História A Sétima Marca - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags Bts, Got7, Lobos, Wolfs
Visualizações 18
Palavras 2.255
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Canibalismo, Cross-dresser, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá xuxus! 😍
Sentiram a minha falta? Ai espero que sim porque sabe que dia é hoje? É meu niverrrrr !!! Urruuuuu🎉👏💋❤😎🍿
Parabensss para muaaaa kkkk
Cara tou muito feliz por conhecer vocês e estarem me acompanhando !!!
Bom voltando ao capítulo hoje vai ser top aproveitem e curtem !!!!
Boa leitura! (*^3^)/~♡

Capítulo 21 - O labirinto


Fanfic / Fanfiction A Sétima Marca - Capítulo 21 - O labirinto



As bruxas estavam eufóricas e em êxtase por aquela captura, era como se matassem dois coelhos numa cajadada só, ou melhor, 14 lobos e 7 ômegas em uma cajadada só.

As ômegas andam em fila indiana acorrentadas uma nas outras obrigadas a ouvir os deboches das megeras enquanto levavam os lobos desacordados, umas cobiçavam as cabeças, outras queriam ver eles sofrerem sob torturas já as mais novas se aproveitar do corpo dos rapazes, aliás eram homens também, não dava pra ignorar isso.

HaNa olhava a situação e franzia o rosto dando uma expressão de culpa por aquilo está acontecendo com as meninas, mas o que ela poderia fazer? Sendo que também estava sob feitiço severo de Lin-Hui, a ômega vira o rosto tentando notar os detalhes dos dois lobos que tentaram fazer algo por ela, mas não podia ver muita coisa eles estavam sendo levados logo atrás delas e uma das bruxas a empurrava com um cajado pra que continuasse andando já que ela estava bem na frente das demais ômegas.

- Eu não quero morrer - Minnie sussurrava para as outras com medo.

- Não iremos, fique calma - Bam tentava consolar o coração aflito de Minnie pousando sua mão no ombro dela - continue andando.

Quando começam a adentrar no território do palacete já passando dos muros, as ômegas são separadas dos lobos, eles são levados para as prisões abaixo nas áreas mais escuras do palacete desde já tudo estava preparado para eles, acorrentados em grossas correntes sob encanto e as celas.

Já as ômegas seguiram com as duas aprendizes Hera e Kara, HaNa conhecia aquele caminho ia dar certinho ao labirinto posto a poucas horas. Desconfiada a ômega escrava olhava para as aprendizes tentando decifrar o que vinha a seguir, mas sabia que seria algo pior.

Hera dar passos a frente e com girar do seu bastão mágico, cipós grossos fincados no muro se desenrolam e juntamente as paredes se abrem fazendo surgir uma entrada no primeiro muro do labirinto.

- Atenção, tenho o imerso prazer de apresentar a vossa prisão, agora entrem sem gracinhas - Kara falava enquanto fazia as correntes quebrarem.

As ômegas olhavam umas para as outras sem entender aquela ordem, porém HaNa sabia que aquilo não era exatamente uma prisão. Ela corre em direção a Hera e a olha pegando na barra da sua capa.

- Por favor não faça isso, vamos morrer assim, não fizemos nada contra vocês, poupe pelo menos a vida delas ! Temos a mesma idade somos tão parecidas nós... - HaNa sente algo bater em seu rosto e a força do impacto a leva ao chão.

- Não somos como vocês, podemos ter a mesma idade porém somos o futuro da nossa linhagem, já vocês o fracasso de um carma que aturamos anos! - falava em alto tom Kara, que havia jogado uma bola de luz proferido do seu bastão ao rosto da ômega.

HaNa fica zonza com o golpe e tem dificuldade de se levantar, Bam rapidamente corre para ajuda-la a amparando olha as duas jovens bruxas timidamente zangada com aquela cena.

- Um dia tudo isso vai acabar e eu vou comemorar a cada segundo a derrota de vocês, vão se lamentar e implorar pela suas vidas ! - Bam dizia sem receios de ser castigada pelo ato.

As duas aprendizes se entreolham e logo caem na gargalhada, a voz delas eram finas e irritantes a ponto de incomodar uma boa audição aguçada, as outras ômegas põe as mãos nos ouvidos franzindo o rosto por aquele ato escandaloso.

- A derrota da gente !!! Essa é boa!!! - Kara batia as mãos nas coxas zombando das palavras de Bam.

- Ridículas ! - Hera fala entre dentes rindo.

HaNa olhava para Bam com uma expressão de decepção das duas.

- Elas não tem culpa, foram criadas assim - HaNa dizia balançando a cabeça negativamente, era incrível a bondade e inocência da ômega referente as rivais.

Porém ela estava certa desde cedo as bruxas era ensinadas a serem frias e cruéis desde cedo.

- Chega de piadas! Vamos entrem agora !!! - Kara diz com os olhos avermelhados e sua voz distorcida e grossa, fazendo as ômegas se deslocarem depressa para entrada do labirinto. Assim que passam para dentro as aprendizes dão um thauzinho se divertindo com o momento.

