1. Spirit Fanfics >
  2. A Seleção >
  3. Transformação e um encontro inesperado

História A Seleção - Capítulo 5



Notas do Autor


Sexta feira finalmente chegou! Pra mim é um dia de felicidade dupla, dia de Wandavision e de atualizar o nosso xodó! Hahaha. Hoje quem vos fala é @rafolastaark. Honestamente, eu e as meninas estamos muito felizes mesmo com o alcance da fanfic e desde já quero agradecer em nome de todas pelos favoritos e comentários, sério, significa muito e nos dá animo!
Bem, acho que é melhor eu parar de enrolar e deixar que prossigam com a leitura, não é?

Então, no mais, uma boa leitura a todos!

- @rafolastaark

Capítulo 5 - Transformação e um encontro inesperado


Antes mesmo de desembarcarem do jatinho, as meninas podiam ouvir as exclamações da multidão, que parecia ser ainda maior que a da província delas. E ainda estavam há dois quarteirões do palácio! 

 

As Selecionadas mais uma vez foram postas para dentro de um carro por medidas de segurança, e infelizmente Hinata não tivera escapatória: Sakura seria sua companhia até a chegada ao palanque. Contudo, tentou pensar positivo. Afinal… ela não podia ser tão ruim assim, ou podia? 

 

A resposta não tardou a vir. Após uns longos instantes analisando a multidão e torcida do lado de fora, Sakura voltou seus olhos esverdeados para Ayumi antes de cochichar em direção à perolada: 

 

— O que será que ela fez para conseguir um público tão grande? — Hinata franziu o cenho e olhou pela janela se surpreendendo com o que viu. Grande parte delas parecia ir à loucura ao indicarem torcida à Ayumi, mas o que mais chocou a jovem Hyuuga foi o que observou em relação a si: várias pessoas portavam cartazes com seu nome e frases de incentivo, e se sentiu emocionada ao constatar que tantas pessoas torciam por ela. Quando o carro parou, os seguranças saíram para escoltá-las, as outras candidatas foram na frente enquanto Hinata estancou ao sair do veículo e contemplar a infinidade de rostos sorrindo para ela. 

 

Até que sentiu a barra da sua blusa ser puxada e olhou para baixo, contemplando uma linda mocinha de cabelos negros e olhos azuis cintilantes. Abaixou-se para ficar na mesma altura que ela e acariciou seus cabelos. 

 

— Hinata! Poderia me dar um autógrafo? — A menininha pergunta com seus olhos brilhantes em expectativa, aquecendo completamente o coração de Hinata, que apenas assentiu e fez o pedido. Nunca havia se imaginado naquela situação, estava habituada a ser alguém de importância basicamente nula para as pessoas ao seu redor. E então, de repente… estava dando autógrafos para alguém que a considerava digna daquilo. Era… surreal.

 

A perolada se despediu de sua nova amiguinha e seguiu em frente, parando a todo instante para dar atenção a todos que lhe solicitavam, ela sorria, abraçava e distribuía autógrafos e beijos. Seu coração batia forte e aquecido por todo aquele amor e carinho que estava recebendo. 

 

O processo demorou mais tempo que o esperado, e quando finalmente juntou-se a seu grupo, Sakura a olhava impaciente e Ayume tentava disfarçar sua breve irritação também por Hinata tê-las atrasado. Apenas Ino parecia tão radiante quanto a Hyuuga, pois tinha uma ótima intuição quanto a perolada. Acreditava ser uma pessoa boa, amorosa e justa, tudo o que uma princesa deveria.

 

— Já acabou, estrela? — Questionou Sakura, irritada. 

 

— Sim. — Hinata respondeu radiante, ignorando o sarcasmo presente na fala da Haruno. Todo o amor recebido por aquelas pessoas havia lhe dado coragem para enfrentar o que viria pela frente. 

 

Mais uma vez, o grupo se locomoveu até a entrada do Palácio, onde foram abordadas por uma equipe de criadas completamente exaltada.

 

— As senhoritas estão muito atrasadas — uma delas disse, e cada uma agarrou uma das selecionadas pelo braço.

 

— Vamos! Não há tempo a perder!

 

— Depressa!

 

As jovens mal tiveram espaço para absorver o que se passava, foram praticamente arrastadas por entre os corredores que mais pareciam labirintos até uma sala específica. 

 

“Labirintos muito luxuosos…”, Hinata pensou, tentando gravar o que via pela frente. 

