História A Seleção . Jikook - Capítulo 40


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, tudo bem?
Boa leitura e até as notas finais.

Capítulo 40 - Especial 06. O príncipe.



Segurei a gravata azul. Não. A creme? Não. Será que todos os dias será um trabalho para me vestir? 

Queria passar uma boa primeira impressão aos garotos- e uma boa segunda impressão a um deles-, mas precisava escolher a gravata certa. Deixei escapar um suspiro. Aqueles garotos já estavam me mudando. 

Tentei seguir o concelho de minha mãe e ser eu mesmo, com meus defeitos e tudo. Escolhi a primeira gravata que tinha pegado, terminei de me vestir e ajeitei meu cabelo o deixando com a franja para frente.  Sem testa a mostra.

Assim que abri a porta de meu quarto pude ver Jisoo e meu pai parados no corredor. Quando me viram, andaram rápido até minha direção. 


- Se lembre que eles estão nervosos- Jisoo disse, pegando uma de minhas mãos. - Seu dever é fazer eles se sentirem em casa.


Ela parecia mais nervosa que eu.

- Aja como um príncipe- meu pai disse, sério como sempre. - Sempre mostrando autoridade.

- Mas apesar de tudo seja você mesmo, filho- minha mãe cortou, roubando minha atenção. 

- Não mantenha nenhum a força. Seja educado. 

- Seja confiante. 


Meu pai bufou.

- Isso não é uma brincadeira, Jeon Jungkook. Leve a sério. 


Tomei fôlego e andei apressadamente pelos corredores, em direção ao salão que os selecionados estariam a me esperar.  Tudo parecia estranho, murmúrios chegavam em meus ouvidos uma hora e outra, o que me dava mais anseio. 

E então me recordei que veria Jimin mais uma vez. No mínimo, seria divertido. Com isso em mente, avancei e abri a grande porta do salão dos selecionados. 

Lá, atrás dos guardas, o bando de garotos me esperava. As câmeras fotografavam minhas reações e as deles. Sorri para seus rostos esperançosos. Fiquei mais calmo ao perceber que não pareciam forçados a estar ali.


- Majestade. 


Olhei para trás e me deparei com Joy, que terminava sua reverência. Quase me esquecerá que ela acompanharia tudo.


- Olá, Joy. Se importaria se me apresentasse aos garotos?


Ela concordou, mexendo em seus cabelos escuros e sedosos.

Procurei os cabelos claros, puxados ao tom rosa bebê. Demorou um pouco, por conta dos cabelos e jóias nos outros selecionados. Afinal o encontrei, em uma das fileiras dos fundos; ele me olhava de um jeito diferente dos outros. Sorri, gesto que ele pareceu confuso ao ver.


- Senhores - comecei, colocando meus braços por trás das costas. - Chamarei cada um individualmente para conseguirmos conversar por uns instantes.  Acredito que alguns possam estar com fome, portanto tem alimentos na mesa a esquerda. E por favor, me perdoem se eu demorar a decorar seus nomes. Vocês são muitos.


Alguns riram. Fiquei feliz ao perceber que conseguia identificar alguns garotos, ao menos o primeiro da ponta.


- Olá, Hysuo. 

- Olá,  Alteza. 



Ele abriu um sorriso tão largo que tive a impressão que suas bochechas iriam rasgar. Deviam doer.

- O que está achando do palácio? 

- É lindo. Nunca vi algo assim antes. É muito lindo. Nossa,  eu já tinha dito isso antes, né? 


Sorri.

- Tudo bem. O que fazia em casa antigamente? 

- Sou cinco. Eu costurava, para ser honesto. 



Tentei fingir interesse, mas ele não me empolgava nenhum pouco. 

- Hum, obrigado!  Quantos irmãos você tem? 


Após doze minutos, terminamos nossa conversa e nossa... ele havia dito a palavra "lindo'' muitas vezes. Percebi que não havia gostado da conversa. 