- Adeus vencedoras, sobrevivam e nos façam implorar pelas nossas vidas! - Kara diz fazendo as paredes se fecharem e os cipós com seus perigosos espinhos se enroscarem no extenso muro formado.

- O que ela quis dizer com sobrevivam e nos façam implorar pelas nossas vidas? - Minnie extremamente com medo se prontificava novamente.

- Não estamos numa prisão - HaNa se solta dos braços de Bam se recompondo, e fica de frente a todas - Nós estamos na nossa sentença de morte.

- O quê? Nãooo ! Nós vamos sair daqui sim, vamos sair desse...desse...aonde estamos mesmo? - Na Ra olhava para todo os lado mas só via muros.

- Estamos num labirinto, eu vi quando construíram, ou pior quando o fizeram aparecer, ele já existia! - HaNa fala passando a mão no rosto, onde havia levado o golpe estava avermelhado.

- Então é isso, estamos num labirinto presas e de qualquer forma isso é

uma prisão, certo? Então podemos sair daqui, precisamos... - Wonnie para ao ouvir um grunhido alto vindo de uma parte bem próxima do labirinto.

- O que foi isso? - Minnie estremece ao se esconder atrás de Bam.

O som parecia se aproximar, HaNa olhava pra que direção seguiriam mas a neblina e partes escuras não ajudavam.

- Vamos precisamos correr antes que nos acham!!! - HaNa sai correndo na frente e demais a seguiam.

- O quê? como assim _nos acham?_ - Na Ra perguntava ao correr mas HaNa estava focada demais para responde-la.

A verdade que HaNa conhecia os monstros que circulavam aos arredores do palacete ou até mesmo os criados pelas bruxas, era mais um motivo para não sair do palacete ou desobedecer uma delas. E está presa com um deles ou até mesmo vários só podia significar uma coisa, elas estavam sendo caçadas numa enorme gaiola.

A voz parecia está mais perto e as ômegas corriam tentando se afastar dele, mas a cada curva se deparavam com um beco sem saída, assim retornando a uma outra abertura que a favoreciam uma possível fuga, era desesperador não poder ver para onde ia, e a impressão que dava que só o predador estava acertando pra onde queria ir, direto ao encontro delas.

- Parem!!! - Wonnie gritou parando de correr.

Todas param confusas a olhando.

- Porque estamos fugindo? Vamos lutar, somos sete contra um! - Wonnie contrariada diz pondo as mãos na cintura.

- Ficou louca? Nunca fomos treinada para isso, a maioria aqui nunca nem agrediu alguém ainda mais matar uma fera dessas! - Bam repreende a mais nova.

- Meninas por favor precisamos continuar, vamos! - HaNa insistia em pôr todas de volta a fuga.

- Então vamos morrer assim? - Wonnie franzi o rosto angustiada olhando para todas que estavam nervosas.

- Eu não quero morrer ! - Minnie já choramingava com o desespero.

- Minnie não vamos morrer e Wonnie para com isso está assustando as demais - Bam ainda falava com palavras firmes.

- Annnn gente? - Na Ra sussurra fitando no caminho atrás delas que vinha em passos sorrateiros um monstro de três metros, sem nenhum olho, com uma larga boca e dentes afiados, em cada lado da cabeça buracos enormes e garras afiadas.

HaNa ao olhar arregala os olhos lembrando do tipo dele, eram criaturas cegas que não tinham olfato, no entanto, possuíam uma audição incrível e havia sensores de temperatura na longa lingua que deixavam pra fora da boca, eram postos de guardas na caverna na época que ela e as outras crianças capturadas estavam presas antes de irem ao palacete. A ômega faz sinal pra que ficassem em silencio e tentava mexer os lábios dizendo que ele era cedo mas poderia ouvi-las facilmente.

Minnie tremia perto de Bam parecendo querer abrir um choro mas a mais velha a abraça para acalma-la e nenhum barulho fazer. O monstro para ao ouvir mais nada, como não tinha olfato dependia dos extremos buracos em sua cabeça sensíveis a sons, ele caminha lentamente em busca de sua presa. HaNa andava conferindo onde pisava afim de se afastar e fazia sinal para que as outras fizessem o mesmo, todas começavam a se mexer para algum canto, Na ra e Liz conseguem se esconder atrás de outra parede e ficarem espiando, Wonnie fica parada no lugar firme encarando o monstro que ainda iria passar por ela, HaNa aponta para alguns cipós que tinha algumas folhas maiores e rápido Yunna e ela se escondem entre elas, já Bam tentava arrastar Minnie silenciosamente que mais tremia com a presença da fera do que andava.

Bam olha para um pequeno espaço entre os cipós de espinhos e com cuidado põe Minnie acolhida pois a omega tinha uma estatura pequena, mas estalos foram causados pela aflição de Minnie e a fera para ao escutar o barulho vindo de trás, HaNa engole seco pois se aquele monstro abrisse aquele enorme boca perto delas ele sentiria as suas respirações e as duas já eram, a HaNa olha rápido acima da sua cabeça descobrindo vários cipós secos, ela propositadamente começa a quebrar alguns.

