História A Sexta Facção - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Divergente
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Anjo, Arpia, Mpreg, Romance, Yaoi
Visualizações 8
Palavras 1.200
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Pensamentos


Fanfic / Fanfiction A Sexta Facção - Capítulo 1 - Pensamentos

Luka caminhava pelas ruas do bairro onde morava de forma tranquila. Ele já não se importava com os olhares que recebia das outras pessoas por estar com uma roupa " inadequada " para a abnegação. 

Ele trajava uma calça levemente justa e uma camisa de botões simples mas que estava com as mangas dubladas expondo seus antebraços firmes... o que para  todos de sua facção era um ato que remetia a pensamentos como vaidade, pensamentos de auto satisfação para com a aparência. 

Por conta disso muitos olhavam-no de forma reprovatoria.

Ele continuou a caminhar por entre as casas, em seus braços trazia um saco de papel com alguns alimentos para sí e para a mãe; apesar de ser diferente Luka tinha um pouco da abnegação,  mas só o demonstrava para Cláudia (sua mãe) que era a única na qual confiava plenamente. 

Ele virou mais uma rua, indo em direção as últimas casas daquela área e parando a frente da terceira antes do fim da rua. Observou por um momento a casa cinzenta e simples igual a todas as outras e depois proceguil entrando nela.

Por dentro o local era do mesmo modo que por fora, só que mais claro.

Havia na sala um sofá e uma mesinha sobre um tapete de tecido cinza e aspero, na sala não tinha mais nada o que fazia o lugar se tornar triste e desanimado para sí. 

Tentando sair de seus pensamentos ele caminho até a cozinha da casa, onde podia ouvir sua mãe. 

Ao entrar no espaço ele a viu cortando legumes subre a pia; suas roupas eram iguais às de sempre cinzentas e depreciativas para sí. 

Ele foi até ela colocou o saco sobre o balcão a seu lado e lhe deu beijo na bochecha fazendo-a sorrir.

- Como foi lá? - ela pergunta , pois sabia que ele não gostava de ir aos depósitos já que sempre recebia diversos olhares atravessados de sua facção. 

- O mesmo de sempre, duas dúzias de pessoas irritantes e mal educadas para com quem é diferente. Imagino se soubesse do meu segredo se continuariam a agir assim.- ele ri baixo sendo observado pelos olhos carinhosos da mãe. 

Ela sabia do que ele falava, e era do fato de ser uma criatura fantástica... fato que era um segredo é que talvez nunca fosse ser revelado, pelo menos era o que ela pensava.

*** quebra de tempo ( 18:00 horas)

Ele  estava na cozinha novamente, depois chegar conversar com a mãe havia ido para seu quarto; seus braços e coluna doíam e não queria ver o semblante preocupado da mulher a quem amava.

E lá ele ficou, deitado em posição fetal e bem encolhido quando frio, felizmente a dor diminuiu significativamente até o jantar e ele pode sair do quarto.

Agora jantava ao lado da mãe, anbos em completo silêncio até que algo acontece...

A dor volta e mais forte fasendo-o derrubar seu garfo no prato de forma brusca, o que assustou a mulher a sua frente que o olhou de forma reprovatoria pelo barulho e estava prestes a reclamar até ver a face do rapaz; ele suava e seu rosto mostrava uma feição de dor ele respirava rápido e pesadamente. 

- Meu amor !! - ela foi rápida ao levantar e ir para o lado dele pois ja sabia o que ocorria.

Luka tentava conter sua transformação ,que deveria ter ocorrerido já a algum tempo mas que ele impedia... Não queria que ninguém soubesse o que ele era e tentasse o persuadir a ficar na abnegação para ajudar com seus poderes.

Ele já estava ficando fraco mas permanecia sem soltar um único som, sabia que se o fisece seria algo inumano.

***


No dia seguinte Luka acordou caumo e já não sentia as dores do dia anterior. Ele saiu da cama de solteiro em que dormia indo em direção ao banheiro do corredor. Depois de faser sua necessidades e higiene básica ele desceu para o primeiro andar e tomou seu café da manhã, sua mãe já havia saído para trabalhar e não demoraria para dar o otário do ônibus da escola passar.

Rápido como sempre ele lavou sua louça e subiu para pegar os materiais da escola.

Não demorou muito tempo e o ônibus chegou, Luka já estava na calçada o esperando como sempre o viu de forma inquieta pois não gostava daquele veículo no qual sempre havia pessoas o olhando de forma curiosa e estranha.

Por causa de sua aparência ele sempre era alvo de olhares; seu corpo magro e com curvas apesar de não ter seios ou a cintura muito larga, ainda o faziam ser parecido com uma garota levemente forte ele também possuía cabelos longos na altura do meio das costas apesar de sempre estarem presos com uma fita cinza... sua pele era clara e seus cabelos castanhos médio, seus olhos de um lilás raro e único por serem escuros... Ele era o que muitos chamariam de um garoto belíssimo.

***

Não demorou para chegar a escola desses do veículo encomodo, como se não bastasse os olhares que recebe ainda tinha de ficar de pé no transporte coletivo e receber o assédio de um homem qualquer que passará a mão em sua bunda... coisa que lhe deixou irritado e rendeu um soco no estômago para o outro que caira desmaido no mesmo momento, o que assustou a todos no ônibus pois tal ato vindo de algum da abnegação era completamente inacreditável; mas Luka não se importou e se virou novamente tentando esquecer do toque que embrulhada seu estômago e fez ter vontade de vomitar.

Depois de descer do ônibus ele correu para o banheiro, seu estômago estava rejeitando o café da manhã ele precisava vomitar.

Logo que encontrou o banheiro masculino entrou em uma das cabines se ajoelhado no piso liso, e brilhante de tão limpo, colocando tudo que comerá para fora.

Logo levantou dando descarga e indo a pia lavar a boca.

Logo que saiu do banheiro deu de cara com um frupo de seus amigos, que o esperava na porta.

Eram Caroline, Kimi,Marco e Nic ( sendo as duas garotas com cabelos pintados de vermelho e roxo, respectivamente,  e os garotos de cabelos castanhos escuro quase preto , todos usavam as roupas pretas e vermelha da audácia )

Eles o olhavam de forma preocupada, pois já sabiam quando ele  vomitava era porque havia acontecido algo no caminho para o colégio.

- O que houve dessa vez cara ? Pergunta Nic com uma feição preocupada.

- Não foi nada de mais.  - ele começou a andar em direção à sala de aula.

- você sempre diz isso e sempre é algo ruim. - expõem Caroline.

Com um suspiro ele para de andar e se vira de rosto baixo sem deixar transparecer sua angústia em seu rosto.

- Um homem da Erudição passou as mãos na minha... - ele se interrompe deixando uma lágrima e um soluço escapar - Na minha bunda, hoje no ônibus. 

Todos estavam atônitos com as palavras do amigos logo foram até ele o abraçando, ele por sua vez escondeu o rosto no peito de Marco que o abraçava de frente com os braços a seu redor deixando -o chorar em sí. 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...