tão vermelha e em pé ainda... Ela sai andando e ninguém liga para aquilo. Que maldade.

- Voltando aqui, minha vez. - Carter diz. - Eu nunca quis beijar a Ariel até perder o ar. - Ele diz e eu o fito. Quê???

Eu não sabia se ria, se brigava com ele ou se me enterrava ali mesmo. Gilinsky foi o primeiro a tomar a dose e eu quase engasguei. Depois Taylor, o Carter mesmo, Nash, Nate, Aaron, Johnson, uma das garotas, Shawn e Cameron.

- Ok, agora vocês me deixaram sem graça.... - Digo e todos riam e a garota que bebeu a dose me encara diferente. -Mas bom, minha vez. - Falo e todo mundo parece parar tudo para me olhar e aquilo era um tanto constrangedor, certamente não estava acostumada. - Eu nunca senti atração pó mesmo sexo.- Digo e todos se encaram. Duas das três meninas bebem, eu bebo e Aaron.

- Como assim cara? - Carter o encara.

- Que estranho... - Nash fala e Aaron ri, mas muito mesmo.

- Me erra gente, vai me dizer que nunca tiveram vontade pra saber como é? - Aaron pergunta pros garotos e eles negam e depois riem novamente, alguns ja estavam um pouco alterados e eu, intacta.

- Eu nunca amei alguem de verdade e quebrei a cara no final. - Taylor diz e o clima fica tenso. Cameron, Nate e eu fomos o únicos a beber e eu estranhei. Como assim, ninguém nunca se apaixonou e se ferrou depois?

- Eu nunca tive sonhos eróticos com o Shawn. - Taylor fala e todos se olham estranho. As meninas tomam e Shawn arregala os olhos pra elas.

- Taylor só serve pra me deixar constrangido.... - Shawn falou jogou a cabeça na mesa. Aaron bebeu.

- Aaron? - os meninos perguntaram e ele deu de ombros.

- O que que tem galera? A gente não escolhe o que sonha né?! - Ele diz e eu caio em gargalhada, chamando a atenção de todo mundo.

- Parece até um porquinho da Índia.... - Matt zoa minha risada eu me irrito, dando um tapa em seu ombro novamente. - Qual é Ariel, pega mais leve..

Os meninos começaram a falar mais besteiras, frases idiotas e quase todos beberam mas eu continuava ali, sóbria. Parece que meu estômago é bem forte.

Eu até havia descoberto o nome das meninas, a loira que levou o fora se chamava Emma, e as outras morenas Íris e Blair. Taylor pegou a Blair pela mão e os dois foram "no banheiro", Matt bebeu muito até, ficou chapado e Lox não tinha aparecido ainda. Cameron levantou e disse que iria ficar um pouco lá fora e essa era a minha chance, levantei também e fui pagar uma garrafa d'água pra disfarçar pra conseguir ir lá fora, e fui. Ele atravessou a rua e foi para um parque que tinha do outro lado, estava vazio, ele se sentou em um balanço e ficou lá no celular. Atendeu uma ligação e eu fui até ele sentando no balanço ao lado. Ele percebe minha presença mas finge que não.

- Sabe, antes era você do meu lado tentando pedir desculpas na arquibancada da escola. Você foi bom nas palavras, mas eu não sei exatamente o que te falar. - Digo respirando fundo esperando um "Vá te foder Ariel!". Mas ele riu fraco e virou o rosto pra mim.

- Que tal um: "Me desculpe Cameron, fui babaca mas to aqui pedindo desculpas porque não resisto ao seu charme!" - Ele diz tentando imitar minha voz e eu caio na risada. Nunca que minha voz era assim.

- Que isso... É por que eu estou errada mesmo, e não quero esse clima entre a gente, mas você se precipitou também, não é? - Pergunto e ele me olha fixo nos olhos com seriedade.

- Bom, talvez. Na verdade prometi a mim mesmo que não iria mais falar com você e cá estou aqui... - Ele diz e cruza os braços, parecia bravo com si mesmo.

- O que você quiser, Cam. Mas eu vim aqui pra te pedir desculpas por ter agido daquela forma aquele dia e não ter te explicado. Sabe, ele pediu desculpas e eu não aceitei mas ele falou umas coisas e eu percebi que peguei pesado com ele... Só vim aqui falar isso por que eu gosto de você e você é importante pra mim. - Falo e o silêncio se instala ali. - Bom, vou entrar. - Digo e me levanto. Meus passos pareciam pesados e eu estava meio decepcionada por ele não ter aceitado minhas desculpas, mas acontece ne?