- Garota para! - Yunna sussurra surpresa com ação de HaNa.

HaNa Franzi os rosto com um leve bico e continua pois ela estava chamando atenção do bicho para poupar Bam e Minnie. O monstro começa andar minuciosamente em direção delas, Yunna sentia que seu coração a qualquer minuto pularia pra fora do peito.

- Quando ele estiver próximo não respire - HaNa sussurrou o mais baixo possível.

"co-como assim?"

Pensa Yunna apenas arregalando os olhos incrédula com a recomendação dela. Ele chegava mais próximo e abria a enorme boca em frente aos cipós, as duas ali tapam as suas bocas e narizes totalmente nervosas, porém a intensidade que ele farejava os espinhos que eram pressionados por ele do lado de fora pareciam incomoda-las, a única coisa que separam os três eram os grossos cipós.

Yunna não estava suportando estava sufocando, HaNa tenta por suas mãos a boca dela balançando a cabeça negativamente para que aguentasse mais um pouco, mas Yunna as tira e dar uma forte respirada atraindo na mesma hora a atenção do monstro. Ele mais rápido que pode começa a arrancar com os dentes afiados os cipós ali que estava cobrindo elas, Yunna atônita gritava e HaNa atrapalhada se enrolou mais ainda por entre os cipós tentando se afastar dos dentes dele, mas antes que eles pudessem chegar em sua pele, os espinhos a maltratava.

As outras ômegas estavam apavoradas com a cena não sabiam o que fazerem, Bam olha para Wonnie que estava a frente com uma cara de raiva.

- Minnie fique aqui bem escondida, não sai daí e fique em silêncio! - Bam dar a ordem a menor e sai correndo até Wonnie.

- Tenho uma ideia, mas preciso que atraía ele até aquela parede - Bam aponta a um outro caminho a direita, que havia uma longo muro cheios de lanças afiadas - vou encurralar ele lá.

- Até que fim já estava na hora de fazer alguma coisa! - Wonnie dar um sorriso convencido e rápido se põe em seu posto.

- HEIIII SEU BICHO HORROROSOOOOO!!!!! EU TOU AQUI, CARNEEE FRESCAAA!!! - Wonnie se balançava como se exibisse ao um homem.

Ele para com vários cipós enrolados em sua fuça e se concentra na voz da ômega sendo a isca. O monstro sai correndo atrás dela e ela vai logo a frente com toda velocidade que pode. Wonnie vira pegando uma parede a esquerda e quando ele já quase a alcançava, a ômega se deparava encurralada sem saída, mas logo uma loba cinza surge numa abertura a uma outra parede e pula sobre ele o fazendo ir direto as lanças cravadas no muro, a fera fica preso se debatendo afim de sair porém as lanças perfuraram seu peito e pescoço.

As duas rapidamente voltam encontrando as demais, elas se abraçam aliviadas com o que passaram, Bam volta a sua forma humana porém, não tinha mais vestes para se cobrir então, cada uma das meninas tiraram uma peça extra e doaram a mais velha.

HaNa olhava tudo quieta e calada, ela ainda não conhecia as meninas mas estava feliz por está com elas, porém senti alguém lhe dar um forte empurrão.

- FICOU MALUCA! PENSOU O QUÊ QUANDO ATRAIU AQUELE BICHO PRA NOSSA DIREÇÃO? - Yunna gritava chateada pelo que HaNa havia feito.

- Des-desculpa, ele iria atacar as meninas eu vi ele se aproximar eu... - HaNa se encolhe se sentindo culpada - só quis ajudar.

Bam olhava feio pra Yunna que ainda se mantinha chateada.

- Ela salvou a minha vida, a minha e da Minnie e é o que cada uma aqui deve fazer, proteger umas as outras! Assim como ela fez! Somos um bando agora só temos umas as outras! - Bam se pronuncia olhando séria para as outras.

- Como é seu nome? - Bam olha suave para HaNa.

- HaNa, eu me chamo HaNa - a mais nova diz escondendo as suas mãos feridas devido aos espinhos.

- HaNa eu sou Bam, as meninas ali são Minnie, Liz, Wonnie, Na Ra e a esquentadinha ali a Yunna.

Nessa hora Yunna revira os olhos.

Bam envolve os braços nos ombros de HaNa aconchegado-a em si - Obrigada por mim proteger, agora você é uma de nós e não vai se livrar da gente tão cedo, bem vinda ao bando HaNa!

- Bem vinda HaNa! Obrigada! - Minnie dizia dando palminhas.

E pela primeira vez HaNa se sentia amor, confiança e alívio mesmo ainda estando em uma zona de perigo.


Continuaaaa!


Notas Finais


Ainnnnnn que os paranaêssss comecem !!!! 👏👏👏


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...