História A Second Chance - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Cameron Dallas, Jack & Jack, Sam "Wilk" Wilkinson
Personagens Cameron Dallas, Jack Gilinsky, Sammy Wilkinson
Tags Magcon
Visualizações 11
Palavras 1.897
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eae galeraaaaaa, mais um cap fresquinho e grande pra recompensar vcs, espero que gostem, bjbj a capa é a reação da Ari ao ver o Cameron dhsushsuhs

Capítulo 3 - You're my little girl


Fanfic / Fanfiction A Second Chance - Capítulo 3 - You're my little girl

          Ariel Mendson POV's


Aquela claridade toda entrando me incomodava, então eu abri os olhos e sentei na cama tentando me recordar de qualquer coisa que tivesse acontecido depois de eu sair em disparada da casa do meu "pai". Nada, eu só me lembrava de ter caído nos braços de alguém e aquele cheiro do moletom que eu vestia - que antes não estava - me era familiar. Respirei fundo e fui lavar o rosto e escovar os dentes e tentando assimilar tudo o que aconteceu e montando meus próximos passos. 

" Olá, a propósito bom dia. Não sei se você lembra mas chegou inconsciente aqui pedindo ajuda, bom, fiz o melhor. Suas roupas estão dentro dessa cômoda e eu estou saindo, até qualquer dia. 

- Cameron"

   Li e sorri automaticamente, vendo que ainda existia uma alma boa nesse mundo. Penteei meu cabelo e desci as escadas ao encontro da porta querendo ja sair dali e ir em direção a minha "casa". 

      - Ouch! - disse após a porta ter aberto na minha frente e ter batido na minha cabeça. 

     - Me desculpa, eu não te vi! - o garoto que eu supôs ser o Cameron me ajudou a levantar e eu fiquei constrangida ao ver o garoto dessa vez já sã, e acontecer algo do gênero. Ótimo Ariel, o dia já começou bem. - Eu não te vi, a propósito não sei se você viu o bilhete mas eu sou o...

- Cameron, sim, eu li e agradeço pela hospitalidade você me ajudou muito. - disse dando meu melhor sorriso e percebi que ele estava acompanhado por mais dois garotos que me encaravam confusos.

- Não, tudo bem, então esses são Sammy e Jack Gilinsky. - ele disse e sorrindo fraco, cumprimentei-os que logo me lançaram um sorriso.

- Oi meninos, então sou Ariel, moro a alguns quarteirões daqui. Entendo que você esteja confuso sobre eu aparecer aqui ontem, me desculpa mesmo, estava sem opções- disse sem jeito e ele me olhava de uma forma diferente, eu não sabia decifrar e eu só queria saber o que se passava na cabeça dele naquele momento.

Ele disse que tudo bem e logo em seguida me convidou pra almoçar mas eu estava muito envergonhada pra ficar no meio deles agindo como uma velha amiga. Andei até chegar ao meu destino, a mesma casa de sempre. Ao ficar frente a frente pra ela eu senti medo e uma confusão dentro de mim, lembrando da noite passada e me perguntando se ele me esperava lá dentro pra fazer algo pior. As portas estavam todas abertas e a casa estava silensiosa, limpa e quieta, e ele não estava ali pra minha sorte.

Corri pro sótão e peguei a grande mala que eu havia comprado a uns meses esperando o dia que eu conseguisse me livrar de tudo, tudo estava planejado e eu só estava esperando a hora certa de recomeçar tudo. Corri pro quarto e coloquei todos os meu pertences na mala, roupas, sapatos, produtos, maquiagens, usos de higiene, meu notebook e carregadores. Tudo que eu havia conquistado sozinha trabalhando a muito tempo, e provável que eu ganharia uma advertência por ter faltado hoje sem dar satisfação.

Droga!!

Eu havia esquecido do mais importante, subi novamente pro quarto e abri uma fresta escondida embaixo da cama, era meu dinheiro reserva/emergência que eu guardava a muito tempo.

