História A Seleção - Príncipe Dorian (Interativa) - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias A Seleção
Personagens Personagens Originais
Tags A Seleção, Ficha, Guerra, Interativa, Princesa, Rebeldes
Visualizações 15
Palavras 2.501
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


NÃO RENUNCIAREI
Depois de eu não sei quanto tempo decidi atualizar.
Beeeem, eu irei continuar a história porque as ideias pra ela nunca me abandonaram, mas assim, pode ser uma processo tão difícil quanto sempre foi Haha
Eu reli várias vezes os capítulos e percebi erros que tinham passado despercebidos. Eu espero que minha escrita tenha amadurecido Haha
Assim, comentários me incentivam, então é provável que eu entre em um gás e tente escrever bastante nessas férias caso eu me emocione como sempre acontece quando leio os comentários antigos ahusahusha

Capítulo 17 - O Baile


Fanfic / Fanfiction A Seleção - Príncipe Dorian (Interativa) - Capítulo 17 - O Baile

Vermelho, esmeralda, prateado. As cores que coloriam os lábios, olhos e camadas de tecido as quais revestiam o corpo de Thea compunham uma imagem bela e elegante. Os cabelos curtos com uma trança atravessando-os quase a faziam parecer inocente. 

A moça nunca fora tão bela quanto naquele momento. 

  - A senhorita está realmente linda. -disse Clarissa, que acabara de amarrar uma faixa em sua cintura. 

A selecionada suspirou. Aquilo não parecia com ela, e a imagem que o espelho refletia contrastava com quem a assassina e prisioneira antes era. Parecia que seu próprio reflexo a acusava de ser uma traidora, que comia e bebia como nunca enquanto aproveitava de todos os luxos que aquele castelo oferecia. Ela não podia negar que, de fato, poderia ser uma traidora. Até mesmo decidira adiar o assassinato do príncipe, ou por conforto, ou por simples hipocrisia. Thea ainda não sabia o motivo. 

Os dois toques na porta a fizeram desviar o olhar daquele reflexo assombroso, e apressadamente a moça se dirigiu à maçaneta. Leith a esperava do outro lado, e o olhar de surpresa do guarda real fez com que seu coração afundasse. Todos podiam ver a desgraça na qual ela havia se transformado, e ela mesma não havia se incomodado com isso até o momento presente. 

  - Você está...-o guarda entortou a cabeça- diferente. 

Thea manteve-se quieta. O baile era naquela noite, então Clarissa insistiu em usar toda a maquiagem e joias que pudesse. 

  - Há algo de errado?  

A moça olhou para o rosto preocupado de Leith, respirando fundo. 

  - Talvez tudo esteja errado. 

Ele não disse mais nada, mas lançou um olhar de compreensão, o qual Thea não sabia dizer se era sincero. Poderia alguém naquele castelo sentir a mesma coisa que ela? 

 

**

Dorian ajeitou seu traje azul marinho, endireitando a faixa vermelha que cruzava seu peito. Mais um baile aconteceria, e eram nesses momentos em que ele e sua mãe ficavam mais afetados. Os exageros e ostentação da nobreza o lembravam de sua aula sobre a temida Revolução Francesa, um assunto proibido nos livros fora da biblioteca real. Enquanto o povo morria nas ruas e trabalhava como se fosse um burro de carga, o Primeiro Estado festejava. Era por isso que a realeza aprendia a Política do Pão e Circo, e enquanto o baile acontecia, festivais financiados pela coroa aconteciam por todo o reino.   

Ele sentia-se contrariado, principalmente ao se lembrar da promessa que fizera a Thea. Quando fosse rei, iria fazer algo. 

Ele sabia que aquelas palavras foram vazias. Era um covarde, e sabia muito bem disso. Mas, no fundo de seu coração, não tinha vontade alguma de mudar.  

Suspirando, Dorian deixou seu quarto, descendo alguns lances de escada até chegar ao Salão Principal, enfeitado com ornamentos de ouro e cristal. Alguns convidados já estavam presentes, deliciando-se com taças de vinho e champanhe. Seus pais conversavam com algumas pessoas influentes, e o príncipe se ocupou em responder algumas reverências.  Uma parte das selecionadas já se encontrava no local, mas nenhuma delas se preocupou em dirigir-se a sua direção. Provavelmente estavam preocupadas com os jornalistas. 

  - Dorian! 

