História A Sobrinha (Imagine Suga - BTS) - Capítulo 35


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Amor, Bangtan Boys, Bts, Família, Hentai, Imagine, Incesto, Min Yoongi, Romance, Sexo, Suga, Você
Visualizações 466
Palavras 1.356
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi oi oi
Voltei
Era pra ter sido postado antes, mas acabei ficando ocupada com a escola :')
Terminei de escrever esse capítulo a cinco segundos atrás, e não corrigi os erros porque vou ter que sair.
Espero que gostem <3

Capítulo 35 - Velhos tempos


-C-Como assim? – Taehyung pergunta sem acreditar – Está me dizedno que voce tem um caso com o seu próprio tio?

-Sim... Eu imaginava que voce tivesse esse tipo de reação – suspirei ficando cabisbaixa

-É que é estranho entende... Desulpe – tocou em meu ombro – Quer me contar como isso começou?

-Sim – estávamos numa praça, então aproveitamos para parar um pouco e sentar num banco ali perto – Acontece que minha mãe trabalha em outra cidade,e  eu sempre ficava sozinha com meu tio... Mas nosso contato não era bom, ele sempre foi uma pessoa difícil de se lidar e eu confesso que dizia odiá-lo. Mas com o tempo começamos a nos aproximar, eu tentei convercer a ele e me convencer também de que isso era errado, e eu queria esquecer ele, mas cada vez mais ficava mais dificil. Até que com o tempo começamos a ter mais contato físco e terminamos por estar alimentando sentimentos um pelo pelo outro. Creio que mais pela minha parte...

-Hm, mas como assim “mais da sua parte”? Não tem certeza que ele gosta de você, é isso?

-É que como eu falei ele é uma pessoa difícil de se lidar, então as vezes sinto medo do que ele aparenta estar sentindo por mim seja passageiro.

-E te conhecendo bem sei que você não tem sentimentos passageiros. – sorriu de canto

-Isso, quando são verdadeiros ficam por bastante tempo. – suspirei

-Sabe, eu fico feliz que você finalmente tenha-me contato a verdade, embora eu já desconfiasse não queria acreditar. – sorriu fraco

-Tae, eu preciso da sua ajuda. – apertei sua mão forte

-Você precisa terminar com o Jimin... Se você não fizer isso agora com o passar do tempo vai ser mais difícil.

-Eu não sei se consigo. Eu sinto raiva de mim mesma, você sabe, eu não queria ser esse tipo de pessoa. Eu não quero brincar com os sentimentos dele, mas está tudo tão difícil. – segurei para não chorar

-Bom, eu nunca passei por isso, mas creio que deve ser complicado mesmo. Você tem se encontrado com o Jimin esses dias?

-Não, a gente está mal se falando. Eu não consigo ficar com ele muito tempo, parece que minha consciência acusa. – explico

-Ele deve estar se sentindo mal por isso. Por que não tenta se encontrar com ele e falar tudo... Ser direta. Sabe, isso seria muito melhor do que inventar desculpinhas pra terminar com ele.

-Sim, eu sei. Mas ele sempre foi uma pessoa tão maravilhosa comigo, tenho medo de perder a amizade dele.

-S/N, tem uma possibilidade de isso acontecer, mas tente fazer o seu melhor... Talvez ele entenda.

Fiquei cabisbaixa, eu não sabia o que falar.

-Existem momentos na nossa vida que temos que fazer algumas escolhas difíceis. Fugir dos seus problemas só vai piorar tudo, então tente resolvê-los e seja honesta com s outros e consigo mesma.

-Que bom que eu tenho você comigo agora pra me dizer essas coisas, senão eu fiaria totalmente perdida.

-Eu fico feliz em poder te ajudar, somos amigos por tanto tempo e eu não poderia te abandonar justamente agora.

-Obrigada.

-Não quero ver você triste ou pra baixo, vem... Vamos fazer algo divertido. – levantou e estendeu a mão para mim, assim que fiquei de pé ele saiu correndo e me puxando consigo fazendo-me correr também.

-O que deu em você? Não poderíamos andar tranquilamente? – ri

-Assim é mais divertido... – explica olhando para trás por breves segundos.

Minutos depois paramos em frente a uma sorveteria.

-Não íamos ao shopping? – pergunto

-Uns dias atrás eu vim nessa sorveteria parece com aquela que tinha lá perto da sua casa no Japão. Poderíamos relembrar os velhos tempos. O que me diz?

-Por mim tudo bem. – sorri e entramos no estabelecimento

Sentamos numa mesa perto da janela, Tae sentou-se de frente para mim e pegou o cardápio.