Era hoje que as coisas mudariam seu rumo, e dessa vez não deixaria que passassem do limite.

    Cameron Dallas POV's 

Ariel havia indo embora e eu senti pena, por não ter conhecido aquela garota que parecia simpática antes.

- Cara, essa tal de Ariel é gata ein, fiquei nervoso só dela apertar minha mão. - Sammy disse arqueando as sobrancelhas e se jogando no extenso sofá, enquanto eu ria dele.

- Verdade, você devia tirar um proveito ja que ela passou uma noite aqui, se é que você me entende- Gilinsky disse mal-intencionado e me surpreendeu com aquilo, ela só era uma desconhecida.

- Vocês tem é que aquietar o facho de vocês galera, está cheio de garotas ai - disse rindo e ligando o video-game. - Rola uma partida? - disse desafiador.

- Quem ganhar os três rounds tem direito a pedir o que quiser. - Gilinsky disse e eu ri, certeza que aquilo acabaria em merda.

(... )

Uma semana depois que aquela garota havia aparecido aqui e aquele rosto e jeito dela não saía da minha cabeça.

Qual é Cameron, é so uma garota qualquer que você tirou algumas palavras e cuidou.

- Eu topo e você Cameron? - Johnson disse me tirando do transe e em seguida todos começaram a rir.

- Quê?

- A festa, cara- disse fazendo um sinal como se fosse óbvio.

- Que festa? - disse confuso.

- Eu não disse?! Ele ta estranho e desligado, aconteceu alguma coisa e ele não quer contar!! - Aaron contestou.

- Para de falar merda, bolinha. - Nash disse e em seguida todos riram. - Cara, hoje a noite, a festa do Sammy e do Nate! - ele disse e eu fechei a cara, eu só queria afundar minha cara do travesseiro e dormir por horas. - Qual é cara? Eles dão a melhor festa, você vai nem que for a força!

- Eu não disse que não vou, bro.

- Então você vai? - Gilinsky disse sorridente.

- Bom...

- É galera, ele vai. - Johnson me interrompeu.

- Não gente, mas...

- Te buscamos as nove irmão. - Shawn disse com seu sorriso galanteador e em seguida todos se levaram em direção a porta.

Nada demais. Apenas uma festa idiota. Nada de errado pode acontecer, e hoje vou me esforçar pra curtir mais que tudo!


        Ariel Mendson POV's


Uma semana e eu sentia tudo no seu devido lugar. Consegui pagar três meses de aluguel adiantado no novo pequeno apartamento que aluguei, era só segurar ali até que eu conseguisse algo melhor, mas pelo menos eu estava longe "dele".

Meu dia estava bom demais pra ser verdade, em seguida apareceu uma mensagem dela. 

"Ola Baby estou de volta, dessa vez pra ficar. Espero que você esteja as 9:30 pm no restaurante principal do centro, quero matar as saudades. Te vejo la, beijos. Você é a minha garotinha!! 

-Priscila Junk Mendson" 

Meu coração doeu e eu fiquei paralisada ao ler aquela mensagem. Mas também com raiva lembrando do passado onde ela estava e estragava tudo, mas eu nao poderia deixar de me levar por um encontro idiota. Era só me maquiar, por meu melhor vestido e aparecer lá sorridente como se tudo estivesse bem, como se a sua pouca presença ou sua total ausência na minha vida não tivesse feito diferença.

É Ariel, por uma noite você terá que fingir ser a garotinha feliz de sete anos atrás, eu nem lembro direito de seu rosto mas não há nada pra temer ou dar de errado nessa noite. Talvez se depender de mim, eu farei inferno com essa pessoa que acabou com a minha felicidade.


     (... )


Um vestido preto decotado, saltos bege e cachos nas pontas do meu cabelo. Maquiagem fraca e aquele falso sorriso, pra mostrar que todo esse tempo eu tive a melhor vida de todas. Tranquei o apartamento e pedi um táxi, logo chegando ao destino e respirando fundo pra não parecer nervosa por mais que meu hormônios estivessem a flor da pele e a raiva me consumia. 

