História A Seleção - Príncipe Dorian (Interativa) - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção
Personagens Personagens Originais
Tags A Seleção, Ficha, Guerra, Interativa, Princesa, Rebeldes
Visualizações 54
Palavras 3.044
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olaar
Como estão? Bem, meus amores, esse capítulo demorou um pouco porque fui viajar e, infelizmente, as férias acabaram :( Fazer o que né...
Mas aqui estamos! Boa leitura!
Esse capítulo foi revisado em um estado sonolento, me desculpem qualquer erro bobo Haha

Capítulo 16 - Instabilidades


Fanfic / Fanfiction A Seleção - Príncipe Dorian (Interativa) - Capítulo 16 - Instabilidades

 

Maeve discretamente fazia alguns rabiscos em seu pequeno caderno de desenhos enquanto sentada em uma poltrona do Salão das Mulheres. A garota esboçava um carvalho que vira nos jardins do palácio, estando afastada das garotas que fofocavam sobre os convidados.

 A selecionada sorriu consigo mesma. Ouvira Luana delirar sobre os príncipes estrangeiros por quase toda a noite passada, e o assunto já a deixava um pouco enjoada. Ao ver Allyson se aproximando, Maeve fechou seu caderno discretamente e sorriu.

 - O que estava fazendo? -Allyson ergueu uma sobrancelha.

 - Matemática. -Maeve mentiu.

Ally soltou uma risada alta, e Maeve a acompanhou, agradecida por ela não perguntar mais nada. Não gostava de falar sobre seu hobbie, pois mesmo que gostasse de seus desenhos, não tinha tanta confiança nos mesmos.

 - Louise e a rainha estão chegando. -Allyson puxou a amiga- Nessa manhã temos aula de etiqueta.

 - O baile é amanhã? -Evie se levantou.

 - Já está apavorada? -Ally riu.

Maeve deu de ombros com uma careta engraçada. Teria que aprender a dançar logo se não quisesse passar vergonha. 

 - Eu estou interessada na comida. -Maeve suspirou.

Allyson concordou, guiando a amiga para mais perto da porta, quando a mesma se abriu. Louise entrou no salão, vestindo o terninho de sempre e com os cabelos ruivos presos em um coque. Ao seu lado estava a rainha, com um vestido vermelho escarlate longo e cabelos presos pela coroa de brilhantes.

 - Bom dia, senhoritas. -Louise olhou em volta do salão- Como vocês sabem, o baile é amanhã, e vocês terão algumas orientações.

Todas as garotas pararam o que estavam fazendo e se alinharam, inclusive Maeve. A rainha, vagarosamente, se aproximou da fila.

 - Bom dia. -ela deu um pequeno sorriso- O baile está se aproximando, e ele pode significar o último dia de vocês neste castelo, dependendo de suas ações.

A rainha olhou para cada garota, como se as examinasse. Maeve ergueu as sobrancelhas. Seria o baile a primeira prova? Ouvira Louise falar sobre provas e etapas que caso alguma selecionada não obtivesse o resultado exigido, seria mandada para casa. Independente da relação que tinha com o príncipe.

 - É por esse motivo que vocês devem tomar muito cuidado. -a rainha enfatizou as últimas palavras- A imprensa não será permitida no castelo, apenas alguns jornalistas, mas algo sempre pode acabar se tornando público. 

 - Tomem muito cuidado com o que dizem, suas palavras podem ser manipuladas para terem significados...obscuros. -Louise completou.

Maeve e Ally trocaram um olhar. Por este, ambas entenderam que tinham o mesmo plano de evitar jornalistas.

 - E, algo muito importante. -Louise cerrou os olhos- Teremos muitos convidados homens. Tomem cuidado consigo mesmas e com eles, ou as coisas podem acabar indo mal.

 - Lembrem-se, vocês pertencem ao príncipe Dorian, pertencem a nós. -a rainha inclinou a cabeça- Podemos dar a vocês a punição que preferirmos por pensarem que essa Seleção é uma brincadeira.

Maeve estremeceu. Trair o príncipe definitivamente não estava em seus planos, mas aquela ideia lhe parecia macabra. Ela riu internamente de seu pensamento. Seria isso realmente macabro em um reino que envia crianças a prisões tóxicas para mineirar carvão? , ela pensou.

Louise bateu palmas, quebrando o longo silêncio que passara-se após a fala da rainha.

