História A Serpente e o Leão - Scorose (GRCPNR - Temporada II) - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Potter, Astoria Greengrass, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Hugo Weasley, Lílian L. Potter, Ronald Weasley, Rose Weasley, Scorpius Malfoy
Tags Amizade, Amor, Harry Potter, Romione, Scorose
Visualizações 302
Palavras 2.462
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 31 - Conflitos


Fanfic / Fanfiction A Serpente e o Leão - Scorose (GRCPNR - Temporada II) - Capítulo 31 - Conflitos

POV Rose

 

Estava preocupada com Scorpius, ele não tinha retornado qualquer carta e só soube do resultado do julgamento porque mamãe enviou uma carta me contando tudo, tínhamos voltado para Hogwarts na tarde de domingo. Hugo ainda estava magoado com a partida de vovó e não saiu do dormitório no dia anterior, resolvi ir atrás de Alvo depois do jantar.

- Rose eu acho que ele deve estar muito ocupado com as tarefas e o problema do julgamento, ele só me respondeu uma carta curta falando que o Sr. Malfoy foi liberado, mas a dona Narcisa vai pegar um ano em Azkaban – Alvo comentou preocupado – Sinto muito.

- Eu o conheço, sei que está me evitando e isso é ridículo Alvo, ele acha que só ele tem conflitos? Eu vi as lembranças de papai e já sei de tudo – Disse irritada, Alvo me olhou surpreso – Ele pensa que é fácil? Mamãe ficou abalada só de lembrar e papai então pior, agora eu sei de todo sofrimento que a família dele causou a nossa, mas mesmo assim estou disposta a enfrentar tudo com ele e ele simplesmente desisti por uma coisa que o avô dele fez? Não me parece nada justo, tudo o que ele me falou foram só palavras? – Insisti furiosa.

- Rose você sabe que Scorpius te ama, eu realmente acho melhor você falar com ele. Meu amigo pode apenas estar precisando de um tempo para colocar a cabeça no lugar, vocês mulheres são muito desesperadas para respostas imediatas e às vezes precisamos só de um pouco de espaço – Ele disse com sinceridade.

- Tudo bem, obrigada! – Respondi ainda irritada.

- Espera, como está Hugo? – Ele perguntou.

- Fechado, sabe como ele é... puxou ao papai, não quer falar com ninguém, pelo menos está voltando a comer e isso já é um bom sinal – Comentei observando meu irmão jantando naquela segunda, no domingo mal tinha comido nada.

- Scorpius voltará amanhã pela manhã, não temos nenhuma aula juntos amanhã, mas acho que podem conversar nos intervalos ou nas refeições!- Alvo finalmente me deu uma notícia boa.

- Obrigada! – O abracei e voltei para minha mesa.

 

*****

POV Hugo

 

Ainda me sentia muito triste, nunca tinha perdido ninguém, quando o meu avô por parte de mãe faleceu eu era apenas um bebê e mal lembrava dele. Rose por outro lado tinha uma memória absurda e por ser mais velha se lembrava de muito mais coisas, até mesmo do dia em que ele morreu, ela tinha me contado o quanto sentia sua falta e como era difícil, mas nunca tinha imaginado que doía tanto. Não sentia a menor fome e não queria conversar com ninguém, era uma sensação estranha, no dia do velório não parecia real e quando fui para a casa dos Potters simplesmente passei por um bloqueio, por algumas horas senti como se minha avó estivesse só passando um fim de semana com o namorado e que quando voltasse para casa ela estaria lá, mas senti toda dor da perda de novo quando cheguei em casa e ela não estava lá.

Ajudei mamãe a guardar os pertences dela, ela tinha resolvido que ia doar tudo como vovó já tinha pedido durante uma conversa sobre o vovô. Mamãe guardou apenas alguns livros para ela, deixou um lindo colar de pérolas para Rose e me deu um anel com pequenas pedrinhas, ela disse que vovô tinha dado a minha avó quando namoravam, ele era uma peça muito antiga, mamãe falou que meu avô sempre falou que deveria ficar comigo para entregar a uma garota especial quando soubesse que ela ficaria ao meu lado pelo resto da vida. Agora não largava aquele anel, não mostrei a ninguém, nem mesmo a Rose, já sabia quem eu queria que fosse a nova dona daquela pequena joia.

Mamãe me ligou preocupada ainda naquele mesmo domingo à noite quando voltamos para a escola, Rose sem duvida tinha me dedurado.

- Precisa comer meu amor, sua irmã falou que não saiu do dormitório hoje e que só teve notícias suas por Louis. Me prometa que amanhã vai fazer todas as refeições, sua avó não ia querer você doente! – Ela disse séria e acabei prometendo, teria que sair para as aulas de toda forma.

(...)

- Hugo? Hugo? – Lily me cutucou durante a aula de poções – Você está bem? – Ela perguntou preocupada e apenas confirmei com a cabeça – Rose falou que não comeu nada e não te vi no café, vou avisar a tia Mione que não está comendo! – Ela me ameaçou.

