1. Spirit Fanfics >
  2. A Seleção >
  3. Mão na orelha

História A Seleção - Capítulo 18



Notas do Autor


Oieeeeee galerinhaaaa!
Aqui é a Samy trazendo mais um capítulo pra vocês, espero muito que gostem, estamos escrevendo com muito carinho, amor e surtos envolvidos.

Também queríamos agradecer aos quase 300 favoritos!!! Falta tão pouquinho e a gente está surtando de felicidade com isso, os comentários então? Quase morremos de amores! Obrigada de verdade a todos que tiram um tempinho para nos dar essa força e nos incentivar a continuar com a história <3

Boa leitura ^^

Capítulo 18 - Mão na orelha


 

Capítulo Dezoito: Mão na orelha

♘ ⌜♛ ♕ ⌟  ♟





 

Hinata espalmou seu vestido, admirando-se no espelho. Suas criadas a compreendiam bem, de forma que naquela manhã vestia um modelo simples e sem muitos detalhes. A barra da saia terminava um pouco depois de seus joelhos, e embora fosse estilo bufante não era chamativo demais em seu tom lilás. Perfeito para ela. 

 

Estava se sentindo leve e incrivelmente de bom humor, e por isso acordou muito mais cedo que o normal. O resultado foi ter chegado ao Salão de Jantar antes de qualquer outra pessoa, estando à mercê da companhia de criadas e mordomos que ainda montavam a mesa em silêncio. 

 

Ela observou como cada um trabalhava em sincronia e apressadamente, quase os perguntando se poderia ajudá-los em algo. Contudo, não o fez, pois notou a presença de alguém novo. 

 

Era Karin Luca, uma ex Quatro. Era tão silenciosa que a Hyuuga só a notou quando esta tomou seu habitual assento, lançando-lhe um sorriso simpático e um aceno quase imperceptível. Para falar a verdade, Hinata não se lembrava de ter conversado com a avermelhada em nenhum momento, ao menos não a sós. Durante as poucas conversas que tiveram em grupo, notou que a jovem parecia ser amigável e uma boa ouvinte, já que mal falava… e só. 

 

Enquanto o tempo passava, a perolada tentou imaginar os motivos de Naruto para mantê-la como uma das garotas da Elite. O que teriam em comum? Sobre o que conversavam? O que ele tinha visto de tão interessante nela, a ponto de permitir sua permanência? Entretanto, deixou aqueles pensamentos de lado, temerosa. Não parecia muito saudável imaginar o príncipe com outras, principalmente quando estas teoricamente eram suas rivais.

 

Ao lado de Karin, Tenten Mitsashi marcara presença. Assim como a avermelhada, Tenten era uma quatro antes de ser recrutada para a Seleção. Não pareciam ser amigas — ao menos não tanto quanto Ino e Hinata — porém estavam na maior parte do tempo juntas. A Mitsashi era uma garota centrada e muito reservada, entretanto uma pessoa dócil e inteligente. Sabia do que falar, e principalmente: sabia o que não falar. Sua família era uma das mais tradicionais, possuía origens e contatos com importantes países que Konoha buscava aliar-se há vários anos. Quem sabe aquele fosse um dos motivos para estar ali…?

 

Hinata se repreendeu no mesmo instante. Naruto não visava status, visava o amor. Não era justo pensar aquilo. 

 

Enquanto a mesa das Selecionadas ficava finalmente pronta, Ino surgia entre as portas com um sorriso mínimo e misterioso, dando uma última olhadinha no corredor antes de tomar seu lugar ao lado de Hinata. 

 

Ino Yamanaka, a melhor amiga da Hyuuga. Era estranho dizer isso, mas a perolada sentia-se feliz por Naruto ter mantido a loira como uma das opções, pois assim passaria um tempo a mais com sua fiel companheira. Ao contrário das outras Selecionadas, ela não passava uma imagem de rival. Na verdade, tampouco parecia sequer gostar do príncipe… 

 

Porém, antes que Hinata pensasse melhor naquela teoria, um grito agudo e murmúrios lhe chamaram a atenção. Era Sakura Haruno que chegara ao ambiente, berrando escândalos na direção de um guarda que a acompanhava e lhe pedia perdão incontáveis vezes. 

 

— O príncipe saberá disso. Não dou a mínima para suas desculpas! 

 

— Senhorita Sakura, entenda que foi um engano seu, por favor — ele tentava argumentar. 

 

— Engano meu? Seu asqueroso! Como engano meu? Tem noção do quanto é difícil andar sobre esse salto fino? É de maior número! 

