1. Spirit Fanfics >
  2. A Sobrinha Do JYP - Stray kids (Hiatus) >
  3. A jornada de Lee Minho

História A Sobrinha Do JYP - Stray kids (Hiatus) - Capítulo 21


Escrita por: Larry_hwang

Capítulo 21 - A jornada de Lee Minho



- Você matou ela! - Ele me olhava com sangue nos olhos, enquanto se aproximava de forma agressiva.

- Mas Ji hoon eu avisei a ela, se lembra?! Eu avisei você! Mas você disse: "não, esquece isso minho blah blah" - Eu disse, já alterado, jogando aspas no ar.

- Você não avisou direito e ainda por cima não fez nada de útil pra impedir não é, Minho fracote? - Segurou em minha blusa, enquanto apertava o punho de sua outra mão com força.

- O quê que você disse? repete?! 

- Calma crianças não vai adiantar nada--

- Cala a boca aí ô seu velho, eu disse minho--


 antes que ele repetisse a última palavra, fui mais ágil e dei um soco bem dado na cara dele. Eu nunca senti tanta raiva do meu irmão, mas dessa vez foi ele quem pediu por isso. E pra completar, xingou o capitão dos bombeiros, pessoas que fizeram o possível pra poder ajudar. Depois do feito, ele se afastou de mim e se aproximou da escada que dava para os nossos quartos, que eram separados, Ainda bem.


- FILHOS SE ACALMEM!!! - Disse meu pai.

- Calma?! - indaguei, indignado. - Ji hoon eu não estou te reconhecendo! 

- Pois é Babaca, esse sou eu. Vai se acostumando com a culpa nas costas da morte da nossa mãe, pois você vai carregar esse fardo pra sempre. Ah, e já que estamos reunidos aqui, A partir de hoje me chamem de draco seus inúteis, inclusive vocês, bombeiros de merda. - virou-se e subiu as escadas para o seu quarto e meu pai foi atrás dele pra ver que bicho do inferno o mordeu.

- Desculpa gente, eu não sei o que deu nesse garoto, me desculpem mesmo. Eu sei que todos vocês fizeram o possível, e eu agradeço. - Fiz reverência, e eles assentiram com a cabeça.

- Não precisa agradecer filho, Agora que eu percebi que são gêmeos idênticos! - Disse Herman, boquiaberto. E eu apenas assenti com vergonha da ação infantil de ji hoon.

- Mas seu irmão é bem diferente de você. Ele nos olhava com ódio, não é muito pequeno pra ter a personalidade desenvolvida assim?! - Indagou.

- Capitão Herman, eu realmente não sei o que aconteceu, ele nunca foi assim antes. Eu nunca vi ele olhar daquela forma pra uma formiga sequer.

- Talvez seja porque você foi com a sua mãe, e ele acha que você não tentou salvá-la. Mas todos nós sabemos que você tentou. - Respondeu.

- É, pode ser.. - Eu disse, Cabisbaixo.

- bom, estamos indo. E Minho, você é um garoto legal. Podemos ser amigos? - Ele abaixou pra que ficassemos do mesmo tamanho.

- Claro, e eu serei grato a você pelo resto da minha vida. Na verdade a todos vocês, muito obrigado.

- Você é de uma força incrível e aliás, quando precisar de um "parceiro" pra todas as horas, me ligue, aqui está o meu cartão. - Ele tirava um cartão do bolso de seu longo casaco de couro marrom.

- E não precisa agradecer, filho. - Acrescentou, ficando de pé, se preparando pra sair.

- Conte à sua vó quando encontrá-la e dê muito apoio ao seu pai. - disseram, uns dos bombeiros. 

- Prepare bem o coração de sua avó, Filho. Adeus. - Aconselhou, e depois saiu, me deixando naquela sala que passou a se tornar vazia , sem a presença de minha mãe.