- Já não me basta Rose sendo dedo duro? Achei que era minha amiga – Reclamei.

- Eu sou, me preocupo com você assim como sua irmã. Vou te seguir até você voltar ao normal! – Ela decretou de forma mandona, Lily era igual minha tia Gina, geniosa como ela. Uma vez vi mamãe comentar que ela era assim porque cresceu com mais seis irmãos homens e que precisava impor respeito e Lily também tinha dois irmãos que adoravam mandar, mas ela claramente os tinha nas mãos assim como tia Gina. Papai apesar de sempre reclamar de minha tia a obedecia assim que ela gritava com ele, mamãe sempre ria dos dois.

- Como quiser! – Reclamei, Lily sorriu e se afastou para pegar fios de veela para a própria poção.

- Por que ela não pegou um fio do meu cabelo? – Louis a observou se afastando – E deixa de ser idiota, tudo o que sempre quis foi ficar colado em Lily, agora que conseguiu por escolha dela fica afastando ela? – Ele me repreendeu.

- Acho que você não tem moral nenhuma, por que anda evitando Scarmander? Ele está sempre me perguntando onde você está e você sempre some quando ele se aproxima – O surpreendi.

- Não sei do que está falando, vivo conversando com Lorcan. Fazemos até dupla quando temos aula com a corvinal já que você sempre fica com Lily – Ele mudava de assunto.

- Estou falando de Lysander, eu vejo que desaparece sempre que temos aulas com a lufa lufa, é ridículo como puxa Lily para fazer dupla para evitar ele – Comentei.

- Deixa de ser egoísta, já é a dupla dela em feitiços, posso ficar com minha adorável prima em trato das criaturas mágicas! – Ele disfarçou.

- Lily é péssima nessa matéria, quem melhor que um Scarmander para isso com dois pais magizoologistas? Ah você que sabe, só sei que eu ganho com isso, fazer dupla com Lysander vai me ajudar a passar nessa matéria horrível, por sorte Hagrid é amigo da família ou já teria me expulsado da aula dele porque sou ainda pior que Lily! – Disse sorrindo pela primeira vez.

- Acho que está imaginando coisas! – Louis mentia – É diferente, você gosta de Lily e nós dois somos apenas amigos, somos dois garotos lembra? – Ele se atrapalhava.

- Ser do mesmo sexo não impede nada e claramente os dois não sentem apenas amizade um pelo outro, não sei por que está se enganando! – Insisti impaciente.

- Você ficaria com outro homem? – Ele ergueu a sobrancelha.

- Acho que não, me atraio por garotas, mas se me apaixonasse por um por que não? Papai sempre fala que o importante é o amor e não se a pessoa é mestiça, homem ou mulher! – Dei de ombros.

- É fácil falar, já me acham delicado por ser meio veela e com duas irmãs que chamam a atenção, sou o único homem, meu pai não precisa de mais uma garota! – Ele comentou sério.

- Está brincando? As garotas piram em você porque é todo bonitão não estou surpreso que está chamando a atenção até dos caras! – Sorri – E o que uma coisa tem haver com a outra? Gostar de garotos não o diminui em nada como homem e duvido que nossa família não apoie, está sendo ridículo – Disse revirando os olhos.

- Não sou gay! Gosto de garotas – Ele mentia.

- Pode até gostar, mas gosta de meninos também! – Disse e ele me fuzilou com raiva.

- Por que estão brigando? – Lily apareceu – Revirei o estoque e não achei cabelos de veelas, com licença Louis! – Ela arrancou alguns fios dele – Espero que cabelos de mestiços tenham o mesmo efeito! – Lily comentou distraída enquanto jogava tudo no caldeirão.

- Nada estávamos falando de quadribol – Menti e Louis me agradeceu em silêncio.

- Ah Louis tinha que fazer o teste no próximo ano! – Ela sorriu - Estou só esperando Tiago se formar para tentar a vaga de apanhadora, não gosto das outras posições e contra ele não tenho chance! – Ela disse desanimada – O cabeça de vento do meu irmão tem talento, não ficaria surpresa se ele conseguisse entrar em um time profissional! – Lily falou com orgulho.

- Acho que vou tentar como artilheiro, quem sabe! – Louis comentou distraído.

 

****

POV Tiago

 

Voltei para a escola sentindo uma estranha falta de Key, não podia negar gostava de passar os fins de tarde livre com ela observando o lago. Key era carinhosa, nunca gostei muito desse tipo de agrados com outras garotas, ela que não podia nem imaginar que com ela era diferente, deitava minha cabeça em seu colo e fechava os olhos aproveitando a brisa e seus dedos acariciando meus cabelos. Naquela segunda não a encontrei em lugar nenhum, sai tão apressado que tinha até esquecido de nossa pequena discussão antes de partir, estava tão bravo que nem me despedi dela e ela por sua vez não tinha mandado nenhuma carta, ela era turrona e sempre me dava um gelo quando estava brava, mas sabia dobrar minha garota, dava um tempo para que ela esfriasse a cabeça e me aproximava no momento certo.