 - Teremos mais uma aula de etiqueta hoje. -Louise sorriu- É hora de colocarem em prática tudo o que aprenderam. E terão ajuda.

De um canto da sala, uma figura esbelta caminhou até Louise. A garota de pele escura e cabelos negros cacheados vestia um vestido azul longo. 

 - A princesa da República Norte-Africana, Adanna Kanye, nos acompanhará.

Maeve arregalou os olhos. Teriam uma aula de etiqueta com Adanna Kanye, a princesa que ocupava páginas inteiras de revistas apenas por sua beleza e elegância.

 - Prazer em conhecê-las! -a princesa sorriu.

 Todas as garotas sorriram, e Maeve percebeu a pontada de inveja no rosto de algumas delas.

 - Então... -Louise sorriu- Vamos começar!

 

*

 

Maeve tentava manter as costas eretas enquanto bebia uma xícara de chá. Louise observava sua postura, procurando por defeitos.

 - Ombros um pouquinho mais para trás. 

Maeve obedeceu. Sua postura natural não era ruim, mas também não era perfeita, e ser perfeita era muito difícil. Ver a rainha e a princesa Adanna conversando, com aquela postura perfeita e sorrisos abertos, como se fosse natural, a fazia entender a inveja das outras garotas.

 - Lembre-se de sorrir. -Louise disse ao ver Evie observando a dupla- Atrairá a atenção das pessoas para seu rosto. Não é fácil ficar ereta sempre, mesmo que alguns pareçam fazê-lo sem nenhum esforço.

 Maeve abriu um sorriso exagerado de agradecimento para Louise, que quase riu. Para a garota, sorrir não era assim tão difícil, então tentaria manter os olhos das pessoas em sua face, mesmo que não quisesse ser reparada.

 Seguindo as instruções de Louise, Maeve se levantou, com as costas ainda eretas, e caminhou da maneira mais elegante que conseguia, com as mãos juntas na frente do corpo e cotovelos dobrados.

 - Arrasou!

Maeve se virou para Luana, que estava caminhando com três livros na cabeça.

 - Isso funciona? -Evie ergueu uma sobrancelha.

 - Louise disse que estava pior do que o normal. -Luana riu- Mas eu já peguei o jeito, ela me olhou com aprovação.

Maeve riu. Pelo menos não havia nenhuma garota com um cabo de vassoura nas costas, como Louise ameaçara fazer.

  - Por que eu deveria sorrir mesmo não estando necessariamente feliz?

Maeve olhou para o lado, vendo Mackenzie e Louise juntas. Mackenzie tinha uma postura tão perfeita quanto a da rainha. Evie pensou em como a selecionada se destacava nos treinamentos e aulas, percebera que ela aprendia rápido. Mas, realmente, nunca a viu dar um sorriso sincero.

 - Formem duplas. -Louise levantou a voz- Maeve, você venha com a senhorita Mackenzie.

Maeve assentiu. Aproximou-se da garota, e sentaram-se em uma poltrona. Maeve nunca conversara com Mackenzie, e mesmo que não tivesse medo de começar uma conversa, se sentia apreensiva. Porém, se convenceu a quebrar o silêncio.

 - De onde você vem, Mackenzie? -Maeve sorriu.

Ótimo começo, ela pensou consigo mesma, ironizando.

 - Um lugar pequeno.

Maeve assentiu. Começara com uma péssima pergunta, sabia disso. Mas não ia desistir.

 - Louise quer que você sorria? -perguntou.

 - Exatamente.

 - Eu posso saber porque não sorri?

 - Eu não quero parecer uma idiota.

Aquilo foi como um soco no peito de Maeve, que sentiu as bochechas corarem. Sabia sobre seu hábito de viver sorrindo, e não entendia se a intenção da garota era lhe atacar.

 - Ah, não foi isso o que eu quis dizer. -Mackenzie falou de maneira mais suave- Eu acho idiota sorrir só porque alguém manda, certas coisas devem ser espontâneas. Como eu acredito que você seja.

Maeve soltou uma risada.

 - Que alívio! 

Evie percebeu que a boca de Mackenzie se curvou um pouco. Acabara de ver um sorriso da garota. Um sorriso minúsculo, mas que ainda era um sorriso.

 - Eu vi! Seu sorriso! -Evie brincou.

 - Você tem bons olhos.