×


um ano se passou, eu não conseguia esquecer minha mãe um dia sequer. Minha vó já sabia de tudo, no início foi bem difícil pra ela, mas como ela sempre diz: "O tempo cura tudo" e assim foi pra ela. Muita coisa mudou depois que ela se foi. Minhas notas da escola começaram a despencar, pois eu não conseguia nem prestar atenção em nada. Meu irmão passou a me odiar, só sabíamos brigar o tempo todo. Meu pai? Meu pai só vivia bebendo e batendo em mim, me culpando da morte da minha mãe. Eu entrei em um estado de depressão profunda por conta desses acontecimentos e por principalmente a falta que a minha mãe faz. E de pensar que se eu realmente insistisse pra ela não ir aquele dia, ela estaria aqui do meu lado. Depois de um tempo, meu pai perdeu a nossa guarda e a gente foi morar com a minha vó e ele sumiu no mundo. Quando eu completei 21 anos, um novo sonho nasceu em mim: ser dançarino e cantor. 

Minha mãe sempre falava que eu dançava muito bem, e esse era o sonho dela de infância, mas o amor pelo surf foi maior, e ela investiu nisso. E eu pensei: "por quê não?Talvez isso me faça bem, depois de tanto tempo."


× 

Andando pelas ruas de Seul, em um grande telão, um anúncio de uma empresa veio à tona chamando a atenção de todos que passavam por ali, principalmente a minha:


" Olá, Caros cidadãos. Ou melhor, caros jovens ou adolescentes que sonham em ser artistas, eu e toda a minha equipe do JYP Entertainment, iremos fazer uma audição amanhã às 16:00 Horas. Ficou curioso? Então, venha e boa sorte."


- JYP Entertainment? Humm Interessante. - Um garoto com uma aparência de esquilo se aproximou, olhando para o grande telão. 

- Você irá participar? - Indagou de repente, me olhando. 

- Bom-

- Se sim, boa sorte. Nos vemos lá. - Piscou e depois se foi, misteriosamente.

- Eu hein. Mãe, seu filho logo estará ali naquele telão, sendo um dos candidatos que passou. - Eu disse a mim mesmo, confiante.


×


Tá, eu confesso que não estava tão confiante assim. Eu contei pra minha vó sobre minha decisão e ela ficou super feliz, já draco, pra mim ainda é estranho chamar ele assim. Já ele, riu de mim até não poder mais e eu apenas ignorei a sua ignorância.


- Owww a bailarina quer dançar, quer? - Provocou draco.

- Então vovó, como eu estava lhe dizendo, Eu vou fazer a audição amanhã às 16:00. - Eu Disse, o ignorando.

- Ai que orgulho meu neto, você nasceu pra isso! Com certeza sua mãe está te aplaudindo do céu agora. - Disse emocionada.

- Ooo vovó, com certeza. - Eu a abracei.

- Eca, acho que vou vomitar. - Comentou draco, fazendo cara de enjôo.

- A fica quieto menino, eu sei que você também quer um abraço da vovô, vem cá. - Disse me soltando e indo atrás dele. Draco tentava escapar, enquanto minha vó rodava o sofá atrás dele. Foi engraçado, pena que durou pouco.

- EU JÁ DISSE QUE NÃO QUERO! - correu até a porta saindo batendo com força.

- O quê aconteceu com o meu ji hoon.. - Disse olhando pra porta.

- Tudo bem, vovó. - Eu fui até ela, e a abracei.


× 


Quarta feira, pois é, e aqui estou eu. Faltam dez minutos pra audição começar e eu já estava super nervoso. Eu estava no 4° lugar da fila e logo atrás de mim, estava o menino com cara de esquilo. Fiquei surpreso, mas criei coragem e puxei assunto.


- Qual é a sua especialidade nesse meio artístico? - indaguei, e ele me pareceu surpreso por me ver falar mais de uma palavra.

- Nossa, pra mim você era mudo! - Brincou, me fazendo rir e ficar menos nervoso.

- Rap. E o seu?? Aliás, Qual é o seu nome? O meu é Han, Han jisung. 

- Minho, Lee Minho. Você realmente tem cara de rapper! - Exclamei.

- E eu achava que eu tinha cara de esquilinho, peculiar. - Disse, em tom brincalhão.

- Eu reparei. então, você tem cara de esquilo rapper.

- KKKK "esquilo rapper", adorei. Mas você ainda não me disse o que você faz nesse meio artístico? 

- Eu sou dançarino e cantor. 

- Jura?! Nossaa eu tenho um amigo que dança também, mas ele tem outra especialidade especial, já já ele chega. A em falar nele.. CHANGBIN, AQUII! - Gritou acenando para um garoto, que tinha os cabelos castanhos. Ele sorriu e se aproximou em nossa direção.