Kaito lançou o braço em volta do pescoço do príncipe, que de maneira pacífica escapou do “abraço”. Yeo estava logo atrás com uma taça nas mãos, e Will o acompanhava. 

  - Com qual de suas garotas eu deveria dançar primeiro? -o príncipe de Korena deu um sorriso- Recomende-me uma delas! 

  - Você realmente não se cansa disso? 

  - Quando eu tiver minha Seleção, deixarei você fazer o mesmo. -Kaito parou por um segundo- A não ser que você não tenha problemas com adultério. 

  - Não, obrigada. -Dorian o cortou, andando na direção de Will e Yeo. 

  - Você sabe que, por cortesia, as selecionadas deveriam dançar com os convidados importantes, não é? -Kai continuou. 

  - Recebemos instruções para fazer isso. -Yeo, ouvindo o irmão, justificou. 

Tanto Yeo quanto Will pareciam um pouco incomodados. Havia uma única câmera no Salão, e Dorian perguntou a si mesmo se Yeo ficaria preocupado caso uma cena de dança entre ele e uma das garotas fosse transmitida em Korena. Talvez ele não quisesse que alguém em especial assistisse. 

Will era simplesmente um garoto tímido, algo que já não era novidade. 

O som de violinos e um piano em perfeita harmonia indicou que a dança iria começar. Por ser um baile especial para convidados estrangeiros e para as selecionadas, o príncipe de Hyrule tinha a obrigação de ser o primeiro a puxar uma parceira. Ele se dirigiu às Selecionadas, com Kaito ao seu lado. Ao ver o príncipe asiático estender a mão para Selene com um olhar de interesse, Dorian rapidamente a puxou para os seus braços, levando a garota de olhos verdes arregalados para o centro do Salão.  Ele não sabia porque seu movimento fora tão instintivo, e porque sentira a necessidade de puxar a selecionada antes mesmo que suas mãos tocassem a de Kaito. Ela parecia apavorada, e a expressão surpresa em seu rosto ao olhar em volta fez com que o príncipe se preocupasse. 

  - Olhe para mim. -ele disse, distraindo-a da multidão que os cercava. 

  - Por que eu? -ela o olhou- Eu mal sei dançar, e havia tantas garotas ali. 

O vestido dourado coberto por rendas balançava junto ao movimento do par, e após um momento de silêncio, o príncipe deu de ombros, fingindo indiferença.

  - Porque sim. 

 Dorian não podia deixar de assumir que gostava de Selene, e não sabia dizer se isso era porque acabaram descobrindo coisas anormais um sobre o outro no decorrer da Seleção. É provavelmente por isso, ele tentou se convencer. Só tinha que conhecer melhor as outras garotas, e o problema principal era Kaito, tratando-as de forma desrespeitosa. A moça em seus braços não era nada mais nada menos do que uma simples candidata à coroa. 

 

** 

 Kaito sorriu consigo mesmo ao ver a garota para quem estendera a mão ser levada por Dorian. Ele acertara com precisão, e a breve expressão possessiva que seu colega de Hyrule fizera foi a prova disso. 

Era divertido provocá-lo. 

Sem se mostrar abalado, e com seu sorriso sedutor de sempre, o príncipe estendeu novamente a mão para uma garota ruiva logo ao lado. A mesma fez uma reverência e deu um sorriso quase desconfortável, enquanto era conduzida ao centro do Salão. 

  - Senhorita Allyson. -ele se apresentou- É um prazer conhecê-la. 

A ruiva ergueu uma sobrancelha, com curiosidade estampada no rosto. 

  - Como sabe quem eu sou, alteza? 

  - Digamos que eu estudei muito antes de chegar aqui. -ele deu uma piscadela. 

Ela soltou uma risada curta, e o príncipe continuou a encará-la, analisando seu rosto. De longe, aquela garota de cabelos alaranjados e bochechas coradas recheadas por sardas era a que mais havia lhe chamado atenção. Ele a puxou para perto, movendo-se e a conduzindo no ritmo da melodia. 

  - A senhorita é realmente linda, se me permite dizer. 

A selecionada arregalou os olhos, surpresa. Mas logo seu rosto se tornou um pouco zombeteiro. 

  - Então, alteza, você é um galanteador. -ela sorriu. 

  - Realmente. -ele ergueu uma sobrancelha- Se por acaso o príncipe Dorian não te quiser, eu posso te deixar contente. 