 - Você deveria mostra-lo para Louise, ela adoraria vê-lo. 

O sorriso minúsculo de Mackenzie aumentou um pouquinho, fazendo com que o sorriso de Maeve abrisse ainda mais.

 

***

Dorian se espreguiçou na poltrona da sala de jogos, observando o tabuleiro de xadrez. Kaito e Yeo se encaravam, estando o mais velho com um sorriso provocante no rosto, observando a testa do irmão mais novo se franzir.

 - Por que eu tenho a sensação de que você vai ganhar de novo, Yeo? -Kaito murmurou.

 - Porque você ainda não aprendeu a raciocinar antes de se empolgar com uma brecha. -Yeo ergueu a sobrancelha.

 Ao lado de Dorian, William riu baixinho, com um jornal em mãos.

 - O jornal está interessante hoje, Will? -Dorian cruzou os braços.

 - Parece que houve uma revolta nas fronteiras de Ceffuzia. -Will murmurou- Dezenas de civis foram mortos.

Dorian sentiu um calafrio percorrer sua espinha. Aquele tipo de notícia era bem comum, mas ele não conseguia se acostumar em ouví-las.

 - Eu vou te matar e usurpar seu trono.

Dorian olhou para Kaito, que mantinha os olhos cerrados encarando o irmão. A única peça do tabuleiro que pertencia a ele estava cercada, e qualquer movimento que tomasse levaria a derrota.

 - Tente. -Yeo tinha um sorriso brincalhão nos lábios.

 - Eu tirarei minha própria vida. -Kaito retirou sua única peça do tabuleiro- É melhor do que morrer pelas mãos de meu inimigo.

 - Sabe que isso é contra as regras, não é? -Dorian o olhou.

 - As regras não importam.

Dorian revirou os olhos, e Will soltou um sorriso, enquanto Yeo ainda mantinha a expressão brincalhona no rosto.

 - Isso me faz imaginar que cada peça tem uma história de vida emocionante. -Will olhou para o tabuleiro.

 - Mas no fim, são apenas peças. -Kaito murmurou.

 - É como uma guerra. -Yeo cruzou os braços- Você tem que eliminar as peças do inimigo, mas tentar ao máximo manter as suas vivas.

 - Aula de estratégia militar, artigo dois. -Dorian murmurou.

O silêncio tomou conta da sala. Em um encontro de futuros líderes de grandes nações, guerra era um assunto sensível, pensou Dorian. A falta de som foi apenas quebrada após um barulho de saltos altos contra o mármore.

 - Bom dia, queridos!

Aurora entrou na sala, seguida por Adanna. A primeira sentou-se no braço da poltrona de Dorian, enquanto Adanna permaneceu em pé.

 - Bom dia! -Adanna sorriu.

 - Bom dia, querida! -Kaito sorriu, de modo galanteador- Por que não se senta aqui?

 Adanna revirou os olhos ao vê-lo dar tapinhas no braço de sua poltrona.

 - Olha só, você mal ficou envergonhada! -Kaito sorriu- Que progresso!

 - Kai. -Yeo o olhou com reprovação.

 - Está tudo bem, Yeo. -Adanna deu um leve sorriso- Eu já me acostumei, essa brincadeira é velha.

 Dorian se lembrou de como Kaito começara a agir daquela maneira, após surgir uma possibilidade de que ele e Adanna poderiam acabar tendo um casamento arranjado. Na opinião de Dorian, era um arranjo impossível, e eles pareciam concordar com aquilo.

 - Falando sobre isso. -Aurora cruzou as pernas, deixando as coxas a mostra pela fenda do vestido azul- Judy realmente vai se casar com o príncipe Ian? 

 - Talvez. -Dorian respondeu, levantando os olhos para o rosto da princesa- A aliança está sendo forjada.

 A princesa franziu a testa, e Will virou uma página de seu jornal.

 - E você, Aurora? -Kaito a olhou- Não vai se casar?

 - Cróton possui alianças fortes e fronteiras protegidas. -ela o olhou- Casamento arranjado é a última das minhas preocupações. E você, Kaito?

 - Já que Adanna não me quer, eu apenas tenho que esperar até conhecer uma garota legal. -ele sorriu.

 Aurora soltou uma risada baixa. A princesa olhou para Adanna, de sobrancelhas erguidas.

 - E sobre a sua coroação, Adanna... -ela começou- Quando será?