-Olha, tem alguns sabores que você gosta aqui. – me jogou o cardápio

-Sim, tem mesmo. – comecei a analisar a lista

-Lembro que você gostava desses aqui. – apontou a um lado da lista com uns sundaes enormes

-Eu não consigo mais comer tudo isso.

-Por que não? – riu – Quando tínhamos uns 12 anos você comia tudinho e ainda terminava primeiro do que eu.

-Mas isso faz tempo. Acho que hoje não consigo mais.

-Consegue sim, vamos, vou escolher por você.

Assim que a atendente se aproxima ele faz os pedidos. Uns cinco minutos depois estávamos com o sorvete em mãos.

Comecei a comê-lo, mas terminei por não conseguir comer tudo.

-Viu, eu disse que não conseguia. – ri fraco

-Com um bom treinamento você conseguiria comer. – ele pegou o meu e comeu em segundos – Porque eu lembro que a gente sempre ia à sorveteria depois da aula, então sempre tínhamos fome. Mas agora você mal sai de casa, deve levar uma vida sedentária.

-Eu saio de casa sim.

-Pode até ser, mas aposto que não faz uma atividade física. Alem de a gente fazer atividade física com o nosso professor chato da antiga escola, também voltávamos pra casa a pé.

-Sim, mas agora eu volto de carro. Mas a minha casa é longe, não tenho culpa.

-Sei – estreitou os olhos – Cuidado pra não esquecer como se anda. – riu

-Bobo... Mas você ainda estuda na mesma escola não é?

-Sim, alguns professores mudaram... Mas a de português, aquela velha chata, continua a mesma. – explica

-Triste. – vejo-o concordar

-Mas desde que você foi embora eu não fui mais naquela sorveteria, ela me lembra você... Então preferia não ir. Daí quando cheguei aqui vi essa e como você está por perto dessa vez, seria uma boa oportunidade.

-Sim. Sinto saudade do Japão. – suspirei

-Você precisa me visitar também, quem sabe nas próximas férias.

-Seria ótimo. Tentarei convencer minha mãe. – ri fraco

-Ela deixa, tenho certeza.

-Por falar nela, preciso ver como ela está... Porque faz alguns dias que ela não está indo para casa, e tenho medo da situação da doença dela piorar.

-Entendo, espero que ela fique bem logo.

-Eu também, mas o problema é que parece que ela não quer ajuda. Porque ela poderia contar para mim, ou para alguém da família, mas não faz isso. Eu só sei por que o médico me disse.

-Então tente falar com esse médico de novo, talvez seja a melhor coisa a fazer.

-Tem razão.

-Mas a sua mãe se dá bem com o resto da família? Porque antes você nem os conhecia.

-Não muito, mas pelo menos com mus avós ela fala.

-Poderíamos ir lá antes que eu vá embora, queria conhecer eles.

-Pode ser... Eu vou tentar ligar para a vovó mais tarde.

-Ok, agora acho melhor irmos. Já passamos um tempinho aqui não é?

-Sim – levantamos e ela pagou os sorvetes

-Bem, eu posso afirmar que aqui o sorvete é mais caro que no Japão – riu

-Mas o sabor é o mesmo?

-Sim, parece o mesmo.

-Da próxima vez compramos no Japão então – rimos

Voltamos aporá casa conversando animadamente, ele foi pro seu apartamento e eu para minha casa mesmo. Entrei em casa e subi até meu quarto.

-Yoongi? – ele estava deitado na minha cama, parecia estar dormindo – Já pode acordar. – toquei em seu ombro

-Olha só, lembrou que tinha uma casa. – disse sonolento, ele sentou-se na cama

-Engraçadinho – ri fraco – Eu nem demorei.

-Não, só uma tarde inteira. – me puxou e sentei em seu colo

-Desculpa. Você está dormindo há quanto tempo?

-Não sei ao certo, depois que você saiu eu deitei aqui e apaguei. – explica

-Mas parece que ainda está com sono.

-Dizem que uma noite de sono demora a ser recuperada, e acredite, nessa vida eu á perdi muitas e muitas noites de sono.

-Entendi... – ficamos em silencio por um tempo – Eu tomei uma decisão – Preciso terminar com o Jimin, o quanto antes.

-Por que essa atitude tão de repente?

-É que... Quanto mais eu adiar, mas as coisas ficarão difíceis.

-Tem razão, e eu quero você seja só minha o quanto antes. – me abraçou deixando seu rosto enterrado na curvatura do meu pescoço

-E se alguém descobrir Yoongi? – fiz ele me olhar

-Isso não vai acontecer, mas se acontecer... Vamos dar um jeito de ficar juntos. – segurei minha mão e me beijou ternamente


Notas Finais


Até breve <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...