 

Já na porta imponente que revelou um Grande Salão repleto por câmeras, entrevistadores e repórteres, as meninas foram separadas e a Hyuuga foi deixada aos cuidados de Lee, um jovem estilista muito animado com sobrancelhas bem marcantes que a cumprimentou animadamente com lágrimas nos olhos, pouco se importando se tinham ou não intimidade. 

 

— É uma honra tê-la ao meu cuidado, faremos com que a chama da juventude floresça na senhorita! — exclamou emocionado e Hinata poderia jurar ter visto um brilho estranho nos olhos dele ao dizer a frase. Em seguida, fez um joinha e piscou um dos olhos para uma de suas assistentes. — Então, falaremos agora sobre a imagem da senhorita. Qual impressão gostaria de passar? Sedutora? Recatada? Misteriosa?

 

— Como? — Hinata perguntou vendo o homem mexer as sobrancelhas constantemente e gesticular a cada palavra dita. Como alguém podia ser tão expressivo? — Bem… Eu não gostaria de mudar muita coisa. 

 

— Tudo bem então, como disse, faremos com que a chama da juventude floresça na senhorita, então apenas iremos melhorar a beleza exótica e singular que já possui — abriu um enorme sorriso, tão branco que poderia ver até mesmo uma pequena estrelinha brilhante entre eles. A jovem até piscou algumas vezes para confirmar se não estava louca. 

 

Logo, o estilista chamou um grupo de mulheres que dariam início a sua transformação. Foi direcionada a uma estação privada onde teve seu corpo completamente esfoliado até ficar vermelho e depilado, para ser impregnada de creme cujo aroma era de baunilha em seguida. Ao final da tortura sentia seu corpo sensível, mas foi encaminhada à outra estação, onde um grupo se reuniu em volta da jovem tomando conta das unhas de suas mãos e pés, e sob indicações e pedidos de Hinata, apenas as lixaram e passaram base. Finalizadas as unhas, foi direcionada até o cabeleireiro que ficou impressionado com as madeixas preto azuladas. Ele lavou, hidratou, cortou as pontinhas com a autorização da morena e enfim o escovou. Hinata alisou seus cabelos e nunca antes os sentiu tão macios e sedosos. Um grande espelho foi posto à sua frente, além de uma arara de roupas que estava ao seu lado. Ali tinham mais opções que em toda a sua vida, e a jovem se permitiu ficar surpresa. 

 

No reflexo do espelho, pôde visualizar Sakura, que gritava ininterruptamente com todos os funcionários desde que havia chegado. Entretanto, agora estava ainda mais chamativa: suas madeixas, antes naturalmente loiras e impecáveis, agora continha uma tonalidade rosa claro. A maquiagem pesada a deixava praticamente irreconhecível, e o vestido chamativo fazia os olhos de qualquer observador doer. Hinata optou por um vestido clássico atemporal na cor lilás - sua preferida e representante de sua província - e saltos bloco, uma vez que não estava habituada a usá-los. Um broche com seu nome em uma fonte desenhada e brilhante foi posto em seu busto, então finalmente encarou novamente seu reflexo no espelho e sorriu satisfeita com o resultado. Nunca antes se sentiu tão linda, mas ainda feliz por parecer ela mesma. As outras candidatas - excetuando Ino, que não havia mudado quase nada também - estavam completamente transformadas a ponto de se tornarem irreconhecíveis, mas como Hanabi disse, deveria ser ela mesma. Não mudaria o que é por causa de ninguém, seja príncipe ou não. 

 

— Espere, câmeras venham cá — uma repórter cravou seus olhos em Hinata, fascinada — Você. Não mudou nada? 

 

— Bem… pouca coisa — a jovem respondeu, intimidada com tamanho fascínio. 

 

— Por quê? Pode nos explicar o que fez durante todo o processo? — apontou seu microfone para a boca da Hyuuga, enquanto a câmera a focava. Tratava-se de uma edição especial para o Jornal Oficial, que demonstraria como estava sendo o primeiro dia das Selecionadas.

 

— Eu… lixei e deixei que passassem base em minhas unhas e… lavei o cabelo — respondeu, completamente desconfortável. Entretanto, algo mais interessante pareceu chamar a atenção da repórter, que correu pelo Grande Salão sem mesmo se despedir, o que foi um alívio para Hinata. 