 - Foi adiada para daqui a um ano. -a princesa respondeu.

 - E isso tem algo relacionado à casamento? -Dorian a olhou.

 - Não. -ela negou- Não devo estar casada para me tornar rainha. Meus pais estão apenas sendo cautelosos.

 - E você Yeo? -Aurora apontou para o príncipe.

Yeo deu de ombros com um sorriso pequeno nos lábios.

 - Tem algo acontecendo...-Kai murmurou- Mas ele não diz nada.

 - E por que você acha que tem algo acontecendo? -o irmão perguntou.

 - Você anda sorrindo mais do que o normal. -Kaito explicou.

Yeo deu de ombros novamente. Dorian ergueu uma sobrancelha para o amigo, que respondeu com o mesmo gesto. O príncipe de Hyrule soltou um sorriso discreto, percebendo que, de fato, Yeo parecia estar bem acompanhado em Korena.

 - E você, Will? -Aurora o olhou.

William levantou os olhos do jornal, lançando um olhar desconfiado para a princesa.

 - O que? -ele perguntou.

 - Como está sua vida amorosa?

 - Desculpe te decepcionar, mas não há vida amorosa. -ele soltou um pequeno sorriso, e suas bochechas tinham um certo rubor.

 - Você é uma gracinha, Will.

 - Isso não é exatamente um elogio, Aurora. -ele disse baixinho.

 - Deixando nossas vidas amorosas de lado... -Dorian disse- O que pretende fazer no futuro, Will?

 - Meu pai quer que eu siga o mesmo caminho que ele. -o garoto respondeu.

 - E você vai fazer isso? -Yeo perguntou.

 - Talvez.

Dorian deu tapinhas no ombro do amigo, em seguida direcionando o olhar para Adanna.

 - Você conheceu as selecionadas hoje, não é? -ele perguntou.

 - Sim! -ela sorriu- Não conversei muito com elas, mas parecem ser boas pessoas.

 - Que bom. 

Aurora estalou a língua, com uma expressão entendida.

 - Por que você também não foi, Aurora? -Dorian a olhou.

 - Estava cansada. -ela respondeu.

 - Foi divertido, você deveria ter aparecido. -Adanna sorriu.

Aurora deu de ombros, fazendo um gesto com as mãos para que Adanna deixasse aquilo de lado. Dorian se levantou, digirindo-se à porta.

 - Eu vou descansar um pouco. -ele disse, dando, de costas, um aceno breve para todos- Nos vemos no horário do almoço.

Ao ouvir vários murmúrios de despedida, Dorian deixou a sala. Caminhando pelos corredores, o príncipe viu duas silhuetas familiares, que ao percebê-lo acenaram em sua direção.

 - Olha só! -Allyson sorriu- Se não é vossa alteza real.

Dorian soltou uma risada debochada.

 - Como vais, vossa alteza real? -Luana fez uma reverência.

 - Muito bem, senhorita Luana. -ele sorriu- Estava a caminho de convidá-la para jogar uma partida de futebol comigo.

As bochechas de Luana coraram, e ela forçou uma risada que assustou Dorian.

 - Você vai convidar seus amiguinhos príncipes também? -ela brincou- Se for, pode me convidar.

 Dorian e Allyson soltaram uma risada.

 - Você é terrível, Luana! -disse a outra selecionada.

Luana deu de ombros com um sorriso brincalhão.

 - Suas tarefas já acabaram? -Dorian perguntou.

 - Acabamos de sair de uma aula sobre como colocar um copo na mesa. -Ally sorriu.

 - Interessante. -ele sorriu de volta- Querem andar um pouco comigo?

 Dorian percebeu a troca de olhares entre Allyson e Luana. As duas assentiram com sorrisos enormes.

 - E então, alteza. -Ally começou- Como está sua procura por uma amada?

 - Na verdade, estou procurando por uma rainha. -ele respondeu.

 - E por que não procurar por uma rainha e amada? -Luana o olhou.

 - Seria um conflito entre razão e sentimentos. -Dorian pressionou a mandíbula- Não gostaria de me apaixonar por alguém que não pudesse governar um reino.

 - Que anti-romântico... -Ally murmurou- Você deveria acreditar nas pessoas que ama!

 - Ela tem razão. -Lu assentiu- Você será infeliz se pensar dessa maneira. 

 - É possível juntar amor e capacidade. -Ally explicou.