- Não, Ariel. - Escuto sua voz e sinto uma mão no meu pulso. Era como um choque, eu me assustei e me virei pra ele, nossos rostos estavam a centímetros e meu coração quis acelerar. - Ta tudo bem, calma, eu te desculpo. - Ele ri fraco e abre o maior sorriso, eu retribuo e ele me abraça. - Só não faz mas isso. - Ele ri e eu desfaço o abraço. - Amigos de novo? - Pergunta.

- Amigos. - respondo e ele sorri. Eu juro, poderia ficar uma noite inteira observando aquele sorriso.

Atravessamos a rua e entramos rindo de algumas bobeira que ele disse, me sento ao lado do Matt e ele volta ao lugar dele.

- Pelo jeito as coisas estavam boas lá fora ein... - Emma diz arqueando as sobrancelhas e rindo com deboche. Ela se referia a mim e a Cameron.

- Só conversamos. - respondi e ela me encarou, parecia querer um desafio.

- Se fosse só conversa poderiam ter feito aqui no meio de todos. - ela diz e todos a encaram, principalmente eu. Ela quer arrumar briga?

- Assim como se eu quisesse beijar ela eu teria feito na frente de todos, podíamos conversar aqui dentro mas o assunto diz respeito a eu e ela.Apenas. - Outro fora, todos riram dela e novamente ela ficou vermelha como um tomate, mas dessa vez não se levantou.

- Emma, você é escrota mas eu te comeria. - Matt fala bêbado e todos riem.

- Sabe, acho melhor nós irmo, Emma. - Íris diz e a loira concorda, as três levantam e saem pela entrada principal.

- Ainda bem que essas doidas foram embora, não iria aguentar ficar aqui com elas. - Ouço uma voz feminina e reconheço.

- Sabrina!! - Digo e me levanto. A recepciono com um abraço e ela se surpreende ao me ver ali. - Não sabia que você viria. - comento e ela sorri convencida.

- Bom vocês sabem, estou por todos os lugares. - ela diz e todo mundo ri. Ela ocupa o lugar de uma das garotas e Lox resolve aparecer. Ofegante, descabelada mas plena.

- Cheguei!! - Ela diz e eu rio. Ela tinha essa mania de sempre fazer isso. Ela estava acompanhanda de um garoto moreno, ele tinha um sorriso simpático. - Gente alguns conhecem, mas pra quem não conhece esse é o Jacob. - Ela apresenta ele e o olha, com uma olhar diferente. Eu tinha certeza que era ele, o melhor amigo que ela gostava. Ela se sentou do meu lado e me observou sorrindo.

- Essa demora foi pra dar uma "rapidinha" que foi demorada com o Jacob, senhora Mahogany Lox? - disse brincando e ela arregalou os olhos. Apenas nós duas ouvimos.

- Eu te Mato!! - disse já corada. - Mas não, ele não chega nem a me notar, ainda mais uma rapidinha... - ela diz fazendo biquinho e eu caio em gargalhada.

- Então você quer? - pergunto.

- Não.. Quer dizer, talvez. Ah foda-se, se um dia acontecesse eu gostaria mesmo. Ela diz dando de ombros e continuamos rindo. 

- Sabe, eu podia fazer uni-duni-tê e chegar pegando alguma daquelas gatas ali da mesa oito. - Matt diz e sorri cafajeste.

- Matthew, aquela mesa só tem mulheres já de "idade". - disse e comecei a gargalhar. 

- Para de zoar com a minha cara... Não é por que estou bêbado que você tem que manipular minha mente e dizer que são idosas, eu vou pegar!! - Ele diz e levanta, todo mundo cai na risada e eu fico séria. Não acredito que ele faria aquilo. 

   Dito e feito, ele chegou até a mesa. Rouba uma batata e senta na mesa, rouba um beijo de uma das velhas e a outra joga um guarda-chuva nele. Ele começou a discutir com as senhoras e ninguém sabia o que fazia. 

- Cara, vão expulsar ele daqui se continuar brigando com as velhinhas, alguém faz algo por que eu não piso lá. 

     Levantei em passos largos e rápidos e fui até onde ele estava. Puxei seu braço e tentei tira-lo dali. 

- Você não sabe o que é se apaixonar, não me xinga por que eu não te assediei!! - Matt diz e eu me seguro pra não rir. 

- Eu já tenho meus sessenta e oito anos, vaza daqui moleque. - uma da senhoras diz e eu arregalo os olhos. - E você também, pedaço de merda, puta!! - Ela diz e eu olho confusa, sério isso? 