 

Passados os últimos momentos, uma mulher de madeixas negras chamada Kurenai chamou a atenção de todas e pediu para que a seguissem até a sala de jantar. Hinata não conseguia parar de admirar tudo o que via pelo caminho, apenas um item daquela decoração pomposa garantiria um ano de comida ou mais para sua família. Era a hora do jantar… agora estariam todos assentados à mesa, rindo e contando como foi o dia. Como eles estariam? Só esperava que estivessem bem… 

 

Kurenai parou subitamente e organizou as moças de forma que assentasse cada uma em seu lugar destinado.

 

— Essa noite não jantarão com a família real, as senhoritas irão conhecer o príncipe amanhã de manhã, nem antes ou depois disso. Após o jantar, serão direcionadas aos seus determinados quartos e só podem sair de manhã. Passeios pela propriedade só serão permitidos com a autorização do príncipe, qualquer violação das regras consiste em expulsão imediata do castelo e retorno para suas determinadas províncias. — As garotas assentiram e fizeram o jantar em silêncio, a única voz que sobressaltava o ambiente era a de Kurenai que corrigia as maneiras de todas à mesa e as instruía como deveriam agir se estivessem presentes ali o Rei, a Rainha e o Príncipe. 

 

Mesmo sob as circunstâncias que ocorriam ao seu redor, a Hyuuga desfrutava do jantar com enorme prazer. Antes, achava a comida de sua mãe deliciosa. Mas, se aquilo era delicioso… como poderia descrever a comida do palácio?! Era algo absolutamente inigualável! 

 

Temendo estar parecendo uma morta de fome, tentou fazer um esforço para disfarçar e voltar sua atenção às orientações e broncas da responsável pelas Selecionadas.

 

A única que passava sem reprimendas era Sakura, que mantinha um sorriso convencido no rosto ao ser elogiada por Kurenai. A maioria das participantes ali presentes mal tinham acesso à comida de verdade, imagine ter boas maneiras à mesa. 

 

Após a refeição, como Kurenai dissera, foram enfileiradas e escoltadas cada uma a seu aposento. Hinata tentava memorizar o caminho, mas se perdia entre prestar atenção às orientações e admirar os ambientes ricamente adornados. Foi deixada à porta de seu quarto e tocou na maçaneta com dedos hesitantes, por fim girou a mesma e adentrou o ambiente. 

 

O quarto era enorme, caberia sua casa inteira ali dentro facilmente. Assentadas no que deveria ser sua cama estavam três moças, que ao vê-la se sobressaltaram assustadas, alisaram a saia do vestido e fizeram reverências sem sincronia por estarem atrapalhadas.

 

— Senhorita Hinata! Que bom finalmente conhecê-la! Eu sou Shizune, essas são Konan e Ayame, somos suas criadas. Tudo o que precisar pode nos pedir, não hesitaremos em servi-la imediatamente. — Hinata assentiu, um tanto encabulada diante a cena. Pessoas a serviriam, e não sabia como se sentia em relação a isso ainda. Aquilo seria realmente necessário? Podia se cuidar sozinha. 

 

— Eu... eu agradeço e, bem… hã... muito prazer. Mas agora eu gostaria muito de ficar sozinha, se não for um problema.

 

— Tem certeza, senhorita? Não gostaria que lhe preparámos um banho antes? 

 

— Não, eu estou bem. Só desejo descansar… foi um dia cheio. Muito obrigada, de qualquer forma — Relutantes as mulheres assentiram e se retiraram do aposento. Hinata suspirou aliviada, finalmente estava sozinha depois de um dia tão corrido. 

 

Começou a explorar o enorme quarto, abriu as gavetas e encontrou roupas íntimas novas, camisolas, vestidos e maquiagens… era tudo tão lindo e luxuoso! Nunca na vida poderia imaginar que um dia teria a seu dispor tantas coisas assim.

 

Puxou uma camisola macia e se vestiu, colocou o outro vestido em um cabide e guardou de volta no guarda roupa. Fez o mesmo processo com a sandália e puxou uma pantufa fofinha, calçando-a em seguida. Só então percebeu o quanto estava mesmo cansada, aquele dia agitado cobrou seu preço. Ela se deitou na cama incrivelmente confortável e não evitou pensar em sua família novamente, nunca antes imaginou que dormiria em uma cama como aquela, e lá estava ela, em um palácio, comendo comida de verdade, vestindo roupas caríssimas e competindo pelo coração de um príncipe. Finalmente cessou seus pensamentos enquanto embarcava em um sono pesado e sem sonhos.