- Eai família, mas quem é esse?! - Changbin me olhava sem expressão, enquanto apontava o dedo indicador pra mim.

- Lee Minho, ele é dançarino e cantor. -respondeu o esquilo.

- Pasmem, jura??! - De repente, uma expressão bem específica ganhou espaço em seu rosto.

- Uhum. - Respondi.

- Nooossa, tomara que a gente fique no mesmo grupo. - Disse esfregando as mãos.

- Seu nome é Changbin, né? - indaguei e ele assentiu simpático. - Você vai fazer a audição pra que posição no grupo? - Acrescentei.

- Rapper anão. - Han jisung completou, antes que Changbin afirmasse qualquer informação.

- YA! era pra mim ter respondido! Anão?! Aish, de novo isso?! - Exclamou, Cerrando os olhos pro esquilo,que tinha uma expressão indefesa depois do repreendimento. 

- Exatamente, Minho leite ninho. Sou Rapper e dançarino hehe

- Minho Leite Ninho? kkkkkkkkkkkk - Eu tive uma terrível crise de riso, pois nunca ninguém tinha feito esse tipo de piada comigo. Como minha risada era contagiosa, Han e Changbin riam adoidados, até que... Uma moça chamou o número "4" me fazendo parar de rir na hora e engolir seco. "Sou eu.." - pensei. 


- Boa sorte manoow!! - Changbin bagunçou meu cabelo. 

- Você consegue Minho, pois Lee Know. - Han piscou.

- kkkkkkkkk - Ri, assim que entendi a piada. Como eles conseguem fazer esse tipo de piada e não rir? eu sou um tiozão mesmo.


× 


Quando Cheguei na sala, os jurados pareciam sérios mas assim que comecei a dançar, olhos brilhantes caindo sobre mim ganharam espaço naquele salão, me fazendo ficar ainda mais confiante. Uma semana Depois do primeiro teste, recebi uma ligação me avisando que eu havia passado, fiquei feliz!! Mas não fiquei tão contente porque havia um segundo teste, mas ninguém sabia como ia ser. Entretanto, depois soube que eu e aos outros que passaram teremos que enfrentar um tipo de "sobrevivência". Fiquei com medo de não passar nesse segundo teste e fiquei com mais medo ainda, se eu passasse e Han e Changbin não entrarem no mesmo grupo que eu.

Ficamos meses competindo entre si e lá eu fiz mais amigos além de Han e Changbin. Fiz dois amigos australianos, Christopher Bang e Lee Félix que por sinal, são super legais e os outros são coreanos assim como eu, cujo os nomes são: Hwang Hyunjin, Yang Jeongin e Kim Seungmin. Han e hyunjin brigavam igual cão e gato, mas depois que tudo se formou e eles caíram no mesmo grupo, enchergaram que de qualquer maneira tinham que viver em harmonia e paz. Com tempo acostumamos uns com os outros e deu tudo certo KKKK e estamos aí há 3 anos juntos. Esses meninos foram peças chaves na minha vida, pois depois que os conheci eu só passei a rir com frequência. Era raro eu me sentir triste e quando eu ficava, eles estavam ao meu lado. Han jisung foi o que mais me viu triste por tudo que já me aconteceu, mas independente do meu estado emocional, ele estava lá. Eu amo esses caras.


[Flashback Off]


- E foi isso, min. Mas sabe.. eu sou muito grato por tudo que eles me fizeram.

- Ah que fofos.. esse meninos são uns anjos por cuidarem tão bem de você, queria poder te conhecer antes Lino, pra cuidar de você e Eu sinto muito pela sua mãe.. - Disse, Acariciando meu rosto.

- eu também.. eu também. - Nos encaramos e aquele olhar de compaixão de minjee surgiu, me fazendo sorrir fraco.


Continua..


Notas Finais


Ttaaaaa não me matem!! A fase nova está pra chegar, e é onde a ação e os mistérios começam a aparecer.

E aí, vocês querem um capítulo especial contando as maldades de "draco" ? se sim, deixe aí em baixo nos comentários!

Obrigado pelos 30 favs, amo vocês e Até amanhã!💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...