 

— Então por que a senhorita usa? Não pude prever que tropeçaria justamente por não conseguir conduzir os próprios pés com esse tipo de sapato. A senhorita por favor me perdoe, mas ouso dizer que o príncipe não entenderá o seu caso. Mas não é minha culpa, por favor entenda. 

 

Com um gesto displicente, a garota se sentou e passou a ignorá-lo até que este se retirou do Salão de Jantar, possivelmente tão transtornado quanto quem observara a cena melodramática. Ali sem dúvidas estava um caso que Hinata com certeza iria querer entender: como Sakura tinha conseguido ficar, e por que Naruto decidiu mantê-la? 

 

Ino e Hinata trocaram olhares significativos, provavelmente pensando o mesmo. Como alguém no mundo conseguia suportar a rosada? Aquilo era realmente possível? 

 

Sem se conter, a Hyuuga deu uma pequena risadinha do gesto feito pela amiga, que caçoava da situação de modo sutil e imperceptível para quem não as estivesse encarando. 

 

— Bom dia! — a rainha Kushina irrompeu pelas portas com seu ar gracioso, seguida pelo rei Minato. As garotas imediatamente levantaram-se e fizeram uma reverência até serem dispensadas, observando seus soberanos tomarem seus lugares na própria mesa. — Estão todas aqui? — contou com os dedos, notando que faltava uma delas. 

 

— Não, Majestade. A senhorita Shion ainda não se encontra — alguém lhe respondeu, contudo Hinata não prestara atenção. Sua atenção naquele momento estava voltada para outra voz que se aproximava, trazendo consigo a resposta que a rainha procurava há poucos segundos. 

 

Como se não tivesse mais ninguém ali, Shion ria de alguma coisa que Naruto lhe contara antes de entrarem no Salão de Jantar. O príncipe tinha suas mãos atrás das costas, inclinando-se levemente na direção da platinada enquanto a ouvia falar alguma coisa entre risos e sorrisos. A garota, por sua vez, mantinha suas mãos unidas em frente ao peito, como se falar com o loiro a deixasse nervosa e tímida. E ela de fato estava, não era segredo para ninguém o quanto estava realmente se apaixonando pelo Uzumaki, e finalmente tê-lo dirigindo toda aquela atenção a ela tinha significado tudo, tinha feito o seu dia. Ele era tão atencioso, divertido e lindo… 

 

Ao notar que suas Selecionadas curvariam-se devido à recente presença, o príncipe dispensou a reverência rapidamente, voltando sua atenção à jovem ao seu lado. Os dois pararam um pouco antes da mesa das garotas, provavelmente para terminarem o assunto, e ali continuaram por longos e excruciantes segundos para Hinata. 

 

A Hyuuga se recusou a continuar os olhando, e se centrou no saboroso café da manhã disposto à sua frente. Agora que estavam todos ali, podia finalmente dar início à refeição. Estava se remoendo de ciúmes, ainda que não admitisse aquilo, e doía ver aquela proximidade toda do príncipe com Shion, uma vez que pensou que ele fosse próximo daquela forma somente com ela… Assim, tentou ignorar o som das risadinhas e se forçou a não olhar quando finalmente ouviu o som de cadeiras sendo arrastadas, interrompendo a conversa entre os dois. 

 

Hinata não pôde ver quando Naruto a olhou, iluminando seu semblante imediatamente. As únicas testemunhas da mudança de humor do príncipe ao olhar a perolada foram seus pais e Ino Yamanaka, que sorriu minimamente. Ele torceu para que seu olhar fosse retribuído, e permaneceu ali, estático e bobo até que alguém pigarreasse para lhe chamar a atenção, então o jovem se sentou ao lado dos pais. 

 

Shion havia se sentado ao lado de Hinata, e esta tardou a perceber. Tentou ao máximo não olhar para a frente, tampouco para sua esquerda. Seus olhos e sentidos estavam todos centrados no importante: a comida. Sim, a boa comida que deveria aproveitar. Era isso. 

 

Contudo, bastou ouvir a risadinha baixa e tímida da platinada ao seu lado para jogar para o alto seu teatrinho de não se importar com o que acontecia. 

 

Incomodada e confusa com os motivos para aqueles sons baixinhos e alegres, a perolada deu uma espiada de canto dos olhos, flagrando o olhar de Shion voltado à sua frente e suas bochechas levemente ruborizadas. Estava olhando para ele… o que será que Naruto estava fazendo? 

 

Vencida pela curiosidade, ela também olhou para sua frente. O príncipe olhava na mesma direção dela, fazendo com que seu coração sobressaltasse. Entretanto, o movimento das mãos da platinada a fizeram voltar para a realidade: ele estava olhando para Shion. 