 

♘ ⌜♛ ♕ ⌟  ♟


 

Hinata foi acordada com entusiasmo pelas três criadas no dia seguinte, mas não conseguia imaginar o porquê de tamanha agitação por parte delas e decidiu não questionar. Foi informada que seu banho estava pronto e que precisava se apressar para não se atrasar para o café da manhã, e assim finalmente a morena acordou do torpor: estava prestes a conhecer a família Real! 


 

Levantou com uma súbita animação e seguiu para o banheiro, encontrando uma banheira cheia e perfumada pronta para recebê-la. Relaxou por alguns minutos e a criada de cabelos roxos, Konan, ofereceu para ajudá-la a se lavar, mas Hinata declinou educadamente. Achava aquilo muito estranho, alguém lavando seu corpo… arrepiou com a ideia e balançou a cabeça, era algo totalmente fora de cogitação. Terminou de se lavar e se secou com a toalha, enrolou um roupão felpudo no corpo e voltou para o quarto onde as três criadas a aguardavam ansiosas.

 

— Agora sim… bom dia. — Disse com um sorriso que elas prontamente corresponderam. 

 

— Bom dia, senhorita — As três responderam em uníssono e lhe guiaram até a cadeira em frente à penteadeira. Hinata se assentou e logo começaram a trabalhar em seu cabelo e maquiagem, aparentemente elas conheciam seus gostos, uma vez que a maquiagem foi básica, destacando os olhos e os lábios, fizeram uma trança lateral em seu cabelo e deixaram alguns fios soltos que foram ondulados com um metal circular de aparência quente. 

 

Novamente estava linda e sorriu agradecendo à sua equipe, mas as mulheres pareciam ainda aguardar por algo e Hinata entendeu que elas queriam vesti-la.

 

— Essa parte eu posso fazer sozinha… muito obrigada. — As mulheres olharam umas para as outras sem entender, já que era uma de suas funções e não viam problemas nisso. — É sério, eu sou meio tímida e ontem já mexeram bastante com meu corpo… poderiam me dar um pouquinho de privacidade? — As mulheres assentiram e saíram do cômodo, deixando a morena só. 

 

Hinata suspirou e alisou o vestido que estava cuidadosamente disposto em cima da cama, era de um lilás mais claro que o do dia anterior, clássico e rodado, elas pareciam conhecer seus gostos e Hinata se regozijou com isso. O salto como no dia anterior era em bloco, porém um pouquinho maior, a morena o calçou esperando pela dor nos pés e esta não veio, era extremamente confortável, assim como o vestido. Admirou-se no espelho e sorriu, poderia se acostumar facilmente a isso. 

 

As criadas bateram na porta após alguns minutos e Hinata autorizou a entrada, então quando a viram suspiraram e sorriram, elas estavam torcendo por aquela moça que parecia tão humilde e gentil com todos.  

 

— Senhorita, precisamos levá-la ao Salão das Mulheres, nos acompanhe por gentileza. — Shizune informou e em seguida se virou sendo seguida pelas outras. 

 

Hinata tratou de segui-las de perto, mas se perdia constantemente como no dia anterior ao admirar todos os quadros, painéis de parede, tapetes e afins. Não sabia por quanto tempo a mais poderia permanecer naquele local, então pensou que talvez pudesse se dar ao luxo de ficar deslumbrada com o que encontrava em seu caminho. Olhava rapidamente e tornava a seguir suas guias apressadas, mas elas mudavam constantemente de direção nos corredores e às vezes era difícil acompanhá-las. A morena se esforçava ao máximo para manter o ritmo em cima dos saltos, porém uma pintura específica lhe chamou a atenção, prendendo seu olhar ali por longos instantes, muito a mais que nas obras anteriores. 

 

Era o príncipe Naruto, com o seu cachorro grande e peludo, a língua do animal pendia para fora em um tom arroxeado estranho. Mas o que mais lhe cativou naquela imagem foram os olhos do príncipe, tão ternos e azuis como águas cristalinas. Imaginou se também seriam assim de perto. 

 

Não soube por quanto tempo admirou aquele quadro, até que sentiu seu corpo bater com força no chão e em seguida começar a ser lambido. Fazia cócegas e não evitou o riso, esquecendo até mesmo das boas maneiras. Quando finalmente pôde se recompor, viu o cachorro da pintura, ainda extasiado lhe desferindo carinhos animados, como se a conhecesse há muito tempo.