Eu precisava seguir em frente e não queria o iludir. O garoto não me despertou emoção, deveria o eliminar já de início, para não criar expectativas. 

- Obrigado por nossa conversa, Hysuo- eu disse, me levantando e estendendo a mão. - Poderíamos conversar depois do jantar? 

- Claro- ele corou.



Prossegui, me sentindo mal por ele ter entendido errado.







- Bom dia, Senhor Sehun. 

- Bom dia,  Alteza - ele disse, fazendo uma reverência. 




Sua voz era grossa, e sua beleza era radiante. Sentei-me. 


- Ouvi dizer que você é modelo.

- Sim - ele sorriu, atraente. - Principalmente de roupas. Dizem que tenho um bom corpo. 



Sorri um tanto sem graça. 

- Gosta do seu trabalho? 

- Sim. Até porque amo fotografia.


Me empolguei.


- É, fotografia é uma das mais belas artes.

- Você também acha? Podemos tirar várias fotos qualquer dia.

- Eu adoraria.



Conversamos por muito tempo e tive que dar um ponto para conseguir falar com os outros. Em sua saída, ele me olhou de uma forma que me deixou vermelho, não sabia explicar o porquê daquilo. 


Um garoto com cabelos vermelhos foi o próximo. Estendeu sua mão. 


- Olá, sou Kim Taehyung. 


Olhei para sua mão e quando fui esticar a minha, ele recuou.


- Ah não!  Deveria fazer a reverência. 


Eu ri.

- Me sinto idiota!  Era a coisa mais básica.

- Não se preocupe, meu querido- assegurei.- Já fizeram coisa pior.

- Sério? 

- Sim, mas não contarei detalhes. Pelo menos você tentou ser educado. 




Nossa conversa também foi empolgante. Taehyung era um garoto amável e companheiro,  além de que tinha um senso de humor incrível e... um radiante sorriso quadrado. 

Mais garotos passaram pelo sofá, até que vi seu olhar diferente sobre mim. Lá estava ele, Jimin, ele me olhava diferente.


- Jimin, certo?- eu brinquei, apontando o sofá. 

- Sim, sou eu. Sei que já ouvi seu nome antes mas não lembro. Pode me refrescar a memória? 


Sorri e aproximei meu corpo do dele, indo mais para frente. 

- Dormiu bem, meu querido? 


Seu olhar dizia que eu estava brincando com fogo, mas seus lábios traziam um sorriso. 


- Ainda não sou seu querido. Mas dormi. Assim que me acalmei, minhas criadas tiveram de me derrubar da cama.

-Fico feliz que tenha dormido bem... Jimin. 


- Obrigado. 


O sorriso então sumiu do rosto. 

- Mil desculpas por ter sido grosso ontem- ele disse, evitando me olhar nos olhos.- Tomei conhecimento de que, mesmo eu não gostando dessa situação não posso te culpar. Não é sua culpa que eu tenha me metido nessa história toda.


Que bom que alguém percebeu.


- Além  do mais- ele continuou. - Você me tratou bem naquele momento de dor. Enquanto eu, bem, fui péssimo. 


Senti meu coração acelerar. 

- Poderia ter me expulsado, mas não o fez. Obrigado. 



Sua gratidão me comoveu porque eu sabia que ele estava longe de ser mentiroso. Pensei no que falaria com ele, já que estava em uma posição mais confortável do que os outros garotos. 

- Jimin, você tem sido muito sincero comigo ultimamente. É uma coisa que admiro muito. Por isso te farei uma pergunta- ele concordou com a cabeça. - Se esta aqui por engano, quer dizer que não quer ficar aqui. Há alguma possibilidade...- corei.- De um dia... Você... ter sentimentos por mim?


Observei ele brincar com a ponta de seus dedos.


- Vossa Majestade é muito gentil- Sim!- e atraente...- Sim!- e atencioso- sim!