 Dorian sorriu. Gostava quando faziam isto, de lhe oferecer outras visões além da que ele possuía. Era uma experiência nova, mas interessante.

 - Se eu conseguir ambos, serei o homem mais sortudo da terra. -ele sorriu.

Ally e Luana trocaram olhares novamente, e a primeira olhou para o príncipe.

 - Se precisar de ajuda, somos ótimas cupidas! -ela sorriu.

 - Ainda mais se você se apaixonar por uma de nós. -Luana deu uma piscadela.

 Dorian soltou uma risada, agradecendo as garotas com o olhar. Conseguia se divertir e ficar tranquilo ao lado delas.

 - Obrigada, senhoritas. -ele sorriu.

 - Estamos aqui se precisar de nós! -Ally sorriu.

 - Eu vou para os meus aposentos agora. -Dorian parou de andar- Vejo vocês mais tarde.

As garotas fizeram uma reverência, se despedindo de Dorian enquanto ele se afastava.

 

*

 

Dorian ouviu algumas batidas na porta de seu quarto. Havia chegado há alguns minutos, e após deixar seu livro de lado e levantar da cama, abriu a porta.

 - Dorian?

 - Adanna? -ele a olhou- O que está fazendo aqui?

 - Preciso falar com você.

O príncipe assentiu, abrindo mais a porta e fazendo um gesto para que a princesa entrasse. Ele ficou feliz em não ter tido tempo para desarrumar seu quarto organizado.

 - Você não quer que os outros saibam sobre essa conversa? -ele indicou duas poltronas no canto do quarto.

 - Não. -ela respondeu, se sentando numa das poltronas- Eles ficariam preocupados.

Dorian também se sentou, esperando que Adanna dissesse algo.

 - Meus pais querem forjar uma aliança com Ceffuzia.

 - O que?! -Dorian arregalou os olhos, segurando firme os braços da poltrona.

 - Eles acreditam que é um bom negócio. -Adanna suspirou- São acordos comerciais vantajosos.

 - E o que você acha disso?

 - Sou contra, e já me pronunciei para os meus pais. -ela disse- Se mesmo com uma aliança Ceffuzia destruiu Paevell, não duvido que tentem nos trair também.

 - E é por isso que seus pais adiaram sua coroação. -Dorian disse, baixinho.

Adanna assentiu, com uma expressão preocupada.

 - Estou tentando convencer o conselho a votar contra essa aliança. -ela cruzou os braços- Mas a decisão final é dos meus pais.

 - E quais são os planos deles para Hyrule? -Dorian a olhou.

 - Eles acreditam que seu reino não tem ligação com essa aliança. -a princesa respondeu- Estão utilizando como argumento o fato de que Ceffuzia quer se reintegrar ao mundo, sem inimizades.

 - E você não acredita nisso.

Adanna negou com a cabeça, sua expressão se tornou ainda mais preocupada.

 - Dorian, coisas estranhas estão acontecendo naquele reino, eles estão reformando antigas tecnologias. -ela disse baixinho- Eu tenho um mal pressentimento.

 - Eu também. -ele confessou- Mas não podemos ter certeza de nada.

 - Algo vai acontecer. -ela insistiu- E eu acho que meus pais fazem parte disso.

 O príncipe massageou as têmporas, sentindo sua cabeça doer.

 - Desculpe. -Adanna assumiu uma expressão culpada- Só achei que devia te avisar.

 - Obrigado por me falar sobre isso. -ele deu um pequeno sorriso- Vou ficar atento a qualquer acontecimento suspeito.

 Adanna sorriu, se levantando e fazendo uma reverência em seguida. Ela começou a andar, mas então parou subitamente.

 - Dorian, você pode me prometer algo?

 - O que seria?

A princesa se virou para ele, com uma expressão determinada no rosto.

 - Quando eu for rainha, e você rei... -ela olhou em seus olhos- Vamos destruir Ceffuzia.

Dorian ficou boquiaberto. Não sabia do ódio que Adanna tinha por aquele reino.

 - Você ainda tem tempo para me responder. -ela disse- Até logo.

Dorian observou a princesa deixar seu quarto enquanto sentado na poltrona, sentindo-se transtornado.


Notas Finais


Gostaram? Que venham as teorias!

Jornal com os personagens: https://spiritfanfics.com/jornais/a-selecao--principe-dorian-5906071

Bai!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...