 

— Oi garoto! Qual o seu nome? — Hinata sorriu e fez carinho atrás de sua orelha, fazendo com que o animal se rendesse completamente à ela.

 

— Kurama!!! — Ouviu uma voz grave gritar o nome que provavelmente era do animal e se sobressaltou com o susto. — Oh não, esse cachorro… você só pode pular em mim, Kurama! Quantas vezes tenho que dizer? — O homem continuava ralhando com o animal, até que Hinata resolveu se pronunciar.

 

— Foi minha culpa, acabei me distraindo… Não brigue com ele — Hinata que até então mantinha a cabeça abaixada acariciando o animal, finalmente levantou o rosto e se deparou com as safiras brilhantes da pintura que admirava apenas alguns segundos atrás, constatando que eram ainda mais encantadoras pessoalmente.

 

Então, a Hyuuga arregalou seus olhos perolados, finalmente entendendo a situação. Aquele era o Príncipe, e ela estava ridiculamente caída no chão. Que ótima primeira impressão estava passando!

 

Assegurando-se de que Kurama estava melhor controlado, Naruto aproximou-se o suficiente de Hinata para tocá-la, e se inclinou antes de dizer: 

 

— Bem, nesse caso… você está bem, minha querida? — ele estendeu uma de suas mãos na direção da jovem, genuinamente preocupado com seu estado. Enquanto Hinata só pensava que aquele era o príncipe, deixando memórias voltarem à sua mente em instantes.

 

“... propriedade exclusiva do Príncipe.” 

 

“... deve estar apta e pronta para com sua Alteza Real.”

 

Hinata começou a hiperventilar, mal chegou no castelo e ele já estava a chamando de “minha”. O teor de posse do apelido lhe remeteu a todas as coisas horríveis que o homem disse que deveria se submeter, ela não era dele. Sem pensar, levantou-se sem a ajuda dele e respondeu absolutamente ríspida, disposta a lhe demonstrar quão insatisfeita estava com aquela ideia.

 

— Estou bem, Alteza. Apenas me perdi, eu precisava ir até o Salão das Mulheres — Naruto estranhou o tom frio da mulher a uma simples oferta de ajuda e resolveu tentar de novo.

 

— Ah sim, esse lugar é um labirinto às vezes! Eu posso acompanhá-la, minha querida. — E, de novo, “minha”. Hinata respirou fundo e tentou se convencer de que ele nada estava fazendo de mais, apenas estava sendo solícito. Nesse momento suas criadas apareceram afobadas.

 

— Oh, senhorita! Precisamos ir imediatamente. — Shizune chegou apressada e congelou ao notar o príncipe parado ali, se alguém soubesse que eles se encontraram antes das outras tudo estaria acabado para Hinata. Fez uma mesura respeitosa e pegou Hinata pela mão delicadamente, esta agradecida por ser retirada da presença daquele homem.

 

— Minha querida, espere! Só preciso falar algo com ela antes, sim? — Shizune assentiu e deu privacidade aos dois, mas Hinata estava com os nervos à flor da pele. Aparentemente, aquele homem convencido chamava todo mundo de dele com a maior naturalidade do mundo, mas ela não era qualquer uma. — Então, você não me respondeu… Está tudo bem com você, minha querida? — Por fim, Hinata explodiu.

 

— Não sou sua querida! — exclamou, furiosa. 

 

O príncipe, ao notar sua expressão enraivecida, encolheu-se diante o susto, dando ainda mais forças para que Hinata prosseguisse seu discurso, completamente intimidadora: 

 

—  Não me chame assim. Podem dizer que te pertenço, mas não é verdade. Não vou permitir que me toque sem minha permissão. — Por fim se virou, pegando uma Shizune atordoada pelo braço e deixando o príncipe completamente embasbacado para trás.

 


Notas Finais


EU NÃO SOU SUA QUERIDA!!!! Claro que nós não poderíamos deixar essa fala icônica de lado, não é? Bem, pelo menos as joias reais do Naruto se salvaram ASUAHUSHUAHUHSUA
Espero que tenham gostado, não se acanhem em comentar pois assim que pudermos responderemos vcs, eu sou uma das atrasadas em responder comentários mas juro que vou dar meu melhor pra responder, sou desprovida de coragem 🤡
Mas eu me despeço por aqui, nos vemos na sexta que vem! Um ótimo final de semana a todos <3
Beijocas da Rafola


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...