  - Eu aprecio a oferta, mas eu seria castigada se isso acontecesse. -ela pareceu levemente transtornada, mas algo em seus olhos dizia que estava achando graça na situação- Então quer dizer que o príncipe Dorian costumava ser exatamente como você? Estou curiosa. 

  - Não...ele podia ser pior. -Kaito sorriu- Aquele cara sabe falar apenas com os olhos, e isso é ainda mais perigoso. 

  - Wow... -Allyson riu baixinho- Agora eu me sinto vulnerável. 

O príncipe de Korena deu um sorriso de canto, continuando a conduzir a selecionada com delicadeza enquanto outros casais ocupavam a pista. 

  - Mas, minha oferta é válida. -ele sussurrou. 

  - Eu ficaria lisonjeada se fosse a única a recebê-la. -Allyson sussurrou de volta- E não seja tão inconsequente, eu posso ser uma louca assustadora cheia de segredos. 

A risada do príncipe fez com que Allyson se arrepiasse. Ela estava sendo sincera, e por mais que fosse surpreendente e até interessante ouvir tais palavras de um príncipe, a moça sabia que ele nunca imaginaria que ela tinha uma filha. Já podia até imaginar um provável olhar de desprezo vindo dele. 

  - Segredos são ainda mais atraentes. -ele a provocou. 

Ela suspirou, olhando para além dos ombros de seu acompanhante. 

  - Talvez eles sejam. 

 

** 

Maeve estava ao lado de William na mesa das bebidas. Após uma dança com o garoto, ele sugeriu timidamente que bebessem alguma coisa. Evie não podia deixar de pensar em como ele era uma graça, e as bochechas coradas do mesmo só faziam com que essa impressão aumentasse. 

Ela olhou em volta, e ao ver os casais dançando percebeu um leve sorriso ocupar seu rosto. Allyson havia acabado de se separar do príncipe Kaito, e ele dançava com outra selecionada. Amelia era conduzida pelo príncipe Yeo. Dorian e Selene acabavam de se separar, e Evie jurou ter visto certa decepção nos olhos de ambos.  

Seu irmão adoraria presenciar aquilo. 

Maeve se sentiu mal, e o sorriso em seu rosto desapareceu instantaneamente. 

  - A senhorita está bem? -William perguntou. 

Rapidamente, a garota colocou um sorriso aconchegante em seu rosto. 

  - Ah, sim, eu apenas me distraí. 

Ele assentiu, parecendo ansioso. Logo, a princesa Adanna se aproximou de ambos, por um segundo ignorando a reverência de Maeve e virando uma taça de vinho com uma violência palpável. William, percebendo a atmosfera, encheu a taça da princesa com mais vinho. 

  - Eu realmente estou no limite! -ela murmurou, bebendo mais. 

Will e Evie trocaram olhares, e ao perceber a presença da selecionada, Adanna rapidamente a cumprimentou, embaraçada. Mesmo daquela forma, a princesa africana ainda era elegante. 

  - Desculpe... -ela disse baixinho. 

Maeve sorriu, balançando a cabeça para dizer que estava tudo bem. Era confortador saber que Adanna também era humana, no fim das contas. 

  - É só que... -ela suspirou- Vocês podem acreditar que o senhor Fryodor Schulescher disse que eu não conseguiria governar meu reino sem ter um homem ao meu lado? Quando ele nem mesmo consegue administrar uma província devidamente! 

  - É, ele é terrível... -disse Will, de forma arrastada. 

Evie quase se sentiu como uma impostora naquela conversa, e estava pronta para se afastar, mas o olhar de Adanna a impediu. 

  - Isso não é irritante? -a princesa reclamou- Você deve me entender. 

  - Eu realmente entendo, alteza. -a selecionada respondeu com sinceridade. Era comum que lhe impedissem de fazer certas coisas simplesmente por ser mulher, e mesmo que tal pensamento fosse considerado atrasado, estava enraizado na sociedade. 

  - Vamos nos recompor, certo? -a princesa deu um belo sorriso, como se nada tivesse acontecido- Desculpe ter esquecido, mas a senhorita pode me dizer qual é o seu nome? 

  - Maeve, alteza. -a selecionada respondeu, com uma risada leve. 

  Adanna deu um sorriso acolhedor, que fez com que Evie quisesse se curvar. A aura de uma rainha já estava naturalmente impregnada na princesa.  

  - Ei, Will, você deveria dançar um pouco. -Kaito se aproximou do grupo, e ofereceu o braço para Adanna- Me honraria com essa dança, minha paixão? 