- Não xinga a Ariel, puta é você!! - Ele diz já embriagado e me puxa pra fora. - Vamos sair daqui Ariel, vamos pra igreja nos casar e vamos mostrar pro mundo o que é o amor. 

- Quê? - Pergunto e rio. Aquilo não podia estar acontecendo, não mesmo. 

- Sabe, eu tava tão apaixonado por ela e ela me trata assim... - Ele diz já chorando e eu me seguro pra não rir. Mesmo que fosse idiotice eu não podia ser insensível. - Vamos pro meu carro, você dirige. E me leva pra casa. - Matt fala bravo e com os olhos cheio de lágrimas. 

- Tá bom, meu amor. Mas não fica assim, ela não te merece ta? - digo e o abraço, ele chora no meu ombro e eu fico sem saber o que fazer. - Vamos, entre no carro e me dá seu endereço. - Ele me dá o endereço e senta no banco da frente ao meu lado. - Está melhor? - pergunto. 

- Não, eu nunca amei alguém como amei ela. - Ele diz e eu me seguro. Não posso rir. - Sabe, casar, ter a nossa casa, fazer muitos filhos. Mas ela me trata mal e nos xinga, ainda mais você. Você foi a melhor pessoa que eu conheci, mesmo que conheci hoje. 

- Que lindo Matt, obrigada, mas tenta não pensar nisso, já passou. Amanhã você nem vai lembrar. - Digo e ele não responde. Sigo o caminho e olho pro lado, ele havia adormecido no banco.Depois de alguns minutos chego onde o endereço indicava. Uma casa grande, iluminada e com um Jardim lindo, acordei ele. - Hey, Matt. - cutuquei-o e ele abriu os olhos já inchados. - Chegamos, você mora sozinho? - pergunto. 

- Sim, a chave está no porta-luv... - Ele diz e adormece de novo. Droga, teria que me virar com uma casa vazia e um bêbado adormecido. 

  Desci do carro ja com as chaves no bolso da minha saia e a chave do carro também. Dei a volta e abri a porta do Matthew, peguei ele apoiando em meus braços - coisa que deu muito trabalho - e encaminhei até a porta. Ele estava meio acordado, meio dormindo, então ficou em pé sozinho enquanto eu tentava abrir a porta, acho que encaixem a chave errado. Abri a porta e subi as escadas, entrei no quarto que ele apontou e deitei ele na cama dele. 

- O que eu faço com você agora, meu querido? - Pergunto e ele resolve me responder com os olhos fechados. 

- Banho, cama.. 

  Bufei e levantei, ele estava me dando trabalho até demais. Levantei ele dá cama e levei ele pro banheiro. Ajudei ele a tirar as roupas ficando só com as roupas íntimas, liguei o chuveiro na água gelada e coloquei ele ali embaixo. 

- Tá muito frio, sua maldosa. 

- Amanhã você me agradece. - falo e saio do banheiro, pego algumas roupas dele e coloco em cima da pia. Ajudo ele a terminar o banho e deixo ele se trocar sozinho. - Pronto Matt? 

- Pronto, já acabei. - Ele diz e eu abro a porta levando ele pra cama. Parecia até uma babá, cuidando de um garotinho sapeca de sete anos. Bom, é o que parecia. Ele deita na cama e eu o cubro e olho pra ele. - Sabe você foi muito legal hoje, só te peço mais uma coisa.

- Pode falar, to aqui ainda, mas com sono. - respondo e ele pega na minha mão. Estranhei a atitude e observo ele com atenção. 

- Deita comigo até eu dormir? - Ele pergunta e eu rio fraco. Sabe quando chove com trovões, e uma criança pede pra você deitar com ela por que ela está com medo? Ele estava exatamente assim. Tirando a chuva, trovões e o fato dele ter seus quase dezenove anos. 

   Deitei ao seu lado e me cobri. Fechei os olhos e prometi a mim mesma, fico aqui até ele adormecer e peço um uber para ir pra casa. 

 Mas não foi bem assim, já que depois de uns minutos, cansada e com sono eu adormeci ao seu lado. Adormeci ao lado de um garoto que eu conhecia a um dia e que já considerava ele um amigo. 

- Boa noite, Matt. - Digo sonolenta e, sem perceber já dormia ao seu lado. 







Notas Finais


oi rsrs
eai o que acharam?? Da amizade deles.... me digam se gostaram ou não, nem que seja um "ODIEI ESSA VAGABUNDA DA EMMA"
"nossa que capitulo bosta". Bom, vou indo aqui.
Desculpe qualquer erro ortográfico
Kisses sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...