 

Tentou não deixar transparecer sua chateação, mas foi quase impossível. Ontem ele tinha dito tantas coisas… 

 

Sem perceber, um biquinho se fez presente na expressão de Hinata. O príncipe conhecia aquela expressão: era a mesma que fizera na noite anterior, ao sentir ciúmes do ex namorado da perolada. 

 

Como se quisesse dar uma última conferida, ela levantou o olhar no exato instante em que uma das mãos do loiro foi parar na orelha, abaixando-a rapidamente. Sutil, quase imperceptível, mas não para ela. 

 

A Hyuuga tentou reprimir um sorriso, desfazendo o biquinho frustrado no mesmo momento. Estava enganada: Naruto estava olhando para ela, não Shion. E queria que se encontrassem de novo. 

 

Aquilo foi o suficiente para deixá-la mais uma vez com o humor leve. 


 

Assim, ela foi quase uma das últimas a se retirar do Salão de Jantar. Não fazia ideia de onde e quando o príncipe a procuraria, por isso tentou aliviar a ansiedade caminhando pelos corredores do palácio até que parou em um lugar completamente desconhecido. Tinha andado tão pensativa que apenas deixou que seus pés a guiassem, e só agora tinha percebido o que fizera. 

 

Tentou se localizar, mas sua visão ficou escura de repente — alguém havia tapado seus olhos e se aproximado por trás. Ela esperou que a pessoa lhe dissesse algo, mas como não o fez, tentou escapar. 

 

— Quem é? — perguntou, finalmente. 

 

— Seu príncipe favorito… 

 

Com essa resposta, finalmente permitiu que a garota virasse o corpo na direção do dele. O príncipe sorria largamente, tinha praticamente corrido atrás da Selecionada assim que esta saiu do Salão de Jantar. Como alguém com pernas tão curtas conseguia andar tão rápido?

 

— Levando em conta que é o único príncipe… — ela brincou de volta, fazendo com que o loiro diminuísse o sorriso sabichão.

 

— Você gosta de acabar com a minha graça, não é? 

 

Hinata sorriu e acenou levemente com a cabeça, observando atentamente a expressão do príncipe gradativamente se acender, dessa vez em um tom irônico e levemente malicioso. 

 

— Então quer dizer que a senhorita tem ciúmes do seu príncipe favorito? — comentou como quem não queria nada e ergueu as sobrancelhas, sorrindo de maneira vitoriosa ao constatar que a expressão de Hinata tinha mudado e esta começava a ficar corada. — Nã-não minta para mim, hm? Estava se corroendo de ciúmes por me ver com outra garota, admita. Admita que morreu de ciúmes — Naruto se aproximou cada vez mais da perolada, ainda mantendo o sorriso vitorioso em seu rosto, as bochechas de Hinata pareciam estar em chamas. 

 

— Quando… quando foi que ficou tão convencido? — ela desviou os olhos, constrangida, e aquilo soou como completamente adorável para o príncipe. 

 

— Quando? Não sei. Mas com certeza estarei ainda mais, justamente agora que sei que fica ciumenta ao me ver com uma das Selecionadas — declarou, cada vez se divertindo mais com as expressões da garota. Por dentro, o príncipe estava tão feliz quanto por fora, principalmente quando entendeu que Hinata ficara enciumada ao presenciá-lo tão perto de Shion. Isso sem dúvidas significava alguma coisa…

 

— Não sei do que está falando… — murmurou, evitando o olhar nos olhos. — Era sobre isso que queria falar comigo? 

 

— E se for? — perguntou interessado. 

 

— Então eu vou embora daqui. Não quero falar sobre isso.

 

A perolada deu as costas, mesmo sem saber para onde ir. Com isso, Naruto se recostou na parede mais próxima e cruzou seus braços enquanto ria ao observá-la perdida no meio do caminho, mas completamente frustrada. 

 

— Bem, nesse caso, verei se Shion gostaria de minha companhia então… até mais — fingiu estar indo na direção certa, o oposto da Hyuuga. Ele se escondeu por trás de um armário que encontrara no caminho, fazendo de tudo para reprimir a risada que tentou lhe escapar ao ouvir os passos apressados de Hinata tentando encontrá-lo e acompanhá-lo. 