Naquele dia que papai veio nos buscar Key tinha ficado furiosa que presenciou quando eu beijei Emilia Giole uma colega dela da corvinal, tinha comentando que a achava bonita e que possivelmente ia acontecer e ela não gostou nada falando que não gostava daquela garota e que sabia que era apaixonada por mim, me pareceu uma crise de ciúmes e detestava aquilo. Tentei ser discreto, estava usando a capa na biblioteca no horário do jantar, iria mais tarde, aproveitaria que Key deveria estar jantando, ela sempre comia cedo e depois ficava conversando com Rose em nossa mesa, com sorte ainda conseguiria comer com ela em nossa mesa e depois que Rose fosse se encontrar com a serpente dela poderia trocar alguns beijinhos com Key. Tudo estava saindo bem, mas para minha surpresa Key e Rose apareceram na biblioteca procurando um livro de Runas, as duas eram muito nerds, aquilo não era hora de se estudar.

- Vai adorar Key! Esse livro me ajudou muito, acho que fica naquele corredor! – Rose apontou para nossa direção, Emilia sorriu e antes que pudesse segurá-la ela tirou nossa capa e pegou um livro mostrando as duas.

- Aproveite o livro Key, enquanto eu aproveito o seu namorado! – Ela a provocou, Key ficou paralisada, vi seus olhos enchendo de água, odiava quando ela chorava, soltei a garota e tentei me aproximar, mas Rose entrou na frente – Fica enchendo a boca para falar que namora Tiago e ele mesmo me falou que não tem namorada! – Me xinguei mentalmente por ter falado aquilo, mesmo minha relação com Key não sendo exatamente um namoro. Key saiu correndo e Rose fez sinal para que não as seguisse. – Pronto meu amor, agora está solteiro e podemos ficar juntos! – Emilia se jogou em meus braços e a empurrei.

- Não se iluda foram só uns beijinhos e não estou solteiro! – Sai da biblioteca furioso. Não encontrei mais Key naquele dia, apenas Rose que e deu um sermão do tamanho do mundo antes de papai aparecer e nos mandar arrumar as coisas.

Tinha escrito me desculpando, mas Key não tinha respondido nada. Apesar de saber como nossa relação funcionava, sabia que tinha quebrado a regra de ficar com outra na sua frente, mesmo que a situação tenha saído do controle, Key nunca tinha comentado em ficar com ninguém, sentia um alivio estranho com isso estava nos melhores do mundo já que apesar dela poder parecia só querer ficar comigo e ainda podia ficar com outras. Estava aproveitando minha vida mista, mas não era idiota comecei a perceber que estava muito mais seletivo, Key era minha prioridade preferia gastar meu tempo ao seu lado do que com qualquer outra garota, não era mais tão mulherengo só ficava com as que mais me atraiam e isso diminuía cada vez mais.

- Ela está te dobrando cara! Não quis ficar com Fernanda Clusion, está maluco? Essa garota está te amarrando sem você nem perceber! – Fred zombou da minha cara no dormitório logo depois de uma festa após vencermos um jogo, Fernanda tinha tentado me beijar, mas desviei.

- Está certo, a próxima não me escapa, só preciso avisar Key antes! – Disse.

- Claro vai avisar sua dona cachorrinho! – Ele me provocava – E se ela disser não? Vai responder  “Sim senhora”? – Ele gargalhava me irritando.

Quando Key disse não quando comentei de Emilia fui frio e falei que ela não podia vetar aquilo que sempre a deixei livre para ficar com quem quisesse. Ela só pediu para que não visse nada e que se nos pegasse pagaria pelas consequências e concordei sabendo que nunca seria pego, mas Key estava certa aquela garota era maluca e estragou tudo. Rose estava cheias de problemas e não podia perguntar nada a ela no momento, não seria certo, podia até arriscar o Malfoy que era o melhor amigo homem de Key, mas ele nem mesmo tinha voltado ainda e me odiava.

Repassava todo o sermão que Rose fez antes de papai chegar para nos buscar naquele dia.

- Como pode? Emilia vive falando aos quatro ventos que Key se ilude achando que é sua namorada e que ela que um dia que seria! – Ela me disse irritada.

- E como ia saber que ela era maluca? – Perguntei indignado.

- Key te pediu para não ficar com ela e você que não resiste a um rabo de saia fez! Eu já falei para Key sair com um dos admiradores dela só para você sentir do seu próprio veneno! – Rose me fuzilava.

- Eu não ligaria, não sou ciumento se ela achar que outro é melhor que fique com ele pra sempre também, confio no meu taco, não posso fazer nada se ela não confia! – A ataquei, estava com raiva, mas sabia que no fundo estava errado.

- Você como eu sabemos o que ela passou com Alvo, deixa de ser babaca e vai resolver a merda que fez! – Rose torceu o nariz e precisei concordar, estava levantando para pedir a Lorcan para me ajudar a chamar Key que estava na torre da corvinal, só ele poderia entrar na sala comunal deles e me ajudar, quando papai adentrou o salão principal.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...