Eu sorria feito um idiota. Ficava feliz por ele ver pontos positivos em mim.


-Mas tenho motivos muito sérios para achar que não. 



Agradeci ao meu pai mentalmente por ter me ensinado a manter a postura.


- E quais seriam esses motivos sérios? 

- Acho... Acho que meu coração está em outro lugar. 


É claro que havia alguém a sua espera. Um jovem tão corajoso e bonito. Fui tolo.


- Quer que eu lhe deixe voltar para seu amado hoje?


Propus, forçando um sorriso.


- Esse é o problema. Não quero ir para casa.


Se Jimin não queria estar comigo nem com seu amado, o que queria? 


-Posso ser sincero? - concordei com  a cabeça. - Preciso ficar aqui, minha família precisa de mim aqui. Pelo menos uma semana, seria ótimo para eles.


Ele não queria a coroa mas eu tinha algo que lhe interessava.

- Precisa do dinheiro? 

- Sim- pelo menos ele teve a dedecadência de se envergonhar.- Também tem pessoas da minha província que não gostaria de ver. Que eu não conseguiria ver no momento. 


Pensei por uns instantes. Talvez fizesse sentido. Os dois não estavam mais juntos. Jimin ainda gostava dele. Ele não gostava do Jimin. Se eu pudesse enrolar meu pai por uma semana para esse favor...


- Se me permitir ficar aqui por um tempo podemos fazer um trato. 


Interessante! 


- Um trato?



O que diabos ele poderia me dar em troca? 


- Se me deixar ficar... tudo bem, veja só. Você é o príncipe. Fica ocupado organizando regras e guerras,  e agora deve arrumando tempo para meninos. E são trinta e cinco garotos! Na verdade, trinta e quatro. Não concorda que é cansativo? 


Embora parecesse piada era exatamente minha preocupação. Concordei com a cabeça novamente. 


- Não acha que seria melhor se tivesse alguém para te ajudar? Tipo... um amigo? 


- Você quer ser meu amigo? 


- Sim. Se me deixar ficar, posso ajudar. Serei seu amigo. Não precisa se preocupar em me conhecer melhor. Já sabe que não quero nada. Mas pode falar comigo o momento que desejar. Ontem de noite você disse que queria um confidente. Bom, posso ser essa pessoa enquanto não acha o definitivo. Se quiser...



Se eu quisesse? Eu tinha escolha?

Mas eu poderia ter a companhia de Jimin quando desejasse me troca de sua presença. Meu pai me mataria se soubesse...


- Claro. Não teria como achar melhor amigo melhor que o senhor. 



Notei seu corpo ficar mais confortável. 


- Acha que ainda posso te chamar de meu querido?-sussurrei. 

- Sem chance. 



Não sabia se ele estava brincando mas arrisquei:


- Vou continuar tentando. Não desisto fácil. 


A sua expressão mudou para quase irritada.


- Você chama todos de meu querido? - ele perguntou, apontando os garotos com a cabeça. 


- Sim, e todos parecem gostar.



- É exatamente por isso que não gosto. 



Jimin se levantou, pondo um fim na conversa. Não pude deixar de ficar impressionado com ele mais uma vez. Nenhum dos outros quis acabar com a conversa. Ele saiu, depois de lançar um sorriso.

Sorria comigo mesmo pensamento em Jimin. O comparava com os outros. Ele era lindo, ainda que um pouco rústico. Era uma beleza incomum, e pude reparar que ele não tinha consciência disso. Ele não parecia ter nenhum ar da realeza. Embora tivesse um orgulho nobre da realeza. E claro que ele não tinha sentimentos por mim. Embora eu continuasse a desejar de ir atrás dele.

E foi aí que Jimin me deu uma oportunidade sem perceber na Seleção: a verdadeira chance de tentar.










Notas Finais


E então?
Gostaram?
Bsijoss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...