Adanna ignorou o príncipe e acenou com a cabeça para Maeve, afastando-se do grupo. Kai deu uma risada e estendeu a mão para a selecionada. 

  - Como pode ver, eu fui rejeitado. -ele brincou- A senhorita não vai me rejeitar também, não é? 

Maeve deu uma risada desconfortável. Não era como se ela tivesse a escolha de rejeitá-lo, de qualquer maneira. 

 

** 

Amelia estava sentada em uma mesa, espetando um petisco estranho com um garfo pequeno. Aquele dia parecia especialmente estranho, principalmente por conta de sua recém acabada dança silenciosa com o príncipe Yeo. Ele agia como se estivesse fazendo algo errado, e aquilo incomodava um pouco. Naquele momento, Glimmer havia acabado de chegar no Salão, e as garotas a cercavam, preocupadas com sua saúde após o incidente do veneno. Amelia odiava ser pessimista, mas jurava que a história do veneno ser apenas uma prova era mentira. A selecionada observara o rosto da rainha durante o último jantar, e ela parecia tão surpresa quanto todos. 

 Amelia suspirou. Todas as garotas com quem tinha alguma intimidade estavam dançando, e com um sentimento de tédio, ela abocanhou o petisco com o qual brincava antes. Apenas Mackenzie estava encolhida no canto exatamente como ela, e ninguém se atrevia a chegar perto da outra garota.  

  - Senhorita Amelia?  

Dorian estava a sua frente e estendeu a mão, chamando-a para uma dança. Sem escolha, ela aceitou quando todos os olhares se voltaram para os dois. 

  - Eu já dancei hoje, alteza. 

  - Dorian. -ele a corrigiu. 

Ela bufou. Não conseguiria se acostumar a chamá-lo com tanta intimidade, e também não queria muito.  

  - Você não dançou comigo. 

  - Como quiser. -ela disse, de forma irônica. 

Ambos se dirigiram ao centro do Salão e dançaram por algum momento, continuando quietos. Era como se ambos tivessem muito para pensar sobre, mesmo que, no caso de Amelia, sua cabeça simplesmente estivesse vazia e com preguiça de formular frases. 

  - Dorian! -uma voz feminina os interrompeu- Dance comigo! 

Aurora delicadamente puxou o príncipe para si, olhando a selecionada de forma rude. Amelia sinceramente queria agradecê-la, pelo simples fato de a princesa acreditar que a estava incomodando, quando a estava fazendo um favor. Por mais que muitas selecionadas admirassem a princesa, ela parecia mimada demais para ser levada à sério. 

  - Desculpe. -o príncipe apenas moveu os lábios. 

 A selecionada deu de ombros. Quem estava com problemas naquele momento era ele. Ela apenas se esconderia e evitaria mais um convite para dançar. 

 

** 

O relógio já passara das duas da manhã. Os convidados mais importantes já haviam ido embora, e o resto parecia bêbado demais para ter qualquer noção do tempo.  

 Não havia mais selecionadas no Salão, e Dorian sorriu ao se lembrar de vê-las dançando juntas, se divertindo sem nenhum peso paras preocupá-las naquela noite. A lua dourada brilhava no céu escuro, e da sacada do castelo o príncipe observou os fogos de artifício acrescentarem um espetáculo àquela visão noturna. As luzes das cidades ao longe brilhavam, e lanternas voavam ao céu. 

 Um breve pensamento de tentar fugir do castelo e se divertir ocorreu na mente de Dorian. Ele rapidamente balançou a cabeça, tentando fugir desse desejo. 

 As coisas pareciam tão monótonas, quando não deveriam. 

Ceffuzia, envenenamento, a rainha. 

Elentiya disse que iria realizar treinamentos mais pesados. No fundo, Dorian estava preocupado. Sua mãe era forte, e ele a admirava. Mas, para tornar-se daquela maneira, ela precisou ser queimada como o ouro é purificado. E incomodava o príncipe saber que algumas garotas, gentis e ingênuas, teriam que conviver com aquilo. 

 Daria o nome da próxima eliminada ao pai, e o papel em suas mãos tinha uma parcela do peso que Dorian tiraria de suas costas. Talvez estivesse subestimando aquela garota, mas após perceber o olhar assustado que ela lhe dera durante a dança, ele sabia que era o certo a fazer.  


Notas Finais


Desculpa mesmo
Mas vamosimbora né, até 2050 essa fanfic chega ao fim ahsahha
Bejo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...