 

A garota passou com a expressão mais emburrada do mundo, com o típico biquinho ciumento e testa franzida, como se estivesse incrédula. Assim, o loiro não resistiu e a alcançou, tocando sua cintura antes de virá-la em sua direção. Bastou o contato dos seus olhos azul safira com os perolados — os quais estavam ligeiramente escurecidos devido à tempestade de ciúmes que a afligia —, e ele tomou seus lábios com desejo. Hinata retribuiu o beijo na mesma intensidade e desejo, mesmo que estivesse surpresa com a atitude do príncipe, que estava se soltando cada vez mais em sua presença. Com delicadeza, a Hyuuga levou as mãos até o rosto dele, acariciando as bochechas deste, enquanto ele ainda mantinha os braços ao redor da cintura da jovem, naquele momento ambos se esqueceram de que estavam em um corredor com risco de outras pessoas verem aquele momento tão íntimo. 

 

Em situações como aquela, ele se perguntava o porquê de não dar um basta naquela Seleção de uma vez. No que dependesse dele, sua escolha já tinha sido feita — há muito mais tempo do que pôde perceber. Seus sentimentos se viam cada vez mais fortes, o que acabava por refletir em seus beijos. O príncipe tentava demonstrar o quanto a queria, desejava transpassar até mesmo sentimentos que começava ter, mas não tinha consciência ainda. 

 

Os jovens aproximaram-se da parede que fechava aquele corredor quase inconscientemente, atentos apenas em seus lábios e sentimentos que fluíam, nutrindo aquela bolha de paixão que os adornava, até que foram interrompidos por um pigarreio ligeiramente conhecido por Hinata. 

 

Era Konan, que um pouco envergonhada colocava suas mãos para trás, temendo irritá-los por tê-los interrompido. E eles, quase ou muito mais envergonhados que a criada, se separaram e a observaram curvar-se.

 

— Mil perdões, mas fui instruída a procurar a senhorita Hinata para levá-la à classe de Kurenai. Eu, Ayame e Shizune a procuramos por toda parte! 

 

Naruto, já recuperado, tentou reprimir seu sorrisinho antes de respondê-la.

 

— Não se preocupe, como pôde ver ela estava em boas mãos. Agora a deixarei ir de encontro às suas obrigações, sei o quanto Kurenai fica frustrada com atrasos… — comentou ao se lembrar de quando tinha aulas com a própria, anos atrás. — Em todo caso, pode ser discreta ao explicar com quem esteve durante esse tempo. Tenho certeza de que ela entenderá perfeitamente. 

 

O príncipe piscou na direção de Hinata, que corou ainda mais. Em seguida, o loiro se retirou rapidamente e a jovem não pôde deixar de notar suas costas sacudindo levemente — sinal de que estava rindo do que aconteceu. 

 

— Konan…

 

— Não se preocupe, senhorita. Não vi nada… — a criada tratou de afirmar, também achando graça da reação de Hinata. Contudo, conseguiu reprimir seu humor e a levou em silêncio pelos corredores até que chegassem ao Salão das Mulheres, onde ocorriam as aulas de Kurenai.

 

♘ ⌜♛ ♕ ⌟  ♟

 

— Atenção, senhoritas. É muito importante que entendam! — Kurenai pediu ao notar o quanto as Selecionadas pareciam dispersas, embora estivessem sentadas à sua frente. 

 

— Isso é realmente necessário, Kurenai? Digo por mim, mas meu ensino foi muito bem supervisionado e estruturado. Tudo o que tem nos passado é matéria que aprendi aos dez anos ou menos…— Sakura resmungou, completamente entediada com a situação. Contudo, desviou seu olhar esverdeado e venenoso na direção de uma garota em específico, disposta a atingi-la com suas palavras indiretas. — ...agora, não sei quanto às outras. Diga-me você, Hinata. Está aproveitando o ensino de qualidade, hm?

 

Para a infelicidade da rosada, a Hyuuga sequer a escutou. Estava ocupada demais em seu próprio mundo, completamente alheia à maldade e veneno destilado em sua direção. Em seus pensamentos ainda revivia momentos com Naruto, e…

 

Ela piscou ao notar que Ino apontava em sua direção, e depois para a frente — indicando que precisava prestar atenção. A Yamanaka estava empenhada em não deixar que Sakura conseguisse atingir sua amiga de alguma forma, e estava atenta a qualquer erro que porventura Hinata desse sem perceber. Não, de forma alguma ela deixaria alguém ter motivos para reclamar da Hyuuga.

 

Ela sabia quem era a favorita do príncipe, afinal.

