História A segunda destruição do inferno - Capítulo 15


Escrita por:

Visualizações 16
Palavras 892
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Harem, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Adultério, Canibalismo, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 15 - Agora virou bagunça.


"Oi Bruna. Vamos?"

A Bruna era muito bonita. Os cabelos eram pretos, a pele clara e tinha os olhos azuis. Era magrinha e um pouco menor que eu. A roupa que ela estava combinava com o estilo dela. Um vestido branco com um colete vermelho por cima. Estava de sapatilhas e com uma bolsinha, ambas vermelhas. Eu beijei ela e ela retribuiu meu movimento dando continuação ao beijo. Só paramos por falta de ar mesmo. Só depois disso que ela me respondeu.

"Vamos."

Ela estendeu a mão e eu peguei. Mas antes de nós sairmos ela deu tchau pra mãe que respondeu:

"Tchau filha, boa sorte."

Só pra brincar, eu resolvi falar com ela.

"Mas e eu dona Itália, não preciso de sorte?"

"Não! Essa coisa no seu bolso te protege."

Outra pessoa sabe disso velho! Porra! Daqui a pouco eu viro ponto turístico na cidade. "O filho da demônia" Não da pra acreditar mano. Mas eu tenho que saber o que ela sabe. 

A bruna ficou curiosa.

"O que é essa coisa no seu bolso André?"

"Nada demais."

Pedi pra Bruna esperar e não sair de perto da casa nem por um segundo, nem mesmo entrar na casa. Fui falar com a dona Itália.

"Do que você está falando?"

Eu não podia falar na cara dela a verdade. Vai que nós estivéssemos pensando em coisas diferentes.

"Não se faça de besta André! Sabe que é da capa que eu estou falando."

"E oque você sabe?"

"Que você não quer se livrar da capa e está pondo ela acima do seu pai. Que você está sendo injusto com o homem que te criou. Que não sabe a verdade por trás de toda história. Mas que não pode saber por não entender a profundidade por ser muito novo."

"OK vamos começar do começo. Primeiro: eu não posso me livrar da capa mas ele já me disse varias vezes que quer esquecer os erros do passado e pedir desculpas pro meu pai. Mesmo que até mesmo meu pai já tenha Me dito que quem é inocente nessa história é o Djall. Segundo até mesmo o meu pai já parou pra conversar com o Djall mostrando que ele pode sim ter um momento de paz ou até mais que isso com o Djall. Terceiro: eu não sei toda a história porque meu pai não quer contar mas eu sei que se eu perguntasse o Djall me contaria. Quarto: como você soube dessa história?"

"Eu quem ajudei seu pai a criar você garoto! Eu sei toda a história de vocês.E não vou te deixar destruir sua vida por causa de uma coisinha besta."

"A senhora está dizendo algo muito errado dona Itália porque essa coisinha besta aqui, faz parte do meu passado! Passado esse que eu não conhecia porque nem a senhora, nem meu pai quiseram me explicar nada sobre ele. Me diga agora dona Itália, se eu estou errado em querer conhecer meu passado!?"

"Sendo que esse passado pode te matar, então sim! Eu acho certo nós escondermos seu passado de você."

"Pois eu não e se vocês não me apoiarem nisso eu vou atrás do meu passado com o Djall e se tudo der certo com a bruna."

"Você não vai envolver minha filha nisso."

"Mas você se envolveu nisso."

"Me envolvi!? Não garoto. Eu nasci nessa vida. Fui nascida e criada no castelo do maior demônio de todos: Lúcifer. Mas depois de alguns acontecimentos, acontecimentos esses causados por Belzebu, tive que vir morar aqui"

"Quem é Belzebu?"

"Vai me dizer que não sabe? É o verdadeiro nome desse bicho no seu bolso."

"Você disse que nasceu no inferno, você também é um demônio?"

"Sou sim."

"E como é viver no inferno."

"É bom na área onde nós, demônios moramos e convivemos uns com os outros. Mas não quando se vive com o Belzebu. Ele traz azar a todos que ficam perto dele. Por isso e por outros motivos ele é conhecido como senhor das moscas. Cuidado com esse homem garoto. Não é bom pra você viver com ele."

Nós ficamos um tempo calados até que ela disse:

"Me dê a capa"

E eu dei. Quando ela pegou, começou a falar com Djall.

"Não quero muita conversa com você então vou te pedir duas coisas rápidas: prometa não tocar na Bruna nem se envolver na vida dela."

"Quanto a primeira promessa quero que você escolha melhor as palavras. Promessas são muito importantes no inferno e quebra-las pode ser algo mortal. Se eu prometer não encostar nela e ela tocar em mim. Eu serei punido de forma muito grave. Já sobre a segunda promessa eu não poderei jurar de nenhuma forma porque se eu precisar de algo dela para alcançar meus objetivos, Eu vou fazer isso. Portanto reformule seu pedido."

"Apenas não a machuque."

"Juro por minha ponta profana que não quebrarei essa promessa. Jure também garoto. Quero que fale assim: juro pela ponta profana de Belzebu que não quebrarei essa promessa."

Eu jurei e Itália simplesmente disse: 

"Podem ir."

E nós fomos.

Antes de voltar com a Bruna o Djall disse:

"Quero que antes de dormir você gaste bastante energia."

E eu disse sussurrando para ninguém escutar:

"Pode deixar porque se essa noite seguir como planejado eu vou gastar muita energia na minha cama com a Bruna."

E desci pro cinema com a Bruna.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...