   Música clássica, gente rica e aroma de lavanda invadia aquele restaurante, o mais caro da cidade. 

      - Boa noite, reserva as 9:30. 

     - Seu nome por favor? 

     - Ariel Adele Mendson.

    - Tudo bem, mesa 37. - disse me dando um cartão pra autorizar minha entrada. Quanto frescura, eu certamente não gostava desse tipo de lugar. 

   Já andando a frente e procurando a mesa, naqueles 10 minutos com o salto eu já não aguentava mais, certamente eu não era acostumada. Seus cabelos negros e corridos caíam nas suas costas e ela chamava atenção com seu vestido vermelho, e após olhar o número 37 na mesa eu tive certeza que era ela, aquela me me abandonou. Me aproximei da mesa e ela estava vidrada no celular, tossi para que ela percebesse minha presença e assim que a mesma se virou e me olhou sorrindo meu coração se fechou. 

     - Adele!! - disse levantando e me abraçando mas eu não correspondi o abraço. -  Sente-se. 

       - Oi. - disse seca me sentando e fitando ela, impecavelmente nova e bonita, como sempre. 

           - Como você está? - disse sorrindo e eu me perguntava como ela conseguia agir normalmente depois de tanto tempo e após o que ela fez comigo. - As entradas ja chegam, pedi salada ao molho branco, coma. 

         - Estou indo Priscila, e você, como foi esses anos todos fugindo da própria família? - disse séria a encarando e ela pareceu ter gelado. 

          -  Olha Ariel, eu tenho muito a explicar e por isso te trouxe no restaurante mais caro da cidade, observou como ele é lindo? - disse e pude ver seu olhar brilhar e percorrer todo o salão. 

        - Você acha mesmo que eu me importo com uma merda de restaurante? Você sabe como foi esses sete anos? - disse nervosa e ela revirou os olhos em forma de deboche. 

             - Não deve ter sido tão ruim, todo mês eu depositei uma quantia boa pra vocês virerem da melhor forma. - Ela disse me olhando e eu senti nojo por observar a pessoa que ela tinha se tornado. Materialista. 

            - Você ao menos se perguntou como que meu pai está? - Eu disse e ela ficou mais seria do que o normal, mas ainda bebendo seu vinho e comendo a salada como se estivéssemos falando de qualquer coisa. - Drogas. - proferi as palavras e ela cuspiu o vinho todo na mesa. - Embriaguez. - Ela me olhou perplexa. - A uma semana atrás eu quase fui morta e abusada. - disse e mostrei alguns roxos no braço. 

      - É mentira, você está mentindo pra mim garota. - Ela me olhou e riu. - Você não sabe ser verdadeira comigo uma vez filha? 

       - Primeiramente pra você nem filha eu sou mais, e segundamente, quando você brigou uma noite e no dia seguinte tinha desaparecido e deixado uma carta de adeus, ele enlouqueceu. - disse não tentando chorar - Ele primeiro começou a beber, depois se afundou nas drogas e mais pra frente os móveis da casa começaram a sumir. 

         - Eu não imaginava que.. 

       - É e você não imaginava sabe por quê? Porque você nunca se importou com alguém além de si mesma. - disse e me levantei da mesa. 

         - Eu fiz a coisa certa e não me arrependo. - ela disse alto se levantando e todos ao redor começaram a nós olhar. - Você foi um erro Ariel, você e seu pai, eu só quis me livrar o mais rápido que pude. - Ela disse seca e eu me manti forte, ela não me faria chorar de novo, nem ela nem ninguem. 

    Sai em disparada do restaurante, com passos rápidos e minha mão se fechou em forma de punho afim de socar qualquer coisa na minha frente. Andei alguns minutos e observei uma casa grande e festa acontecendo. 

  Era lá que eu iria entrar, e a mudança ia começar por ali, uma nova Ariel está por vir. 


          






  



Notas Finais


Gostaram? Me falem o que acharam
Desculpa qualquer erro ortográfico
Kisses zz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...