 

A perolada lançou um olhar de gratidão para sua amiga e voltou a focar na aula, pois sabia que era importante se quisesse permanecer na competição. Porém, pensar naquilo a fazia lembrar que havia possibilidade de ser princesa, afinal A Seleção não se tratava apenas de concorrer à mão de Naruto, que por acaso ou não era o príncipe. Portanto, se quisesse ir mesmo a fundo com aquilo, precisava focar também em outras situações que não fossem os olhos de Naruto, nem seu cheiro, seu beijo…

 

Ela balançou a cabeça. Estava realmente difícil se concentrar, mas conseguiu assim que se dispôs a encarar o rosto sério da mulher à frente.

 

— Bem, como estava dizendo, na próxima semana iremos falar mais sobre a história de Konoha, por ora irei pedir somente um trabalho. O trabalho será sobre festas históricas, quero que deem o máximo de detalhes e informações que puderem — Kurenai explicou enquanto gesticulava a todo momento, andando de um lado para o outro na frente da classe, até que de repente parou e começou a analisar as selecionadas com seu olhar astuto — Vejamos quem pode me responder… Shion, me diga, por quem Konoha foi fundada?

 

— Foi fundada por Kaguya, após o fim da Primeira Grande Guerra, senhora Kurenai. — Shion respondeu de imediato, fazendo com que Kurenai sorrisse em satisfação. 

 

— Muito bem, senhorita Shion. — a tutora parabenizou e observou a classe novamente, escolhendo sua próxima vítima. — Quem saberia responder quais foram os representantes de Konoha no início de tudo? 

 

— Hashirama e Madara, Kurenai. Essa é fácil… — Sakura respondeu enquanto avaliava o estado de suas unhas, não estando realmente interessada naquele conteúdo.

 

— Errado. Aliás, senhorita Sakura, peço para que me chame de senhora, sim? — sorriu em direção a rosada que murchou rapidamente diante a resposta da tutora — Mais uma chance.

 

— Na verdade, o representante de Konoha foi Hashirama Senju, Madara Uchiha foi apenas seu conselheiro. — Hinata arriscou antes que Shion pudesse falar, estava começando a se arrepender de sua impulsividade quando Kurenai sorriu e assentiu com a cabeça.

 

— Muito bem, senhorita Hinata. Está correto! — falou orgulhosa, observou o horário e viu que a classe já deveria ter sido encerrada há poucos minutos. — Bem, nossa classe por hoje está acabada. Estudem e façam o trabalho, na próxima semana falaremos melhor sobre a história de Konoha.

 

— Senhora Kurenai, poderia explicar sobre o trabalho proposto novamente, por favor? — Karin perguntou, a perolada ficou surpresa ao escutar a voz desta, era um evento raro. 

 

— Claro, o trabalho será sobre festas históricas, vocês poderão encontrar fontes sobre isso na biblioteca. Alguma dúvida? 

 

— Poderemos falar sobre qualquer festa? — Tenten perguntou.

 

— Sim, qualquer uma. Lembrem-se: quero informações, detalhes. — avisou novamente e fez um aceno com a cabeça. — Estão liberadas.

 

As selecionadas se levantaram e saíram do Salão das Mulheres, deixando uma Kurenai ocupada com relatórios feitos por elas da última aula. 

 

Ino se aproximou da amiga e a abraçou de lado, sendo bem recebida pela perolada. Elas tinham ficado para trás, mas já apressavam o passo ao caminhar pelos extensos corredores do palácio.

 

— Foi muito bem, amiga! Eu estava bem perdida na aula, pra ser honesta  — riu e a Hyuuga a acompanhou. — Ver a Sakura errando foi a melhor coisa que aconteceu no meu dia, vou descansar em paz hoje, com certeza.

 

Hinata riu mais uma vez, se divertindo com o comentário da Yamanaka. De fato, a expressão da Haruno tinha sido uma das melhores até o momento, e com certeza se lembrariam daquilo por mais tempo. 

 

As meninas subiram as escadas e dobraram o primeiro corredor, onde encontraram uma certa Selecionada encostada em uma das paredes. Sakura olhava para Hinata com uma expressão de raiva, soube por meio de suas criadas que esta esteve aos beijos com o príncipe e teve um belo encontro e por isso já pensava em mil maneiras diferentes de possíveis sabotagens. Seria tão mais simples se pudesse somente arrancá-la da competição a pontapés… 

 

Contudo, a Hyuuga apenas ignorou a Haruno e seguiu seu caminho com sua amiga, sabendo que não valia a pena sustentar aquela troca de olhares. Sakura não importava, não para ela.

 


Notas Finais


E aí? O que estão pensando? Compartilhem conosco! Amamos saber as opiniões de vocês!
Beijinhos!!! ;*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...